O suve Lexus NX 300h F Sport é um híbrido, com o indica o “h” após 300. Tem um motor a combustão de ciclo Atkinson, de 2,5 litros, aspirado, que gera 155 cv, e dois motores elétricos, um para cada eixo, sendo o do eixo dianteiro de 143 cv e o do traseiro, de 67 cv. Porém todas potências e torques, quando combinados, não são somados em seu máximo, e o disponível para a propulsão resulta em 195 cv e 21 m·kgf. Isso o faz cumprir o 0 a 100 km/h em 9,2 segundos e ter velocidade máxima, limitada eletronicamente, de 180 km/h.

Esse tipo de híbrido não é plugável (plug-in), isso significando que a bateria de tração não pode ser carregada pela tomada.

Ambiente confortável, tecnológico e elegante

Seu preço é R$ 260.990. As versões Dynamic (R$ 229.670) e Luxury (R$ 240.110) têm a mesma configuração mecânica e desempenho. Já a F Sport se diferencia das outras por ter um caráter mais esportivo e por contar também com um modo de perfil de condução a mais, o Sport+, que o deixa mais ágil, porém isso não resulta em aceleração ou velocidade máxima diferentes das outras versões.

Quando cheguei com o Lexus NX 300h F Sport em casa, nós, minha mulher e eu colocamos algumas coisas no porta-malas e fomos buscar nossa filha e netos. E assim partimos para o interior paulista, numa viagem de pouco mais de 210 quilômetros, levando três adultos, um filhote de cachorro e dois filhotes de gente, com o porta-malas obviamente lotado.

Porta-malas de 475 litros é um tanto raso

Foi pegar a Rodovia dos Bandeirantes e de imediato me deliciar com a boa sensação que o volante passa, de precisão suave. É silencioso, tem bom isolamento acústico. E roda macio, “uma seda”, como se costuma dizer, e não parece pesado como é, 1.905 kg em ordem de marcha. Há espaço de sobra para todos. Conforto para quase todos, pois minha filha se viu obrigada a viajar entre dois bancos de bebê e o centro do encosto banco traseiro não é anatômico. Isso é algo comum quando o fabricante adota a configuração que chamo de 4+1.

O encosto não é plano, o que penaliza quem vai no meio

Carro híbrido, e lá fui eu dirigindo e pensando no intrincado sistema que envolve um motor a combustão — ora trabalha só gerando energia para a bateria, ora também propulsionando – e dois motores elétricos. E há mais uma situação, a em que o carro roda só como elétrico, onde o motor a combustão fica desligado. A bateria de tração tem pouca capacidade de energia, só 1,6 kW·h, ou seja, energia suficiente para suprir um motor elétrico de 1,6 kW (2,2 cv) por uma hora, ou um de 16 kW (22 cv) por seis minutos.

No painel há um instrumento à esquerda que informa em qual desses modos o veículo está — bateria sendo carregada, rodando ecologicamente, ou usando mais potência. É um ponteiro, tipo um conta-giros, que o indica sobre faixas. Já na tela multimídia pode-se acessar uma ilustração que dá perfeita visualização de como o sistema está atuando naquele momento, porém ele tira a nossa atenção da estrada e logo aprendemos a nos informar, só com o canto dos olhos, pelo citado instrumento à esquerda. 

A bateria de tração fica sob o banco traseiro e armazena apenas 1,6 kW·h de energia (divulgação)

E lá pelas tantas, após termos rodado uns cem quilômetros, minha filha pergunta:

— E aí, pai? O que está achando do carro?

Olhei para o painel e o computador de bordo indicava que vínhamos fazendo uma média de 11,3 km/l de gasolina, e isso viajando comportadamente, como se deve viajar com a família a bordo. Econômico, sim, ainda mais para um suve médio e pesado. Mas não extraordinariamente econômico.

— Filha, o carro é uma delícia, e isso nem preciso falar, pois você está vendo. Gostoso de guiar, bem plantado no chão, anda bem, acelera bem, roda como sobre tapete, mas aqui na estrada o fato de ser híbrido não parece estar trazendo economia considerável. 

A solução híbrida economiza bastante, mas  só na cidade

Quando voltei a São Paulo, é que notei as vantagens dessa hibridização. No trânsito rotineiro da cidade ele fez 12 km/l, ou mais, onde um suve tradicional desse porte e potência não passaria dos 9 km/l, e isso se for moderno, já com motor de baixa cilindrada e turbocompressor, etc. Segundo o Inmetro este Lexus faz 12,6 km/l na cidade e 11,1 na estrada.

