Esta é uma lista completamente diferente do normal. Não só pela quantidade de carros, o dobro dos usuais 10, mas também por uma série de outros motivos.

Se você acompanha nossas listas, sabe que escolha é sempre um fator principal. Todas elas, até esta aqui, são listas totalmente subjetivas; qualquer um que a faça vai chegar a um resultado diferente. A de hoje, claro, é fria e calculista, baseada em dados somente.

Falar sobre preço de carro não é algo que nós, entusiastas, gostamos. Os carros desta lista estão tão longe da nossa realidade que nem ganhando sozinho na Mega Sena poderíamos comprá-los. São carros que hoje raramente são usados como carros; são investimentos, tratados como tal.

Mas existe algo a aprender aqui. O que faz o preço subir é, no fim das contas, exatamente o que gostamos em automóveis. Raridade conta, claro, mas não só ela. Marca famosa e importante conta, claro, mas não só ela. Alta potência e velocidade conta, mas não só ela. Beleza é fundamental, claro, mas nem sempre é fator dominante. O que é sempre constante aqui é uma experiência memorável ao volante, e uma história incrível, humana, no carro mais valioso entre seus pares.

É interessante notar, portanto, que quem compra estes carros por vários milhões age exatamente como a gente quando acha aquela perua Volvo Turbo manual do dono original, uma velhinha supersimpática que por 20 anos a tratou com pão de ló, por módicos 15 mil reais. Garanto que a felicidade, e os motivos, são parecidíssimos.

Por isso, uma grande quantidade deles são carros de defunto. Gente que manteve algo especial por toda vida, independentemente do seu valor, e que só foi vendida pelos herdeiros depois de sua morte.

Mas, por que 20 e não dez? Na pesquisa achei 40 carros interessantíssimos, e pensei que nesse caso, nesta lista diferente sem escolhas, valia a pena dobrar a quantidade. São apenas dados afinal de contas. Mas durante a pesquisa notei também que deveria mudar algumas coisas para aumentar a variedade. Explico: na lista de 10 original, cinco carros eram Ferraris dos anos 50/60. Resolvi então limpá-la, de duas formas. Primeiro, um modelo básico só entra uma vez na lista, em sua versão mais cara. O Ferrari 250 GTO tira o 250 Tdf, o 250GT passo corto, e todo e qualquer outro 250.

Depois, somente carro de rua aqui. Carro de uso misto, como o 250GTO de novo, pode entrar, mas o Ferrari 335S, um carro de corrida dedicado, que vale 35 milhões de dólares, não. Ficam de fora também então vencedores de Le Mans como o Porsche 917 e o Ford GT. Pelo mesmo motivo ficam de fora também os carros de GP da Bugatti, os tipo 51 e 35. Sabemos que podem até ser usados nas ruas, mas são carros de corrida dedicados, criados só para isso, independente do uso que nós, malucos, façamos deles hoje.

O Countach LP400 “periscopio” é baratíssimo perto dos carros desta lista. (RM Sotheby’s)

Também procurei me manter em preços de vendas efetivamente realizadas, em leilões, desconsiderando estimativas. Um Bugatti 57SC Atlantic certamente vale mais que o Atalante da lista (estima-se que Peter Mullin pagou 40 milhões de dólares no seu, em 2010, venda privada), mas não encontrei dado de venda pública, então ficou de fora. Protótipos não validados para uso em rua como o Stratos Zero por exemplo, também ficam de fora aqui. Também não vale leilão de caridade; carros atingem até dez vezes o seu valor real nesse tipo de venda.

