Mais uma parte de algumas imagens guardadas no computador que está a cada dia mais bagunçado.

Nesse começo de ano é normal tentar organizar alguma coisa em casa, e escolhi mais algumas fotos para dividir com os leitores. As fotos são minhas, exceto onde indicado.

A de abertura é de maio de 2008, no Quatro Rodas Experience em Interlagos. Um Citroën C4 com aerofólio, rodas e pneus e decoração chamativa era um dos carros que puderam ser dirigidos pelo público pagante. Gostei do carro, apesar de ter apenas olhado para ele.

O BMW Z8 foi considerado um carro apenas bom no teste da revista Autocar quando ele foi lançado no ano 2000. Durou pouco, apenas até 2003, sendo fabricados somente 5.703 unidades. Das cinco estrelas, recebeu apenas três, mas é daqueles carros que se escolhe principalmente pela aparência. Para mim estaria perfeito com meu nome no documento, mas iria andar de capota fechada quase 100% do tempo. Na versão com câmbio manual de seis marchas, claro

 

Propaganda da década de 1970 da perua Caravan. Muitas coisas interessantes. Levar tudo na esportiva é expressão igual a “levar na boa”, sem crises. Mas a esportiva era a Caravan SS, imaginem, uma perua familiar com versão esportiva. E com motores de 4 ou 6 cilindros para escolher! E hoje nem mesmo peruas em quantidade suficiente temos. Tristeza. No texto, está escrito “o” Caravan, certamente levando o artigo masculino pelo Opala, já que carros são masculinos (é por isso que você nunca leu nem lerá “a Ferrari” aqui no AE, pois o certo é o Ferrari). Outra coisa interessante é ler que o carro tem 1.950 litros de área útil, quando litro é unidade de volume. Tanto agora quanto antes, as propagandas tem vários erros técnicos, independente da marca do carro (reprodução de anúncio)

 

A foto foi feita no momento em que a tela translúcida onde foi projetado um filme sobre o Space Shutte subia – parte preta superior da imagem — e o Atlantis, um dos cinco ônibus espaciais construídos, aparecia diante do público no Kennedy Space Center, na Flórida, EUA. Os outros são o Challenger, Columbia, Discovery e Endeavour, com o Enterprise, o primeiro deles, tendo sido feito para voos dentro da atmosfera, lançado por um Boeing 747 modificado, e voando como planador apenas. Fui ao KSC em 2013, alguns meses depois do Atlantis ter sido colocado em exposição, e os arrepios percorreram minha espinha. Difícil foi sair de perto dele, com tantos detalhes para ver e fotografar. Abaixo mais uma foto, onde se vê a textura do revestimento externo. Também é possível ver vários locais chamuscados, devido às marcas da reentrada na atmosfera. Uma máquina incrível sob qualquer aspecto.

 

Propaganda de revista do Saab 900 para o mercado americano, um dos grandes compradores de Saabs. Chamando o carro de o mais inteligente fabricado, a imagem coloca os olhos do homem no lugar dos faróis, e funde ambos de maneira muito legal. Seria talvez o Homo saabians? (reprodução de anúncio)

 

O Monza S/R 2-litros foi o pseudo ou quase esportivo mais veloz de todos os fabricados na década de 1980. Com velocidade máxima de 191 km/h reais, nenhum outro chegava perto, nem Escort XR-3, nem Gol GT. As rodas eram particularmente felizes para meu gosto. Simples e futuristas. Fotografei este em 2012, e só lamentei que ele não fosse vermelho

 

Em foto tirada pelo meu irmão, Douglas, o único Focus RS que chegou no Brasil, trazido por importador independente. Um espetáculo de carro que dispensa comentários. Só as lamentações pela Ford não trazê-lo oficialmente

 

Um Chevette que já viu dias melhores é este, transformado em picape com caçamba curta, quase sem balanço traseiro, lanternas genéricas e estepe com calota de Corsa. Registrei o exemplar em um posto em São Caetano do Sul, SP, há alguns anos. Com tão pouco espaço para carga, poderia ser chamada de Chevy 50 em vez de Chevy 500?

 

O Citroën C6 foi vendido ou não no Brasil? Esta é uma questão que tive que perguntar ao Google para saber. É mais um daqueles carros fantásticos que são tão raros que nem sabemos se veio ou ficou apenas na apresentação. O Google me disse que foi produzido de 2006 a 2012, e apenas 20 mil carros foram vendidos no mundo todo. Incrível. A foto abaixo mostra o vidro traseiro e o aerofólio, que é móvel. Impressionante em um sedã confortável e familiar, com espaço para todos e tudo. Não, ele não foi vendido aqui, infelizmente.

Atualizado em 07/01/18. Conforme alguns leitores disseram, o C6 foi importado e vendido no Brasil. Pesquisei mais e encontrei também essa informação. Grato aos amigos pela ajuda.

 

Aerofólio levantado e vidro traseiro de desenho sem outro igual na história do automóvel, no C6. Sem falar nas lanternas…

 

Mais uma raridade, este nunca rodou no Brasil. Isuzu Vehicross, pequeno utilitário esportivo com apenas duas portas — três, se considerarmos a do porta-malas. Fabricado de 1997 a 2001, tinha motor V-6 de 3,2 ou 3,5 litros e câmbio automático de 4 marchas, passando a potência de 217 cv para as quatro rodas. Foram 1.805 carros no Japão e 4.153 nos EUA, sendo os dois únicos países onde foi comercializado. Venceu o rali Paris-Dacar em 1998 em duas classes, a 2 e a 4, e mais um grande rali na Austrália no ano seguinte. É curiosíssimo, e esse da foto estava em Orlando, Flórida, em 2007, a única vez que vi um de perto.

 

Nessa foto de abril de 1996 feita em Lakeland, Flórida, aparece um McDonnell Douglas F-15 Eagle, caça de superioridade aérea da Força Aérea Americana. O F-15 foi por vários anos o recordista de razão de subida, com tempos desde o solo até as altitudes de  3.000/6.000/9.000/12.000/15.000/20.000/25.000 e 30.000 metros. Os tempos foram marcados em janeiro de 1975, em vários voos e com quatro pilotos. Essa é uma longa história que contarei aqui em breve. A propósito, a pessoa estranha na foto sou eu, quando tinha bastante cabelo (foto da patroa).

 

No centro da foto, apenas a cabeça visível, o general-brigadeiro Charles Elwood Yeager, conhecido como Chuck. O general, hoje com 94 anos, foi o primeiro ser vivo a ultrapassar comprovadamente a velocidade do som, em 14 de outubro de 1947, a bordo de um Bell X-1, avião construído para essa finalidade, movido a motor foguete. Esta foto foi feita na comemoração dos 50 anos do feito, no Open House — chamado no Brasil de “portões abertos” — da base aérea de Edwards, na Califórnia. Em meio ao tumulto essa foi a melhor imagem que consegui, em foto com filme

 

As partes anteriores estão nos links a seguir.

PARTE 3 AQUI
Clique ao lado para a PARTE 1
Clique ao lado para a PARTE 2

JJ

(1.918 visualizações, 1 hoje)