As declarações do prefeito de São Paulo João Dória Júnior deixam cada vez mais clara sua falta de conhecimento do automobilismo brasileiro e aumentam cada vez mais a  confusão sobre suas verdadeiras intenções acerca do complexo esportivo que inclui o Autódromo de Interlagos. Neste vídeo divulgado pelo vereador Camilo Cristófaro (PSB), o alcaide paulistano declara que o kartódromo por onde passaram grandes nomes do automobilismo brasileiro, como “Emerson Fittipaldi e Chico Landi” será reimplantado em outro local e que o autódromo “vai continuar recebendo a F-1 e grandes competições internacionais”. Em outras palavras, Dória Júnior condena o kartódromo onde foram revelados Ayrton Senna, Christian Fittipaldi, Felipe Massa, Gil de Ferran, Hélio Castro Neves, Rubens Barrichello, Tony Kanaan e tantos outros. pilotos de renome internacional.

É fato consumado que Chico Landi formou-se no autódromo e em competições disputadas em circuitos de rua e não há registro de que tenha disputado uma prova de kart sequer em sua carreira. Não bastasse isso, Dória Júnior não fez qualquer menção ao automobilismo e motociclismo nacionais, esportes que usam o circuito pagando aluguel, geram empregos diretos e perenes e recolhem impostos regularmente.

Em reunião com empresários franceses, porém (foto de abertura), Dória apresentou Interlagos como “área de potencial investimento imobiliário” (Interlagos Speedway, real estate potencial área, em inglês), como pode ser visto na foto de abertura, e  não deixa de ser contraditório às suas palavras de preservação da área. A proposta do prefeito segue sendo a privatização do autódromo sob a alegação que não cabe ao estado manter um autódromo.

Ao arsenal de equívocos que agora inclui Chico Landi kartista, Dória Júnior já mencionou o circuito de Abu Dhabi como exemplo de autódromo privado. A propriedade do autódromo árabe, é de conhecimento público, é dividida entre o emirado local enquanto a Abu Dhabi Motorsports Management, uma empresa controlada pelo mesmo emirado, é responsável pela sua administração. Mais: como a planilha de custos de manutenção e conservação de Interlagos não é divulgada, é impossível checar os números alegados para esses itens. De posse desses números oficiais seria possível analisar se realmente a manutenção do local como próprio municipal é realmente deficitária e outras soluções que não necessariamente a privatização pura e simples.

Foto publicada no Facebook indica possível área a ser subtraída do complexo Interlagos

Informações não confirmadas dão conta que, além do kartódromo, uma área significativa que englobaria um retângulo com a parte superior paralela ao antigo retão e um lado menor na linha compreendida entre as antigas curvas 3 e 4, serão subtraídas do terreno do autódromo.  Caso isso se concretize, não apenas será extinto o kartódromo que formou nomes de destaque do automobilismo nacional e internacional, como também a possibilidade de se recuperar o histórico traçado de 8 km da pista de Interlagos.

Vale lembrar que a proposta do Arco Jurubatuba, intervenção urbanística de amplas dimensões proposta para a área, ainda não foi aprovada, situação que impede qualquer construção ou alteração do uso do solo que dependa de sua completa implementação.

O discurso do prefeito não contribui para esclarecer seus planos para a área do circuito paulistano, ao ignorar o esporte nacional e anunciar categorias a realização de provas internacionais. Ironicamente, duas competições internacionais anunciadas para o ano que vem não contemplaram esse final feliz: a prova de F-E, que seria realizada no circuito do Parque Anhembi, foi cancelada após ser anunciada no calendário oficial da categoria, e uma corrida de longa duração não passou de mera possibilidade.

A SPTuris deveria ter publicado o calendário das provas de campeonatos nacionais na semana passada, mas isso não aconteceu. Pior ainda é a situação do automobilismo paulista, cujas datas — já solicitadas —, só podem ser outorgadas após a definição do calendário nacional.

Acordo Sauber-Alfa é arma da Ferrari

Agora é oficial: Alfa Romeo será a principal patrocinadora da Sauber em 2018 (Sauber)

Anunciado com pompa e circunstância no final de semana, o acordo de patrocínio da entre a Alfa Romeo e a equipe suíça Sauber tem ingredientes para se tornar uma moeda importante na renovação do acordo entre a Ferrari e a Liberty Media. Nos termos atuais a Scuderia recebe um bônus único entre todas as equipes pelo fato de ser a equipe mais tradicional da F-1. A missão declarada da Liberty é equilibrar o orçamento de todas as equipes através de uma distribuição mais equilibrada dos prêmios e bonificações em dinheiro e limitar os gastos e investimentos em tecnologia.

A presença de Chase Carey (homem forte da Liberty) e Jean Todt (presidente da FIA) no evento mostra o prestígio que o grupo FCA tem com os dirigentes da mais importante categoria.

Charles Leclerc (E) e Marcus Ericsson foram anunciados como pilotos. Pintura do carro pode mudar (Sauber)

Sergio Marchionne, o chefe supremo do grupo FCA e administrador de fato da Ferrari, já fez saber a Carey que não aceitará facilmente tais mudanças e já deu indícios que poderia retirar a Ferrari da F-1. A associação com a Sauber seria a forma de manter viva a ligação com a categoria: os motores da equipe Alfa Romeo Sauber em 2018 são os mesmos entregues à Ferrari e saem da mesma linha de montagem e a ligação atual entre ambas (“cooperação e intercâmbio técnico e comercial”) seria aprofundada intensamente.

O fato de Marcus Ericsson ter sido confirmado com o um dos pilotos para a próxima temporada, ao lado do monegasco Charles Leclerc, mostra que o investimento dos atuais proprietários, ligados indiretamente ao sueco, ainda é suficientemente importante para promover Antonio Giovinazzi à condição de piloto-reserva e não como titular, como era esperado pelos italianos.

Kubica ainda por ser confirmado

Terminados os testes de pneus de Abu Dhabi, a equipe Williams ainda não definiu a escolha do companheiro de equipe de Lance Stroll para 2018. O polonês Robert Kubica continua sendo cogitado como favorito, mas aparentemente há vários detalhes para serem resolvidos até que ele possa ser anunciado.

Equipe ABT novamente penalizada

Abertura da temporada de F-E, em Hong Kong, teve desclassificação de vencedor (FIA-FE)

Daniel Abt venceu a segunda prova da rodada de abertura da quarta temporada de F-E, em Hong Kong, mas a identificação de componente do motor e inversor diferente das indicadas no passaporte técnico do carro do alemão levou à desclassificação do companheiro de equipe de Lucas Di Grassi, que não conseguiu um bom resultado; foi a terceira vez que a equipe Abt (atualmente equipe oficial da Audi) é envolta em situação semelhante. O finlandês Felix Rosenqvist foi declarado vencedor, enquanto o americano Sam Bird venceu a corrida disputada no sábado. O campeonato prossegue dia 13 de janeiro em Marrakesh, no Marrocos, e até lá as três primeiras posições no campeonato são ocupadas por Sam Bird (35 pontos), Jean-Eric Vergne (33) e Felix Rosenqvist (29).

WG

A coluna “Conversa de pista” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(1.183 visualizações, 10 hoje)


  • CorsarioViajante

    Esse Dória é um desastre, aliás qual foi o último prefeito de verdade que São Paulo teve?

    • guest, o original

      Faria Lima.

      E menção honrosa ao Maluf que, apesar de condutas questionáveis, fez as obras viárias necessárias para que São Paulo não parasse, como o Elevado Costa e Silva (e não o seu nome politicamente correto, João Goulart), prolongamento da Av. dos Bandeirantes (túnel Maria Maluf, Tancredo Neves) e outras que os amigos poderão mencionar.

      A bem da verdade, em face das toneladas de direitos concedidas pela “Constituição cidadã” de 1988, nenhum governante desde então tem condições de fazer um bom governo, pensando a longo prazo. Evidentemente, por si só isto não justifica o desempenho decepcionante do alcaide de plantão.

  • marcelocb13, sempre há possibilidade de dar errado, e deu.

    • Dória não é um administrador ruim, mas governar São Paulo não é para amadores – principalmente com a cidade sendo “manipulada” dos bastidores por gente que não entende a megalópole.

  • Luiz Alberto Melchert de Carva

    E por que não se usa a lei brasileira de transparência para exigir os números de custeio do autódromo?

  • Raimundo, isso é inquestionável.

  • Pare de falar besteira, esquerdopata. Por que não arranja uma rede e vai dormir?

    • Diego Mayer

      Na verdade, pensamento de esquerda é o de agigantamento do Estado, mantendo e gerindo os mais variados empreendimentos. Como se sabe, não há “dinheiro público”, mas sim dinheiro que foi roubado (via imposto) de alguém que produziu algo. Sendo assim, não é justo roubar dinheiro alheio, seja para construir/gerenciar creches, universidades, empresas públicas ou autódromos.

      • Feiradesantana Bahia

        Pois, é!
        Você ser a favor de privatização agora é SER esquerdopata?

        • Feiradesantana, ser contra o automóvel e contra o automobilismo é, sim, coisa de esquerdopata.

  • Wendel Cerutti

    Eles têm que mostrar que estão trabalhando…

  • Wendel Cerutti

    Algo que me fascina também.

  • Nossa única solução é um consórcio das fabricantes de veículos e indústria de autopeças. Transformaríamos a área em um Centro de Esporte Motor com quase todas as modalidades e categorias para podermos realizar competições todos os fins de semana. Garanto que seria lucrativo a todos os envolvidos!

  • ene

    Alguém nos dividiu em esquerda e direita e hoje somos parte de duas facções inimigas que fazem guerra entre si. Por enquanto é apenas a guerra do papel e do vídeo, mas se dermos trela, logo teremos a guerra do sangue e da dor.
    O que nos resta é mudar nossos conceitos e eliminarmos esse pessoal falso que nos domina. Se aceitarmos que o “nosso time roube” para vencer o outro, compactuamos com a farsa, porque já está provado que essa leva de políticos é imunda e que poucos se safam da sujeira.
    Então devemos exigir novos nomes e partidos para continuar a votar.
    É a hora da limpeza! Agora ou nunca!

  • CorsarioViajante

    O que houve para haver desilusão estamos todos vendo dia a dia. A diferença é que muitos que votaram no Dória têm humildade de dizer “errei ao votar nele, o cara é horrível”.

    • Corsário, nesse ponto estou tranquilo, votei na Marta. Além de ela também acenar com a volta das velocidades anteriores nas marginais (não me lembro se só marginais ou todas as vias), eu a considerava mais capacitada para o cargo, com experiência na administração de São Paulo, além do importante fato de ser egressa do PT, onde certamente conheceu todos os podres desse partido com zero de ideologia, em perfeito coro com a cabeça do seu fundador.

      • Bob, o problema não é “o PT”, é mais do que isso.

        Há uma turma de “hipsters” que quer travar São Paulo está vinculada a vários partidos e movimentos, mas tem uma coisa em comum: ligação com ONG´s e “think tanks” que pensam a cidade a partir de utopias, como a volta do Centro Velho do início do século XIX e a adoção de um estilo de vida próximo ao europeu (que só funciona no eixo Paulista-Vila Madalena-Baixo Augusta).

        Enquanto essa turma mandar na cidade estaremos condenados. Uma pena.

  • Paulo César, se tudo isso não adianta (não adianta mesmo), o que pensar de um cara que só fez o Primário ser presidente da República?

  • Antonio F. me expressei mal. Quis me referir ao nome do partido, Partido dos Trabalhadores, zero de ideário, nada significa em termos de partido político. Ideologia não falta ao PT, vide o Foro de São Paulo.

  • Damata, esses especialistas em Brasil não sabem o que dizem. O país preserva sua História sim —a cultura indígena e os quilombos.

  • Feiradesantana Bahia

    Perdão, amigo. se falei besteira. Até porque é um problema de vocês ai, de São Paulo.
    De todo modo, acho, de um modo geral, boa ideia da privatização.

  • RoadV8Runner

    Pois é, eu uso e PAGO cada vez que vou a Interlagos. Sem essa de querer dizer que os entusiastas usam Interlagos de graça. E a população não vai a Interlagos porque não quer, visto que existem inúmeras competições que podem ser assistidas de graça.

  • Lorenzo Frigerio

    Pré-crise do petróleo. Figueiredo Ferraz também havia planejado grandes vias expressas, mas paradoxalmente foi demitido por carta por Laudo Natel (ainda não haviam inventado o fax) dizendo que “São Paulo precisava parar” (de crescer).
    Já o “mar de radares” financia a CET… cuja função é criar congestionamentos e pegadinhas, para multar mais. São Paulo é o verdadeiro “Estado policial-arrecadatório”. Quanto mais trânsito, melhor.