É uma lista todinha de coisas realmente especiais. Não fosse por um carro apenas, o único zero-km da lista, poderia ser uma lista todinha de carros usados. O quão especiais são estes carros? Fácil ver por algumas coisas que ficaram de fora. O raro Lamborghini Countach de primeira série, LP400 Periscopio? Pouco mais de um milhão de dólares, um-quarto do último colocado. Um Lamborghini Miura SV branco que foi de Rod Stewart? Só 1,8 milhão.  Porsche 911? Esqueça, nenhum chega nem perto. Mercedes-Benz 300 SL? Recentemente um roadster de 1961, do único dono e com apenas 1.300 km rodados chegou a mais de 3 milhões de dólares em leilão, um recorde para o modelo. Mas ainda bem longe do 20º colocado. Lancia Stratos, 037, Delta S4 Stradale? Nem perto de novo, tudo abaixo de um milhão. O Lancia Aurelia B24 Spider é o único que passa de um milhão, valor pífio para os carros desta lista.

Apenas três marcas repetem carros aqui: quatro Bugattis, três Ferraris e dois Mercedes-Benz. Das marcas ainda vivas, vemos Porsche, BMW, Bentley, Aston Martin, Mclaren, Maserati e Alfa Romeo, com um carro cada. Ambiente de ar rarefeito, certamente.

Uma lista chiquérrima, cheia de champanha e caviar, para gente fina de verdade. Se você se animou para comprar um deles e importar, repare que os valores estão em dólares americanos, e fora do país. Para chegar ao valor aqui, converta-se para real e depois, dobre o preço para os custos de imposto e importação. E chore! Ugh!

Em ordem crescente de preço, são eles:

 

20) Porsche 550 Spyder, 1955 – US$ 4.455.000

(Gooding & Co.)

O Spyder é o clássico carro de duplo propósito: um carro de corridas que podia ser dirigido até a pista, e depois para casa. Era vendido em concessionárias e emplacado para uso normal. James Dean inclusive, todos sabemos, morreu acertado por um Ford 1950, indo para uma corrida na Califórnia.

O mais caro Porsche de rua hoje (um 918 Spyder não passa de 1,8 milhão), este exemplar vendido pela Gooding & Co. em Pebble Beach 2018 era basicamente perfeito: 20 anos em uma mesma coleção, mecânica e aparência impecáveis, e com história de competição documentada nos anos 50.

 

19) BMW 507, 1957 – US$ 5.012.500

(Bonhams)

O 507 é um carro sensacional realmente. Mas raramente chega a 1 milhão de dólares, então porque este chegou a cinco? Simplesmente porque é o mais conhecido e fantástico BMW 507 que já existiu.

Em 1957, o jovem John Surtees acabara de se tornar campeão mundial de motociclismo pela MV-Agusta. Encontra no GP da Alemanha Alex Von Falkenhauser, o engenheiro chefe da BMW, com um novíssimo 507. Surtees fica encantado com o carro, mas obviamente não podia comprá-lo com seu salário de piloto.

O jovem Surtees e seu novo BMW, 1957 (Bonhams)

Pouco tempo depois, o Conde Domenico Agusta manifesta a Surtees a vontade de presenteá-lo com algo, para marcar o grande feito do inglês com as motocicletas que fabricava. Surtees nem pestaneja; na hora diz: “Eu bem que estava desejando um desses novos BMW 507…”

Surtees ganha o carro da MV- Agusta, com uma carta de agradecimento no porta-luvas assinada por Domenico Agusta. Usa por décadas para se mover de uma pista para outra na Europa; mesmo quando troca as motos pela Fórmula 1, continua usando o BMW. Na verdade, nunca o vendeu. Em 2017, aos 83 anos, o multicampeão em duas e quatro rodas vem a falecer. Em sua garagem, um BMW 507 usadinho, mas em perfeito estado e funcionamento, pronto para uso. E com modificações no motor feitas pela própria BMW a pedido de Surtees, que queria mais potência e capacidade de cruzeiro de pelo menos 220 km/h. O novo dono não teve nem que reformar o carro. Tudo estava como deve estar em um carro bem cuidado e no uso, 60 anos sem parar.

Aos 83 anos, 60 anos depois, ainda juntos. (Bonhams)

Sessenta anos de um dono que conhece carro e sabe cuidar dele. Quanto vale uma coisa assim? Eu nunca conseguiria chutar. Mas a resposta está aí. Meu preferido desta lista.

