O Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, acompanhou nesta quarta-feira (28/2), no município de Taubaté, a entrega do prolongamento da rodovia SP-070 Governador Carvalho Pinto. A obra foi entregue com antecedência, estava prevista para ser concluída no próximo mês. O prolongamento vai de Taubaté até a Rodovia Oswaldo Cruz (SP-125) e tem 8,6 quilômetros de extensão — somados com 2,1 quilômetros de conexões com trechos existentes, totalizando 10,7 quilômetros de novas pistas.

A ampliação da rodovia Governador Carvalho Pinto foi viabilizada pelo Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo. O prolongamento conta com a implantação de dois dispositivos de entroncamento — no início e no final do trecho —, dois túneis, cinco pontes e de oito viadutos, pistas duplas com duas faixas de rolamento e acostamento, separadas por canteiro central de 11 metros de largura. As obras foram executadas pela Concessionária Ecopistas, com fiscalização da Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

As obras geraram 1.400 empregos diretos e indiretos, representando desenvolvimento significativo para a economia da região. Os investimentos totalizam R$ 322,8 milhões. O traçado do prolongamento da Rodovia Carvalho Pinto foi discutido com a Prefeitura e a população de Taubaté para possibilitar o melhor desenvolvimento possível para a região.

Novo acesso ao Litoral Norte

O prolongamento da Governador Carvalho Pinto será uma nova e importante opção de acesso ao Litoral Norte de São Paulo, diminuindo o tempo de viagem até as praias. Deverá se transformar em um dos principais acessos à cidade de Taubaté e servirá também para desafogar o tráfego na rodovia BR-116 Presidente Dutra no perímetro urbano do município. Além disso, vai oferecer maior segurança e conforto aos usuários e à população de Caçapava, Taubaté e região do Vale do Paraíba e Litoral Norte.

Trafegam diariamente pela rod. Governador Carvalho Pinto mais de 51 mil veículos. Vale destacar que serão beneficiados também trabalhadores das indústrias locais e usuários do Corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto.

Wi-Fi

O prolongamento da rodovia Governador Carvalho Pinto será a segunda rodovia do país a contar com cobertura de rede Wi-Fi ao longo de sua extensão. Inicialmente, a rede Wi-Fi estará em operação assistida, e será exclusiva para a comunicação entre os usuários da rodovia e a concessionária a fim de agilizar a prestação de serviços de informações e atendimentos complementando o sistema de telefonia 0800. Com a liberação para o tráfego, a Concessionária poderá realizar os ajustes finais do sistema. Pioneiramente, a rede Wi-Fi foi implantada na rodovia dos Tamoios (SP-099).

Wi-Fi para assistência ao usuário

Para viabilizar as inovações, foram instaladas 53 antenas em 27 pontos de difusão de Wi-Fi ao longo da rodovia. Além disso, serão instaladas cerca de 20 placas informando sobre o “S.O.S. via Wi-Fi”. O investimento total para implantação do Wi-Fi da Rodovia Governador  Carvalho Pinto foi de R$ 2,5 milhões.

Conexão

A rede Wi-Fi disponível no novo trecho da Governador Carvalho Pinto chama “ecopistas_sos”. Ao selecionar essa rede pelo celular, será aberta a tela SOS para contato com um dos operadores do Centro de Controle Operacional (CCO) que enviará a equipe necessária para o atendimento ao usuário.

Sustentabilidade

Toda a extensão das novas vias é pavimentada com asfalto ecológico, também conhecido como asfalto borracha. O composto é produzido a partir de pneus inservíveis, o que contribui para a redução da geração de resíduos prejudiciais ao meio ambiente, e é cerca de 40% mais resistente que o pavimento asfáltico comum. Mais de 40 mil pneus foram reaproveitados na obra.

 

A grandiosidade da obra em números

• 6,2 mil metros de estacas para sustentação das obras de artes especiais – se somadas, equivalem a 7,5 vezes a altura do morro do  Corcovado, no Rio de Janeiro;

• Remoção de aproximadamente 3 milhões de metros cúbicos de terra – equivalente a 250 mil caminhões carregados;

• Mais de 2,6 milhões de metros cúbicos do total de terra removida foram reutilizados em aterros da própria obra – equivalente a 15 estádios da Vila Belmiro (Santos, SP) ou mais de seis mil piscinas olímpicas;

• 31,5 mil metros cúbicos de concreto – corresponde a cerca de 4 mil caminhões betoneiras que, em fila, dariam 18 voltas do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro;

• Mais de 2,6 toneladas de aço – se transformadas em barras de 5 mm e enfileiradas, equivalem a 34 vezes a distância entre São Paulo e Rio de Janeiro;

• 247,5 kg de borracha de pneus reaproveitados – foram reutilizados 40 mil pneus de automóveis para aplicação de asfalto borracha em toda a camada de rolamento;

• 17 mil metros de elementos de segurança – extensão equivalente à distância entre os municípios de Taubaté e Caçapava.

AE/BS

(1.113 visualizações, 1 hoje)