Depois de algumas semanas com as duas Saveiros, cabine estendida (CE) e cabine dupla (CD), a certeza é apenas uma: a picape é muito boa de verdade, excelente em quase todos os aspectos.

Agilidade e precisão mecânica são os pontos fortes, com motor e câmbio no padrão VW de tração dianteira, com o único ponto do conjunto que me desagradou sendo a posição do pedal de embreagem, deslocado mais à direita do que seria a posição ergonomicamente correta.

Outro fortíssimo aspecto da picape é a suspensão. Não há piso que a faça desconfortável, e veja que piso ruim é fácil de encontrar. Sempre bem amortecida e sem ruídos, mantém o carro estável todo tempo, com a normal e saudável escorregada das rodas dianteiras quando se ultrapassa a aderência máxima dos pneus, ótimos Pirelli P7 205/60R15H. Brincar nas curvas da Estrada dos Romeiros — onde fazemos a maior parte dos nosso vídeos — é muito fácil, sendo necessário uma grande dose de insensatez para se colocar em dificuldade ou condição insegura.

Isso apesar da grande distância mínima do solo, 197 mm, que dá para notar ao se precisar “subir” na picape, tão longe do solo que é.

Assim fica fácil notar a diferença das carrocerias. Degrau para a caçamba apenas na estendida

O funcionamento geral da Pepper com as duas carrocerias diferentes é muito similar ao que o Bob Sharp reportou no teste da versão Highline, em outubro de 2016, logo após as atualizações que estão em vigor na linha, como a dianteira diferente do Gol e Voyage (e que recentemente foram incorporadas a estes), e o motor EA-111 com melhorias que a Volkswagen não diz quais são, mas que sabemos que ocorreram, tal a diferença que o Bob percebeu na facilidade de subida de giros. A rotação de corte a 6.500 rpm corrobora essa facilidade, e o corte é limpo, ou seja, a rotação apenas para de subir, sem que o motor fique tranqueando, como acontece no chamado corte sujo.

Esse quatro cilindros é de 1.598 cm³, comando de válvulas único no cabeçote acionado por correia de borracha dentada, duas válvulas por cilindro, potência de 101/104 cv a 5.250 rpm e torque de 15,4/15,6 m·kgf a 2.500 rpm; sua taxa de compressão é 12,1:1. O câmbio é manual de cinco marchas com velocidade de 38,1 km/h a cada 1.000 rpm em quinta marcha, correspondendo a 3.150 rpm em velocidade de cruzeiro de 120 km/h em autoestrada.

Os alcances nas marchas, levando o motor a 6.000 rpm, são: 1ª 44 km/h; 2ª 79 km/h; 3ª 128 km/h; 4ª 171 km/h (velocidade máxima a 5.700 rpm)

É um câmbio 4+E, quatro marchas com uma quinta de economia. Sua velocidade máxima é em quarta, motor a 5.700 rpm, 450 rpm acima da rotação de potência máxima. O escalonamento é típico 4+E, veja o gráfico:

Gráfico dente de serra da Saveiro Pepper

Mas números são números, e o bom mesmo é ver como a Saveiro se comporta com essa potência que não é nada estrondosa. E o faz otimamente, com uma elasticidade de dar gosto, retomando velocidade com facilidade mesmo em marcha errada (muito longa para a necessidade). É fácil passar em lombadas mais suaves em terceira, acelerar e a velocidade subir sem hesitação, o mesmo nas curvas de esquina nessa marcha. E trocando-a para fazer essas manobras da melhor forma para o motor, o trabalho de pé e mão é fácil e leve, um prazer verdadeiro.

Andando mais rápido, as trocas ascendentes e reduções são quase telepáticas. Ao se levar a mão à alavanca e efetuar a troca, a marcha entra certeira e rápida, coisa que faz pensar que dirijo melhor do que realmente faço. Por isso que a linha Gol tem tantos adeptos. Qualquer pessoa com habilidade mínima é capaz de trocar de marcha tão rápido quanto um piloto de corrida.

O trem de força, junto com rolamentos de roda e pneus de baixo atrito, tudo ajuda a Saveiro ser muito econômica — empurrei a picape na garagem e ela rola muito fácil — mesmo não sendo lá muito aerodinâmica. Seu coeficiente de arrasto (Cx) 0,398 é elevado, porém normal devido ao desenho “cortado” pela presença de caçamba, além da ausência de protetor inferior de motor e câmbio, que colabora para haver bastante turbulência na parte dianteira. A capota marítima ajuda muito nesse quesito, evitando a frenagem gerada tanto pela parede da tampa da caçamba, quanto pela turbulência nela.

Essa capota é bastante prática, com fechos rápidos, barras de alumínio reposicionáveis, travas de segurança por dentro, cintas para prendê-la quando enrolada e mínima passagem de água ao lavar o carro. A tampa da caçamba tem trava elétrica que atua junto com as portas, e ao destravá-la não desce de uma vez, evitando batidas nas pernas. Veja o funcionamento no vídeo, mais abaixo.

