Eu desejava trocar de carro e comecei a procurar na web uma avaliação confiável, abrangente, não tendenciosa. Já encontrado algumas, daquelas que falam que o painel é de plástico duro ao toque, sem rebarbas, ou seja, avaliações superficiais que se atém à casca do carro, digamos assim. Então, para minha alegria, encontrei o Autoentusiastas, ainda na versão hoje denominada Clássica.

Achei a análise que desejava e me surpreendi com o texto enxuto, bem escrito, sem o emprego de expressões da moda, e farto em fotos bem cuidadas e com um toque realista, sem aquela pegada de fotos com uma grossa camada de tratamento digital no estúdio. Além disso, o texto não era demasiadamente longo, nem tampouco curto e sem conteúdo.

Com tanta poluição, agressividade e mentiras na internet, ouso sugerir aqui um conceito inaugurado pelo AE: o de um site “higiênico”. Na acepção mais ampla desse termo, pois é assim que o site é. Algo limpo, confiável, agradável de se estar, fácil de ler e sem visual poluído, sem pop-ups, sem banners excessivos ou invasivos ao leitor.

Porém, nesse primeiro contato o que mais me chamou a atenção foi a qualidade dos comentários dos leitores; efetivamente explorando, complementando e ampliando as informações presentes na matéria. Não somente isso, mas para minha surpresa, os comentários eram respeitosos, civilizados, escritos em bom português e muitas vezes respondidos pelo colunista ou replicado e enriquecido por outros leitores.

Essas características me fidelizaram como leitor diário e então fui descobrindo que o AE não trazia matérias somente sobre automóveis. Como sou um apaixonado pela aviação, me deleitei com inúmeras matérias sobre esse tema. Fui descobrindo a cada manhã, que havia colunistas falando sobre o mercado de automóveis, outro contando suas memórias dos anos trabalhados na indústria, outro sobre a carros clássicos e por aí vai, entre tantos outros assuntos afetos a carros, mas que expandem o conteúdo.
Na verdade, foi difícil não viciar em todos os dias, assim como leio os principais sites de noticias pela manhã, não abrir o AE em busca de novidades ou mesmo para ler os qualificados comentários dos leitores.

Quando viajo ou passo um fim de semana sem visitar o sítio já bate aquela saudade, pode crer.

Por fim, quando o site anunciou que criaria uma seção para que os leitores constassem suas histórias sobre carros, me muni de toda a coragem que me resta e escrevei a minha e enviei.

Fique alguns dias a espera de uma resposta, e como toda pessoa que está ansiosa por uma resposta, já me dava por vencido que a tal resposta não viria e meu texto não seria aceito. Mas eis que vejo em minha caixa postal um e-mail do Bob Sharp (sim, ele, a lenda, o cara que li tantas vezes nas páginas das principais revistas sobre automóveis no país). Sinceramente tive que ler várias vezes para me certificar que era verdade. Pode o leitor achar graça, mas foi isso mesmo. Obviamente guardo esse e-mail com especial carinho.

E não é que o texto foi aceito, e para alegria ficar ainda mais completa e eu fazer o papel de chato, a compartilhar com todos da minha família e amigos, foi o meu primeiro na seção História dos Leitores. Aí caro leitor, a felicidade de um simples brasileiro foi completa.

Então, para finalizar, na comemoração desses dez anos do nosso querido AE fica aqui meu agradecimento, não somente pelo fato acima descrito, mas pela existência desse espaço de informação, e por que não dizer de entretenimento, que dispomos na rede mundial de computadores. Parabéns a todos que fazem o AE, parabéns a todos que o leem, e que essa primeira década seja somente o começo de uma história que se estenda ainda por muitos e muitos anos.

Josenilson Veras
Brasília – DF

Nota: As histórias de leitores normalmente são publicadas aos domingos às 14 horas. Hoje, excepcionalmente, esta entrou às 10 horas. A coluna “Perfume de Carro”, de Douglas Mendonça, desse horário (10h00) será publicada às 15 horas.

(2.097 visualizações, 1 hoje)