Se “ficar zen” é ficar menos vulnerável às chateações corriqueiras que insistem em nos atazanar, o nome Zen até que caiu bem para a versão de entrada do Renault Captur. A suspensão é bastante macia, comandos são leves e os bancos. aconchegantes. Sendo assim, ele cumpre bem sua proposta de poupar seu motorista e outros ocupantes de coisas que incomodam, como o barulho do trânsito e os solavancos provindos do piso irregular.

Ambiente agradável, iluminado e arejado

Essa qualidade do Captur, do conjunto tratar bem quem está a bordo, realmente agrada. Outra delas é o ambiente claro e arejado. Sua linha de cintura é baixa, o que afasta a sensação de clausura. Suas dimensões estão bem próximas das do irmão Duster, porém de algum modo, ao dirigi-lo, principalmente no trânsito urbano, tem-se a sensação de ele ser menor, mais prático e ágil.

Apreciar o belo requer mente clara e aprendizado

O motor é o novo 1,6-l SCe, que produz 118 cv/120 cv a 5.500 rpm. O torque máximo é o mesmo com qualquer dos dois combustíveis, 16,2 m·kgf a 4.000 rpm. É o mesmo motor que equipa o Logan e o Sandero, mas nesses a potência é ligeiramente menor, 115/118 cv, e o torque perde 0,2 m·kgf. É elástico, bom para a cidade e vai muito bem de alta, com potência farta ultrapassar com folga mesmo carregado. Tem duplo comando de válvulas com acionamento por corrente e variador de fase no comando de admissão; são quatro válvulas por cilindro com injeção no duto. Dá conta muito bem do Captur Zen.

Motor SCe de 1,6 litro dá agilidade ao Captur Zen

O volante, de boa empunhadura, só tem regulagem de altura e seu campo de ajuste poderia ser maior; a de distância seria bem-vinda. A assistência de direção é eletro-hidráulica indexada à velocidade, é leve em manobras e firme na estrada. É rápida, mas não em exagero, o que convém a veículos altos com os suves (sua altura é de 1.619 mm). A alavanca de câmbio está bem posicionada, a mão “cai” naturalmente sobre ela. É leve, de movimentos curtos e precisos; o comando é a cabo.

Alavanca de engates leves e precisos; estranha, a localização dos interruptores de velocidade de cruzeiro e de limite de velocidade na parte final do pedestal da alavanca

São cinco marchas, todas bem escalonadas. A 5ª está adequada ao conjunto. A 120 km/h e em 5ª marcha o giro está a 3.500 rpm, ou seja, 250 rpm mais alta que no novo Logan, o que se explica pelo maior arrasto aerodinâmico do Captur. Seu maior arrasto se evidencia na velocidade máxima, que enquanto no Captur Zen ela é de 168 km/h, no Logan ela é de 184 km/h.

O consumo na estrada também aumenta. Enquanto no Logan obtive 14 km/l com gasolina, no Captur, 11 km/l, o que é considerado bom, pois viajei, como disse, carregado, e sempre rondando os 120 km/h reais. Na cidade obtive 9 km/l na média de alguns dias. Com álcool fiz 7 km/l na cidade e 9 km/l, na estrada.

Para referência, o consumo oficial Inmetro/PBEV é 10,9/7,6 km/l na cidade e 11,3/8,0 km/l, na estrada.

Está para chegar em breve câmbio automático CVT para o Captur Zen.

Bancos aconchegantes e muito confortáveis

Na estrada o ruído do motor se faz presente na cabine, e em maior nível quando abastecido com álcool. Merece melhor isolamento. Já o ruído de pneus é baixo, bem cuidado. Na terra, em ritmo forte, pegando buracos e depressões, se nota ótima engenharia da suspensão dianteira McPherson e traseira por eixo de torção. Não se sentem ou escutam-se pancadas de fim de curso, seja na distensão ou compressão da suspensão; a suspensão trabalha sem rumorosidade.

O Captur, apesar da imagem de “veículo projeto urbano”, é muito bom na terra. Seria melhor ainda se fosse possível desligar o controle de tração, pois caso ele atole na lama ou areia poderá haver problemas para tirar o veículo da incômoda situação.

