Visitar o outro lado do planeta é algo muito, mas muito estranho na primeira vez. Amigos haviam me dito que Xangai, cidade mais moderna da China, era algo impressionante. Estavam certos.

É a maior cidade da República Popular da China e são mais de 24 milhões de habitantes na área metropolitana de Xangai, não muito mais que a Grande São Paulo, de 22 milhões. A capital é Pequim, com 21 milhões.

Circulei por um dia de folga que tive durante uma semana de trabalho, e fotografei coisas interessantes para o AE. Espero que ilustre um pouco mais a ideia que temos da China, tida como muitos como o verdadeiro “país do futuro”.

Volkswagen Santana trabalhando como táxi. Existem aos montes, onde se olha é possível ver um. O Santana foi o primeiro carro ocidental a ser fabricado na China, e mais de 3 milhões deles rodam por lá desde 1984. Foto feita sob chuva

 

O BYD Tang é um híbrido com 505 cv, note o emblema colorido abaixo do espelho, que explica algumas coisas sobre o carro. BYD significa Build Your Dreams (construa seus sonhos), e a marca tem como foco veículos híbridos e elétricos, atuando em carros, ônibus e caminhões

 

Tecnologia 542 da BYD significa: aceleração de 0 a 100 km/h em menos de cinco segundos, tração nas 4 rodas e menos de 2 litros por 100 km (50 km/l) de consumo de gasolina. O emblema pode ter se inspirado no 442 do Oldsmobile Cutlass, foto abaixo

Como na Alemanha, é possível estacionar sobre as calçadas, desde que não seja de forma desorganizada ou que atrapalhe os pedestres. Em São Paulo seria ótimo poder fazer algo assim, desde que se tivesse um mínimo de bom senso da administração municipal

 

A largura de algumas avenidas em Xangai é algo assustador. Veja no fundo da foto os carros parados no semáforo vermelho, bem como os que estão à esquerda, em outra via. Eu estava atravessando a pé, e o scooter elétrico segue paralelo aos pedestres, sem crise.

 

No mesmo local da foto acima, com o trânsito circulando

 

Um Bentley Flying Spur, show ambulante. Eu queria estar dirigindo. Note um Santana verde ao fundo

 

O Jeep Wrangler cheio de modificações faz interessante contraste com a van Toyota Alphard logo atrás

 

Um dos milhares de scooters elétricos que eu vi nesse dia, com uma capa de proteção em tecido, parecido com um edredon, que muita gente usa nas motinhas. Capacete não é obrigatório, não muita gente usa, e alguns pilotam segurando um guarda-chuva. Note ao fundo mais um Santana.

 

Havia caminhões com escovas para varrer as ruas em São Paulo há muitos anos atrás, e eu nem lembrava mais disso até ver este. Xangai é muito limpa, cartão postal para estrangeiros

 

Velhos Santanas nunca morrem. E a turma gosta de um saco de lixo nos vidros, parece aqui

 

Save the Wagons, também lá. Há poucas peruas em Xangai, infelizmente

 

Haval é uma das várias marcas que são chinesas e por lá crescem, expandindo-se para alguns países até perto do Brasil, pois há concessionário no Uruguai. É a marca de SUVs da Great Wall Motors, empresa fundada em 1984 e que em 2016 produziu 1.074.471 carros. Dá para imaginar?

 

Honda Jade (foto abaixo também), uma perua que está classificada como minivan, desenvolvida para o mercado chinês e lançada em 2013. Tem apenas 1.531 mm de altura, muito mais próximo de um carro normal do que de um furgão carregador de gente. Compare com o BMW estacionado à frente. Em 2015 a Jade passou a ser produzida e vendida também no Japão, e seria maravilhoso se ela chegasse aqui no Brasil, não acha? Um dos motores é 1,5-litro VTEC turbo, com 150 cv

 

Eu teria uma dessas na minha garagem tranquilamente

 

Citroën C4 numa cor que nunca chegou ao Brasil, interessante

 

O emblema do C4, com o número por extenso, e em francês

 

Bicicletas aos montes, com trava na roda traseira liberada por aplicativo de celular. Paga-se o quanto se usa, e podem ser largadas em qualquer lugar, e não nos portos como há em São Paulo. Há várias que são elétricas, para ajudar quem não quer fazer força, ou tem um pouco mais de idade

 

Mais scooters cruzando ao lado das faixas de pedestres, e a ótima placa azul que mostra haver um canteiro ou obstáculo no solo, evitando subir com roda em guias ou algo pior. Elas existem em muitos lugares do mundo, mas no Brasil é a mesmo placa de sentido único virada 45º para baixo, que não chama tanto a atenção. Talvez nós enxergamos melhor que o resto do mundo, sei lá

 

Um MG3, modelo de menor tamanho da marca britânica controlada pelos chineses.

 

Há muitos Porsches em Xangai, os Cayman em bom número, mas muito mais Cayenne e Macan. Nao vi nenhum 911

 

Škoda Superb, fabricado junto com os VW, é um Passat com estilo temperado, saboroso

 

Outro tipo de proteção contra chuva e vento em scooter, essa da tubos plásticos para armação com capa transparente

 

Há também ônibus em profusão, além de 16 linhas de metrô, sistema em ampliação. Note os remendos no asfalto, esses foram os piores que eu vi em uma semana na cidade

 

Falando em asfalto, aqui em um cruzamento mediano, avenida com rua. Não há valetas, nem lombadas e muito menos buracos ou remendos “calombudos”. Dá gosto de ver,  e profunda tristeza de perceber como estamos na pré-história do calçamento de ruas aqui no Brasil, a terra dos dejetos viários.

 

Um Jaguar com entre-eixos longo, característica muito desejada pelos chineses, que faz alguns carros perderem totalmente o equilíbrio das linhas externas

 

Bem no centro da foto, um Buick GL8, van que vende bem, normalmente mais de 50 mil unidades por ano desde 1999, e mesmo sendo bem cara, mais de 500 mil yuans, ou 250 mil reais. É um dos carros mais usados pelos executivos com motorista

 

Vista da Century Avenue, na chegada ao centro, onde a avenida começa. As grades metálicas estão por toda cidade, para separar áreas de estacionamento ou vias para bicicletas e scooters daquelas dos veículos mais rápidos

 

Peças com acabamento cromado estão entre as grandes preferências dos chineses para os seus carros. Um Tiguan marrom com essas molduras nos vidros não é exatamente o carro mais belo do mundo

 

Executivos, um Roewe 950, o modelo mais caro da marca originada da MG, e um Passat de oitava geração

 

Audis também são muito populares para quem tem um pouco mais de capacidade financeira. Há todos os modelos que conhecemos no Brasil, de todos os anos.

 

Mais vans de passageiros, bem na rotatória do início da Century Avenue.  A jardinagem impressiona e cativa

 

Uma pequena batida e a polícia dando apoio. São muitos carros, impossível não ver algo assim, principalmente onde as faixas de rolamento têm curvas, típico lugar para os chineses terem dificuldades. Eu andei em uma van durante alguns dias, observando bastante o comportamento geral, e os motoristas tem uma certa complicação mental para se manter nas faixas

 

Tem horas em que parece que estamos no Brasil, com um Focus idêntico aos daqui

 

Cruze e Fusion também nos fazem lembrar de casa

 

Só vi este Camaro, e consegui fotografar, diferente do Mustang idêntico ao que testei em Detroit, que não consegui

 

Mais uma capa para scooter

JJ

(1.289 visualizações, 1 hoje)