Não é de hoje que se fala num Corvette de motor traseiro-central. Matérias têm sido escritas, há muitas fotos-espia para quem se dispõe a vasculhar o Google. Mas essas fotos aqui agora publicadas são bem recentes, foram feitas na quarta-feira passada (11) por quem não é profissional da fotografia, por meio de telefone celular, mas são muito boas.

Foram-nos enviadas por Carlos Fernando Scheidecker, um brasileiro de São Paulo radicado nos EUA, um autoentusiasta apaixonado por Corvette (tem alguns) que, inclusive, escreveu anos atrás para o AE, ainda no tempo do blog.

Josh Busenbark é um amigo do Carlos Fernando e casualmente viu dois Corvettes camuflados com máscaras num McDonald’s na cidade de Cadillac, estado de Michigan, nos EUA. O Josh autorizou  a publicação dessas fotos.

Vale como curiosidade. Não dá para ver muito mas o suficiente para para notar que as lanternas traseiras devem voltar a ser circulares. A silhueta do carro mostra proporções típicas de um carro de motor traseiro-central, com tomadas de ar atrás das portas, em flagrante contraste com as proporções do Corvette como ele sempre foi, com  a seção frontal longa, hoje em sua sétima geração, lançada em 2013.

Nesta foto dá para notar outro protótipo ao fundo, ao lado de um Corvette C7 amarelo

Este Corvette é o de 8ª geração e deverá ser revelado no próximo Salão de Detroit, em janeiro, como ano-modelo 2019; segundo fontes do Carlos Fernando, seu codinome é ZERV. Mas escreveu a revista americana Car and Driver em junho de 2014 que o nome deste novo Corvette seria Zora, um tributo  ao primeiro engenheiro-chefe do Corvette,  o belga filho de russos Zora Arkus-Duntov, que se empenhou muito para que houvesse um Corvette de motor central-traseiro.

O suposto Corvette “Zora”, diferente de tudo o que se conhece de Corvette

Aliás, um Corvette com motor nessa posição é sonho antigo da GM e sua Divisão Corvette, leia ou releia matéria do MAO a respeito.

Há rumores de que o  motor do C8 será um duplo-comando de 32 válvulas, mas só em janeiro de 2019. Por enquanto fica o V-8 Z06 de comando no bloco, 6,2 litros, duas válvulas por cilindro, 650 cv e 90 m·kgf.

BS



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Vilela

    Ah!!!! A engenharia….. Nada como melhorar o que já era espetacular!!!!!!

  • Lorenzo, ele sabe.

  • Nilson, ou não era uma receita e passou a ser.

  • Mauro Eidt

    Nas minhas últimas férias aluguei isso: https://uploads.disquscdn.com/images/1442c293abeaabc3bde98ac6388f79d0c27fef505105311902f9c705ecddf79a.jpg

    Mesmo sendo de locadora, com “só” 450 cv e controles de estabilidade e tração “indesligáveis”, que máquina! Leve, muito maneável, na estrada plana dentro dos limites da Flórida (70 milhas por hora) desligava 4 cilindros. O consumo deu uns 8 km/l. Recomendo a experiência de ser “dono” de um carro desses por uma semana. Dirigi 650 km, teto abaixado, à noite, estrada, todas as situações. Ter um carro desses no Brasil é meio inviável por questões de seguro, violência, etc, mas quem puder faça isso uma vez na vida.