Velocímetro exclusivamente de leitura digital

Na estrada me surpreendi com a boa estabilidade, tanto direcional quanto em curvas. Sua altura total e a altura em relação ao solo, 212 mm, fizeram-me supor que não teria um suve tão bom de estrada assim, resultando numa viagem rápida e tranquila. Os pneus 215/60R17 mostraram-se bastante adequados com seu perfil suficiente para dirigir despreocupadamente com relação a buracos, e proporcionam boa aderência.

Apesar da grande altura em relação ao solo, é bastante estável

Cuidados como ter a regulagem elétrica da altura do facho dos faróis e da luminosidade do painel também são convenientes para quem gosta, como eu, de pegar estrada à noite.

O tanque de combustível é de apenas 50 litros; seria desejável capacidade algo maior nesta terra em que usa álcool. O porta-malas é bom, 437 litros, e o encosto do banco traseiro rebate em 2/3-1/3. Esse banco oferece bom espaço geral para dois adultos. Não são dos mais confortáveis, o que é algo comum aos suves, mas poderia ter uma espuma mais macia e aconchegante. Não há saídas de ar-condicionado para trás e nem  pontos de energia ou entrada de USB.

Braços da suspensão dianteira na horizontal, geometria correta

Já os bancos dianteiros, com regulagem de altura para o do motorista, estão entre os melhores, são anatômicos e contam com espuma de boa densidade.

Porta-malas de 437 litros e encosto dividido 2/3-1/3

Fabricado em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, o Captur Zen tem preço inicial de R$ 78.900. A única cor sólida e sem acréscimo de preço é a branco Glacier; as cores metálicas cinza Acier e preto Nacré custam R$ 1.500. Após o Nissan Kicks foi a vez da Renault oferecer a pintura bitom, teto de cor diferente do resto da carroceria. São várias combinações possíveis, como  marfim com teto preto Nacré do carro testado, que custam R$ 2.900. Há o opcional Techno Pack, que consiste do MediaNav com tela tátil de 7″ e câmera de ré, por R$ 1.990, Portanto, o Captur Zen pode chegar a R$ 83.790, preço da unidade testada.

Não há como negar que a ênfase dada ao seu desenho é válida. Os homens ele agrada, as mulheres ele captura. Notei que elas pouco querem saber sobre como sua mecânica é, de onde vem, como anda, o quanto gasta, o quanto carrega, o quanto custa, etc. Elas gostam dele, o querem, e acabou.

O bonitão que dispensa apresentações

AK

Vídeo:

 

FICHA TÉCNICA RENAULT CAPTUR ZEN
MOTOR
Instalação Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote Alumínio / alumínio
Configuração / n° de cilindros Em linha / 4
Diâmetro x curso (mm) 78 x 83,6
Cilindrada (cm³) 1.597
Aspiração Atmosférica
Taxa de compressão (:1) 10,7
Potência máxima (cv/rpm) (G/A) 118/120/5.500
Torque máximo (m·kgf/rpm) (G/A) 16,2/16,2/4.000
N° de válvulas por cilindro Quatro
N° de comando de válvulas /localização/acionamento 2 / cabeçote com variador de fase / corrente
Formação de mistura Injeção no duto
ALIMENTAÇÃO
Combustível Gasolina  e/ou álcool
TRANSMISSÃO
Câmbio / rodas motrizes Transeixo manual / dianteiras
N° de marchas 5 à frente e 1 à ré
Relações de transmissão (:1) 1ª 3,727; 2ª 2,048; 3ª 1,321; 4ª 0,935; 5ª 0,756; ré 3,550
Relação do diferencial (:1)  4,88
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido, ABS
Dianteiros (Ø mm) Disco, 269
Traseiros (Ø mm) Tambor, 229
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal. amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência eletro-hidráulica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva (m) 10,7
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio
Pneus 215/60R17
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.273
Carga útil 449
CONSTRUÇÃO
Tipo Monobloco em aço, 4-portas, 5 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento 4.329
Largura (sem espelhos) 1.813
Altura 1.619
Distância entre eixos 2.673
Distância mínima do solo (vazio) 212
CAPACIDADES
Porta-malas  (L) 437
Tanque de combustível (L) 50
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h) (G/A) 169/178
Aceleração 0-100 km/h (s) (G/A) 13,3/11,9
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (INMETRO/PBEV)
Cidade (km/l) (G/A) 10,9/7,6
Estrada (km/l) (G/A) 11,3/8,0
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h) 34,2
Rotação 120 km/h em 5ª (rpm) 3.500
5.200
GARANTIA E MANUTENÇÃO
Duração da garantia 3 anos ou 100.000 km
Revisões, intervalo (km) 10.000
Troca de óleo do motor (km/tempo) 10.000 / 1 ano

 

EQUIPAMENTOS RENAULT CAPTUR ZEN
Acionamento elétrico de todos vidros um-toque
Ajuste de altura de ancoragem dos cintos dianteiros
Ajuste de altura do banco do motorista
Ajuste elétrico dos retrovisores externos com rebatimento também elétrico
Alarme perimétrico
Ar-condicionado
Assistente de partida em rampas
Chapa de saída na traseira, sob o para-choque
Chave-cartão mãos-livres e fechamento do veículo ao se afastar dele
Cinto de segurança traseiro-central de três pontos
Controle de estabilidade e tração
Detalhes em prata brilhante
Duas bolsas infláveis frontais obrigatórias
Duas bolsas infláveis laterais
Eco mode acionável por interruptor
Engates Isofix para bancos de crianças (2) com fixação superior
Indicador de troca de marcha
Limitador de velocidade e controle automático de velocidade de cruzeiro
Limpador e desembaçador do vidro traseiro
Luzes de rodagem diurna (DRL)
Rádio AM/FM com MP3 e quatro alto-falantes
Recuperação de energia nas desacelerações e freadas para o alternador gerar corrente elétrica
Repetidoras de setas nos espelhos
Sensor de estacionamento traseiro
Velocímetro digital
Volante de direção revestido em couro


Sobre o Autor

Arnaldo Keller
Editor de Testes

Arnaldo Keller: por anos colaborador da Quatro Rodas Clássicos e Car and Driver Brasil, sempre testando clássicos esportivos, sua cultura automobilística, tanto teórica quanto prática, é difícil de ser igualada. Seu interesse pela boa literatura o embasou a ter uma boa escrita, e com ela descreve as sensações de dirigir ou pilotar de maneira envolvente e emocionante, o que faz o leitor sentir-se dirigindo o carro avaliado. Também é o autor do livro “Um Corvette na noite e outros contos potentes” (Editora Alaúde).

Publicações Relacionadas

  • Adriano, leia essa minha matéria de 28 de abril último, lá tem toda a explicação do que é estol.
    http://www.autoentusiastas.com.br/2017/04/sua-excelencia-o-conversor-de-torque/

  • Aline Oliveira

    Adquiri o meu há quase 2 meses (AT). O carro anda muito bem e faz sucesso onde passa. Muito boa a matéria e o vídeo, sem comparações, mostrando com honestidade o desempenho do carro…show!!!

    • Zigfrietz Tazogh

      PK andou no 2.0 AT, e gostou.

  • Zigfrietz Tazogh

    Rotação máxima permitida pelo câmbio automático, quando o carro estar parado.

  • Victor Alves

    Os únicos Suves que me agradam atualmente são o Captur e o 2008 THP.

  • Arnaldokeller1 .

    Nilzio, não, não senti nenhuma insegurança em momento algum. Veja o vídeo. Tem um trecho de estrada de terra. Sigo rápido e falo bem da suspensão.

  • Leonardo Mendes

    Que se respeitem os gostos mas, honestamente, não vejo nada de beleza nas linhas desse carro… parece um sabonete, tanto pelo formato quanto pela cor.

    Porém, tenho que destacar: as informações do painel em língua portuguesa foram uma bela sacada.

  • Davi Reis

    Achei ele bem bonito, tem cara de francês. Ficaria com o câmbio manual, mas deve vender muito mais quando receber o câmbio CVT. Uma dúvida: os 2 cavalos a mais com álcool realmente aumentam tanto assim a velocidade máxima?

  • Alexandre Zamariolli

    ” Após o Nissan Kicks foi a vez da Renault oferecer a pintura bitom, teto de cor diferente do resto da carroceria.”
    Os Jeep Renegade e Compass também precederam o Captur nesse aspecto.

    • CorsarioViajante

      E muitos outros, inclusive os Mini e Land Rover já oferecem isso faz tempo.

