Dando uma olhada nos catálogos que eu recebi de meu saudoso amigo Ebehard Schmidt, durante o meu segundo estágio na Alemanha, eu encontrei este que apresenta novidades muito importantes na senda da Volkswagen. Ele lança o VW K 70, carro que representou a grande virada na Volkswagen, passando a tração de traseira para dianteira e mudando o meio de arrefecimento do motor de ar para água. As vendas do VW K 70 começaram em 1970.

Não foi só esta a grande novidade; este catálogo apresenta a versão VW 1302 e VW 1302 S do Super Beetle* que convivia pacificamente com Fuscas “das antigas”, incluindo a versão 1200 que ainda tinha um mercado muito grande, em especial entre as empresas que preferiam carros mais econômicos. O primeiro Super Beetle saiu da linha de montagem em 11 de agosto de 1970 e era modelo 1971.

Na foto de entrada comparecem estes dois pontos altos do catálogo, e eu decidi apresentar este catálogo na integra, com suas ilustrações e a versão dos textos para o português. Certamente os argumentos de venda apresentados eram calibrados para o mercado alemão, mas a leitura dos textos mostra como até os modelos mais “antigos” nas linhas de montagem já eram muito avançados comparados com o que era oferecido no mercado brasileiro.


 

Vamos começar pelas capas inicial e final que apresentam os seguintes dizeres:

Do Fusca ao K 70 – Os novos Volkswagens
Dê uma olhada nos novos Volkswagens. No seu revendedor Volkswagen.

O novo VW K 70. Se você quiser o carro para o qual dois fabricantes de automóveis deram o seu melhor

Tradução dos textos:

 “Os engenheiros da NSU projetaram o K 70. Quando o apresentaram à imprensa especializada, os jornalistas automobilísticos fizeram algo que raramente fazem: não economizaram elogios. Elogiaram o K 70 pelo seu design avançado. Por sua tecnologia sofisticada. Por suas excelentes características de condução. E elogiaram o seu estilo moderno. E porque um carro reconhecidamente tão bom se encaixa tão bem no programa da Volkswagen, a Volkswagen assumiu o K 70 (após a fusão da Audi com a NSU). Em Salzgitter foi construída uma fábrica especialmente para que você possa obter o VW K 70 o mais rápido (em grandes quantidades) e o mais barato possível.

Claro, na qualidade que é padrão para a VW.

O VW K 70 possui um motor 1,6 litro de alto desempenho, instalado diretamente sobre o eixo de tração (eixo dianteiro), resultando numa boa distribuição de peso. Seus 90 cv o aceleram de 0 a 80 km/h em 8,9 segundos. E mesmo em velocidade máxima muitos sedãs ficam em desvantagem.

Para o motor potente e a carroceria monobloco em aço com suspensões dianteira e traseira que devem amortecer os golpes adequadamente é necessário um chassi esportivo e seguro: bitolas largas, grande distância entre eixos, suspensão McPherson na dianteira e por braço arrastado na traseira, ambas com barra estabilizadora.

E isso inclui um seguro sistema de freios de circuito duplo com servo-freio a vácuo. Freios a disco internos na frente, com um regulador da força de frenagem para as rodas traseiras.

Mas o VW K 70 não é apenas muito rápido e muito seguro. Ele também é muito confortável.  A sua suspensão não é tão dura tipo carro de corrida, nem tão mole como as dos sedãs, é exatamente o adequado (suspensão de curso longo).

O que você vai encontrar nele em conforto, você pode pesquisar na lista de extras de muitos sedãs comparáveis (e isto possivelmente em vão.) Por exemplo: bancos individuais largos e anatômicos com encosto ajustável em 38 posições. Almofadas de espuma moldada em todos os bancos.

Um sistema de aquecimento e ventilação controlado por termostato com um ventilador de três estágios, com o qual você pode não só misturar continuamente ar quente e frio, mas também orientá-lo individualmente.

Um painel de instrumentos acolchoado completo e de fácil visualização, como em um carro esportivo.

