Roberto Agresti recomenda:

Quando a BMW lançou o X5, o primeiro SUV da marca, a gritaria foi gigante. Como a marca bávara, que se notabilizou por fabricar veículos de tremenda verve esportiva, poderia ter cedido ao “deus mercado” e ingressar em tal segmento? Os mais radicais acreditavam que isso deturparia definitivamente a sua imagem, um caminho sem volta para se tornar uma fabricante qualquer.

Duas décadas se passaram desde aquele primeiro BMW X5 (codinome E53), a aposta no segmento SUV se mostrou exata e frutificou: em 2003 veio o X3, em 2007 o X6, em 2009 o X1, em 2013 o X4 e em 2017 o mais recente deles, o X2, ora lançado no Brasil. Não é exagero dizer que s Série X é uma espécie de galinha dos ovos de ouro da BMW, preponderante na saúde financeira exibida pela empresa nos últimos anos.

Desenho agrada aos olhos; na traseira, duas saídas de escapamento dão a mensagem: “meu motor é a combustão!”

O evento de lançamento do BMW X2 no Brasil foi sintético mas eficaz: um circuito formado por duas centenas de quilômetros, da capital paulista até a região de Campinas e respectiva volta, com um cardápio de rodovias sabiamente elaborado. Havia desde a nossa “autobahn” (a Bandeirantes…) como o “breve Nürburgring”, o tortuoso trecho da região de Morungaba, bom para explorar o talento do motorista e aprender muito sobre o trabalho dos engenheiros. E falando neles, os engenheiros, vale dar uma pincelada técnica antes de contar as primeiras impressões sobre a novidade.

O BMW X2 tem tamanho quase idêntico ao do X1 mas não é seu substituto. Trata-se – segundo a BMW – de um Sport Activity Coupé, termo surgido quando do lançamento do X4. Rótulos à parte, rodeando a novidade é óbvio o desejo dos designers de dar ao X2 um ar bem mais esportivo do que o do X1, com destaque para dois chamativos itens que servem como elementos de imediata identificação da novidade: o emblema-logo BMW aplicado na coluna traseira, a C (como nos BMW 2000 CS e 3.0 CSL) e as grades dianteiras — o característico duplo rim — reinterpretadas: em vez de mais largas no topo são mais largas na base.

Atrás da grade, o motor nada tem de novidade pois é o cavalo de batalha da BMW, o quatro-cilindros em linha TwinPower Turbo 2-litros de 192 cv entre 5.000 e 6.000 rpm e torque de 28,6 m·kgf espalhadão entre 1.350 e 4.600 rpm. Trata-se do mesmo que está no X1 mais básico, na Série 3 (320) e MINI Countryman. Acoplado a ele está um novo câmbio Steptronic, robotizado dupla-embreagem de sete marchas. A tração? Dianteira!

Sim, dianteira. Na origem a Série X recebeu tal letra para identificar justamente a tração integral. Com o tempo os X se liberaram da obrigação de serem 4×4 e, mais recentemente (2014), outra quebra de paradigma ocorreu na BMW, com o primeiro carro da marca com tração dianteira (os Série 2 e os X1 de segunda geração).

O cavalo de batalha da marca bávara, o bom 2-litros turbo de 192 cv

Este novíssimo X2 — revelado no Salão de Detroit em janeiro — será vendido no Brasil exclusivamente em versão de tração dianteira enquanto que lá fora há a possibilidade de tê-lo também 4×4. As versões aqui serão duas: sDrive20i GP e sDrive20i M Sport X. A primeira, menos equipada, tem preço sugerido de R$ 211.950, enquanto a versão topo sai por R$ 246.950,00.

Foi exatamente essa versão, em uma chamativa cor dourada, que escolhi para o teste inicial, de lançamento. O que se espera de um carro de 250 mil reais está lá, explícito na cabine, como o melhor do melhor em termos de acabamento, materiais e tecnologia. Obviamente, a possibilidade de ajustes dos bancos é plena, elétrica. Até o das abas laterais do encosto. O volante também permite ampla regulagem e através dele o painel uma tela onde os clássicos instrumentos analógicos circulares são reproduzidos.