    • Lucas Vieira

      E o Monza Classic safra 86 e 87 também.

  • Lorenzo, porque quer, ora…

  • Apesar das bolhas serem muito diferentes e atrair pessoas com gostos diferentes, a experiência ao volante é distinta. Eu já dirigi ambos e o AK também. Inclusive diz isso no vídeo.

    • Lorenzo Frigerio

      Tudo bem. Mas quantas pessoas além de vocês dois dirigiram ambos antes de comprar, ou têm o discernimento de notar a diferença? Parece uma sobreposição equivocada, ou canibalismo programado… mais uma esquisitice do mercado brasileiro. Como se vê nos Fiat… Mobi, Uno, Palio, Punto… todos carros pequenos, alguns com a mesma plataforma ou semi-plataforma. Incompreensível.
      Em tempo: até agora não vi um único Captur na rua. Será que está vendendo?

      • Lorenzo, qualquer carro novo demora a formar população de modo a ser visível nas ruas.

  • Fernando

    Arnaldo Keller, qual gosta mais? Captur ou Renegade?

    • Júnior Nascimento

      Exatamente a mesma pergunta que faria. Não em termos de aparência, mas de dirigibilidade mesmo, sobretudo para uso urbano.

  • Ricardo Blume

    Não dirigi o carro ainda mas será que um câmbio AT6 não melhoraria o consumo e o conforto? Deixem o AT4 para o Duster então.

  • CorsarioViajante

    Perfeito!

  • alex

    Gostei do Captur, fui conferir ontem acredito que vai ter um publico de compra, porém podiam ter tirado o tanque de partida a frio e também faltou um câmbio automático melhor.

  • BlueGopher, concordo plenamente, não há pior lugar para acomodar o estepe, pelas razões que você apontou.

  • Minha família está aqui do lado, olhando para minha cara e tentando entender porque estou rindo feito uma hiena ensandecida, rsrsrsrs!
    Melhor comentário do ano!

  • Eu vi um carro desses, achei o desenho dele muito bonito, superior demais ao Duster!
    Pena que o que eu vi, estava numa cor feia de dar medo, um tom meio “branco encardido/sorvete de creme”, igual ao de alguns Ford Ka. Eita corzinha estranha!

  • Badanha

    “A 120 km/h e em 5ª marcha o giro está a 3.500 rpm, ou seja, 250 rpm mais alta que no novo Logan, o que se explica pelo maior arrasto aerodinâmico do Captur . . .”. O Logan com o 1.6 8V gira a cerca de 3.000 rpm a 120. O 16V é normalmente mais girador. Como vc comparou com o Logal 1.6 Sce, pergunto :
    Não seria tanto pelo fato da 5a. marcha, 0,756, que poderia ser um pouco mais alongada, como também pela elevada relação de diferencial, 4,88:1 ?

  • Bucco, taxa de compressão, reposicionamento dos injetores (nos dutos de admissão e não no coletor), novo coletor de admissão, variador de fase na admissão, bloco de alumínio, diâmetro dos cilindros e curso dos pistões diferentes, etc.

  • Christian Govastki

    Caiu pouco… Mas e os preços? É só subindo.

  • Estevan Dario

    Certeza que irá fazer sucesso.

  • Alexandre Martins

    O vídeo e o texto estão de parabéns. Sempre aprendo muito e me vicio em ambas as produções que vocês fazem. Vocês não deixam uma informação faltar e descrevem a sensação com um embasamento perfeito. Parabéns. O carro realmente é bonito e agrada visualmente, porque de mecânica ele se resume a um Duster.

  • Zigfrietz Tazogh

    Sério ?

    Não tenho dúvida nenhuma, ele gostou muito mais do Renegade, em tudo.

  • Douglas

    Também acho feio, prefiro o Duster.

  • Douglas

    Lorenzo, questão de visual. Eu acho o Duster mais bem resolvido, outros já acham o contrário.
    Tem também o status trazido pelo Captur por ser novidade, tem quem compre carro para mostrar ao vizinho.

  • Douglas, não tenho; vou solicitar.

  • Douglas

    BlueGopher,
    De toda maneira irá sujar as mãos ao retirar a roda que estava sendo usada.
    O porta-luvas não tem esse nome por acaso, deixo lá um um par de luvas para essas horas.