Matéria atualizada em 4/8/17 às 11h00)

O aguardado Renault Kwid teve seu lançamento iniciado em São Paulo na noite de ontem (2/8) no Allianz Park, sede da Sociedade Esportiva Palmeiras. A foto acima registra o momento em que o Kwid foi mostrado na note de apresentação que reuniu imprensa, concessionários e fornecedores, acompanhado de rica queima de fogos de artifício.

O pequeno Renault, fabricado em São José dos Pinhais, na região da Grande Curitiba, será comercializado na versões Life (R$ 29.990), Zen (R$ 35.390) e Intense (R$ 39.990). Esses preços foram anunciados durante o Salão de Buenos Aires, em junho, como iniciais para pré-venda, que se acreditava subirem quando o carro fosse lançado, o que não aconteceu: foram mantidos.

A Renault está considerando o Kwid como um suve compacto urbano por características como distância mínima do solo de 180 mm e ângulos de entrada e saída de 24º e 40º, respectivamente.

O Kwid é um desenvolvimento a cargo da Renault da França, Brasil e Índia e aqui tem motorização 1-litro, versão simplificada (para reduzir preços) do tricilindro 1,0 SCe do Sandero e do Logan. A simplificação consistiu da eliminação do variador de fase do comando de admissão, deixando sua potência em 66/70 cv a 5.500 rpm e o torque, em 9,4/9,8 m·kgf a 4.250 rpm (o do 1,0 SCe do Sandero/Logan é 79/82 cv a 6.300 rpm e 10,2/10,5 m·kgf a 3.500 rpm).

Outras mudanças no motor são o cabeçote com coletor de escapamento separado e aparafusado, o emprego de óleo 15W40 no lugar do 0W30, e a bomba de óleo de pressão constante em vez de variável.

O forte do Kwid será obviamente o baixo consumo. Dados oficiais Inmetro/PBVE são 14,9/10,3 km/l na cidade e 15,6/10,8 km/l na estrada.

Interior simples, mas de bom gosto; pedais permitem fácil punta-tacco

A versão Life é básica, mas tem rodas de aço de 14″ com pneus 165/70R14, dois pares de engates Isofix, predisposição para rádio e, comum a todas as versões, bolsas infláveis laterais além das obrigatórias frontais; a direção não tem assistência. Não tem conta-giros, mas tem indicador de troca de marcha para subir e reduzir e outro que indica se o dirigir está ou não econômico. O peso em ordem de marcha da versão é 780 kg, o que representa relação peso-potência de 11,8/11,1 kg/cv.

A versão intermediária Zen traz direção eletroassistida, ar-condicionado, travas e vidros dianteiros de acionamento elétrico e rádio com Bluetooth e entradas USB e AUX.

Porta-malas de 290 litros chega a 1.100 litros com o encosto (inteiriço) do banco rebatido

A superior inclui acionamento elétrico dos retrovisores externos, faróis de neblina, fechadura elétrica do porta-malas e rodas de alumínio. O painel traz conta-giros à esquerda de boas dimensões (como o do up! 2018) e chave-canivete. E vem com o kit multimídia Media Nav.

A Renault informou que em dois meses a lista de equipamentos mudará um pouco, por exemplo, a versão Life ter os opcionais direção eletroassistida e ar-condicionado, e a Intense sem os itens acima.

Curiosamente, as rodas são fixadas por três parafusos.

O AE teve oportunidade de dirigir brevemente o Kwid numa apresentação avançada no começo de julho, e veículo passou ótima impressão. Hoje (3) é o dia do teste geral para a imprensa e vou dirigi-lo mais.

Mas o percurso de teste foi apenas um pouco maior que o anterior. A avaliação mais completa ficará para o teste “no uso”.

BS

(3.405 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas