Nesta parte vamos começar a falar das motocasas fabricadas pela Karmann Mobile, a marca que a Karmann-Ghia usou para denominar a sua linha de motocasas, tanto na Alemanha quanto no Brasil. Dois modelos com a mecânica da Kombi foram feitos na fábrica de São Bernardo do Campo,SP; primeiro veio o Karmann Mobile Touring e depois o Karmann Mobile Safari

A Karmann-Ghia do Brasil tinha uma linha completa de trailers, reboques, motocasas e acessórios, como teto alto para a Kombi, engates, tetos solares, etc. Em seu folheto sobre sua linha completa o texto dizia:

“A Karmann-Ghia está presente em todos os momentos, levando e trazendo conforto ao trabalho e ao lazer. Sua linha de trailers é a mais completa, atendendo a todos os itens de beleza, funcionalidade e segurança. Trailers especiais, completamente equipados para assistência social, nas versões: médico, odontológico, abreugrafia, ginecologia, para vacinações, laboratório ambulante (controle de água, poluição do ar). Trailers postos móveis de fiscalização. Trailer comercial na versão lanchonete, para atendimento em escolas e clubes esportivos e até trailers para atender projetos especiais. Além de tudo isto, a Karmann-Ghia ainda oferece uma linha de reboques, engates e tetos solares. ”

Folheto com a linha completa de produtos da Karmann-Ghia do Brasil (Fonte: Sampa Kombi Clube)

Na Alemanha a Karmann-Mobile era uma subsidiária da Wilhelm Karmann GmbH, empresa que foi fundada em 1901. A ideia de fazer a primeira motocasa foi do fundador da empresa Wilhelm Karmann durante uma viagem pela África do Sul. Os primeiros veículos saíram, na Alemanha, com o nome Karmann Mobil, a partir de 1977, usando a mecânica da Kombi T2. Seguiram se motorhomes na base de furgões Mercedes-Benz, Kombi T3, Fiat Ducato, etc. No ano 2000 a marca Karmann Mobile foi vendida para a empresa Eura Mobil GmbH e continua existindo e trabalhando no ramo de motor-homes, fazendo veículos de acampamento cada vez mais sofisticados.

Reprodução da homepage do site atual da Karmann-Mobile, já como uma empresa da Eura Mobil GmbH

Voltando ao foco dos veículos tipo motocasa com a mecânica da Kombi, vamos ver um folheto que trata dos Karmann Mobile Touring e Safari:

Nesta parte da matéria vamos nos concentrar no Karmann Mobile Touring, modelo que aparece na fotografia de entrada. Neste caso vamos ter a ajuda do Eduardo Issa, arquiteto, jornalista, fotógrafo e aventureiro inveterado, que respondeu ao questionário e enviou informações sobre esta motocasa dele.

Voltando a nosso tema e para iniciar apresento uma seleção de fotos do Karman Mobile Touring do Eduardo (Fotos: Eduardo Issa).

Respostas do Eduardo:

Em relação ao comportamento dinâmico, o Eduardo comentou: “Todos os veículos que são transformados saem da sua configuração original, sendo assim é necessário ter muito cuidado e ficar atento à capacidade de peso do veículo. As mudanças desse tipo, normalmente alteram o centro de gravidade, peso, altura, deixando o veículo mais instável nas estradas, sendo necessário bastante atenção ao dirigir. ”

Adiante ele disse: “Tanto o peso quanto a altura influenciam consideravelmente na performance deste tipo de veículo. O aumento no consumo de combustível e a diminuição da velocidade final da Kombi são inevitáveis. A atenção em relação a altura deve ser redobrada, pois a distração em locais baixos pode danificar toda a estrutura da Kombi em caso de acidente. ”

Se é necessário algum cuidado adicional ao dirigir? O Eduardo colocou o seguinte:  “Como estamos dirigindo uma Kombi com todo este peso extra, as curvas devem ser feitas em baixas velocidades, pois o risco de capotagem aumenta com toda altura e peso extras. As Kombis desta época são carros normalmente da década de 70 e 80, são veículos ultrapassados, sem airbags, sem cintos de 3 pontos, sem freios a disco, tudo isso exige que os motoristas tenham bastante cuidado ao volante. ”

A motocasa do Eduardo, em particular, é equipada com direção assistida eletro-hidráulica, cuja bomba de acionamento elétrico é instalada no espaço traseiro do veículo, como se pode ver na foto abaixo:

Bomba do sistema de direção eletro-hidráulico (Foto: Eduardo Issa)

Sobre a motorização, o Eduardo comentou que “O motor do meu Karmann Mobile Touring é um motor Volkswagen 1600 plano de VW Variant II, com dupla carburação original; e como a carroceria é mais comprida que a original o motor acabou ficando no centro do veículo. O acesso ao motor se dá por duas portas instaladas abaixo da mesa e a sua manutenção é um pouco mais trabalhosa. ”

 

O Eduardo a bordo de seu Karmann Mobile Touring na travessia de balsa entre Guaratuba e Caiobá no litoral do Paraná (Foto: Letícia Rodrigues Issa)