Alguns números de consumos registrados pelo computador de bordo estão a seguir, sempre com gasolina no tanque de 55 litros, volume muito bom, principalmente porque a cabine dupla ficou comigo na semana crítica de greve de caminhoneiros e conflitos nos postos de abastecimento.

Cidade, trânsito congestionado por mais de uma hora no anda-para – 6,5 km/l
Cidade, congestionamento de menos de meia hora – 11,4 km/l
Cidade, trânsito leve – 12 km/l
Estrada, limite 90 km/h – 17,5 km/l ultrapassando os mais lentos, 20 km/l andando no fluxo
Autoestrada, 100 e depois 120 km/h – 16 km/l
Estrada dos Romeiros, acelerando com alegria – 12 km/l

Na maior parte das vezes esses números foram obtidos com ar-condicionado ligado, e com ele desligado  nos dias com poucos carros nas ruas, obtive 20,3 km/l a 90 km/h em estrada e 14 km/l em ruas com semáforos, mas sem andar em vias expressas. Realmente a situação do trânsito faz muita diferença no consumo, sendo a marcha-lenta a grande vilã ao se queimar combustível sem o hodômetro registrar deslocamento.

Na Saveiro cabine estendida há um degrau atrás dos bancos com uma borda elevada para ajudar a segurar objetos. Aquela parte tem volume de 300 litros, mais do que suficiente para malas pequenas, mochilas, agasalhos, minhas garrafas de água de 10 litros, sacolas plásticas — que contam com dois ganchos para evitar que fiquem tombando.

Não se deve levar pessoas ali, já que não há cintos de segurança, mas claro que meu filho quis dar uma voltinha para ver como era. Ele coube, mesmo ele já tendo quase 1,70 metro de altura (o tempo passa, eu trocava as fraldas dele outro dia…), mas não há conforto, claro.  Há uma janela corrediça pequena no vidro vigia, muito útil quando não se quer ligar o ar-condicionado.

Para esse modelo, a Volkswagen poderia vender uma caixa plástica para segurar objetos maiores do que aqueles que cabem nas duas caixinhas que já existem no carro. Veja na foto na galeria a seguir a minha caixa branca, com a largura perfeita para a posição.

Na cabine dupla, banco com três cintos e encostos de cabeça, mas espaço limitado para as pernas. Há vidros laterais basculantes, dois porta-copos e uma tomada de força, além de duas luzes de leitura no teto. O vidro vigia não tem a  janela corrediça, já que ela não é necessária.

O acabamento interno é bom sem ser magnífico. Os painéis de porta tem ótimos porta-objetos com divisória, para se colocar itens menores na parte da frente e eles não correrem para trás, bom, pois a porta é bastante longa. Bancos tem revestimento em duas cores de “couro” (material sintético) e bordado “Pepper” em vermelho, cor das costuras no volante e na coifa da alavanca de mudanças. Frisos vermelhos no painel, cuja a parte superior que poderia ser mais fosca para eliminar reflexos no para-brisas, completam o visual esportivo da versão.

Falando em vidros, este é mais um carro em que a faixa degradê é inexistente, e seria tão bom tê-la… O volante, com ajuste nos dois planos,  é o mesmo utilizado na linha VW em vários outros modelos, situação comum em todas as marcas devido à obrigatoriedade de bolsas infláveis frontais. No banco do motorista, a regulagem de altura um pouco recalcitrante, de curso não muito definido, ajuda um pouco a se achar a melhor posição para dirigir.

No quadro de instrumentos, várias informações, entre elas o sempre tranquilizador termômetro do líquido de arrefecimento do motor, computador de bordo bem fácil de usar com comandos no volante, e o único ponto desagradável, o velocímetro com escala quebrada, com numeração de 10 em 10 km/h até 60 e depois disso, de 20 em 20 km/h. Difícil saber onde estão velocidades que são muito comuns, como 70, 90 e 110 km/h. Acredito que deva ser corrigido, há espaço de sobra, já que a escala vai até 240 km/h e o veículo passa levemente dos 170 km/h.

São poucos detalhes que fazem o mundo nesse carro não ser perfeito, mas a Saveiro é agradável, robusta e passa muita sensação de durabilidade, também pela ausência de ruídos mesmo na cabine dupla, que tinha 13 mil km rodados quando a retirei.

Depois de tanto tempo no mercado e evoluindo constantemente, é fácil entender que a família Saveiro ainda é uma picape bastante desejada, basta dirigi-la para enxergar os motivos.

Os preços dos dois modelos, com os dois opcionais possíveis — teto preto e multimídia completo, com navegador, Bluetooth, câmera de ré, comandos por voz e espelhamento de smartfones são:

Cabine Estendida – R$ 74.210
Cabine Dupla – R$ 77.508

Assista ao vídeo:

Mais fotos. Veja ficha técnica  e lista de equipamentos em seguida.