Limpador de para-brisa com dois níveis de velocidade e um circuito de intervalo adicional. Cinzeiro escamoteável com acendedor de cigarros elétrico e iluminação. E muito mais.

O porta-malas é de uma classe especial. Ele tem 700 litros de volume. o estepe fica na horizontal alojado em uma reentrância própria que é coberta. Como resultado, o porta-malas é totalmente utilizável.

Também é digno de nota que a grande carga útil de 460 kg permite uma utilização real do porta-malas, sem causar uma sobrecarga. Isto porque a bagagem descarrega o seu peso no eixo traseiro e não atrás dele.

Se precisar de espaço para mais de 700 litros de bagagem, você pode rebater o banco traseiro. Isso lhe dará espaço de carga adicional no compartimento de passageiros.

O VW K70 vem de série com quatro portas. Em versão normal ou luxo. Com 90 ou 75 cv.

Qualquer que seja a versão escolhida, o VW K70 é um carro que, até em seus mínimos detalhes, não descende de pais ruins. Mas da NSU e da VW.

Se você não consegue imaginar um carro melhor que o Fusca.
No máximo, um Fusca ainda melhor.

Agora há a melhor razão para você ficar com o Besouro, mesmo se você pode se dar ao luxo de ter um carro mais caro:

O novo Besouro VW 1302. Porque nós melhoramos o besouro como nunca tinha sido feito antes.

Ele agora tem um motor mais forte com 44 cv. Ele acelera de 0 a 80 km/h em 14,0 segundos e anda sem esforço uma velocidade máxima e de cruzeiro de 125 km/h.

Isso não é tudo: você também pode ter o VW 1302 em versão VW 1302 S. Ele então tem 50 cv, e vai de 0 a 80 em 13,0 segundos e anda a uma velocidade máxima e contínua de 130 km/h.

O novo eixo não só fez a bitola dianteira ficar 7 cm mais larga e o raio de giro ficar 1,4 m menor. Mas fez também o porta-malas dianteiro ter quase o dobro de capacidade: 260 litros. Mas o Besouro também ficou mais confortável. Ele tem um novo sistema de ventilação com saída de ar na janela traseira. Isso permite que você transforme ar usado em ar fresco em segundos. Sem formar uma correnteza de ar.

O Fusca Cabriolé agora tem o mesmo motor de 50 cv que o 1302 S, o mesmo chassi esportivo, o porta-malas dianteiro maior. E o sistema de ventilação mais bonito do mundo: ‘topless’.

Os Volkswagen clássicos. Se você preferir um VW 1200 ou um VW 1300. Ou um cupê esportivo.

Nós também melhoramos os Besouros clássicos. Como os Besouros novos, eles agora têm desligamento automático dos faróis. Isto significa que quando você remove a chave de ignição os faróis são automaticamente comutados para a luz de estacionamento. Assim os esquecidos, mesmo depois de longas noites de inverno, não ficam parados com uma bateria descarregada. Mas com um Besouro que liga o motor imediatamente.

Além disso, todos os Besouros agora têm um olhal de reboque atrás e outro na frente. Para todos os casos. O VW 1200 é o Besouro mais econômico. Com um robusto motor de 34 cv, afogador automático, com rodas individualmente suspensas de 15 polegadas e muita segurança (do sistema de freios de circuito duplo às luzes de emergência tipo pisca-alerta.)

O VW 1300 agora tem um motor mais potente com 44 cv. Então ele é ainda mais rápido e um pouco mais esportivo. E ele tem o novo sistema de ventilação como o VW 1302.

Tal como o econômico VW 1200 e o ainda mais potente VW 1300, os Karmann Ghia cupê e conversível também pertencem aos Volkswagen clássicos. Sob a sua atemporalmente elegante e desportiva carroceria, eles agora têm um motor de 50 cv. E como todos os Besouros você também pode adquirir o VW Karmann Ghia com câmbio automático** inclusive com semiárvores traseiras duplamente articuladas com juntas homocinéticas. Para que você não tenha mais que embrear para trocar marchas.

