Pose para a última fotografia (Sgt. Johnson Barros – Agência Força Aérea)

No dia 22 de outubro último, na Base Aérea de Campo Grande, MS, o FAB 8703, um Bell HU-1H (nomenclatura empregada no Brasil para o Bell UH-1) fez o último voo operacional a serviço da a Força Aérea Brasileira (FAB), encerrando um ciclo de 51 anos iniciado em 1967.

Tratou-se do fim de um ciclo de uma aeronave que esteve presente nos mais distintos momentos e em fatos marcantes da história do país. Operações de resgate em enchentes, aeronaves acidentadas, do incêndio do edifício Joelma, todos tiveram em comum a operação do Bell UH-1, uma aeronave cujo projeto remonta do final dos anos de 1950 e se tornou uma lenda, o símbolo de aeronave de transporte militar, imortalizado pela sua operação no Vietnã.

Nascido através de uma especificação emitida pelo Exército dos Estados Unidos em 1954 para uma aeronave de transporte de tropas e evacuação médica, o Bell YH-40 fez seu primeiro voo em 1958, vindo a se tornar o Bell 204 Iroquois, recebendo a denominação inicial de HU-1, sendo dessa nomenclatura, a origem do nome “Huey”

Com o sucesso do modelo “curto” 204, o Exército logo encomendou uma versão com maior capacidade, surgindo daí o modelo 205, recebendo a denominação militar de UH-1D.

Essas aeronaves logo se tornaram símbolo de transporte de tropas militares devido sua atuação na Guerra do Vietnã. O ruído produzido pelas suas duas enormes pás do rotor principal se tornaram característicos e praticamente qualquer pessoa que viva nesse planeta e tenha visto algo relacionado aos combates no Vietnã e filmes de Hollywood (como o “Rambo”) consegue associar o som do helicóptero à aeronave.

O Bell 204/205 foram os precursores de uma gama de aeronaves como o biturbina 212, sua evolução o 412 (que continua em produção) além do programa da Bell Helicopter denominado de Huey II que nada mais é que a venda de aeronaves totalmente remanufaturadas pela fábrica.

O Bell Huey é mais um daqueles bons exemplos de que um projeto bem elaborado é capaz de atravessar anos e anos sem alterações significativas e plenamente operacionais por muitos anos.

Foi sucedido pelo Sikorsky S-70 Blackhawk, outra belíssima aeronave que nos Estados Unidos já carrega, com maestria, o legado do Huey

Algumas fotos e vídeos

Imortalizado como meio de transporte na Guerra do Vietnã, não há filme que trate da Guerra sem exibi-lo!

Rambo II. Nesta sequencia, um Bell 212, versão biturbina do Huey e um Super-Puma configurado para parecer um Mil-Mi 24 “Hind”.

Apocalipse Now

Abertura da Série “Tour of Duty” (apresentada como “Combate no Vietnã” no Brasil). Além do Bell Huey, temos como destaque a música tema de abertura “Paint it Black” dos Rolling Stones.

Bell 205 / UH-1D
Motor Turboeixo Lycoming T-53 L-11
Potência 1.100 hp
Nº de passageiros (máximo) 2 pilotos + 14 soldados
Comprimento (m) 17,40 (incluindo rotor)
Altura (m) 4,39
Diâmetro do rotor principal (m) 14,63
Peso máximo de decolagem (kg) 4.100
Peso vazio operacional (kg) 2.365
Alcance (km) 507
Velocidade de cruzeiro (km/h) 201
Teto de serviço (m) 5.910

 

DA

 

(1.359 visualizações, 1 hoje)