O manual do Yaris tem 530 páginas. É sempre ótimo quando um carro chega para nosso teste no uso com o manual. Alguns carros vêm sem ele, um grande problema  quando se vai tentar saber mais sobre o carro e seus detalhes de operação.

O manual é ótimo. Tem todos os códigos de modelos da linha completa do hatch e sedã, com todos os motores e câmbios disponíveis. Modelo é “katashiki” em japonês, isso também está dito no manual. Nosso Yaris do teste é o katashiki NSP151L-HEXVGG, que entre outras coisas, significa um sedã XLS com motor 2NR-FBE, câmbio CVT K312 e tração nas rodas dianteiras. Muito bom.

Mas carro não é só manual, embora isso seja uma prova de que a fábrica tem cuidado com seu produto, e o Yaris é muito bem cuidado, um queridinho da linha, que vem preencher o espaço importantíssimo entre Etios e Corolla, realizando essa missão com louvor. Como definição de produto, com suas versões, carrocerias hatchback e sedã, dois motores e dois tipos de câmbio, além da oferta de equipamentos, o Yaris é um belo trabalho da Toyota.

Nossa tradicional foto AE, todas as portas e tampas abertas; teto solar chama atenção na categoria

Uma surpresa é o teto solar. Bela decisão colocá-lo em um carro que não visa mercado de luxo nem esportivo. É bom ter o teto, mesmo que não se aprecie dirigir com o sol na cabeça, como eu. Basculado, ajuda muito na ventilação sem uso de ar-condicionado. Com chuva normal, sem tempestade, dá para andar com ele basculado e o ventilador ligado, para agradável fluxo de ar. Se a chuva apertar, pode-se fechar. A noite, dirigir vendo o céu é bacana, já fiz muito disso no passado, e com esse carro repeti a dose. Ele é elétrico, com teclas separadas para abertura e basculamento, e tem cobertura toda fechada que desliza manualmente. Muito bom isso.

O Yaris tem tudo de bom do Etios, do qual deriva (leia a matéria de apresentação do Bob Sharp), e isso já é muita coisa. Um chassis bem acertado, com suspensão confortável e que mantém o carro sempre estável, sem recorrer a pneus ou rodas grandes. É trabalho bem feito, de refinamento de projeto. Nada de outro mundo ou sofisticadas, as suspensões McPherson na frente e eixo de torção na traseira, as mais simples do universo atual, trabalham de forma exemplar, sem ruídos, sem solavancos e sem impacto de batentes que sejam audíveis. Nota dez.

O ponto ressaltado pelo Bob a respeito do “on center feel” da direção é facilmente notado quando se anda em estrada. Um mínimo movimento na direção não é seguido de retorno ao centro, ou seja, se movermos um pouco o volante, o carro segue para aquela direção, o que não é normal, mas não constitui risco absolutamente.

Os freios trabalham bem, mesmo em descidas longas, e a possibilidade de reduzir as marchas virtuais no câmbio CVT seja pelas aletas do volante ou pela alavanca, ajuda muito a poupá-los e aumenta a segurança.

Internamente, o Yaris XLS é muito mais próximo do Corolla do que do Etios, com revestimentos dos bancos em couro natural e material sintético, além de uma parte almofadada nos painéis de portas, onde se apoia o braço. Todas as uniões de peças são firmes e visivelmente bem acabadas, sem folga desagradável ou sensação de baixa qualidade. Trabalho exaustivo chegar a esse ponto quando se desenha, define pontos de fixação, escolhe materiais e verifica se tudo funciona em testes.

Há uma falta notável que é a ausência de luz no porta-luvas, sendo que há até mesmo a abertura para montar a lâmpada e lente. Esse porta-luvas é integrado à tampa, ou seja, não há caixa e tampa, apenas esta última, com parte externa e interna onde existe uma divisória que forma um alojamento para latas ou pequenas garrafas de bebida, de fundo em formato semicilíndrico para evitar movimento e ruído.

O topo do painel brilha mais do que deveria, e em alguns ângulos de sol incomoda um pouco. Como se trata de peça rígida, sem revestimentos macios, a pintura fosca parece ser possível, apesar de sabermos que o custo do conjunto seria bem maior. Mas é um detalhe importante que merece uma melhoria.