O híbrido NX 300h F Sport, tal como o Toyota Prius, ao contrário dos carros só a combustão, gasta mais na estrada que na cidade. Essa é uma particularidade dos híbridos, pois na cidade a demanda de potência média do motor a combustão é menor por contar com auxílio do motor elétrico e há recuperação de energia elétrica nas seguidas desacelerações para manter a bateria de tração carregada. Segundo a Lexus a economia é da ordem de 50% na cidade. 

Motor a combustão de ciclo Atkinson

Funciona assim: estando em movimento, ao se cortar a aceleração o motor elétrico dianteiro transforma-se em gerador e, aproveitando a energia cinética, enviam energia para a bateria. Ao se pisar gentilmente no freio, o que primeiro freia é o gerador, que ao gerar energia fica “pesado”e freia o carro. Só com maior pressão sobre o pedal de freio é que os quatro freios a disco atuam. Não se sente mudanças no pedal de freio durante a frenagem. Isso tudo se vê na citada ilustração e no instrumento analógico.

O motorista poderá se distrair por horas com os recursos embarcados, ou poderá engatar o Drive, acelerar e ir embora

O câmbio é um automático CVT com 6 faixas de marcha. O NX 300h F Sport é um 4×4, sendo que o eixo traseiro somente traciona com o motor elétrico traseiro. Não há conexão mecânica entre o motor a combustão e esse eixo. Já o eixo dianteiro recebe potência do motor elétrico desse eixo e, dependendo da situação, também do motor a combustão. A suspensão traseira é independente por triângulos superpostos com um tensor longitudinal.

Há quatro modos de condução: Normal, Eco, Sport, Eco e Sport+. No modo Ecológico o efeito frenante do gerador fica mais atuante quando se corta aceleração, mesmo sem  pisar no pedal do freio, e o sistema geral, como ar-condicionado, etc., atua de modo a economizar energia. O carro também fica com respostas mais lentas ao acelerador, mas nada lerdo. No modo Sport ele liga o motor a combustão e adquire modos gerais mais esportivos. No modo Sport+ a suspensão endurece e o volante fica mais pesado.

Posição perfeita para dirigir

No modo Normal e no Eco, se partirmos e seguirmos suavemente com pouca aceleração ele faz uso só dos motores elétricos. E assim vai, mas não longe, pois a bateria em poucos quarteirões se descarrega até ao ponto em que o sistema liga o motor a combustão para que funcione somente como gerador, modo em que mantém rotação fixa, relativamente baixa e praticamente inaudível quando o carro está em movimento. E assim segue — com o motor a combustão só fornecendo energia para geração de energia — desde que não se solicite mais aceleração ou não se pegue um aclive que demande maior potência. Caso aceleremos mais forte, ou peguemos um aclive, aí sim o motor a combustão, além de gerar energia elétrica, coopera na propulsão.

Pneus adequados, suspensão traseira independente e bom acerto proporcionam conforto de rodagem

Há o modo EV, o só elétrico, que é acionado por uma tecla no console. Com ele é possível rodar algo como uns cinco quilômetros, desde que o trajeto seja plano e não se solicite maior aceleração. A partir daí automaticamente o motor a combustão entra em cena para carregar a bateria. O modo puramente elétrico é bastante agradável na cidade; algo frio, nada emocionante, mas sem dúvida é bastante agradável.

Após uns dias com o NX 300h F Sport rodando na cidade a conclusão é óbvia: o sistema tem consideráveis méritos, pois permite que se rode por aí com um espetacular suve de luxo que pesa quase duas toneladas sem achar que com isso contribui-se para a hecatombe planetária.

Boa solução para manter a consciência ecológica tranquila sem ter que abrir mão de luxo algum

Psicologicamente, funciona. Outro fator é que ponteiros, ilustrações e gráficos com o histórico de nosso modo de condução acabam por fazer uma espécie de “patrulhamento” subliminar sobre o motorista, que inconscientemente, para não contrariá-los, adota um modo suave de dirigir, no que resulta em economia de combustível e, consequentemente, menores emissões.

Nos EUA ele custa ao redor de 25% mais que o NX 300 normal. Não creio que a diferença de consumo compense a diferença de preço, tanto que a grande maioria dos NX 300 lá vendidos (95%) não são híbridos. Para nós só é importado o híbrido, provavelmente devido à vantagem tributária (IPI) que aqui os híbridos logo terão e o viabilizam. Fora a isenção de cumprir o rodízio paulistano, já vigente.