“A suspensão traseira foi reforçada para receber um peso maior, mas isso já veio da  fábrica Karmann Ghia, que fabricava as motocasas deste modelo,” ele esclareceu.
Falando sobre o quesito segurança patrimonial, o Eduardo disse: “Normalmente quem tem trailers, motorhomes e campers, não abandona o carro em lugares ermos, isolados ou deixa o carro na rua durante a noite. Os históricos de furtos e roubos a este tipo de veículos são baixíssimos, quase zero. Normalmente quando as pessoas estão viajando, elas estão dentro do veículo, isso dificulta a ação de bandidos. ”

 

 

 

 

 

Agora chegou a vez de falar sobre a manutenção: “As revisões seguem as indicações do veículo original, as manutenções da parte de casa são feitas de acordo com a necessidade. Com o tempo é necessário verificar alguns itens, trocar mangueiras, limpar o tanque de água potável de detritos, verificar trincas ou rachaduras no teto, entre outros. ”

Em relação a eventuais custos a mais por ser uma motocasa: “No caso dessas Karmann Mobile — tanto as Touring como as Safaris — a maioria delas não paga mais IPVA pela idade. No caso dos motorhomes modernos, o preço do IPVA segue o modelo do veículo original, sem qualquer acréscimo pela montagem da carroceria. O seguro desses veículos ainda é muito complicado aqui no Brasil. As grandes seguradoras ainda não entraram neste mercado, estão atrasadas. Nos Estados Unidos, estes veículos são facilmente atendidos por todas as empresas de seguro. “

O momento em que a pergunta tocou no assunto “aventura com motocasa” foi quando o Eduardo revelou a sua grande e incrível experiência e paixão: “Sempre fui um grande aventureiro e meu currículo de viagens é bastante extenso. A maior aventura foi registrar todos os 64 parques nacionais brasileiros para o Ibama num Toyota Bandeirante 1994 mortorhome que eu mesmo montei, percorrendo 350 mil km, durante cinco anos, passando por todos os estados do Brasil e a maioria dos pontos turísticos do país. A segunda grande aventura foi cruzar as Américas num Ford F-4000 4×4, percorrendo 150 mil km durante três anos, indo de Ushuaia ao Alasca. Com a Kombi tenho feitas viagens curtas, pois, para aventuras mais desafiadoras eu tenho outros veículos com mais recursos, e nas viagens mais longas eu utilizo o F-4000. Quando estamos na estrada viajando, principalmente em outros países, sempre encontramos pessoas solidárias e dispostas a ajudar. Os viajantes também se ajudam mutuamente, isso é muito bom. ”

Abrindo parênteses para ilustrar aspecto “aventureiro” do Eduardo e de sua esposa Letícia Rodrigues Issa, aí vai a foto obrigatória de quem chega até este ponto do Canadá, numa viagem sem pressa alguma que levou três anos:

Eduardo e Letícia que partiram em fevereiro de 2011 e levaram cerca de três anos para cumprir toda a viagem (Foto: Eduardo Issa)

 

 

Fechando a sua participação o Eduardo comentou: “Viajar de motorhome é realmente um aprendizado fantástico. A vida ao ar livre, acordar sempre tendo um quintal diferente na sua janela, não ter hora para sair nem para chegar, conhecer novas culturas, lugares espetaculares e pessoas incríveis fazem deste tipo de viagem um sonho para qualquer aventureiro. Não importa o tamanho do seu sonho, corra atrás, não desista nunca, a recompensa será sempre impagável, pois a maior riqueza é aquilo que você tem na sua mente e não os bens materiais. ”

Para concluir, vamos dar uma olhada nos detalhes internos desta motocasa, que demonstram o conforto que este tipo de veículo oferece (Fotos: Eduardo Issa):

Na Parte 3 vamos tratar do Karmann Mobile Safari, talvez o mais conhecido motorhome com mecânica da Kombi.

Navegador das partes desta matéria:
Parte 1 – Kombi Turismo da Carbruno
Parte 3 – Karmann Mobile Safari
Parte 4 – Kombi Caracol da Minimax
Parte 5 – Marcopolo-INVEL

AG

NOTA: Nossos leitores são convidados a dar o seu parecer, fazer suas perguntas, sugerir material e, eventualmente, correções, etc. que poderão ser incluídos em eventual revisão deste trabalho.
Em alguns casos material pesquisado na internet, portanto via de regra de domínio público, é utilizado neste trabalho com fins históricos/didáticos em conformidade com o espírito de preservação histórica que norteia este trabalho. No entanto, caso alguém se apresente como proprietário do material, independentemente de ter sido citado nos créditos ou não, e, mesmo tendo colocado à disposição num meio público, queira que créditos específicos sejam dados ou até mesmo que tal material seja retirado, solicitamos entrar em contato pelo e-mail alexander.gromow@autoentusiastas.com.br para que sejam tomadas as providências cabíveis. Não há nenhum intuito de infringir direitos ou auferir quaisquer lucros com este trabalho que não seja a função de registro histórico e sua divulgação aos interessados.
Meu agradecimento ao grande aventureiro Eduardo Issa por sua colaboração para esta parte da matéria.
Agradeço também a Eduardo Gedrait Pires.
Nesta matéria foram pesquisados os sites: site da Victoriamotorhomes, blog A Kombi Manivela, Wikipedia, etc.
A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(2.289 visualizações, 1 hoje)