  • Lorenzo Frigerio

    Antigamente os ônibus tinham um código de cores, eram bicolores, e pela cor de baixo e a de cima, dava para identificar a que região serviam, e a rota. Só os da CMTC continuavam beges, com aquele célebre logotipo. Perguntaram a Jãnio por que ele havia pintado todos os ônibus de vermelho, e ele foi direto: “para que o munícipe veja onde está sendo gasto o seu dinheiro”.

  • Lorenzo Frigerio

    Trata-se de uma obra pública que está lá, paga e funcionando. Não precisamos mais construí-la. Demolir é sempre fácil. Quero ver construir. Escolas, hospitais, saneamento, metrô. A população talvez pudesse ter acesso mais fácil a ele.
    Se fosse para acabar com o autódromo, que pelo menos virasse parque para a população, não filé para a especulação imobiliária. Mas eu faria isso com o Aeroporto de Congonhas antes.

    • Lorenzo, você é mesmo inimigo do Aeroporto de Congonhas, hein? Não existe nada mais conveniente para boa parte de população de São Paulo, ali, perto, à mão. Que implicância sem sentido! Ainda bem que você não é governo!

      • CorsarioViajante

        Uma solução boa sempre prometida mas que nunca chega, é fazer interligação do metrô/trem com o aeroporto de Guarulhos.

  • Newton, caso semelhante é construirem-se favelas (de alvenaria) coladas às linha férreas e reclamar do barulho, dos atropelamentos. Não faz muito tempo um ramal ferroviário em São Paulo foi desativado porque os trens passavam a centímetros das residências.

  • Newton, só mesmo um molusco, e com um dedo a menos, para criar um partido político com esse nome. Hitler fez parecido, mas ao menos havia o nacional-socialista na legenda partidária — Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.

  • Renato Texeira

    Aqui em Porto Alegre aconteceu a mesma coisa, onde foi eleito o parceiro político e amigo do Doria, ou seja, o Nelson Marchezan Jr. Fez várias promessas e já no primeiro ano de governo está fazendo tudo ao contrário do que havia dito na campanha eleitoral. Tambem se vendeu como um grande administrador, empreendedor, empresário, etc., mas é um político de carreira que nunca sequer administrou uma empresa de fundo de quintal.

  • CorsarioViajante

    Veja que não é “financiado” pelo estado, uma vez que o autódromo gera renda, e só não gera mais renda porque é mal administrado. Tanto que os que vivem dizendo que dá prejuízo nunca abrem a contabilidade e mostram os números reais.
    Além do mais, como parques, zoológicos, estádios de futebol e outros, é um equipamento de lazer e mesmo cultura, que inclusive muitos dias, como colegas acima citaram, tem entrada gratuita à disposição. Mas, ao contrário de parques, museus e zoológicos, o autódromo cobra para todos os eventos realizados lá, desde a F-1 até shows. Então para onde vai este dinheiro?
    No fim o que querem é acabar com um dispositivo que enriquece São Paulo tanto financeiramente como culturalmente para fazer um arranjo que vai enriquecer meia dúzia de vereadores e o prefeito rifando o terreno para as construtoras.

  • Chico

    Renato, eu diria 99,99% .

  • FocusMan

    O único político que merece meu respeito hoje é o Tiririca. Isso porque ele deixou de ser politico.

  • JPaulo10

    Feiradesantana Bahia, a população se beneficia indiretamente do empreendimento, via serviços (hotelaria, restaurantes, etc.). Principalmente quando o calendário “casa” com o Salão do Automóvel.

  • Faria Lima que, aliás, é considerado o demônio pela turma “hipster” da cidade, juntamente com Prestes Maia, o indivíduo que supostamente soterrou os rios de São Paulo (como se eles não tivessem que ter sido domados à força).

    Quanto ao dinheiro para obras, que já não mais existe, procure por “vinculação de despesas” – e sinta o drama de um país que queima dinheiro à toa em saúde e educação (investe demais, do jeito errado). É de chorar.

  • Observação: Faria Lima começou o projeto do Minhocão; Maluf apenas levou-o adiante.

  • JPaulo, está bem, um corredor atendeu às necessidades da população de São Paulo. Conte outra.

  • JPaulo, eu não me contradisse. Apenas o corredor que você citou não resolveu as necessidades da população, foi isso. Corredores de ônibus quando não há metrô (ideal) são importantes para atender à população.

  • Feiradesantana,

    Precisão está no DNA do AE, aprenda isso. E termos de baixo calão não são admitidos aqui, aprenda também. A sua exclamação chula foi substituída.