 

18) Maserati A6GCS/53 Spider 1955 – US$ 5.170.000

(Gooding & Co.)

O A6GCS/53 é um dos mais incríveis Maserati, com seu seis em linha DOHC de dois litros, três Weber duplos e 170 cv. Pouquíssimos carros foram fabricados, e em várias séries pequenas de carrocerias fantásticas de casas italianas. Este é o mais valioso deles hoje, com a belíssima carroceria Spider de Frua. Ganhador de Villa D’Este em 2010.

 

17) Bugatti Divo 2019 – US$ 5.800.000

(net car show)

Único carro zero km da lista, o Divo faz o Chiron, a 2,9 milhões de dólares, parecer uma oferta tentadora. A ideia aqui é um Chiron voltado para track days, para fazer curvas e não Grand Touring. A ideia de alguém colocando algo desse valor em track days, em meio a Caterhams de 5 mil dólares, me é muito estranha, para dizer o mínimo.

Mas isso não importa, claro. Nenhum Veyron ou Chiron, ou qualquer outro Bugatti, é um mau negócio. A tendência já é somente valorização. E todos os 40 Divos programados já têm um dono na fila, pacientemente esperando sua chegada. E é claro, usado valerá mais que novo.

 

16) Bentley 4 1/2 Litre Le Mans Sports “Bobtail” 1928 – US$ 6.050.000

(Gooding & Co.)

O famoso “Blower Bentley”, o “caminhão mais rápido do mundo” segundo Enzo Ferrari, original, de fábrica, é algo raríssimo. Este, segundo lugar na 24 horas de Le Mans em 1929, é um dos mais perfeitos em funcionamento e apresentação.

 

15) Delahaye 135 Competition Court Torpedo Roadster Figoni et Falaschi, 1937 – US$ 6.600.000

(RM Sotheby’s)

Os Delaheye 135 Competition são carros fantásticos, seja encarroçado como limusines ou como carro esporte. Seu grande seis em linha OHV multicarburado reputa-se delicioso, torcudo e girador, e o câmbio Cotal pré-seletivo, algo delicado e suave em funcionamento. Uma marca puro-sangue francesa hoje desaparecida.

Mas é com as grandes criações de carrocerias GT da época, principalmente Saoutchik e Figoni & Falaschi, que os carros são mais conhecidos e valiosos. Como é o caso deste 135C, vestido por F&F, o mais valioso de todos.

 

14) Talbot-Lago T150-C SS Teardrop Cabriolet by Figoni et Falaschi, 1938 – US$ 7.150.000

(Ultimatecarpage.com)

Outra magnífica criação de Figoni & Falaschi, desta vez em cima de um Talbot Lago. Este exemplar é o primeiros dos chamados “gota d’água”, e o único sobrevivente com motor, carroceria e chassis originais.

 

13) Ferrari 400 Superamerica SWB Cabriolet by Pininfarina, 1962 – US$ 7.645.000

(RM Sotheby’s)

Os Ferrari America, Superamerica e Superfast eram o ápice da Ferrari na sua época. Caríssimos, fabricados sob encomenda, e equipados com V-12 bem maiores que os mais populares 250, frequentemente recebiam carrocerias únicas e especiais, como este Roadster de Pininfarina.

Além do óbvio valor da carroceria única, este carro tem também interessantíssima história. Mostrado nos Salões de Genebra e de Nova York em 1962, seu primeiro dono, um americano chamado R.J. Stallings, a levou até Bonneville Salt flats, onde atingiu 240 km/h, graças a seu V-12 de 4,8 litros e  quase 400 cv.

 

12) Mercedes-Benz 680S Torpedo Roadster by Carrosserie J. Saoutchik, 1928 – US$ 8.250.000

(RM Sotheby’s)

Os Mercedes-Benz S-type dos anos 20, projetados por Ferdinand Porsche, são o início do que conhecemos hoje da marca, carros de luxo com desempenho e estabilidade de carro esporte, e com sólida engenharia, feitos para durar.