No breve trecho urbano até chegar a rodovia o X2 mostra o que sabe ser: fácil e direto. As suspensões têm um ajuste firme, que somando aos pneus aro 19 de perfil baixo (225/45) — e ainda por cima Runflat! —  fariam prever desconforto. Mas não é assim, o X2 consegue filtrar razoavelmente bem as irregularidades do piso.

Cravando os 120 km/h regulamentares da rodovia Bandeirantes o motor ronrona sem ser ouvido ou sentido na cabine. O enorme teto solar passa muita luminosidade o que, no dia ensolarado do teste, exigiu que a tela translúcida fosse utilizada. Nas saídas de pedágio mais animadas o motor TwinPower Turbo com seus 192 cv faz o X2 progredir de modo decidido, mas nada impressionante. A suavidade com a qual a potência e jogada ao solo é quase uma antítese ao visual intimidante deste BMW, que facilmente suportaria (e mereceria) um motor com bons cavalos a mais, como algumas versão vendidas nos EUA e Europa que têm cerca de 230 cv.

Nas curvas o X2 agradece a tocada apimentada. Apoio sincero, direção precisa e direta e a tecla “Sport” no centro do console acionada, o que deixa as marchas sejam usadas de maneira mais… sport! Giro no alto, rapidez na passagem tanto deixando o câmbio trabalhar sozinho como fazendo uso das borboletas no volante, ou a própria alavanca (reduções empurrando-a). A perfeição? Quase. Nas curvas mais apertadas a neutralidade é substituída por um esperado subesterço facilmente controlável.

No fim do dia, depois do intenso uso, percebo que foi pouco. Conhecer o X2 exige mais tempo, mais quilômetros, mais pluralidade de trajetos, pisos, usos, tarefas. Neste primeiro contato deu para sentir que modernidade, tecnologia e caráter não lhe faltam assim como toda a eletrônica possível, tanto sob a forma de gadgets (central multimídia, navegador, conectividade) como nos dispositivos mais fundamentais e relacionados à segurança e melhoria da dirigibilidade.

Concorrentes? Sim, vários. O Range Rover Evoque é talvez o mais próximo deles assim como o Mercedes-Benz GLA e as versões mais elaboradas do Audi Q3 e Volvo XC40. Como se vê, um segmento florido onde a novidade da BMW chega com cartas fortes e personalidade marcante.

RA

 

