A Fiat volta a mostrar que tem conhecimento e experiência em fabricar carros “maiores por dentro que por fora”. É tradição dela. Só aqui no Brasil já temos alguns bons exemplos, sendo que os mais notórios são o 147, o primeiro Uno e o Linea. À primeira vista, à primeira olhada, e sabendo que o entre-eixos do Argo é de parcos 2.521 mm, não se espera que comporte um banco traseiro tão espaçoso e ainda por cima um porta-malas de 300 litros.

Porta-malas de 300 l está entre os melhores da categoria, mas o encosto do banco traseiro é inteiriço

Tanto é assim, que quando me “sentei atrás de mim”, para fazer a costumeira foto do AE, tive que voltar ao banco do motorista para me certificar de que ninguém mexera nele e aquela era mesmo a minha posição de guiar. E atrás, além de espaçoso, é confortável e há apoio de cabeça para o passageiro do meio.

Maior por dentro do que por fora

Para o motorista há regulagem de altura do banco e da altura da ancoragem do cinto de segurança, mas não há ajuste de distância do volante, só o de altura, com o que pessoas de determinados biotipos podem não encontrar a posição ideal de dirigir. Fora isso, é digno de elogios o desenho do painel e dos instrumentos. É simples, funcional e elegante. Inclusive, a grande tela tátil de 7 polegadas (sem navegador) tem uma interface de fácil e rápida visualização, e mesmo grande não interfere no campo de visão; fora que é fácil desligá-la, o que é o recomendável para alguns — meu caso — ao viajar à noite. O sistema Uconnect prevê espelhamento de celular Android Auto e Apple Car Play

Painel funcional e com bom desenho

O Argo Drive 1,3 GSR tem preço público sugerido de R$ 58.900 e vem bem dotado de equipamentos (veja lista no final). São opcionais os kits Parking (sensor de estacionamento com visualizador e câmera de ré com linhas dinâmicas), por R$ 1.200, e Stile, por R$ 1.900, que traz faróis de neblina e rodas de alumínio de 15″ com pneus 185/60R15H (os pneus de série são 175/65R14T com rodas de aço).

As cores básicas são o vermelho Alpine (carro testado) e branco Banchisa,  sendo opcionais as metálicas prata Bari, cinza Scandium e preto Bari, e a perolizada branco Alaska, todas por R$ 1.600.

O motor Firefly de 1,3 litro, cujo bloco é de alumínio, é praticamente o mesmo Firefly de 1 litro, só que acrescido de um cilindro. A cilindrada é de 1.332 cm³. Divida isso por 4 e multiplique por 3 e veja que dará 999 cm³, a cilindrada do menor. Eles têm mesmo diâmetro e curso (70 x 86,5 mm), mesma taxa de compressão (alta, 13,2:1), mesmas duas válvulas por cilindro, mesmo um comando de válvulas único com variação de tempos; são construtivamente iguais e igualmente bons.

O 1,3-l, de 101 cv a 6.000 rpm e 109 cv a 6.250 rpm (gasolina/álcool), tem maior potência específica que o 1,0-l (75,8/81,8  contra 72,1/77,1 cv/l), mas menor torque específico (10,3/10,7 contra 10,4/10,9 m·kgf/l). O 1-l surpreende pela boa pegada em qualquer rotação e o 1,3-l repete a característica. Esse compartilhamento de desenvolvimento e peças já foi usado na indústria, caso do Opala 2500 e 3800, e é uma boa ajuda na economia de escala.

Motor vivaz e de funcionamento suave; note a pintura do compartimento do motor igual à do resto da carroceria, que merece aplauso

O Argo com esse pequeno motor 1,3-l acelera muito e não há porque se surpreender com isso. As coisas evoluíram e esse 1,3-l gera maior potência que, por exemplo, o motor 1,6-l EA111 ainda em uso pela VW. Portanto, é bom rever os conceitos e não entrar nessa de “mas ele é só um “um-ponto-três!”. É um motor valente mesmo.

