Depois de cinco anos desde que o conceito foi apresentado, a Lamborghini mostrou o Urus de produção, seu primeiro SUV ou utilitário esporte, mas aqui a ênfase no “esportivo”, em vez de esporte, lazer, é notória. Foi um longo desenvolvimento, mas o carro aparece agora no Salão de Los Angeles, que começou dia 1º deste mês e vai até o dia 10.

A italiana Automobili Lamborghini SpA, sediada em Sant’Agata Bolognese, desde 1998 pertence à Audi AG, esta parte do Grupo Volkswagen.

O estilo tem todos os itens da marca, com ângulos vivos, faróis muito pequenos, linha geral intimidante e que clama, principalmente, por velocidade.

O capô tem diagonais que lembram o Countach, bem como o vidro traseiro, e as caixas de roda tem forma hexagonal, irregular nas medidas, lembrando o primeiro carro de uso fora de estrada da Lamborghini, o LM002, produzido de 1986 a 1993 , e que era uma picape cabine-dupla.

Lamborghini LM002, de 1986 (Foto: hemmings.com)

Por dentro o mesmo estilo chamativo e espetacular, como todo Lamborghini, e quatro lugares. O nome Urus é uma palavra com o mesmo significado de auroch, um boi eurasiano que foi extinto, e é o antecessor do gado doméstico.

O motor, naturalmente, é um Audi V-8 de quatro litros com dois turbocompressores, de 658 cv e 86,7 m·kgf de torque. A transmissão leva a força do motor para as quatro rodas, normalmente 60% para as traseiras,  através de um câmbio automático de oito marchas, e há vetoração de torque para ajudar nas curvas. Além das posições Strada, Sport e Corsa (corrida) no câmbio, foram adicionadas mais três para locais sem calçamento: Terra, Sabbia (areia) e Neve, que fazem variar a entrega de força conforme a necessidade. Até 87% pode ir para as rodas de trás e 70%, para a frente.

Há suspensão a ar adaptativa, freios carbocerâmicos, controle anti-rolagem de carroceria ativo e direção nas quatro rodas.

A aceleração de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos e velocidade máxima de 306 km/h mostram que se trata de um Lamborghini como os outros, mas também podendo andar habilmente longe do asfalto.

O preço não foi anunciado com exatidão, mas deve ser o mais barato da linha, com menos de US$ 200 mil, e as vendas esperadas são de 3,5 mil unidades por ano.

JJ

(747 visualizações, 6 hoje)


  • Mr. Car

    Por dentro, Juvenal, que é o que mais me interessa, ficou sensacional. E por debaixo do capô também: V-8 forever, he, he!
    Abraço.

  • Bonito.

  • Matheus Ulisses P.

    Assino embaixo seu comentário!

  • Wendel Cerutti

    Sonho de consumo para árabes , chineses e russos .

  • Robertom

    Tem algum parentesco com o Touareg, Cayenne ou Q7?

    • Robertom, os quatro são do mesmo grupo, portanto é muito provável que sim.