O espaço para quem senta na frente é normal, e atrás, muito confortável. A boa distância entre eixos, 2.550 mm, a mesma do Etios sedã, contribui para isso. Assoalho sem degrau no centro junto ao console permite passar de um lado a outro do carro sem contorcionismos, e são três apoios de cabeça reguláveis e três cintos de três pontos. Estranho o modelo vir com sobretapetes de carpete apenas na frente, e nenhum tipo de proteção extra para o assoalho  atrás.

Nota-se que o teto solar diminui o espaço para cabeça, pois ele tem seus trilhos, mecanismo e cobertura todos abaixo da linha externa de teto. Quem for muito alto, acima de 1,85 m, irá tocar a cabeça ao sentar no banco traseiro. Na frente há um pouco mais de altura, mas os “pirulões” vão ter que reclinar o encosto do banco para não bater a cabeça. O magnífico teto solar cobra seu espaço, é inevitável.

O motor 1,5-litro tem como diferença a maior potência e torque em relação ao Etios, e trabalhando com o câmbio CVT forma um bom par. Com as simulações virtuais de sete marchas é agradável utilizar o Yaris, apesar de que ainda é sentida alguma sensação de rotação subir bem mais rápido que a velocidade do carro, uma desproporção que pode desagradar aos adeptos dos câmbios manuais, mas não é o fim do mundo. De toda maneira, mesmo em Drive o câmbio vai subindo marcha como se fosse um automático epicíclico; menos mal.

O conjunto de trem de força tem uma qualidade de funcionamento que é quase palpável, de tão suave e isento de vibrações, além de ser acusticamente bem isolado.

Não há a mínima percepção das variações de fase dos comandos de admissão e escapamento. O trabalho é linear todo tempo, progressivo.

Os 105/110 cv a 5.600 rpm e o torque máximo de 14,3/14,9 m·kgf  a 4.000 rpm dão conta do trabalho de carregar o Yaris, que se mantém ligeiro mesmo com quatro pessoas e bagagem enchendo o bom porta-malas de 473 litros. Andei em estrada dessa forma, com várias subidas, e não empaquei o tráfego. Na verdade o Yaris pode rodar mais rápido que o fluxo com muita facilidade, ajudado pela boa aerodinâmica.

Como em qualquer carro, o consumo varia muito com relação ao tipo de uso. Andando sempre com álcool, vi os seguintes números em km/l:

• urbano em meio a congestionamentos: 5,5
• urbano, livre com semáforos: 8
• urbano, vias expressas e avenidas livres: 12
• estrada, 100 a 120 km/h: 13,7
• estrada com muitas subidas e descidas, tentando manter os 90 km/h de limite em meio a carros mais lentos: 11

Para referência, o consumo oficial Inmetro/PBVE é 12/8,3 km/l  na cidade e 14,6/10,1 km/l na estrada.

Infelizmente é prática lamentável da Toyota não informar desempenho.

Motor sem a capa decorativa: muito melhor assim para os autoentusiastas

De forma geral, o Yaris consome pouco combustível, o que o faria ainda mais interessante se o tanque tivesse mais que os parcos 45 litros, como no Etios. Autonomia a mais nunca é de menos, dá tranquilidade.

Andando à noite, a iluminação é boa, mesmo com faróis de de lâmpadas incandescentes halógenas, e as lanternas traseiras em LED. Problema é a falta de luz de rodagem diurna (DRL), para estradas principalmente, acessório vendido e instalado na concessionária. Não me parece a melhor solução, ao menos nas versões mais completas e caras, deveriam vir de fábrica.

Os comandos do painel ajudam bastante na condução, com o quadro de instrumentos bastante bem desenhado e legível, ficando a falta apenas do termômetro do líquido de arrefecimento como ponto negativo (minha opinião, assunto sempre polêmico). O computador de bordo é em cores no XLS, e tem muitas informações e configurações de ajuste, mostrando gráficos de consumo, eficiência do motorista na função Eco, entre outras. Há até a função restrição de velocidade para manobrista!

