Já se vão três anos desde quando o motor de 1 litro que propulsiona o Nissan March deixou de ser o 4-cilindros D4D da Renault e passou a ser o 3-cilindros da própria Nissan. Esse motor, o HR10, versão reduzida do HR12 de 1,2 litro, é fabricado em Resende, RJ. Com taxa de compressão de 11,3:1, sua potência e torque máximos não se alteram com o uso de um ou outro combustível. São 77 cv a 6.200 rpm e 10 m·kgf a 4.000 rpm.

Prático e agradável na cidade

Não apresenta um desempenho de entusiasmar e nem pretende a tanto. Sua concepção está voltada ao uso prático que se faz desse tipo de automóvel, e quanto a isso cumpre muito bem o seu papel. O que é notável é sua boa elasticidade, sua boa pegada em baixa, e isso se reflete na prazerosa sensação de que o carro é leve para o motor. E realmente o carro é leve, pesa 950 kg. Junte as duas coisas, mais um câmbio bem escalonado (veja o gráfico “dente de serra” abaixo), bem planejado, e teremos um compacto urbano que acelera rápido e requer poucas trocas de marcha para se deslocar com agilidade. Um carro prático e agradável, que poupa seu motorista; guiá-lo não cansa.

Gráfico “dente de serra” do March 1,0 S

Os números do seu desempenho não impressionam: 0 a 100 km/h em 15 segundos e velocidade máxima de 154 km/h. Mas eles são só uma faceta do comportamento de um carro. Na prática, quando na cidade, devido à sua boa retomada desde baixos giros, ele parece ter maior cilindrada, e quando na estrada ele é capaz de manter com consistência velocidade bem maior que a postada nas placas, subindo aclives com naturalidade e sem baquear. O fato do ar-condicionado estar ligado ou desligado não afeta de modo perceptível o desempenho. Portanto, na prática esse March 1,0 satisfaz bastante.

Agora, se o leitor ou leitora quer algo a mais, há a versão dotada do excelente motor de 1,6 litro, cujo aumento de consumo é mínimo e aumento de desempenho é enorme: 0 a 100 km/h em 9,3 segundos e máxima de 182 km/h. Este da matéria, o March 1,0 S, tem preço inicial de R$ 44.490. Já o 1,6 SV, com motor de 111 cv, com gasolina ou álcool, vai R$ 51.990. Uma considerável diferença de R$ 7.500, mas que não é grande o bastante para que o autoentusiasta a descarte sem pensar.

Motor HR10 3-cilindros de 1 litro foca na elasticidade e economia; potência e torque são iguais co gasolina ou álcool

O March 1,0 S vem até que bem equipado. Ar-condicionado, computador de bordo com as funções consumo médio e relógio, desembaçador do vidro traseiro com temporizador, direção eletroassistida indexada à velocidade, para-sol com espelhos para motorista e passageiro, tomada de 12V integrada ao console central, travas elétricas das portas e do porta-malas, vidros dianteiros e traseiros elétricos com a função um-toque para o do motorista, volante com regulagem de altura, preparação para sistema de áudio, chave com telecomando para abertura e fechamento das portas e do porta-malas, freios ABS (obrigatórios) com distribuição eletrônica das forças de frenagem e assistência à frenagem.

Vincos para dar resistência ao teto, não estão aí só por estética

O encosto do banco traseiro é rebatível, porém inteiriço e não tem encosto de cabeça para o passageiro do meio. Esse passageiro do meio irá apertado, não terá esse encosto de cabeça e seu cinto de segurança é só subabdominal, ou seja, esse do meio não é muito bem-vindo. Os das extremidades desse banco não terão grande espaço para as pernas. O porta-malas é só aceitável, 265 litros, e o tanque de combustível, em que pese o baixo consumo, é para distâncias nipônicas, 41 litros.

O porta-malas é só aceitável: 265 litros, mas o encosto do banco traseiro é inteiriço; o tanque de combustível é de apenas 41 litros

A suspensão McPherson na frente e eixo de torção atrás é desnecessariamente firme, um tanto dura diante da concorrência, sem que haja ganhos em termos de esportividade. Os freios, a disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira, são bons, freiam com eficiência e equilíbrio. Os pneus, no caso Firestone Multihawk, têm medida própria para encarar nossas ruas administradas com desleixo: 165/70R14.

O March de entrada, o 1,0 S, vem já bem equipado, com o necessário

O motor HR10 é um duplo-comando com acionamento por corrente e variador de fase na admissão. A atuação de válvulas — 4 por cilindro — é direta, por tuchos tipo copo, com compensação hidráulica. O coletor de admissão só tem um roteiro, que é bem longo para privilegiar o enchimento dos cilindros quando em baixa rotação. Corta a 6.800 rpm, 600 rpm acima da rotação de  potência máxima. Vai rápido e sem esforço até o corte. Em vista da boa resposta em baixa que esse motor apresenta, o câmbio poderia ser um pouco mais longo, principalmente a 5ª marcha, onde a 120 km/h reais o giro está a 4.000 rpm, um pouco alto para o conjunto motor-carro. Mas a essa rotação o motor segue liso e silencioso, não incomodando de modo algum, seja por vibração ou ruído. Viaja bem.

