Em evento para a imprensa em São Paulo, esta semana, o braço brasileiro do Grupo BMW apresentou o estreante X2 (foto de abertura), lançado no Salão de Detroit no início de janeiro, e a nova geração do X3. O “X” na BMW, como se sabe, marca a linha de suves da fabricante bávara chamados de SAV, sport activity vehicles, veículos de atividades de lazer, iniciada com o X5 em 1999.

Novidade é todos os modelos passarem a ter estepe operacional, fim dos capazes de rodar vazios (runflat) utilizados até então. “Exigência do mercado,” disse ao AE o gerente de imprensa da BMW, João Veloso Jr.

O X2, cupê 4-portas de atividade de lazer (SAC, sport activity coupe), que chega ao mercado brasileiro no primeiro trimestre do ano ano curso, tem dimensões relativamente compactas, 4.360/1.824/1.543 mm (comprimento, largura, altura) com entre-eixos de 2.760 mm. As versões são a sDrive20i GP e a sDrive20i M Sport X, ambas propulsionadas por motor 4-cilindros de 1.998 cm³ turbo (TwinPower, marca registrada BMW para compressor de dupla voluta) de 192 cv e 28,5 m·kgf de 1.350 a 4.600 rpm.

É um tração-dianteira (como o X1) e o câmbio abandona o epicíclico em favor de um robotizado de dupla embreagem (o DCG, dual clutch gear) e 7 marchas, de comando pela alavanca seletora — é mais um charmoso joy stick — ou pelas borboletas junto ao volante de direção.

O X2 sDrive20i M Sport X traz como principais equipamentos faróis a LED, assistente de estacionamento, câmera de ré e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, mostrador projetado no para-brisa, Novo Connected Drive, nova geração do sistema de Navegação Professional id6 com tela tátil de 8,8 polegadas, e preparação para Apple CarPlay.

BMW X3 de terceira geração

Já o médio premium BMW X3, em sua terceira geração (surgiu no Salão de Frankfurt de 2003), embute novas tecnologias como sistemas semiautônomos de assistência à condução e estacionamento aptos a proporcionar dirigibilidade inteligente em situações  como trânsito lento ou viagens longas. O Driving Assistant Plus (assistente de condução), por exemplo, informa, por meio de alertas visuais e sonoros, situações de tráfego transversal, riscos de colisão traseira, mudanças involuntárias de faixa de rolamento, e controle e prevenção de aproximação frontal.

O Parking Assistant Plus (assistente de estacionamento), por sua vez, permite estacionar automaticamente com a ajuda de câmeras e sensores, realizando manobras com a máxima precisão, além de contar com apoio da função Surround View que exibe imagens, em tempo real, do entorno do veículo. O modelo traz ainda mostrador multifuncional digital de 12,3 polegadas, projetor de imagens no para-brisa a cores (na versão M40i), faróis totalmente a LED e Novo Connected Drive, equipado com a mais nova geração do sistema de Navegação Professional id6 com tela tátil de 8,8 polegadas, e preparação para Apple CarPlay.

Mas o forte mesmo, que interessa ao entusiasta, está sob o capô. O novo X3 é propulsionado pelo quatro-cilindros de 1.998 cm³ de 252 cv entre 5.200 e 6.500 rpm na versão xDrive30i X Line — 68 cv mais potente que a geração anterior — e 35,7 m·kgf de 1.450 a 4.800 rpm, enquanto que a opção M40i traz um seis-cilindros em linha de 2.998 cm³ e 360 cv entre 5.500 e 6.500 rpm — 54 cv a mais que o antecessor — e 51 m·kgf de 1.520 a 4.800 rpm.

Ambas as opções são acopladas câmbio automático epicíclico de oito marchas, com borboletas para trocas de marcha, e tração integral BMW xDrive. Na versão xDrive30i X Line, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 6,3 segundos, e a velocidade máxima é de 240 km/h. O M40i, por sua vez, alcança a máxima de 250 km/h (limitada) enquanto os 100 km/h partindo parado são atingidos em meros 4,8 s.

A nova geração do X3 chega no mês que vem, março.

O restante da linha X — X1, X4, X5 e X5 M, X6 e X6 M —  segue oferecida no país e responde por 55% das vendas da BMW aqui. O novo X2 deverá elevar esse porcentual. Não foram fornecidos preços das novidades.

BS

(1.060 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas