Neste caos em que o Brasil vive, com notícias a cada momento de mais e mais corrupção, até bilionária, um exemplo de extrema honestidade se destaca, e mais ainda por seu elo com um Fusca 1967. Vamos dar uma conferida nesta história que chega a ser emocionante.

Vamos falar de Milton Luiz Pereira, que nasceu em Itatinga, SP, no dia 9 de dezembro de 1932 e faleceu em Curitiba, PR, no dia 16 de fevereiro de 2012, um exemplo a ser seguido. Ele se mudou para Curitiba onde estudou Direito, de lá foi para Campo Mourão/PR onde a história ocorreu.

Foi Procurador Judicial Municipal e advogado credenciado pela Caixa Econômica Federal da Comarca de Campo Mourão. Dominava a palavra e cativava a quem o ouvia, foi porta-voz da prefeitura local. Esta tarimba vinha de sua atividade como radialista em Curitiba.

Em 1964 ele foi eleito prefeito de Campo Mourão e, em sua administração, o município recebeu o título de “Município Modelo do Paraná”. Ele saneou as contas do município, e dava conta da contabilidade da prefeitura através da rádio local.

O Dr. Milton tinha grande familiaridade com o microfone, pois tinha sido radialista em Curitiba

Organizou as secretarias. Construiu uma biblioteca. Terminou o prédio da prefeitura e chamou o prefeito que começou a obra para participar da inauguração.

Inauguração do Paço Municipal de Campo Mourão em 1964,; no centro o Dr. Milton, levando sua filha Gisele pela mão, e à direita o ex-prefeito Antônio Teodoro de Oliveira

Construiu a Praça da Matriz, que é o cartão postal da cidade. Construiu uma rede de esgotos…. Criou uma companhia para asfaltar o município, e assim por diante.

Homem de hábitos espartanos, ele tinha vendido o carro da família e tinha vários empréstimos com os quais ele equilibrava a economia doméstica; vida dura de um cidadão honesto.

Mas ele tinha formado um nome de peso como jurista e em 5 de abril de 1967 ele renunciou ao cargo de prefeito para assumir um almejado cargo de juiz federal. Eis que, pela iniciativa de amigos, foi feita uma coleta de dinheiro para pagar as dívidas do Dr. Milton (nome que usou nas eleições e pelo qual passou a ser chamado) e, como um brinde especial, foi comprado um Fusca zero-quilômetro que ele inicialmente não quis aceitar, mas depois de se certificar que era o reconhecimento da população da cidade a seu excelente trabalho como prefeito ele acabou aceitando o carro.

Entrando no seu Fusca pela primeira vez, Dr. Milton, D. Rizoleta e a pequena Gisele; o povo empurrou o carro da prefeitura até a casa deles

O filho do Dr. Milton, Marcus Vinícius Tadeu Pereira, lembrou que desde a chegada do Fusca, presente da população de Campo Mourão, o pai jamais comprou outro carro. Certa vez, em 1999, Dr. Milton foi convidado para palestrar no fórum de Curitiba. O Dr. Milton então foi com o “Fuca”. Ao chegar no estacionamento do fórum, o segurança implicou. Disse que ali só ficavam carros oficiais e que aquele Fusca não poderia ali permanecer. Milton então desceu e explicou que iria palestrar. Não adiantou. Então desceram do prédio as ordens de que aquele “Fuca” deveria ficar ali sim. Pois era nada mais que o principal homem da noite.

Hoje, o veículo está com aproximadamente 260 mil quilômetros rodados e carrega em seu interior uma mala antiga do ex-prefeito. Esta mala tem a sua história também; ainda na década de 60, após advogar para uma pessoa de Campo Mourão, Milton foi pago com a mala. “A pessoa não tinha dinheiro, então deu a mala”, lembrou Marcus.

A silhueta da mala dada em pagamento de uma causa pode ser vista no compartimento de bagagem atrás do banco traseiro do Fusca

Há muito o que poderia ser dito sobre a conduta ilibada do Dr. Milton, mas talvez uma passagem de sua vida possa dar um exemplo disto tudo. René Dotti, seu advogado e amigo, exaltou o rigor ético e funcional característico do Dr. Milton em qualquer uma das atividades que exerceu. “Era um juiz extremamente imparcial e muito corajoso nas suas decisões. Ele fazia valer o direito independentemente de qualquer situação”, avalia. Uma dessas decisões corajosas é citada por Luiz Edson Fachin, ministro do atual STF, que foi professor da Faculdade de Direito da UFPR e ex-colega do ministro Milton Luiz Pereira: o fechamento da Estrada do Colono para preservação do Parque Nacional do Iguaçu. “Ele jamais se verteu a qualquer tipo de pressão porque estava convencido de que essa era a melhor decisão para proteger o meio ambiente”, diz.

O Dr. Milton era muito dedicado à família, composta de seus cinco filhos e de sua amada esposa. Quis o destino que na madrugada do dia 16 de fevereiro de 2012 ele viesse a falecer, algumas horas depois do falecimento de sua esposa, Rizoleta Mary Pereira; ambos estavam internados no mesmo hospital, vítimas de câncer no pulmão.

Foto do casamento de Rizoleta e Milton

No segundo aniversário do falecimento do Dr. Milton, familiares e amigos decidiram continuar a sua obra e divulgar os seus princípios por meio de uma associação que congregue todos aqueles que compartilhem seus ideais e creiam ser possível ajudar a construir uma sociedade mais justa e solidária. Assim surgiu o “Instituto Milton Luiz Pereira” que é uma associação sem fins lucrativos, que visa realizar eventos para discussões de temas jurídicos e sociais, bem como promover ações sociais, mediante campanhas e convênios, unindo assim as duas grandes vocações (jurídica e humanista) de seu patrono, que lhe deu o nome.

E o Fusca azul também participa deste instituto através de sus silhueta que comparece no seu logo:

 

Logo do instituto, com destaque para a silhueta do Fusca

 

Assim o amor entre o Dr. Milton e seu querido Fusca foram eternizados.

Em tempo, o Fusca está em exposição no Teatro Municipal de Campo Mourão, comemorando os 50 anos da data histórica do presente dado pelos cidadãos locais ao Dr. Milton. Ficará lá até o aniversário da cidade em outubro.

Cerimônia da chegada do Fusca à Campo Mourão para a comemoração dos 50 anos da doação dele pela população para o Dr. Milton

Também, juntamente com esta presença do Fusca na cidade, foi divulgada a existência do “Instituto Milton Luiz Pereira” de Curitiba. Assim, se pretende que as atividades que já são exercidas em Curitiba sejam alastradas para Campo Mourão, cidade onde toda esta linda e dignificante história começou.

De uma maneira muito proativa e com um grande respeito e consideração o Dr.  Marcus Vinícius Tadeu Pereira, filho do Dr. Milton, que é Mestre em Direito pela Universidade Federal do Paraná ocupando o cargo de Procurador Regional, gere o Instituto que leva o nome de seu pai e trabalha em prol da sociedade curitibana e, também agora, da sociedade campo-mourense.

No vídeo abaixo uma revisão da história e a chegada do Fusca à Campo Mourão para as festividades dos 50 anos de doação do carro em agradecimento ao prefeito demissionário Dr. Milton

O Brasil bem que precisaria de um batalhão de Doutores Milton para enfrentar toda esta podridão que assola este país.

AG

Durante a coleta de material para esta matéria consegui fazer contato com o Dr. Marcus Vinícius Tadeu Pereira, filho do Dr. Milton, com o qual troquei correspondências sobre o que estava por ser escrito. Ele inicialmente comentou o seguinte: “Vi o site e o artigo. Muito obrigado pela consideração com meu pai e com sua história. Parabéns pela iniciativa. Quisera que houvessem mais exemplos assim”. Depois acertamos alguns detalhes do texto. Registro aqui o meu agradecimento à participação dele neste trabalho.
As fotos desta matéria, originalmente do acervo da família Pereira, foram coletadas em vários sites da internet.
NOTA: Nossos leitores são convidados a dar o seu parecer, fazer suas perguntas, sugerir material e, eventualmente, correções, etc. que poderão ser incluídos em eventual revisão deste trabalho.
Em alguns casos material pesquisado na internet, portanto via de regra de domínio público, é utilizado neste trabalho com fins históricos/didáticos em conformidade com o espírito de preservação histórica que norteia este trabalho. No entanto, caso alguém se apresente como proprietário do material, independentemente de ter sido citado nos créditos ou não, e, mesmo tendo colocado à disposição num meio público, queira que créditos específicos sejam dados ou até mesmo que tal material seja retirado, solicitamos entrar em contato pelo e-mail alexander.gromow@autoentusiastas.com.br para que sejam tomadas as providências cabíveis. Não há nenhum intuito de infringir direitos ou auferir quaisquer lucros com este trabalho que não seja a função de registro histórico e sua divulgação aos interessados.
A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(2.369 visualizações, 1 hoje)