A central multimídia pode espelhar smartphones IOS e Android, aceita entrada USB e opera com aplicativos do telefone (não todos), mas não tem navegador. Tem a interessante função de Wi-Fi, que pode captar inclusive o de casa se o roteador não estiver muito longe. Nos ajustes, ela pode ter a cor trocada entre quatro opções, sendo que a branca é apenas para o dia, já que é muito intensa mesmo com o brilho baixo.

O comando de ventilação e do condicionador de ar é bem moderno, com teclas para velocidade e temperatura, pequenos botões para distribuição e liga-desliga, e trabalha apenas com uma temperatura, monozona. Funciona muito bem e refrigera rapidamente com mais de 30 °C externamente, mesmo na velocidade três do ventilador, que tem seis no total.

O porta-malas é muito bom, mas simplificado, sem ganchos para sacolas, por exemplo. O macaco e o triângulo seguem o Etios também, ficam guardados sob banco do motorista e passageiro, respectivamente, local improvável e que deve pegar usuários desavisados que não leem o mínimo indispensável do manual do proprietário. Se tudo ficasse junto do estepe, no porão do porta-malas, seria muito melhor.

O tapete do porta-malas causou estranheza pela sua pequena espessura e densidade mínima, mas tudo foi esclarecido na coluna do Roberto Nasser de 15 de junho p.p. Durante a apresentação para a imprensa o fato chamou atenção e gerou reclamação, e a Toyota imediatamente se comprometeu a melhorar a peça, fazendo algo mais de acordo com o padrão Toyota, com aspecto e durabilidade elevados. Como estava nos carros de lançamento e no de nosso teste, não vão durar muito. É um item a ser verificado na concessionária antes de receber o carro após a compra.

No uso normal o Yaris se mostrou agradável todo o tempo, sem causar preocupação a qualquer momento. Os detalhes que podem ser melhorados o fariam ainda melhor, mais próximo da perfeição para um modelo médio de uso familiar. Sem dúvida chama a atenção, e respondi perguntas de muita gente em pouco mais de uma semana com o carro.

Começa a ser vendido agora em julho, e essa versão de topo do sedã é a mais cara, a R$ 79.990.

Assista ao vídeo, e em seguida mais fotos e ficha técnica:

JJ

(Atualizado em 30/06/18 às 19h45, correção da informação sobre faróis no texto, estava correto na lista de equipamentos)

 

FICHA TÉCNICA YARIS SEDÃ XLS CVT
Motor 2NR-FBE, 1,5l Dual VVT-I
Tipo 4 cilindros em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote com variador de fase em ambos, corrente, 4 válvulas por cilindro, atuação indireta por alavancas-dedo roletadas com fulcrum hidráulico para compensação de folga, bloco e cabeçote de alumínio; instalação transversal, flex
Diâmetro e curso (mm) 72,5 x 90,6
Cilindrada (cm³) 1.496
Taxa de compressão (:1) 13 +/- 0,3
Potência (cv/rpm, G/A) 105/110/5.600
Torque (m·kgf/rpm, G/A) 14,3/14,9/4.000
Formação de mistura Injeção no duto
TRANSMISSÃO
Tipo  K312,Transeixo automático CVT Multidrive de 7 marchas virtuais + ré, tração dianteira
Ligação motor-câmbio Conversor de torque
Relações das marchas (:1) 2,386 a 0,426
Relação de diferencial (:1) 5,833
SUSPENSÃO
Dianteira Independente McPherson, mola helicoidal, braço triangular, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira  Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora integrada ao eixo
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida indexada à velocidade
Relação de direção (:1) 18,6 18,6
Número de voltas entre batentes 3,8
Diâmetro mínimo de giro (m) 9,8
FREIOS
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado/n.d.
Traseiros (Ø mm) Tambor/n.d
Controle ABS (obrigatório), EBD e assistência à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas Liga de alumínio, 5J x 15 (estepe: aço)
Pneus 185/60R15H (estepe temporário 175/65R14T, 80 km/h)
CONSTRUÇÃO Monobloco em aço, sedã, 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
DIMENSÕES (mm)
Comprimento 4.425
Largura sem espelhos 1.730
Altura 1.490
Distância entre eixos 2.550
Bitola dianteira/traseira 1.470/1.460
Distância mínima do solo 150
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha (kg) 1.150
Peso bruto total (kg) 1.550
Carga útil (kg) 400
Capacidade máxima de tração (kg) 1.550
Porta-malas (L) 473
Tanque de combustível (L) 45
CONSUMO INMETRO/PBVE
Cidade  (km/l, G/A) 12,0/8,3
Estrada (km/l, G/A) 14,6/10,1
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 7ª/CVT 44,5
Rotação a 120 km/h em 7ª/CVT (km/h) 2.700