Os VW 1600. Se você quer um carro espaçoso de classe média. Com a confiabilidade de um VW.

O VW 1600 é conhecido por ser extremamente sólido e durável. E nisto ele tem muito a oferecer. Na tecnologia. Equipamento. E segurança.

Afinal, o construímos e aprimoramos por quase dez anos. E a prática faz o mestre.

Depois que alongamos a dianteira do carro no ano passado (e com isto a zona de deformação e o porta-malas dianteiro), este ano melhoramos especialmente os detalhes. Fora e dentro.

O VW 1600 agora tem um sistema de lavagem de para-brisa com suprimento de ar comprimido da roda sobressalente e um tanque maior. E ele tem uma saída de ventilação na janela traseira. Além disso, o painel foi modernizado. Com novas saídas de ar fresco reguláveis na direção do fluxo, na versão L (luxo), possui luzes de ré e um ventilador de ar fresco de dois estágios para ventilação. Um hodômetro parcial e um porta-luvas com chave.

O espelho retrovisor interno, de segurança, agora tem uma posição antiofuscante e a passageira tem um espelho de maquiagem no para-sol.

Na versão VW 1600 TL o bagageiro traseiro foi ampliado por um assoalho aumentado. Para 340 litros (o porta-malas da frente tem a capacidade de 230 litros em todos os VW 1600.)

Se isso não for suficiente para a sua família, pegue a VW Variant 1600. Ela tem um total de 930 litros de espaço para bagagem. E você ainda pode aumentar isso para 1.430 litros, simplesmente rebatendo o encosto do banco traseiro.

Se você escolhe um VW 1600 de três volumes, um TL ou uma Variant, você pode obtê-los nas versões padrão e luxo.

Com 45 cv ou 54 cv. E você pode ter a versão de 54 cv com câmbio automático**. Ou com injeção eletrônica de combustível. Ou até os dois.

O VW 411 E. Se você quer um VW com muito luxo. E com injeção eletrônica de combustível. Como equipamento de série.

O VW 411 E é um carro de porte médio repleto de superlativos:

Ele não só tem o mesmo motor de 80 cv com injeção eletrônica de combustível como o VW Porsche 914. Mas ele também tem o chassi deste carro esporte: semiárvores traseiras duplamente articuladas com juntas homocinéticas, suspensão dianteira McPherson, barras estabilizadoras dianteiras e traseiras, e pneus radiais.

E o VW 411 E tem o luxo de um sedã de luxo, mesmo na versão standard:

Bancos anatômicos que não só podem ser ajustados para a frente e para trás, mas também em altura. Um sistema de aquecimento controlado termostaticamente que funciona mesmo quando o motor não está.

Um sistema de ventilação ajustável versátil com ventilador de dois estágios. E uma exaustão forçada com seis saídas sob a janela traseira.

E muito mais coisas, que fazem o ato de dirigir o VW 411 E, de dia e de noite (faróis halógenos), tão confortável como em quase nenhum outro carro em sua classe.

O VW 411 E está disponível como um sedã de duas ou quatro portas. E com um total de 570 litros de espaço para bagagem. E ele também está disponível como Variant, que tem 1.100 litros de espaço para bagagem, que, com o encosto do banco traseiro rebatido, chega a 1.780 litros.

Ambos VW 411 E, sedã e perua, você pode ter em versão standard ou de luxo. E você pode obtê-los com um câmbio automático.

Quer você compre um Besouro ou um VW K70, na VW você recebe mais do que um VW.

Antes de mais nada, você pode obter o dinheiro para o seu VW novo. Na Financeira da VW. Em condições particularmente favoráveis.

Você paga cerca de um quarto do preço de compra (ou aceitamos seu carro usado como pagamento). E as parcelas restantes você pode pagar em até 36 meses.

Você também pode segurar seu VW através da VW. Então, em caso de danos, você tem o Serviço de Seguros da Volkswagen e todas as Representantes VW na Europa. E você pode alugar o seu VW na VW Leasing GmbH.