Sua dinâmica na estrada não é entusiasmante, principalmente nas curvas de alta. Não é colado ao solo a ponto de incitar uma tocada rápida, porém não apresenta vícios que o desmereça. Seu entre-eixos é curto, 2.450 mm, e é impressionante o quanto é pequeno seu diâmetro mínimo de curva, 9  metros, como isso facilita as manobras! Um ótimo compacto urbano que faz bonito na estrada.

A direção é um pouco lenta, mas acostuma-se com ela; painel é de manejo intuitivo. O equipamento de multimídia Kenwood tem bom som, mas seus comandos não fazem muito sentido a um não iniciado como eu

A direção, algo lenta (relação 18,3:1), é bem leve na cidade e firme, na estrada. Poderia ser  mais rápida, porém acostuma-se com ela. Estranhei ela não retornar com rapidez após dobrar esquinas, “um serviço” que acaba sendo ajudado pelo motorista. O volante tem regulagem de altura e está bem posicionado; o banco do motorista tem ajuste de altura e o encosto, é bom. Os pedais estão posicionados corretamente e o punta-tacco é fácil. O trambulador do câmbio, com comando a cabo, é dos bons, leve e preciso.

O painel dá fácil e rápida visualização. Apesar de não ter controle da intensidade da luz dos instrumentos, ela não incomoda por excesso de luminosidade à noite. Os botões de comando são ótimos, pois não é necessário olhar para eles para acioná-los Alça de teto, só para o passageiro da frente.

Não há regulagem da intensidade da luz, porém sua luminosidade não incomoda à noite na estrada; boa leitura e indicação de 130 km/h com ponteiro na vertical para fácil controle de velocidade nas rodovias de 120 km/h de limite

O consumo de combustível oficial segundo o Inmetro/PBVE é 12,9/8,8 km/l na cidade e 15,1/10,3 km/l na estrada .

O March 1,0 S, como todo bom carro, tem seu lugar ao sol. Não é à toa que há tantos nas ruas, muito provavelmente satisfazendo bem seus donos.

AK

Assista ao vídeo e depois veja a ficha técnica:

 

FICHA TÉCNICA NISSAN MARCH 1.0 S
MOTOR
Denominação Nissan HR10
Tipo 4 tempos, duplo comando de válvulas, acionamento  por corrente, 4 válvulas por cilindro, atuaçaõ diteta por tuchos-copo com compensação hidráulica, variador de fase na admissão, flex
Material do bloco/cabeçote Ferro fundido/alumínio
Instalação Dianteiro, transversal
Configuração / n° de cilindros Em linha / 3
Diâmetro x curso (mm) 78 x 69,7
Cilindrada (cm³) 999
Aspiração Atmosférica
Taxa de compressão (:1) 11,2
Potência máxima (cv/rpm) (G/A) 77/6.200
Torque máximo (m·kgf/rpm) (G/A) 10/4.000
Formação de mistura Injeção no duto, acelerador de comando eletrônico
Combustível Gasolina e/ou álcool
Sistema de partida a frio Bosch Flex Start
TRANSMISSÃO
Câmbio / rodas motrizes Transeixo manual/dianteiras
N° de marchas 5 à frente e 1 à ré
Relação de marchas (:1) 1ª 4,091; 2ª 2,238; 3ª 1,393; 4ª 1,029; 5ª 0,795; ré 3,546
Relação do diferencial (:1) 4,500
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido, ABS, EBD e assistente à frenagem
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado/260
Traseiros (Ø mm) Tambor/203
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida indexada à velocidade
Relação de direção (:1) 18,3
Voltas entre batentes 3,4
Diâmetro mínimo de curva (m) 9
RODAS E PNEUS
Rodas Aço 5Jx14
Pneus 165/70R14
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 950
CARROCERIA
Tipo Monobloco em aço, sedã hatchback, 4-portas, 5 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento 3.827
Largura (sem espelhos) 1.675
Altura 1.526
Distância entre eixos 2.450
CAPACIDADES
Porta-malas  (L) 265
Tanque de combustível (L) 41
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s) (G/A) 15
Velocidade máxima (km/h) (G/A) 154
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (INMETRO/PBEV)
Cidade (km/l) (G/A) 12,9/8,8
Estrada (km/l) (G/A) 15,1/10,3
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h) 30
Rotação 120 km/h em 5ª (rpm) 4.000
Rotação à vel. máxima  (4ª, rpm) 6.600
Alcance das marchas (corte, km/h) 1ª 40; 2ª 72; 3ª 116; 4ª 154
(2.327 visualizações, 1 hoje)