FICHA TÉCNICA BMW X2 SDrive20i GP e SDrive2i M Sport X
MOTOR
Tipo 4 cil. em linha, transversal, bloco e cabeçotes de alumínio, duplo comando de válvulas acionado por corrente, variador de fase na admissão e no escapamento (Bi-Vanos), controle de levantamento de válvulas Valvetronic, 4 válvulas por cilindro, turbocompressor de duas volutas com interresfriador
Diâmetro x curso (mm) 82 x 94,6
Cilindrada total (cm³) 1.998
Taxa de compressão (:1) 11
Potência (cv/rpm) 192/5.000 a 6.000
Torque (m·kgf/rpm) 28,6/1.350 a 4;600
Formação de mistura Injeção direta
Combustível Gasolina, mínimo 91 octanas RON
Corte de rotação n.d
TRANSMISSÃO
Tipo Câmbio robotizado de 7 marchas, duas embreagens); tração dianteira
Relações das marchas (:1) 1ª 4,154; 2ª 2,450; 3ª 1,393; 4ª 0,975; 5ª 0,755; 6ª 0,675; 7ª 0,547; ré 3,357
Relação de diferencial (:1) 3,789
Comando do câmbio Alavanca e borboletas no volante
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão (V) 12
Bateria (A·h/localização) 70/compartimento do motor
Alternador (A) 210
SUSPENSÃO
Dianteira Independente McPherson com braço inferior em “L”, tensor longitudinal, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Independente, multibraço, subchassi rígido, mola helicoidal,  amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida indexada à velocidade (Servotronic)
Relação de direção (:1) 15,9
Diâmetro mínimo de curva (m) 11,3
FREIOS
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado/n.d., pinça flutuante de 1 pistão
Traseiros (Ø mm) Disco ventilado/n.d., pinça flutuante de 1 pistão
Controle ABS (obrigatório), EBD, assistente à frenagem, controle de descida, freio de estacionamento elétrico, assistente de partida em aclives
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 7,5Jx17
Pneus 225/45R17W
CARROCERIA
Tipo Monobloco em aço, suve, 4 portas, 5 lugares, subchassi dianteiro e traseiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,29
Área frontal (m²) 2,37
Área frontal corrigida (m²) 0,687
DIMENSÕES (mm)
Comprimento/largura/altura 4.360/1.824/1.526
Distância entre eixos 2.670
Bitola dianteira/traseira 1.563 / 1.562
Distância mínima do solo 182
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.460
Carga máxima 595
CAPACIDADES (L)
Tanque de combustível 51
Porta-malas 470
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s) 7,7
Velocidade máxima (km/h) 227
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL CICLO EUROPEU NEDC
Cidade (km/L) 14,7
Estrada (km/L) 20,8
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 7ª (km/h) 60,1
Rotação a 120 km/h em 5ª (rpm) 1.980
Rotação  à vel. máxima em 5ª (rpm) 5.170

 

PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS BMW X2 SDrive20i GP e SDrive2i M Sport X
INTERIOR
Abertura motorizada da porta de carga
Acionamento elétrico da portinhola do bocal de reabastecimento
Acionamento elétrico um-toque descer/subir de todas as janelas
Ajuste do volante de direção em altura e distância
Ajuste elétrico dos bancos dianteiros
Alarme periférico
Ar-condicionado automático bizona com filtro de pólen
Bancos dianteiros com ajuste elétrico dos apoios laterais e manual do apoio de coxas
Bancos dianteiros com contorno esportivo
Computador de bordo e bússola
Console de assoalho com porta-objetos com tampa e 3 tomadas de 12 V
Controlador automático de velocidade de cruzeiro com comando no volante
Destravamento/travamento de portas sem chave
Encosto do banco traseiro dividido 40:20:20
Espaço para objetos sob o assoalho do porta-malas
Imobilizador de motor
Instrumentos: velocímetro, conta-giros, termômetro de óleo, hodômetro total e parcial
Para-sóis com espelho e iluminação
Porta-copos dianteiro e traseiro
Tampão do porta-malas rígido
Termômetro do ar externo
Travamento automático de portas a partir de 15 km/h
Volante revestido de couro
EXTERIOR
Defletor dianteiro
Faróis e luz traseira de neblina
Farol de curva
Grande preta com moldura cromada
Luz de rodagem diurna (DRL) a LED
Luzes de aproximação do veículo
Para-choques, espelhos e maçanetas na cor da carroceria
Vidros esverdeados
MECÂNICA
Desliga/liga motor nas paradas  (start-stop)
Recuperação da energia cinética pelo alternador de 210 ampères
SEGURANÇA
Apoio de cabeça para todos os passageiros
Barras anti-invasivas nas portas
Bolsas infláveis frontais (obrigatórias), laterais, de cortina e de joelhos (nos dois lados)
Câmera de ré
Cintos dianteiros com pré-tensionador e alívio de aperto, cintos de 3 pontos para os passageiros do banco traseiro
Controle de estabilidade, de tração e de rolagem
Travas para crianças nas portas traseiras
ENTRETENIMENTO
Proteção antifurto do rádio
Rádio Professional com Bluetoorh e USB, procura automática, toca-D, MP3, relógio, compensação aurtomática de volume, entrada de áudio, controles no volante, ativação por voz, RDS, memória, streaming de áudio, antena no vidro, mostrador de LCD
(2.230 visualizações, 1 hoje)