Este roadster de 1928 ainda por cima tem uma belíssima carroceria do mestre francês Jacques Saoutchik, uma combinação matadora. Único sobrevivente de 3 carros construídos, e ainda por cima “Best of Show” em Pebble Beach 2012.

 

11) Bugatti tipo 41 Royale 41.141 Kellner Coach, 1930  – US$ 8.700.000,00

Já contei a história deste Bugatti aqui no AE. Basta dizer que é o mais fantástico carro de luxo já criado, a obra de arte definitiva de Ettore.

Interessante notar que o valor de 8,7 milhões foi pago em um leilão em 1983. E este nem é o mais interessante dos seis carros construídos. Ajustado para inflação, seriam 22 milhões, suficiente para o terceiro lugar da lista.  É consenso entre muitos que o Chassis 41.110, o carro particular de Ettore e o primeiro Royale, no mercado de hoje, tem potencial de eclipsar até o primeiro colocado desta lista.

 

10) Bugatti Tipo 57SC Atalante, 1938 – US$ 8.745.000

(luxuo.com)

Apesar do mais famoso e raro Atlantic ter potencial de ser ainda mais valioso (e o carro de Ralph Lauren, quando ele falecer, ter potencial de número um da lista), particularmente gosto mais do Atalante.

Ambos são fruto da mente de Jean Bugatti, que também é o pai to chassi do tipo 57. Jean faleceu tragicamente em 1939, deixando a empresa sem herdeiro, que culminaria com seu fim.

O tipo 57 podia ser, além da versão básica sem sufixo, 57S (mais baixo e esportivo, Sport), 57C (Alto, mas com compressor no motor oito em linha DOHC, para 200 cv) ou, em casos extremamente raros, 57SC, com compressor e chassi mais baixo. Junte isso com a mais bela de suas carrocerias e tem-se uma joia de quase 9 milhões de dólares.

 

9) Bugatti Tipo 55 Roadster, 1931 – US$ 10.400.000

Outra belíssima carroceria de Jean Bugatti, filho mais velho de Ettore, vestindo um chassi que praticamente era o do tipo 51, um carro de Grand Prix. Belíssimo por dentro e por fora como todo Bugatti, é um pacote difícil de resistir.

 

8) Mercedes-Benz 540K Roadster 1936 – US$ 11.770.000

(money.cnn.com)

O enorme roadster alemão de oito cilindros em linha e compressor sempre foi um clássico caríssimo desde seu lançamento, e portanto, raro. Beleza, marca, potência; uma combinação sempre matadora.

 

7) Aston Martin DB4 GT Zagato, 1962 – US$ 13.265.131,58

(Bonhams)

Uma belíssima carroceria de competição Zagato no fantástico DB4 GT de David Brown. Raríssimo e delicioso, este rival do Ferrari 250 GTO nas pistas é o mais desejado dos Aston Martin.

 

6) Mclaren F1 (LM spec), 1998 – US$ 13.750.000

(RM Sotheby’s)

O Mclaren F1 dispensa apresentações: o mais fantástico carro esporte já criado. Custava um milhão de dólares novo, inédito então, mas hoje isso não é nada: usados valem mais de seis milhões. Este, um impecável e belíssimo espécie com vários equipamentos da versão LM instalados na fábrica, é hoje o mais caro já vendido.

 

5)  Shelby 260 Cobra “CSX 2000”, 1962 – US$ 13.750.000

(RM Sotheby’s)

O primeiro Cobra. Um único dono até 2017, seu criador, Carroll Shelby himself. O carro que apareceu em todas as revistas americanas, mas pintado de uma cor diferente em cada uma delas, para parecer que existiam mais carros. O primeiro, a fonte. Gênese.

 

4) Alfa Romeo 8C 2900 B Lungo Spider Touring, 1939 – US$ 19.800.000

(RM Sotheby’s)

A obra-prima de Vittorio Jano, e o primeiro supercarro italiano, aqui numa belíssima carroceria Spider de Touring. Até hoje reverenciado mundo afora, como se pode perceber pelo preço.