Eu bem folgado atrás de mim

E instigador. Em alta esse motor ronca gostoso e pede para ser acelerado, e isso conjugado com o bom chassi do carro, muito estável em quaisquer condições, incita a uma tocada como o italiano gosta, ou seja, meio politicamente incorreta. O que destoa desse conjunto são os pneus 185/60R15 Goodyear Efficientgrip, que, voltados para a economia de combustível, eficiência energética, deixam a desejar quanto ao “grip” — à aderência. A Goodyear tem coisa melhor na prateleira, mas com a atual febre de redução de consumo e emissões as fabricantes recorrem aos pneus de menor atrito de rolamento. Mas deixo claro que não é nada que comprometa o uso que se dará ao carro. Só compromete a exploração da ótima esportividade que o Argo, esse italiano ardido, embute.

Um bom prato para se achar o tempero italiano

Acho que já deu para o caro leitor captar que gostei do Argo. Afinal, sendo um Fiat atual, é um carro com marcante DNA italiano, e quem gosta de dirigir aprecia neles aquele tempero que os diferencia.

A suspensão é macia, no ponto, nada de querer que seja mais dura ou mais macia. É bem daquelas que “se mexer, estraga”.

Já o câmbio robotizado GSR ainda não está tão bem casado com esse 1,3-l como casou com o 1,0-l do Mobi GSR há pouco testado. No geral vai tudo muito bem, ele fazendo trocas suaves no momento certo, e assim vai-se gostando e gostando, até que numa certa situação, como num bairro montanhoso, ele vacila, hesita sobre qual marcha engatar, coloca uma e vê que não era essa a ideal, daí reduz dando tranco, a usa um pouco e logo sobe marcha; enfim, acaba deixando uma sensação de expectativa sobre o que ele haverá de fazer.

Só falta a regulagem de distância do volante

Melhora-se isso, essa indecisão, usando o modo Sport, premendo o botão S no console. Remedeia-se isso usando o modo Manual, acionado por seu respectivo botão também no console, e mudando marchas pelas borboletas atrás do volante. Tudo bem, mas se a proposta do robotizado é delegar as mudanças de marcha ao câmbio, que ele as faça a contento, sempre.

Em alguns casos, quando em giro médio e com pouca aceleração, o sistema reduz bem a aceleração antes de desacoplar a embreagem, o que provoca a tal “cabeçadinha” adiante. Isso já não mais ocorria no Linea Dualogic Plus que testei em junho do ano passado e do qual gostei bastante, portanto há o que melhorar na sua programação e isso é um acerto delicado a ser feito com cada motor, e imagino que não seja nada fácil e rápido.

Estilo frontal que marca os novos Fiat

Já na estrada não há o que criticar quanto ao seu trabalho, tanto no modo Normal quanto no Sport, sendo que a vantagem do Sport é, além da troca ser feita em menor tempo, obtém-se reduções automáticas de marcha com menos curso do acelerador. Quanto a atingir giro máximo, ambos o fazem, desde que se acelere até o fim de curso.

No modo Manual ele não sobe marcha ao atingir o giro de corte de segurança, 6.500 rpm, limpo. Nas reduções, em qualquer dos modos (como no primeiro Dualogic, o do Stilo, de 2008), há perfeita aceleração interina automática para equalizar giro com velocidade do veículo na marcha a ser engatada, resultando daí reduções corretas e suaves, além de empolgantes.

O alcance das marchas, na rotação de corte, é 40 km/h em 1ª, 74 em 2ª, 118 em 3ª e 166 km/h em 4ª.  À velocidade máxima de 186 km/h em 5ª correspondem 5.600 rpm. Com a v/1000 de 33,1 km/h, a 120 km/h reais o motor está a 3.620 rpm, compatível com a cilindrada do motor.

Boa visualização e bom desenho; tela do computador de bordo ao centro

As versões Precision e HGT com motor E.torQ de 1,75 litro têm a opção do câmbio automático epicíclico (Aisin) de 6 marchas. São mais caras, porém, R$ 67.800 e R$ 70.600.

Tela multimídia tátil

Assim é o novo Fiat compacto, produto que reúne muitas qualidades e certamente trará satisfação a quem tiver um na garagem.