 

EQUIPAMENTOS YARIS SEDÃ XLS CVT
ESTILO
Acabamento do volante e manopla câmbio em couro
Acabamento externo preto na coluna central
Controle áudio e computador de bordo no volante
Descansa-braços dianteiros
Difusores de ar com acabamento. na cor prata
Espelhos externos acionamento elétrico na cor do veículo e repetidoras de setas integradas
Espelhos externos de acionamento elétrico na cor do veículo rebatíveis com comando no descansa-braço e com repetidoras de seta
Grade dianteira com detalhes na cor do veículo, acabamento Total Black e detalhes cromados
Grade inferior tipo reta
Maçanetas externas cromadas
Maçanetas internas cromadas
Para-choques na cor do veículo
Rodas de liga alum. 15″ com  acab. 2-tons (preto e prata)
CONFORTO E COMODIDADE
Abertura elétrica do porta-malas
Abertura interna do tanque combustível
Acelerador elétrico com comando eletrônico
Ajuste de altura do banco do motorista
Ajuste de altura do volante de direção
Ajuste elétrico de altura do facho faróis
Ar-condicionado automático com filtro antipólen e ar quente
Bancos parcialmente em couro
Chave presencial (Smart key)
Computador de bordo com visão multifunçao (tela 4,2″ TFT de alta resolução com 16 funções: hodômetro total e parcial, autonomia, velocidade média, relógio, termômetro ar externo, marcha em uso, nível de combustível, velocímetro digital, Eco/Walllet e luz
Condução ECO indicada no quadro de instrumentos
Console central com dois porta-copos iluminados
Controle automático de velocidade de cruzeiro
Descansa-braço traseiro com porta-copos
Direção eletroassistida indexada à velocidade
Encosto do banco traseiro 60:40
Espelho interno eletrocrômico
Faróis com acendimento automático e luz de acompanhamento
Faróis halógenos projetores com máscara negra e linha guia em LED
Lanternas traseira em LED
Luz de leitura traseira
Luzes de leitura dianteiras
Painel de instrumentos com tecnologia Optitron
Para-sois com iluminação
Partida por botão
Porta-garrafas nas quatro portas
Porta-moedas localizadas no painel
Porta-objetos com tampa no console central
Porta-revistas no dorso dos bancos dianteiros
Sensor de chuva
Smart entry, destravamento de porta sem chave
Teto solar elétrico
Tomada 12 V no console central
Vidros elétricos um-toque subida/descida com antiesmagamento
SEGURANÇA
Alarme perimétrico e volumétrico
Apoios de cabeça (5) com regulagem de altura
Assistente de partida em aclive
Aviso de cintos dianteiros não atados
Aviso sonoro de faróis ligados (carro estacionado, porta-malas aberto com carro em movimento
Bolsa inflável de joelhos para o motorista
Bolsas infláveis de cortina
Bolsas infláveis frontais (obrigatórias)
Bolsas infláveis laterais
Câmera de ré
Cintos diant. com ajuste de altura, pré-tensionador e limitador de força
Cintos de três pontos (5)
Controle de estabilidade e tração
Desembaçador do vidro traseiro
Engates Isofix para 2 bancos infantis com fixação superior
Faróis e luz traseira de neblina
Imobilizador de motor
Jogo de tapetes dianteiro em carpete
Limpador de para-brisa intermitente
Travamento automático de portas a 20 km/h
ÁUDIO
Antena-short pole
Quatro alto-falantes e dois tweeters
Sistema de áudio central multimídia com tecnologia Harman, tela tátil de 7″, AM/FM, MP3, tomada USB no console central, Bluetooth e conexão para smartphones e tablets através de espelhamento SDL

(13.956 visualizações, 1 hoje)