Estepe temporário de fácil acesso

Bom, usei a expressão espetacular sem ter exagerado, pois bonito e chamativo ele é. Internamente o acabamento é admirável e de bom gosto. O banco do motorista é anatômico, confortável, com regulagens elétricas de posicionamento e ventilação fria e quente, assim como o do passageiro dianteiro. O volante tem regulagem elétrica de posição. Os de trás têm regulagem de inclinação do encosto e saídas de ar-condicionado. Então, como disse, quatro adultos viajam muito bem acomodados. O silêncio impera, o som da música pode ir baixinho. A suspensão é silenciosa e macia para um suve, mas não tão macia quanto um bom sedã de passeio costuma ter. O porta-malas é razoável, 475 litros, mas é raso.

E anda bem. Na cidade, mesmo no modo Ecológico, reage rápido, é ágil e não muito grande para nossas ruas. Na estrada acelera com consistência nas ultrapassagens e pode cruzar em boa velocidade sem esforço algum. Há bem pouco descompasso entre aceleração e rotação do motor — como costuma acontecer com alguns veículos dotados câmbio CVT – já que ele recebe a ajuda dos motores elétricos na aceleração e este CVT é avançado.

Bonito ele é. Grade logo o identifica como um Lexus, submarca de luxo da Toyota

Bons pneus, próprios para asfalto e de medida correta, 225/60R18, dão maciez ao rodar e nos tranquilizam quanto a danos devido aos inevitáveis buracos a se cair. O tanque de combustível, de 56 litros, lhe confere razoável autonomia, lembrando que ela será maior na cidade que na estrada.

AK

 

FICHA TÉCNICA LEXUS NX 300h F SPORT
MOTOR A COMBUSTÃO
Tipo 4 cilindros em linha, dianteiro transversal, bloco e cabeçote de alumínio, duplo comando de válvulas acionado por corrente com variador de fase na admissão, ciclo Atkinson, 4 válvulas por cilindro, injeção no duto, gasolina
Diâmetro x curso (mm) 90 x 98
Cilindrada (cm³) 2.494
Taxa de compressão (:1) 12
Potência máxima (cv/rpm) 155/5.700
Torque máximo (m·kgf/rpm) 21,4/4.400
MOTORES ELÉTRICOS
Tipo Corrente alternada, síncrono
Dianteiro (potência, cv) 143
Traseiro (potência, cv) 67
POTÊNCIA COMBINADA TOTAL (cv) 195
BATERIA DE TRAÇÃO
Tipo Hidreto níquel-metal (Ni-MH)
Tensão (V) 244,8 (34 módulos de 7,2 V)
Energia (kW·h) 1,6
Capacidade (A·h) 6,5
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes Quatro
Câmbio CVT, 6 marchas virtuais
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido
Dianteiro Disco ventilado
Traseiro Disco
De estacionamento Eletromecânico, rodas traseiras
Controle ABS (obrigatório), distribuição eletrônica das foras de frenagem, assistente à frenagem
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Independente, triângulos superpostos mola helicoidal, tensor longitudinal e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva (m) 11,4
Relação de direção 14,7:1
RODAS E PNEUS
Rodas Liga leve
Pneus 225/60R18
Estepe Temporário 165/80D17
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.905
Peso bruto total 2.390
Carga útil 485
Peso rebocável sem/com freio 750/1.500
CARROCERIA
Tipo Monobloco em aço, suve, 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro e traseiro
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento 4.640
Largura sem/com espelhos 1.845/2.130 mm
Altura 1.645
Distância entre eixos 2.660
Bitola dianteira/traseira 1.570/1.570
Distância mínima do solo 190
AERODINÂMICA
Coeficiente aerodinâmico (Cx) 0,34
Área frontal (A, calculada, m²) 2,428
Área frontal corrigida (Cx x A, m²) 0,825
CAPACIDADES (L)
Porta-malas 475
Tanque de combustível 56
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h) 180
Aceleração 0-100 km (s) 9,2
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL INMETRO/PBEV
Cidade (km/l) 12,6
Estrada (km/l) 11,1
GARANTIA
Termo 4 anos ou 100.000 km, prevalecendo o que primeiro vencer

 

EQUIPAMENTOS LEXUS NX 300h F SPORT
INTERIOR
Acabamento interno com revestimento em metal no painel central e portas
EXTERIOR
Antena barbatana de tubarão localizada no teto
Bancos com revestimento em couro e partes em material sintético
Defletor traseiro
Grade frontal em formato carretel (Spindle Grille) e miolo em desenho de colmeia
Luzes de rodagem diurna de LED em forma de L
Maçanetas na cor do veículo
Vidros esverdeados
CONFORTO E COMODIDADE
Acesso sem introduzir chave
Ajuste elétrico do volante de direção em altura e distância
Ar-condicionado bizona digital integrado frio e quente
Banco do motorista com regulagem elétrica para 10 posições: ajuste de distância, altura, reclinação do encosto, inclinação do assento, lombar + função para facilitar embarque e desembarque do veículo; três memórias
Banco do passageiro dianteiro com regulagem elétrica para 8 posições:ajuste de distância, altura, reclinação do encosto, inclinação do assento
Bancos dianteiros com aquecimento e ventilação
Bancos dianteiros com suporte lateral acentuado
Bancos traseiros com descansa-braços central e porta-copos (2), encosto dividido 60:40
Bluetooth (acesso pelo Sistema Multimídia Lexus) com microfone e amplificador
Borboletas no volante para operação do câmbio
Carregador de telefone celular sem-fio
Computador de bordo com funções de: consumo instantâneo, consumo médio, autonomia, velocidade média, temperatura externa, indicador de marcha, pressão dos pneus, informações de áudio
Console com porta-copos e porta-objetos nas portas dianteiras
Controle automático de velocidade de cruzeiro
Controle touchpad para o Sistema Multimídia Lexus
Descansa-braços dianteiro com porta-objetos e porta-copos (2)
Desembaçador do vidro traseiro
Entrada para conexão USB e conexão auxiliar (Aux-in)
Espelho retrovisor interno eletrocrômico
Espelhos retrovisores externos eletrorretráteis automáticos, com regulagem elétrica, sistema de aquecimento, indicadores de direção, antiofuscante (eletrocrômico) e recurso orientar o foco para baixo ao engatar ré
Hodômetro digital total e parcial
Indicador de condução ECO
Leitor de DVD
Limpador do para-brisa com temporizador de velocidade e sensor de chuva
Limpador e lavador do vidro traseiro
Luz de leitura individual dianteira tátil e iluminação traseira para leitura
Maçanetas com iluminação para localização
Para-sóis com espelho e iluminação, e clipe para documentos no esquerdo
Partida do sistema de propulsão por botão
Porta-luvas com iluminação interna e chave
Porta-malas com abertura e fechamento elétrico e sistema “mãos-livres” (sensor por movimento de um pé) para abrir
Porta-malas com iluminação interna (2), ganchos de fixação de bagagens (6) e cobertura retrátil
Porta-objetos no painel central, lateral do painel central e portas traseiras
Porta-óculos
Porta-revistas no dorso dos encostos dos bancos dianteiros
Projetor de informações no para-brisa sobre velocidade, navegação GPS, áudio, força G, indicador de condução ECO
Relógio analógico
Seleção de modo de condução (Eco, Normal, Sport, EV e Sport+)
Sistema de áudio com rádio AM/FM, DVD player, MP3 e WMA, 6 alto-falantes, 3 tweeters e um subwoofer
Sistema de navegação GPS (Sistema Multimídia Lexus)
Sistema Multimídia Lexus com tela tátil de LCD de 10,3″com TV digital
Teto solar panorâmico fixo
Volante de direção com aro  revestido de couro
Volante multifuncional: controle de áudio, computador de bordo, telefone e controle de velocidade de cruzeiro
SEGURANÇA
Alerta sonoro e visual para cintos de segurança dianteiros desatados
Assistente de partida em aclive
Bolsas infláveis frontais (obrigatórias), laterais, de cortina e de joelhos para o motorista
Câmera de ré com linhas-guias (sistema multimídia Lexus)
Chave com comandos integrados (trava das portas, alarme e abertura do porta-malas)
Cintos de segurança dianteiros e traseiros de três pontos com regulagem de altura,  pré-tensionador e limitador de força
Controle de estabilidade e tração, assistente de reboque e assistente ativo para curvas
Engates Isofix para fixação de bancos infantis
Faróis de LED com lavador e regulagem automática de altura
Faróis de neblina em LED.
Imobilizador de motor por código eletrônico na chave.
Luzes de neblina traseiras em LED.
Luzes de seta sequenciais
Sensores de estacionamento traseiros (4) e dianteiros (4) .
Sistema adaptativo automático das luzes de rodagem diurna de LED
Suspensão adaptativa variável
Terceira luz de freio em LED.
Vidros de acionamento elétrico um-toque com antiesmagamento e travas elétricas nas quatro portas com sensor de velocidade

 

(2.627 visualizações, 2 hoje)