 

3) Duesenberg SSJ, 1935 – US$ 22.000.000

(Gooding & Co.)

O Duesenberg J já é um clássico imortal, um carro de luxo fabricado com tudo que havia de melhor em 1929, e equipado com um oito em linha de 265 cv, com duplo comando de válvulas no cabeçote e 4 válvulas por cilindro. O SJ adicionava um compressor centrífugo, para 320 cv.

Imagine então um dos dois SSJ fabricados; chassis curto, dois lugares e motor melhorado para 400 cv. agora imagine que o primeiro dono dele fosse nada menos que a lenda do cinema Gary Cooper (1901-1961). Sonho de leiloeiro…

 

2) Ferrari 275 GTB/4 S NART Spider, 1967 – US$ 27.500.000

(RM Sotheby’s)

Recentemente, o antes desprezado Ferrari 275 GTB começou a subir vertiginosamente de preço. Finalmente passou a ser visto como uma carroceria belíssima, com talvez o melhor dos chassi/motor da Ferrari clássica, pré-1980.

O melhor dos 275 é o GTB/4, com quatro comandos no V-12. E a mais rara carroceria, a NART Spider, carro criado pelo North American Racing Team de Luigi Chinetti para competições. Junte os dois em um carro com histórico e estado, e se tem o segundo colocado dessa chique lista.

 

1) Ferrari GTO Scaglietti, 1964 – US$ 48.405.000

(RM Sotheby’s)

A versão mais extrema do Ferrari 250 GT é algo realmente especial. Apenas 36 carros foram feitos, e cada um deles é uma joia de valor inestimável. Um carro mundialmente conhecido como a mais desejável experiência atrás do volante já criada pela humanidade. Este, o terceiro construído, com carroceria especial de Scaglietti, é múltiplo vencedor de corridas, inclusive a Targa Florio de 1964, em sua classe.

(RM Sotheby’s)

É emblemático que o mais caro carro da história é também o melhor carro para direção esportiva já criado, segundo vários especialistas. Mostra o que é realmente importante em um automóvel, e que o mundo, afinal de contas, não está perdido.

MAO

 

20 1955 Porsche 550 Spyder US$ 4.455.000,00
19 BMW 507 Surtees US$ 5.012.500,00
18 1955 Maserati A6GCS/53 Spider US$ 5.170.000,00
17 Bugatti Divo US$ 5.800.000,00
16 1928 Bentley 4 1/2 Litre Le Mans Sports “Bobtail” US$ 6.050.000,00
15 1937 Delahaye 135 Competition Court Torpedo Roadster by Figoni et Falaschi US$ 6.600.000,00
14 1938 Talbot-Lago T150-C SS Teardrop Cabriolet by Figoni et Falaschi US$ 7.150.000,00
13 1962 Ferrari 400 Superamerica SWB Cabriolet by Pininfarina US$ 7.645.000,00
12 1928 Mercedes-Benz 680S Torpedo Roadster by Carrosserie J. Saoutchik US$ 8.250.000,00
11 Bugatti tipo 41 Royale (1983 price) US$ 8.700.000,00
10 1938 Bugatti Tipo 57SC Atalante US$ 8.745.000,00
9 1931 Bugatti Tipo 55 Roadster US$ 10.400.000,00
8 1936 Mercedes-Benz 540K Roadster US$ 11.770.000,00
7 Aston Martin DB4 GT Zagato le mans US$ 13.265.131,58
6 Mclaren F1 LM retrofitted US$ 13.750.000,00
5 1962 Shelby 260 Cobra “CSX 2000” US$ 13.750.000,00
4 1939 Alfa Romeo 8C 2900 B US$ 19.800.000,00
3 Duesenberg SSJ Gable US$ 22.000.000,00
2 1967 Ferrari 275 GTB/4 S NART Spider US$ 27.500.000,00
1 Ferrari 250 GTO US$ 48.405.000,00

 

(1.760 visualizações, 1 hoje)