A VW do Brasil, pelo seu executivo-chefe que responde também pelas operações na América do Sul, o sul-africano David Powels (foto), anunciou nesta segunda-feira (14) investimento de R$ 2,6 bilhões para o desenvolvimento e produção do novo hatchback Polo e sedã Virtus na fábrica Anchieta.

O montante destina-se ao desenvolvimento dos modelos, modernização da manufatura, testes de certificação e validação do produto, desenvolvimento local de peças, e qualificação de pessoal, entre outros destinos.

Vale registrar que o novo Polo começa a ser produzido na Fábrica 1 (Anchieta) 60 anos depois do início da produção da Kombi, ocorrido em 2 de setembro de 1957.

O novo Polo será lançado no último trimestre deste ano e o Virtus, no primeiro trimestre de 2018.

O evento do anúncio, que contou com a presença do governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, do prefeito de São Bernardo do Campo,  Orlando Morando, do ministro do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, e do presidente da Anfavea, Antônio Megale, foi realizado na Ala 12, a da Montagem Final.

Lá estavam, devidamente mascarados, alguns exemplares pré-série do novo Polo, cujo início de produção está previsto para 1º de setembro, com chegada à rede de concessionários em meados de outubro.

Nos modelos expostos havia o selo do Inmetro/PBEV, que informa o consumo do novo Polo com motor EA211 1-litro tricilindro de 75/82 cv e 9,7/10,4 m·kgf. Não foi dada nenhuma informação de consumo ocasião da apresentação e breve teste da versão 1,0 TSI na pista da Fazenda Capuava, no último dia 5.

A etiqueta informa consumo de 12,9/8,7 km/l na cidade e 14,4/10 km/l na estrada.

JJ

(Atualizado em 14/08/17 às 20h15, correção da informação sobre a etiqueta de consumo no para-brisa)

(1.156 visualizações, 1 hoje)