Em 2009 publiquei uma matéria falando sobre a suspensão que havia sido criada e estava sendo desenvolvida pela Bose. É essencial a leitura do texto para entender o princípio de funcionamento que, resumidamente, trata cada roda de forma independente, de forma ativa, através de sensores de vários tipos trabalhando em conjunto e fazendo motores elétricos gerarem campo magnético para movimentar os elementos elásticos da suspensão, seja ela McPherson ou do tipo com braços inferiores e superiores,  minimizando ao máximo os movimentos da carroceria. Tudo em 5 milissegundos.

Agora surge a novidade de que a empresa Clear Motion, que havia comprado os direitos sobre o sistema no ano de 2017 está pronta para colocá-lo no mercado. Batizou o conjunto de motores eletromagnéticos e amplificadores de potência de ActiValve, que consiste também nos controladores eletrônicos.

Não se trata apenas de mais um conjunto de amortecedores magneto-reológicos, que GM, Ford e Ferrari já aplicam em produção, mas todo um sistema mais completo no seu trabalho, já que atua direto nos elementos elásticos por completo, não apenas em amortecedores.

O trabalho da ClearMotion foi de refinar ao máximo uma redução de custo de todo pacote, para que, já ano que vem, seja oferecido em uma série limitada de um carro ainda não anunciado. Atualmente a empresa vem rodando dois BMWs série 5 para mostrar as capacidades, mas o material de imprensa mostra também um Tesla Model 3.

Em alguns meses deveremos saber o que acontecerá. Enquanto isso, veja o site da ClearMotion, onde aparecem imagens muito esclarecedoras sobre a diferença de comportamento sem e com o sistema.

JJ

 

(2.277 visualizações, 1 hoje)