A Brabham, equipe de Fórmula 1 com a qual Nélson Piquet venceu seus dois primeiros títulos —1981 com Brabham-Ford BT49C e 1983 com Brabham-BMW turbo BT52, o primeiro e único campeonato da marca de motores alemã — além da única vitória de José Carlos Pace, em Interlagos 1975, com o Brabham-Ford BT44B, mostrou nessa semana seu primeiro carro não projetado apenas para competições.

A empresa passa a se chamar Brabham Automotive, deixando o nome antigo oficial, Motor Racing Developments, que foi administrada por Jack Brabham e Ron Tauranac da fundação até 1971, quando foi comprada pelo histórico Bernie Ecclestone, o maior responsável por tornar a Fórmula 1 o mais milionário circo do esporte mundial.

O BT62 foi mostrado apenas estaticamente na Australia House, sede do fabricante, originário da mente de dois australianos, Jack Brabham (1926-2014) e Ron Tauranac, do sobrenome de ambos a sigla de todos os projetos, e ainda hoje em parte com a família, através do filho de Jack, David Brabham e do ainda na ativa Tauranac.

Vale lembrar que Jack Brabham foi o primeiro e único piloto e construtor a vencer o mundial de Fórmula 1 com seu próprio carro, o Brabham-Repco BT19, em 1966, depois de já ser bicampeão (1959 e 1960). Até hoje essa honra foi conseguida apenas por ele. O carro repetiu a façanha no ano seguinte, mas com o neozelandês Deny Hulme, ficando Jack vice-campeão. E nesses dois anos a Brabham levantou o título de construtores.

O novo carro levou dois anos para ser projetado e construído, não é para uso em ruas, apenas pistas, mas poderá ser comprado tanto para uso em track days ou outros eventos em circuitos fechados, tanto para competições de carro esporte.

Apenas 70 unidades serão fabricadas, para comemorar os 70 anos do início da carreira de piloto de Jack Brabham, em 1948. Os primeiros 35 terão a decoração externa em verde britânico de corrida (British Racing Green) e detalhes em dourado, como no carro que venceu em 1966 o GP da França em Reims. No total foram 35 vitórias e quatro campeonatos, entre 1962 a 1992.

O preço anunciado é de um milhão de libras esterlinas (R$ 4,82 milhões em conversão direta), e como disse Ron Tauranac ” Fizemos o carro do futuro, agora vamos ver como ele anda”

As especificações divulgadas são, peso a seco de 972 kg, motor V-8 de 5,4 litros com 710 cv e 68 m·kgf de torque, tração traseira, relação peso-potência de 1,36 kg/cv, downforce máximo de 1.200 kg gerado por aerodinâmica avançada, freios de compósito de fibra de carbono com seis pistões nas pinças, na frente e atrás.

Não há detalhes sobre a origem do motor, se é algum já existente ou de projeto da própria marca.

JJ

(627 visualizações, 1 hoje)