Com tudo que se fala sobre veículos elétricos, sempre há mais assunto a ser discutido. No segmento de picapes grandes, basicamente o tipo de veículo mais vendido do mundo, simplesmente por ser a maior fatia do mercado americano, não havia nada que se pudesse imaginar como novo de verdade.

Mas agora a empresa americana Rivian começa a acelerar o projeto de uma picape grande (full size) e de um SUV movidos a motores elétricos, idéia iniciada em 2009 quando a empresa foi fundada. Há um grande atraso no plano inicial, que era de ter um carro pronto em 2013, mas nos últimos meses o trabalho vem sendo cada vez mais divulgado, quando os fornecedores começam a entrar a bordo do programa.

O novo prazo agora é 2020, e já se está na fase de construção de protótipos.

Há pouco mais de dois meses a Rivian mostrou a primeira imagem do seu chassis rodante, batizado de skate, que tem suspensão, direção, freios, baterias e sistema de arrefecimento. Veja foto de abertura.

Em novembro próximo os carros serão mostrados no Salão de Los Angeles, e se começará a aceitar pedidos dos A1T (picape) e A1C (suve), os nomes em código do fabricante. Nomes comerciais ainda não foram divulgados. Cerca de  90% dos componentes que não dependem de diferenças de estilo serão comuns, para economizar recursos e simplificar toda a cadeia de produção.

Como não poderia deixar de ser, há tecnologia embarcada com um grau de direção autônoma ainda não esclarecida.

Há times na Califórnia e em Michigan desenvolvendo os carros, mas a fabricação será na cidade de Normal, Illinois, em uma fábica que pertenceu à Mitsubishi, comprada no ano passado, e o total de pessoas trabalhando em todas as áreas da Rivian já passa de quinhentas.

O financiamento para tudo que está sendo feito vem principalmente dos Banco Sumitomo do Japão, Standard Chartered Bank de Londres e do conglomerado saudita Abdul Latif Jameel, que tem como principal negócio o ramo de transportes. Há outros investidores não divulgados.

Claro que o objetivo é atuar globalmente, e esses investidores em vários lugares do mundo teriam influência lógica. É mais uma parte do mercado de veículos que começa a ter presença de propulsão elétrica.

JJ

 

(509 visualizações, 1 hoje)