Matéria publicada em 18/9/18 no site inglês newspress.co.uk

O tradicional “freio de mão” está chegando ao fim da linha à medida que os fabricantes de automóveis estão aplicando cada vez mais freios de estacionamento eletrônicos, segundo pesquisa do site inglês de compra e venda CarGurus.

O mercado automobilístico online TripAdvisor, criado por Langley Steinert, concluiu que apenas 37% dos carros novos à venda hoje no Reino Unido vêm com freio de estacionamento acionado por alavanca.

Apenas dois fabricantes de peso, a Dacia e a Suzuki, têm o freio de estacionamento tradicional à mão em toda a linha, enquanto a maioria deles o oferecem em carros mais esportivos ou compactos mais acessíveis.

Muitos fabricantes de carros premium deixaram de o utilizar e o substituíram pelo freio de estacionamento eletrônico, apesar de alguns ainda manterem o freio de estacionamento por pedal.

A pesquisa do CarGurus constatou que Audi, Jaguar, Land Rover, Lexus, Mercedes=Benz e Porsche não produzem mais modelos com o tradicional “freio de mão”.

Como o nome diz, tanto o freio de estacionamento manual quanto o eletrônico servem para manter o veículo imobilizado.

 

Como funciona o freio de estacionamento eletrônico

O freio de estacionamento eletrônico é acionado por meio de um interruptor em vez da tradicional alavanca. O interruptor ativa um par de motores elétricos que acionam os freios traseiros, inclusive escuta-se um leve ruído enquanto estão no ciclo de aplicação.

Considerado item de luxo, o freio de estacionamento eletrônico requer menos esforço físico, imobiliza o veículo com mais segurança e dispensa ajustes como a alavanca tradicional. A maioria desses freios solta-se automaticamente ao acelerar, além de oferecer a função de frear automaticamente o veículo e o manter freado quando este para (Auto Hold, botão inferior na foto de abertura) o que é uma grande comodidade. O interruptor contribui para ganho de espaço interno ao deixar de existir a alavanca entre os bancos.

 

O freio de estacionamento manual ainda atrai

O freio de estacionamento por alavanca pode parecer bem mais básico na comparação com seu equivalente eletrônico, mas para alguns motoristas é essa simplicidade que justamente os atrai, enquanto outros simplesmente apreciam a interação mecânica que oferecem, e pelo menos um deve evocar lembranças de aprender a arrancar com perfeição numa subida.

Sobre a pesquisa, Chris Knapman, editor do CarGurus UK, disse: “É oficial, o fim da alavanca de freio de estacionamento está chegando à medida que mais fabricantes vão mudando para o freio de estacionamento eletrônico. Dentro dos próximos anos podemos esperar que o número de carros com alavanca de freio caia ainda mais, provavelmente encontrada num pequeno número de carros de nicho apenas. Claro, os benefícios não devem ser ignorados, mas sendo a nova tecnologia cada vez mais aplicada nas linhas de modelos, muitos motoristas novos poderão nunca vir a conhecer um dos itens mais comuns do automóvel. A tentação de fazer uma alavanca vistosa, elaborada, logo será uma coisa do passado também.”

 

A pesquisa

Os resultados da pesquisa foram baseados em análise  de 32 fabricantes de grande volume: Alfa Romeo, Audi, BMW, Citroën, Dacia, DS, Fiat, Ford, Honda, Hyundai, Infiniti, Jaguar, Jeep, Kia, Land Rover, Lexus, Mazda, Mercedes-Benz, MINI, Mitsubishi, Nissan, Peugeot, Porsche, Renault, Seat, Škoda, Subaru, Suzuki, Toyota, Vauxhall, Volvo, e Volkswagen.

BS

(2.187 visualizações, 1 hoje)