Uma ida a pé à padaria da esquina pode render uma curiosidade. Ontem, dia 6 de dezembro flagrei este crossover Toyota C-HR, disfarçado, perto da tal padaria. A primeira impressão é de um design bem oriental e ousado.

Um crossover que parece um cupê mas que é um grande hatch de 4 portas (fotos do autor)

Seu tamanho, sua sombra no chão, é semelhante ao de um Ford Focus e sua altura não é a de um suve, é mais baixo, o que agrada. A suspensão traseira é independente.

Suspensão traseira independente

Pneus 215/60R17, o que é bom; nada de perfil muito baixo, que não condiz com um crossover e muito menos com as nossas condições. Espero que os mantenham.

Interior envolvente que tende para o esportivo. As informações dão conta de que será lançado no Brasil no próximo ano e que inicialmente ele será importado da Turquia para depois ser fabricado aqui.

Design bem oriental-futurista

No exterior ele tem várias opções de motorização, mas as informações que chegam é de que a versão que virá terá o conjunto híbrido do Prius.

Frente bem parecida com a do Corolla

É um bom modo de vender a mesma plataforma e conjunto motriz do Prius para outro perfil de comprador.

AK

(881 visualizações, 3 hoje)


  • Heloi De Souza Freitas

    Arnaldo, dizem por aí que esse Toyota não será vendido no Brasil. Só que a sua base será nacional no próximo Corolla. Serás que procede?

  • Humberto

    Acho esse C-HR lindo justamente por ser ousado.

    Humberto “Jaspion”.

  • Roberto Neves

    Se não custar os olhos da cara, os dedos dos pés, fará sucesso!

  • Vinicius_Franco

    Andei neste modelo lá fora, num táxi nos EUA. A aparência externa vai despertar sentimentos mistos no público — é um SUV com estilo de “hatchzão”, parece um Hyundai Veloster anabolizado, ou o resultado do cruzamento de um Corolla com um buldogue francês. O interior é bem confortável e extremamente bem equipado. A versão em que andei era a gasolina, motor 2 litros (talvez o mesmo do Corolla nacional, não tenho certeza). Comportamento dinâmico de Toyota: conforto irreparável ao rodar, estabilidade notável. Chamou a atenção o baixíssimo nível de ruído interno.

  • Bem observado, Alexandre.

  • RMC

    Pode ter muitas qualidades, mas definitivamente o estilo não é uma delas. Como alguns dos Toyotas recentes, é muito feio (estou falando de Prius e Mirai, não de Etios – quem nem é tão feio assim, comparado com outras esquisitices asiáticas…). Mas, como no caso do Etios, as boas qualidades de projeto e construção e a manutenção a custos razoáveis certamente ajudarão a garantir as vendas.
    RMC

  • Arthur Pessoa

    Quando vi que era matéria de um “flagra”, um suve e até com a palavra da moda plataforma, pensei que havia entrado no NA.

    • Athur Pessoa, as aparências enganam.

  • Fernando, a “novidade” foi o carro estar numa rua de São Paulo. Não vejo problema editorial algum nisso.

  • Eduardo, olhando ao vivo, de cara notei isso. Atrás, espaço até tem, mas é claustrofóbico. Mas hoje em dia quem vai atrás só fica olhando para a telinha do aifone e nem aí com a paisagem, não é? Nem irão notar. Na verdade, nem irão notar em que carro estão, se é que é um carro.

  • Basil Sandhurst

    Pelo menos é um SUV com alguma originalidade estética, muito legal o desenho dele.
    Parabéns pelo flagra, Arnaldo!