JJ

FICHA TÉCNICA SAVEIRO PEPPER CE E CD 2018 (CD ENTRE PARÊNTESES)
MOTOR
Designação EA-111
Tipo 4 cilindros em linha, comando no cabeçote, correia dentada, 2 válvulas por cilindro, acionamento indireto por alavancas-dedo com fulcro hidráulico, dianteiro transversal, flex
Material do bloco/cabeçote Ferro fundido/alumínio
Diâmetro x curso (mm) 76,5 x 86,9
Cilindrada (cm³) 1.598
Comprimento da biela (mm) 138
Relação r/l 0,314
Aspiração Atmosférica
Taxa de compressão (:1) 12,1
Potência máxima (cv/rpm, G/A) 101/104/5.250
Torque máximo (m·kgf/rpm, G/A) 15,4 /15,6 /2.500
Formação de mistura Injeção no duto
Gerenciamento do motor Magneti Marelli 9GV
Partida a frio quando abastecido com álcool Injeção automática de gasolina
TRANSMISSÃO
Câmbio Transeixo MQ200 com câmbio manual de 5 marchas + ré, tração dianteira
Relações das marchas (:1) 1ª 3,769; 2ª 2,095; 3ª 1,281; 4ª 0,927; 5ª 0,740; ré 3,182
Relação do diferencial (:1) 4,188
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica
Diâmetro mínimo de curva (m) 12,4
Relação de direção (:1) 15,8
N° de voltas entre batentes 3
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado/256
Traseiros (Ø mm) Disco/232
Controle ABS (obrigatório) e distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas Liga leve de alumínio 6Jx15
Pneus 205/60R15H
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.053 (1.068)
Carga útil 687 (672)
CONSTRUÇÃO
Tipo Monobloco em aço, picape 2 portas, 5 lugares, cabine estendida (cabine dupla), subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,398
Área frontal (m²) 2,24
Área frontal corrigida (m²) 0,892
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento 4.474
Largura sem/com espelhos 1.713/1.893
Altura 1.521  (1.562)
Distância entre eixos 2.752 (2.753)
Bitola dianteira/traseira 1.431/1.494
Distância mínima do solo 197
CAPACIDADES (L)
Caçamba 734  (580)
Tanque de combustível 55
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s, G/A) 11,1/10,8  (11,2/10,9)
Aceleração 0- 80 km/h (s.  (G/A) 7,3/7,1  (7,3/7,2)
Velocidade máxima (km/h, G/A) 171/173 (170/172)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h) 38,1
Rotação em 5ª a 120 km/h 3.150
Rotação em vel. máx., 4ª 5.700

 

LISTA DE EQUIPAMENTOS SAVEIRO PEPPER 2018
Acionamento elétrico dos vidros
Alça de teto para o passageiro
Alerta de frenagem de emergência
Alerta sonoro e visual para cinto de segurança do motorista desatado
Antena no teto
Ar-condicionado com filtro de poeira e pólen
Bagageiro longitudinal no teto
Banco do motorista com ajuste de altura
Barra de apoio para carga no teto
Bolsa infláveis frontais (obrigatórias)
Chave tipo canivete com comando remoto
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador, limitador de carga e regulagem de altura
Coluna central externa com aplique preto
Coluna de direção com ajuste de altura e profundidade
Console central com porta-copos
Direção assistida hidráulica
Espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico e função baixar orientação no lado direito ao engatar ré
Espelhos retrovisores externos com repetidoras de seta integradas
Espelhos retrovisores externos em vermelho
Faróis com função de chegada e acompanhamento ao sair
Faróis de neblina
Freio a disco nas quatro rodas
Ganchos para amarração de carga e capota marítima
Grade protetora da janela traseira
Iluminação da caçamba
I-System com Eco-Comfort – computador de bordo
Janelas traseiras corrediças
Lanternas traseiras escurecidas
Limpador do para-brisa com temporizador
Luz traseira de neblina
Luzes de leitura dianteiras
Moldura nas caixas de roda
Palhetas do limpador de para-brisa aerodinâmicas
Para-sóis com espelho com espelho e iluminação
Porta-revistas no dorso do  encosto do banco do passageiro
Quatro alto-falantes e dois tweeters
Rodas de liga leve de alumínio aro 15″
Sensor de estacionamento traseiro
Sistema de alarme com comando remoto
Sistema de infotenimento “Media Plus” com Bluetooth, MP3 e entradas USB, SD-card e AUX-IN
Suporte para celular
Terceira luz de freio elevada
Tomada 12 V no console central e na parte traseira – lado direito
Travamento elétrico das portas
Volante multifuncional revestido de couro com comandos do sistema de som e I-System
(7.511 visualizações, 1 hoje)