Cidade-Estado é um dos territórios mais limpos do mundo. GP lançou moda de provas noturnas na F-1. Golpe sujo marca o circuito de rua.

Os britânicos, durante anos os mandatários locais, costumam se referir a Cingapura como uma “fine city”. Antes que seu dedo aperte o tradutor do Google e seus olhos encontrem “cidade fina”, lembre-se da sutileza que carrega o humor inglês. A expressão é uma clara referência à uma saga local capaz de fazer inveja às autoridades de trânsito de São Paulo: o “fine” nesse caso remete a “multa”. Arranque uma flor de qualquer jardim, masque chicletes ou jogue um pedaço de papel fora do lixo e você será contemplado com sanções tão apimentadas como alguns pratos da cozinha local.

Lewis Hamilton desembarcou em Cingapura como novo líder do campeonato (Mercedes)

A F-1 bem que tentou dar um drible nesse universo de honestidade e correção, mas o tempo não perdoou e até hoje a corrida local é lembrada como palco de um dos maiores, se não o maior, escândalos já punidos na categoria. Em 2008 Nelsinho Piquet foi levado a obedecer ordens de equipe para criar uma situação que levasse a direção de prova a acionar o safety-car e favorecer seu companheiro na equipe Renault, Fernando Alonso, então um dos candidatos ao título da temporada. Mais de um ano se passou até que o fato veio à tona, no GP da Bélgica de 2009, ocasião que o brasileiro já tinha caído em desgraça junto ao diretor Flavio Briatore e via sua demissão mais perto a cada volta completada. O dirigente foi banido da categoria e a Renault pagou uma pesada indenização ao piloto, que jamais voltou à categoria.

Cartaz no paddock de Marina Bay celebra os 10 anos da prova (Red Bull)

A corrida deste ano marca os dez anos da história do GP e será realizada num cenário mais tranquilo: as grandes equipes praticamente já definiram seus pilotos para o ano que vem e a última vaga teoricamente aberta saiu do catálogo após a Mercedes ter confirmado o finlandês Valtteri Bottas para mais uma temporada ao lado de Lewis Hamilton.

McLaren está pronta para trocar os motores Honda pelos Renault (McLaren)

De novidade mesmo, algo já mais do que comentado: o divórcio entre McLaren e Honda, separação que implica a adoção de motores Renault pela equipe inglesa, a transferência dos motores Honda para a Toro Rosso e transformar a ida do espanhol Carlos Sainz para a equipe Renault em fato consumado.

Entre os bairros chinês e indiano, um interessante mercado de comidas e utensílios de cozinha (Red Bull)

Cingapura tem também um interessante mercado de artigos de cozinha localizado próximo ao bairro chinês.

No mercado de pilotos da F-1 o interesse atual está focado na possível permanência de Felipe Massa na categoria e na decisão de Fernando Alonso. O brasileiro já demonstrou seu interesse em ficar onde está, enquanto o espanhol certamente joga com o tempo para obter mais vantagens na renovação do seu contrato.

Felipe Massa espera oferta da Williams para decidir se para ou continua na F-1 (Williams)

A pista de Cingapura é uma das mais curiosas do calendário: tal como a de Mônaco, utiliza ruas da cidade, mas seu comprimento total é de 5.065 metros, mais longo que os 3.337 metros monegascos. Todo esse trajeto é marcado por uma grande variedade de superfícies, que vão desde diferentes pavimentos passam por tampas de bueiro e incluem muitas faixas pintadas no piso. Tudo isso reduz a aderência e torna a pista uma das mais lentas da temporada: a média horária dela é em torno de 178 km/h.

Os pontos de freadas segundo a Brembo; a Curva 7 é a que exige mais (Brembo)

O número alto de curvas fechadas e as retas curtas, que dificultam o arrefecimento dos discos de freio, configuram outro problema. Segundo a Brembo, empresa italiana que fornece esse equipamento para a maioria das equipes,  a pista de Marina Bay está entre as mais exigentes no que se refere ao desgaste dos freios: são 15 os pontos de forte redução de velocidade a cada volta. Na curva 7, por exemplo, os pilotos reduzem de 322 km/h para 123 km/h num espaço de 49 metros e no tempo de 1”930… Vale a pena acompanhar!

Confira abaixo os horários de treinos e transmissão de TV (horário de Brasília):

Sexta-feira, 15 de setembro

Treino Livre 1   5h30 – 7h00, a partir das 5h25 no SporTV 2

Treino Livre 2  9h30 – 11h00, a partir das 9h25 no SporTV 2

Sábado, 16 de setembro

Treino Livre 3  7h00 – 8h00, a partir das 6h55 no SporTV 2

Classificação – 10h00 – 11h00, a partir das 9h55 no SporTV 2

Domingo, 17 de setembro

Corrida – 9h00 TV Globo; reprise às 14h00 no SporTV 2

WG

(917 visualizações, 1 hoje)