Mas, acima de tudo, você recebe na VW um serviço ao cliente que é tão famoso quanto o VW. Somente na Alemanha existem 2.437 representantes da VW. Na Europa 5.550 e em todo o mundo até 9.029.

O sistema de diagnóstico e manutenção da VW (VW-Diagnose), desenvolvido até agora de forma quase utópica:

Em breve, você só precisará fazer uma conexão de plug-in com a rede de teste existente em cada VW — e o diagnóstico será amplamente automático. É por isso que já existe uma rede de inspeção a bordo de cada VW, através da qual as funções importantes do carro podem ser verificadas.

O que mais você ganha na VW?

Peças sobressalentes originais da VW que são manufaturadas segundo as mesmas exigências estritas da fabricação como cada detalhe de cada VW.

Peças recondicionadas originais da VW, que consistem em componentes novos e recondicionados. Elas são tão boas quanto peças de reposição originais da VW. Mas até 50% mais baratas.

Além disso, os acessórios originais VW, que são testados na fábrica da Volkswagen exatamente com base em sua qualidade e em sua função. Para que você obtenha tudo o que adquire na VW, na qualidade pela qual a VW é mundialmente famosa.”


(*) Eu coloco à sua disposição a matéria “Você sabe o que é um Super Beetle?”, publicada em três partes:
Parte 1  Parte 2  Parte 3

(**) Nota do tradutor: mantive a indicação de “Câmbio automático” nestes casos para manter o que o pessoal de divulgação da VW daquela época escreveu, mas nestes carros o que era fornecido era o “Automatic Stick Shift”, que se pode traduzir como “manual automático”. Foi uma estratégia para atrair ainda mais o consumidor americano, apreciador de câmbios automáticos. Era um câmbio de três marchas mais ré, como mostra o “H”, e que tinha conversor de torque, portanto não havia pedal de embreagem. Tinha a marcha à ré, a Low — para sair em subidas mais íngremes, a “1” para arrancar normalmente e usá-la no trânsito urbano até cerca de 100 km/h, e a “2”, marcha longa para trafegar em vias de trânsito rápido e rodovias. Como conversores de torque não têm neutro, havia uma pequena embreagem monodisco a seco só para separar o motor/conversor de torque do câmbio manual normal e possibilitar trocar marchas. Esta miniembreagem era acionada por um solenoide comandado por um interruptor elétrico na base da alavanca. O detalhe é que para engatar a ré, que ficava no lugar da primeira no câmbio 4-marchas normal, havia trava contra engate involuntário, a mesma de premer a alavanca. O motivo era óbvio, evitar que se desse ré inadvertidamente. Esta interessante opção de câmbio nunca foi oferecida para o Fusca no Brasil.
Já nos modelos VW 411 era possível optar por um câmbio automático epicíclico.

AG

Esta matéria reproduz as páginas do catálogo “Vom Käfer bis zum K 70” produzido, impresso e distribuído, na época, pela Volkswagen AG, sob o número de registro 152.964.00 de 09/70, e apresenta o seu texto vertido para o português por mim.
NOTA: Nossos leitores são convidados a dar o seu parecer, fazer suas perguntas, sugerir material e, eventualmente, correções, etc. que poderão ser incluídos em eventual revisão deste trabalho.
Em alguns casos material pesquisado na Internet, portanto via de regra de domínio público, é utilizado neste trabalho com fins históricos/didáticos em conformidade com o espírito de preservação histórica que norteia este trabalho. No entanto, caso alguém se apresente como proprietário do material, independentemente de ter sido citado nos créditos ou não, e, mesmo tendo colocado à disposição num meio público, queira que créditos específicos sejam dados ou até mesmo que tal material seja retirado, solicitamos entrar em contato pelo e-mail alexander.gromow@autoentusiastas.com.br  para que sejam tomadas as providências cabíveis. Não há nenhum intuito de infringir direitos ou auferir quaisquer lucros com este trabalho que não seja a função de registro histórico e sua divulgação aos interessados.
A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(5.086 visualizações, 1 hoje)