Fiz questão de usar a mesma foto desse sujeito que (infelizmente) administra a cidade de São Paulo desde 1º de janeiro deste ano, foto usada na matéria “Dória mostrando suas garras“, de 14/10 p.p., para deixar clara minha indignação como munícipe e dizer, sem medo de errar, que este prefeito é farinha do mesmo saco do anterior, ou seja, odeia automóvel.

Quando do “Dia Mundial da Imbecilidade”, 22 de setembro, em que esse cara mandou fechar o acesso ao Centro Histórico da cidade “em apoio” a esse dia festejado pelos odiadores do automóvel, foi inevitável sentir o mau cheiro exalado da medida.

Dito e feito: o prefeito odiador de automóvel gostou da brincadeirinha e saiu com a mais nova amostra de  seu ódio ao automóvel — por conseguinte a quem tem um, é bom frisar— instituindo o fechamento da citada área toda última sexta-feira do mês; o primeiro fechamento já ocorreu, foi na sexta-feira 29 de setembro.

Hoje, 27/10, é a última sexta-feira de outubro e de novo haverá esta autêntica palhaçada, este inequívoco abuso de autoridade do poder executivo municipal. Haverá o bloqueio das ruas que levam ao Centro Histórico desta cidade, dia que este AUTOentusiastas batiza de “Sexta-feira da imbecilidade em São Paulo”.

No site da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo o ódio desse cara é explícito:

“CET fecha ruas do Centro Histórico na próxima sexta-feira (27/10)

Vias serão liberadas apenas para ônibus, táxis e bicicletas; ação vai acontecer toda última sexta-feira do mês para incentivar o uso de diferentes modais”

E continua a explanação, que tem mais ares de gozação do que qualquer outra coisa:

“A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) irá fechar, na próxima sexta-feira (27/10), das 6h00 às 18h00, algumas vias do Centro Histórico da cidade ao trânsito de carros e motos. A ação chamada de “Sexta sem Carro” será repetida toda última sexta-feira do mês para que a população se conscientize e passe a utilizar outros meios de transporte e também caminhar pelas ruas do centro. (meu grifo)

A iniciativa busca expor o uso demasiado do veículo particular na cidade, bem como incentivar a utilização de outros modais, como ônibus, metrô e bicicleta. O primeiro teste aconteceu no “Dia Mundial Sem Carro” e, devido ao bom resultado da medida, será uma ação permanente da atual gestão.

A proibição acontecerá em toda extensão da Rua Boa Vista, Ladeira Porto Geral, Largo de São Bento, Rua Líbero Badaró, Viaduto do Chá e em trecho da Rua Florêncio de Abreu (entre a Ladeira da Constituição e a Rua Boa Vista), sendo permitido somente o trânsito de ônibus, táxis e bicicletas.

A iniciativa busca incentivar o debate sobre o uso do veículo na cidade (meu grifo), propor soluções como a prática da carona entre amigos e vizinhos (o que aumenta a lotação dos carros e diminui o número de veículos nas ruas), estimular o uso do transporte coletivo e as pequenas viagens a pé ou de bicicleta.

A CET colocou faixas na região alertando para os bloqueios e acompanhará o evento, monitoramento os desvios propostos e os principais cruzamentos afetados, orientando os motoristas sobre a proibição.”

O texto acima é a combinação perfeita de ódio ao automóvel e gozação em cima dos munícipes e de quem vem nos visitar. É a mais completa desconsideração para quem tem afazeres diários nessas ruas do Centro Histórico, atrapalhando sobremaneira a atividade econômica; nem a entrega de documentos por motomenssageiros será possível.

Hipocrisia total

Pergunte-se a esse cara da foto se ele tem ódio do automóvel no início do ano, quando recebe de mãos beijadas metade do estadual Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, o IPVA, um dos pesadelos do período para quem tem veículo automotor.

Pergunte-se a esse cara se ele tem ódio do automóvel quando pretende usar o arrecadado com as multas de trânsito como garantia de empréstimos de investidores.

Pergunte-se a esse cara se ter mantido a “São Paulo Cinquentinha” não foi traição à massa de eleitores que o escolheu já no primeiro turno, que acreditaram, mesmo que ele não tivesse prometido na campanha, que reformularia as trapalhadas do seu antecessor no tocante às velocidades nas vias da cidade, que não apenas as marginais dos rios Pinheiros e Tietê.

Finalmente, pergunte-se a esse cara se ele tem amor ou, pelo menos, respeita seus semelhantes, ao propor a ração para seres humanos chamada de Farinata, feita ninguém sabe exatamente de que e como até agora.

Portanto, leitor ou leitora, cidadão ou cidadã, olhos atentos em outubro do ano que vem. Esse cara é tudo que não precisamos.

BS

(4.934 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas