Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas VOLKSWAGEN MAN PRODUZ SEU ÚLTIMO 18-310 TITAN TRACTOR – Autoentusiastas

O último cavalo-mecânico Titan Tractor produzido saiu das linhas de produção esta semana. depois de uma saga de 15 anos e 15 mil unidades fabricadas.

Lançado em 2002, o Volkswagen 18-310 foi desenvolvido a partir do antigo cavalo-mecânico 40-300 empregando a cabine-padrão Volkswagen surgida no Brasil em 1980. Tratava-se de um veículo destinado a tracionar reboques com três eixos com peso bruto total combinado (PBTC) até 43.500 kg, até então o limite para a época, focando operações em trechos curtos.

Para tal, a cabine sofria uma reestilização interna visando incrementar o conforto do motorista, com a adição de um pequeno sofá-cama, voltado apenas para o descanso do motorista, embora conversões independentes adicionassem um pequeno leito atrás do motorista.

O motor era o tradicionalíssimo e conhecido Cummins Série C turbo e com pós-resfriador, de 8,3-L e injeção mecânica com bomba injetora Bosch em linha, regulado para atendimento as normas Euro II, com uma regulagem especial para produzir 303 cv a 2.200 rpm. Embora bastante “esticado” em termos de potência, apresentava excelente durabilidade, marca registrada dos motores da marca.
Acoplado ao motor, o câmbio ZF 16S 1650 de 16 marchas sincronizadas à frente e duas à ré propiciava a presença de uma marcha adequada para melhor aproveitamento da faixa de trabalho do motor em função da velocidade desenvolvida.

O resultado foi uma máquina econômica, leve e de baixo custo de aquisição, comparativamente aos modelos Mercedes-Benz, Scania e Volvo, todas com excelentes produtos no mercado, contudo produtos maiores, mais caros para o desempenho de função semelhante ao Titan.

O acerto da marca no produto solicitado pelo mercado se deu pelo sucesso imediato do veículo, em especial com frotistas em que a compra do caminhão se dá mais focado do resultado financeiro do que em razões subjetivas, e neste quesito o Titan foi a mercadoria certa no momento certo de mercado.

Até 2006 o Titan reinou absoluto em seu segmento. quando então foi substituído pelo Constellation já empregando motorização eletrônica (o Cummins Série C eletrônico) e com alterações na Lei da Balança favorecendo a presença de veículos de maior capacidade de tração.

Desde então o Titan vem sendo comercializado apenas no mercado externo em países com legislação mais branda em termos de emissões. O “fim do Titan” encerra o ciclo de um produto que trouxe grande projeção à marca.

DA

 

FICHA TÉCNICA VW 18-310 TITAN TRACTOR
MOTOR
Modelo Cummins 6CTAA, Diesel
Alimentação Forçada por turbocompressor e interresfriador
Nº/disposição dos cilindros 6 em linha
Cilindrada (cm³) 8.270
Diâmetro dos cilindros (mm) 114
Curso dos pistões (mm) 135
Taxa de compressão (:1) 16,5
Potência líquida máxima (cv/rpm) 303/2.200
Torque líquido máximo (m·kgf/rpm) 122/1.500
Consumo específico (g/cv·h/rpm) 150/1.400
Sequência de injeção 1-5-3-6-2-4
Bomba injetora Bosch – P-7100 – em linha
Compressor de ar Wabco
TRANSMISSÃO
Câmbio ZF 16S1650
Acionamento Alavanca no assoalho
Nº de marchas 16 à frente, 2 à ré
Relações das marchas (:1) 1ª 15,39; 2ª 13,09; 3ª 10,57; 4ª 9,00; 5ª 6,96; 6ª 5,92; 7ª 4,58; 8ª 3,90; 9ª 3,36; 10ª 2,86; 11ª 2,31; 12ª 1,96; 13ª 1,52; 14ª 1,29; 15ª 1,00; 16ª 0,86; ré 14,44/10,59
Rodas motrizes/configuração Traseiras/4×2
Eixo traseiro Eixo rígido em aço estampado Meritor RS 23-160, relação de diferencial 4,10:1
SUSPENSÃO
Dianteira Eixo rígido com molas semi-elípticas, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora
Traseira Eixo rígido motriz com molas semi-elípticas de ação progressiva e mola auxiliar parabólica
DIREÇÃO
Modelo ZF 8097
Tipo Esferas recirculantes, assistência hidráulica integral
Relação da caixa de direção (:1) 20,1 a 23,8
RODAS E PNEUS
Rodas 7,5J x 22,5
Pneus 275/80R22.5 ou 11R22,5
FREIOS
Freio de serviço, acionamento A ar, S-came
Freio de serviço, tipo A tambor nas rodas dianteiras e traseiras
Circuito Duplo, independente, três reservatórios de ar
Área efetiva de frenagem (cm²) 4.232
Freio de estacionamento Câmara de mola acumuladora
Atuação Rodas traseiras
Acionamento Válvula moduladora no painel
Freio-motor Válvula tipo borboleta no tubo do escapamento
Acionamento Eletropneumático, tecla no painel e comando no acelerador/pedal da embreagem
CHASSI
Tipo Escada, perfil constante, superfície plana, rebitado e parafusado
DIMENSÕES (mm)
Distância entre eixos 3.560
PESOS (kg)
Em ordem de marcha, eixo dianteiro 3.740
Em ordem de marcha, eixo traseiro 2.300
Em ordem de marcha total, s/motorista, 90% da capacidade do tanque de combustível e com estepe 6.040
Capacidade técnica eixo dianteiro 6.000
Capacidade técnica eixo traseiro 10.800
Capacidade técnica por eixo total admissível 16.800
Bruto total (PBT) – homologado 16.000
Bruto total combinado (PBTC) – homologado 42.000
Capacidade máx. de tração (CMT) 42.000
Capacidade de carga útil + carroceria 33.960


Sobre o Autor

Daniel Araújo

Administrador de formação acadêmica, é antes de tudo, um apaixonado por automóveis e aviões. Busca compreender a história existente em um projeto e os porquês técnicos envolvidos. Sua atuação como como gerente de empresa agrícola durante 9 anos aguçou ainda mais essa curiosidade e a levou para os utilitários, máquinas e motores e veículos comerciais. Após excelentes contribuições pontuais ao AE se tornou editor regular.

  • Vinicius Pelegrini

    Será que o pessoal que não usa mais que 2.000 rpm vem de caminhões?!

  • Antonio F., por enquanto não.

  • Reginaldo Ferreira Campos

    A China salvou a VW do dieselgate comprando toneladas de sedãs VW.

  • Alexandre Martins

    Parabéns pela matéria, Daniel Araújo, está de parabéns. Uma pena esse modelo não estar mais entre nós, pois reinava como dito no texto até 2006. Tomara que venha um substituto à altura.

  • Daniel S. de Araujo

    ene, de fato não vou mentir…sou fã da linha Ford série F. Embora tenha aprendido a dirigir caminhão em um Mercedes LK-2213 (6×4!) foi com um F-11000 que tive minha maior convivência. Acabei virando um F-Fã!

    • ene

      Eu aprendi a dirigir com F-100 e F-350.

  • Luciano Lopes

    Há controvérsias: esse motor estourou muita turbina por aí . Acertaram com o Constellation 19-320, e depois veio a versão Marea, a 25-370 , que era esse motor esticado mais ainda …Acho que não existe mais nenhum 370 original , todos os motores foram trocados por, principalmente, Mercedes OM 404, que cabe como luva no cofre . Depois a MAN entrou com um 8,3-L totalmente novo, de 400cv e 420cv, mas as reclamações de falta de torque continuam.

    • Lucas Vieira

      O OM 404 não saiu no Brasil, o pessoal substitui muito pelo ISC ou pelo MB OM 457.

  • Douglas

    A Eaton Fuller?

  • Antônio do Sul

    Mas para esse problema a “criatividade brasileira” encontrou uma solução: existe um módulo eletrônico para conversão de motores Euro 5 para Euro 3, o que dispensa o uso do Arla 32 ou de sistema de recirculação de gases de escapamento.

  • Lucas Vieira

    Sem contar que nas subidas de serra era um desastre…. Dava um combate só com 1113 maçarico no truck….

  • Lucas Vieira

    Além de ser um motor para lá de “esticado” em cilindrada e potência, o maior culpado pelo seu fracasso (além da própria VW) foi o sistema EGR, inadequado para o Diesel S-1800 vendido na época. O desastre era certo, e conjugado com a severidade de uso no bitrem, não iam durar mesmo. Mas puxando carreta LS e usando diesel S-10, o motor roda bastante.

  • O atrativo de financiamento barato funciona muito bem; que o digam os irmãos Batista rapando um bocado de grana barata do BNDES…

  • Tyrion Lannister

    Obrigado!!