AK

 

FICHA TÉCNICA ARGO DRIVE 1,3 GSR
MOTOR
Designação Firefly 1,3-L
Descrição 4-cil em linha, bloco e cabeçote de alumínio, monocomando com variador de fase 2 válvulas por cilindro, flex
Cilindrada (cm³) 1.332
Diâmetro e curso (mm) 70 x 86,5
Taxa de compressão (:1) 13,2
Potência (cv/rpm, G/A) 101/6.000//109/6.250
Torque (m·kgf/rpm, G/A) 13,7/14,2/3.500
Formação de mistura Injeção no duto Magneti Marelli, ignição integrada ao módulo
TRANSMISSÃO
Tipo Transeixo com câmbio robotizado de 5 marchas mais ré, tração dianteira
Relações das marchas (:1) 1ª 4,273; 2ª 2,316; 3ª 1,444; 4ª 1,029; 5ª 0,795; ré 4,200
Relação de diferencial (:1) 4,200
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira eletroassistida, indexada à velocidade
FREIOS
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado/257
Traseiros (Ø mm) Tambor/203
Controle ABS (obrigatório) e distrib. eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas Aço, 5,5Jx14 (Opcional: alumínio 6Jx15)
Pneus 175/65R14T (Opcional: 185/60R15H)
Estepe Igual ás demais rodas
CARROCERIA Monobloco em aço, hatchback, quatro portas, cinco lugares
CAPACIDADES (L)
Porta-malas 300
Tanque de combustível 48
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.148
Carga útil 400
Peso rebocável sem freio 400
DIMENSÕES (mm)
Comprimento 3.998
Largura sem espelhos 1.724
Altura 1.500
Distância entre eixos 2.521
Bitola dianteira/traseira 1.465/1.500
Distância mínima do solo 149
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s, G/A) 11,8/10,8
Velocidade máxima (km/h, G/A 180/184
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL INMETRO/PBVE
Cidade (km/l, G/A) 12,9/9,2 km/l
Estrada (km/l, G/A) 14,4/10
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h) 33,1
Rotação a 120 km/h, em 5ª (rpm) 3.620
Rotação à vel. máxima em 5ª (rpm) 5.600

 

EQUIPAMENTOS FIAT ARGO DRIVE 1,3 GSR
Acionamento elétrico de todos os vidros com antiesmagamento
Acionamento elétrico dos retrovisores externos com função de inclinação para baixo no direito ao engatar ré
Alertas de limite de velocidade e manutenção programada
Apoia-pé para o motorista
Apoio de cabeça traseiro para os três ocupantes do banco traseiro
Ar-condicionado
Assistente de partida em rampas
Banco do motorista com regulagem de altura
Banco traseiro rebatível
Bolsas infláveis frontais (obrigatórias)
Borboletas para troca de marchas
Central Multimídia Uconnect de 7” tátil com Android Auto e Apple Car Play, Bluetooth, entrada USB e sistema de reconhecimento de voz.
Chave-canivete com telecomando para abertura das portas, vidros e porta-malas
Cintos de segurança traseiros retráteis de 3 pontos para os três ocupantes
Comando de câmbio por botões
Computador de bordo (distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso)
Controlador automático de velocidade de cruzeiro
Controle de estabilidade e tração
Defletor traseiro
Descansa-braço para o motorista
Desembaçador do vidro traseiro temporizado
Direção eletroassistida indexada à velocidade
Engates Isofix com fixação superior para dois bancos infantis
Espelho nos para-sóis
Iluminação do porta-malas
Iluminação interna ambiente
Iluminação interna com temporizador
Indicador de portas malfechadas
Limpador e lavador dos vidros dianteiro e traseiro com intermitência
Luz (faróis) de acompanhamento ao deixar veículos
Monitoramento de pressão dos pneus
Pisca-5
Porta USB para uso pelos passageiros do banco traseiro
Predisposição para rádio (2 alto-falantes dianteiros, 2 alto-falantes traseiros, 2 tweeters e antena)
Quadro de instrumentos de  3,5” com relógio digital, calendário e indicador de temperatura externa multifuncional em TFT, personalizável
Repetidoras de setas nos espelhos externos
Sinalização de frenagem de emergência
Sistema de partida a frio em baixas temperatura sem injeção de gasolina
Sistema desliga/liga do motor nas paradas rápidas
Terceira luz de freio
Tomada 12 V
Travamento central elétrico incluindo portinhola do bocal de abastecimento de combustível
Verificação dos instrumentos com varredura do velocímetro e conta-giros
Volante com comandos de rádio e telefone
Volante com regulagem de altura
(4.857 visualizações, 1 hoje)