Depois de mais de meio milhão de carros vendidos em desde o lançamento mundial como modelo 2014, a Mercedes-Benz atualizou o GLA, um carro com o tipo de carroceria que confunde muita gente, já que pode ser considerado um utilitário esporte (suve), mas também um hatch grande e um pouco mais alto em relação ao solo que um carro normal.

A ênfase da campanha publicitária do carro coloca seu dono e usuário como alguém com espírito jovem, que utiliza o GLA para seu trabalho e lazer, não se furtando a colocar o carro em maus pisos, mesmo as versões com tração apenas dianteira. Assim podemos ter o prazer de colocar a foto de abertura da matéria sem medo de ouvir alguém dizer que se trata de “uso indevido”.

Termo já comum, crossover, ou cruzamento de estilos e tipos, é o que se entende ao ver o GLA, que tem as versões 200 Style, 200 Advance (a avaliada nessa apresentação) e 200 Enduro, todos com motor 1,6-litro turbo de 156 cv, além do GLA 250 Sport, com motor 2 litros de 211 cv, todos de tração dianteira, e o topo da linha que chega em cerca de um mês, GLA 45 AMG, com motor 2- litros de 381 cv (o mais potente do mundo nessa cilindrada em carros de produção), com a tração nas quatro rodas 4MATIC. Os demais modelos já estão à venda nos concessionários.

Exceção feita ao AMG que vem importado pronto, os demais são fabricados em Iracemápolis, junto dos Classe C sedã e a perua Estate.

Dirigindo, pouco pode ser percebido da mistura de tipos. A altura não é exagerada no assento. Entrar e sair não requer estribos ou degraus, o teto tem altura normal, e o carro acelera, freia e faz curvas de forma absolutamente confortável e tranquila.

Isso tudo já havia sido bem sentido no modelo maior dessa linha de crossovers, o GLC, que testamos anteriormente, mas que sendo mais pesado, necessitava de um pouco mais de hábito ao volante, mas bem pouco.

A lista de alterações no GLA é extensa, e abrange as capas de para-choques dianteiro e traseiro, que tem novas superfícies, e adoção de partes em cor de alumínio, novas saídas de escapamento, grade do radiador nova, com aberturas retangulares similares à do modelo maior de SUV, o GLS. Também há novos faróis com tecnologia Full LED, a partir da versão Advance, ficando apenas com o Style, modelo de entrada, com os bixenônio. Lanternas traseiras com novos desenhos de assinatura visual e luminosidade variável em três níveis de luz de freio e piscas, batizada de Stardust e apresentada inicialmente no Classe E, que também reportamos quando do lançamento aqui no AE, estão agora aplicadas à classe GLA. O nível mais forte é para o dia ensolarado, o médio para noite e o mais fraco funciona com o carro parado, para evitar ofuscamento dos motoristas que estão atrás, como em semáforos, por exemplo. O modelo Enduro tem também faróis de neblina adicionais, e o AMG será tratado quando de sua apresentação

Internamente, painel de instrumentos bastante modificado, com novo centro inferior rearranjado nas posições e desenhos das teclas de ar-condicionado, rádio, comandos de sistema multimídia e uma muito melhorada capacidade de espelhamento ou (pareação) de celulares, que permite ver o Google Maps, WhatsApp, Waze e outros, tudo na tela central de oito polegadas, e funciona para Apple Car Play e Android Auto. Essa capacidade não está presente versão Style, a mais barata.

No estilo interno, novos difusores de ar, todos com exatamente o mesmo desenho circular, fáceis de usar, de pega perfeita e intuitivos, diminuindo até fechar o fluxo de ar por movimento de rotação no sentido horário. Basta segurar bem pelo meio e mover para a posição que se desejar.

A parte central superior tem moldura com aparência de aço escovado, sem brilhos em ângulos que incomodem os ocupantes. Porta-luvas é revestido com flocagem, ótimo para evitar ruídos. Instrumentos do painel são tradicionais, com ponteiros físicos, e tem leitura sempre clara e fácil, além de iluminação perfeita à noite. No volante, comando de computador de bordo e de multimídia, como em todos os outros Mercedes-Benz, fáceis e sem problemas depois que se pega a prática. O multimídia também tem teclas de pressionar e giratória no console, para o passageiro.

Junto da porta USB para conexão de telefone há outra apenas para carregamento de aparelhos, e ambas estão dentro do porta-objetos maior do console, abaixo do descansa-braço. Há mais outros dois porta-objetos com tampas, um menor onde há outra tomada de força, esta do tipo circular, e um maior. Dois porta-copos complementam as funcionalidades do console. Freio de estacionamento é uma tecla do lado esquerdo da coluna de direção, e pode ser esquecida na prática, pois o acionamento de soltura são totalmente automáticos. Também ele é acionado em caso de abertura de qualquer porta, e o câmbio é desengatado, desde que o carro esteja parado, obviamente.

Os acabamentos de bancos e painéis de porta variam em cores e padrões de acordo com a versão, com o Style tendo as cores preto, bege ou preto com marrom, o Advance o preto e cinza claro e o Enduro o preto, marrom ou preto com bege. As partes centrais dos bancos são em tecido, e as bordas em material similar a couro. O modelo Sport tem o couro natural, e o AMG ainda não foi apresentado.

Os bancos tem encosto de cabeça integrado ao assento, de desenho esportivo, e são de conforto e estabilidade para o corpo notáveis.

Dinamicamente, todos os sistemas de ajuda e segurança que se encontram no Classe C e no GLC que avaliamos estão presentes, e a dica é ler esses textos dos links para mais detalhes, e evitar a repetição extensa aqui. Como lembrança, controle de estabilidade comandado pelos freios atuando de forma independente, pré-carregamento de movimento dos pistões das pinças de freio quando se tira rápido o pé do acelerador para diminuir o tempo de resposta do freio  e sistema de secagem e limpeza dos discos, acionando levemente o freio quando está chovendo forte.

O AMG tem suspensão 45 mm mais baixa que a dos modelos Style, Advance e Enduro, e 15 mm a menos que a do modelo Sport. Na frente o tradicional McPherson com braços inferiores de posicionamento e controle, e multibraço atrás, quatro elementos por roda. O funcionamento é firme sem ser desconfortável, e andamos por alguns quilômetros de terra em muito mau estado para confirmar. O carro não escorrega de lado ao passar sobre buracos em sucessão ou costelas de vaca, com os sistemas de estabilidade trabalhando bastante. Apenas os pneus, que a Mercedes escolheu como do tipo run flat (que podem rodar vazios) parecem ser um pouco mais rígidos e ruidosos do que o desejável, com a vantagem da segurança para rodar até lugar adequado para troca de pneu e de se ganhar espaço extra no porta-malas, já que não se carrega estepe. O ruído se faz notar em asfalto rugoso; nos lisos, nada incomoda nesse sentido.

Mesmo com pneus largos e boa altura do solo para terrenos ruins, o coeficiente de arrasto (Cx) é 0,28, que permite pouco ruído de vento e bons consumos em estradas. Obtive algumas marcações na viagem de quase 300 km, com descida de São Paulo para o litoral norte, e retorno. Na rodovia Rio-Santos foram 14,4 km/l nas médias baixas de uma estrada com faixas de pedestres e lombadas eletrônicas de 40 km/h (se é que isso pode ser chamado de estrada). Na subida da Imigrantes, mantendo o limite dos 100 km/h regulamentares, 7,4 km/l, e no trecho de Planalto, 15,5 km/l. Já em São Paulo em horário de pico de final de tarde, com congestionamentos e muito para-anda, os mesmos 7,4 a 7,5 km/l da subida de serra. O Stop/Start (desliga/liga motor nas paradas) colabora para esse consumo não ser maior.

Em suma, é um modelo Mercedes-Benz com as características padrão da marca. Estilo chamativo e moderno, nível de acabamento muito acima da maioria dos carros, desempenho sempre a contento,  conforto e facilidade de direção extremos. E com aquela icônica estrela na dianteira, que todo mundo sabe do que se trata.

Em breve faremos uma avaliação “no uso” e levantaremos mais detalhes.

Os preços anunciados são os seguintes:

GLA 200 ff Style – R$ 158.900,00
GLA 200 ff Advance – R$ 175.900,00
GLA 200 ff Enduro – R$ 203.900,00
GLA 250 Sport – R$ 232.900,00
Mercedes-AMG GLA 45 4MATIC – R$ 359.900,00

 

Minificha técnica:

  Mercedes-Benz GLA Style, GLA Advance e GLA Enduro Mercedes-Benz GLA 250 Sport Mercedes-AMG GLA 45 4MATIC
Cilindros 4 em linha 4 em linha 4 em linha
Cilindrada (cm³)
1.595 1.991 1.991
Potência (cv/rpm)
156 cv / 5.300 211 cv / 5.500 381 cv /6.000
Torque máximo (m·kgf/rpm)
25,5/1.200 a 4.000 35,7/1.200 a 4.000 48·4/2.250 a 5.000
Aceleração 0-100 km/h (s) 8,1 6,6 4,4
Velocidade máxima (km/h)
215 235 250 (limitada)
Câmbio 7G DCT 7G DCT AMG SPEEDSHIFT DCT 7
Peso (kg) 1.435 1.460 1.585
Pneus 235/50R18 235/45R19 235/40R20
Capacidade do porta-malas (L) 421 421 421
Tanque de combustível (L) 50 50 56
Dimensões (mm)
Comprimento 4.417 4.686 4.686
Largura 2.022 2.016 2.016
Altura 1.524 1.405 1.405

JJ



  • Programador Maldito

    “A ênfase da campanha publicitária do carro coloca seu dono e usuário como alguém com espírito jovem, que utiliza o GLA para seu trabalho e lazer”

    Eu achei que a ênfase era mostrar que é carro de funkeiro exibicionista. A Mercedes está me confundindo…

    • Lucas Vieira

      Funkeiro sabe o que é bom, e geralmente preferem os carros com a mais avançada tecnologia do mundo, fabricados pelos melhores do universo e com o desenho mais bonito da galáxia.

      • Programador Maldito

        Tipo Celta rebaixado.

  • Rubergil Jr

    GLA 200 “Enduro” sem tração integral… claramente um enduro urbano.

    Como todo Mercedes, deve ser um excelente carro. Mas nessa categoria, o meu predileto é mesmo o Subaru Forester XT.

  • Licergico

    Voltei!
    Parabéns pela matéria!
    Acho o GLA tão SUV quanto um Gol Rally!
    Abraços a toda equipe AE !

  • GFonseca

    Confesso que quando li 381 cv em um motor 2 litros pensei ter lido errado, tive que voltar e ler de novo, impressionante…

  • Douglas

    Para ser um “utilitário esporte” tem que antes de tudo ser um utilitário. O GLA é um crossover, assim como HR-V, Kicks e Tiguan.

  • Júnior Nascimento

    A versão pré-reestilização me parecia mais acertada, mais “no chão”. Esses milímetros a mais na altura do solo, aliados aos finos raios da roda, deram-me a sensação visual de menos robustez e estabilidade, inobstante a nova grade inspirada em modelos maiores da própria marca. Vamos ver se “no uso” trará muita diferença ao condutor.