Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas TOYOTA ETIOS 1,5 XLS 2018, NO USO – Autoentusiastas

— Querem testar o Etios 2018 hatchback 1,5 automático? — perguntou-nos a responsável pela frota de testes de Toyota.

Pensei rapidamente enquanto ela aguardava na linha minha resposta. Já fizemos inúmeros testes do Etios, repassei as matérias publicadas  e vi que ainda não havíamos testado a versão com esse conjunto motriz, só o sedã. Respondi que sim, embora eu soubesse que não houvesse mais o que testar no sentido estrito.

Mas havia o fato de ser um hatchback, tipo de carroceria que tem um quê a mais de agilidade que a sedã e que tem  minha preferência hoje, mesmo sabendo que, no caso do Etios, o espaço no banco traseiro não é tão generoso devido ao entre-eixos de 2.460 mm versus 2.550 mm do sedã (embora ainda seja muito bom). Mas quem precisa de espaço para bagagem a escolha deve ser o três-volumes e seu colossal volume de 562 litros (270 litros no hatchback, menos da metade).

Além de preferir os hatchbacks pelo aspecto dinâmico — balanço traseiro mais curto, menor momento polar de inércia —, o menor comprimento é um atrativo no nosso tempo de cada vez menos espaço para estacionar. Quase meio metro menos no comprimento (3.777 x 4.265 mm) faz diferença, fora que a enorme porta de carga tem sua praticidade inerente. Como última razão para a minha mudança de gosto, os fabricantes aprenderam a fazer hatchbacks com elevada rigidez torcional apesar da parte final da carroceria ser aberta, diferentemente do que eu observava trinta ou quarenta anos atrás.

Fora para-choque e grade dianteira diferentes, e a adição de saias laterais disponíveis antes só na versão de topo Platinum, nada mudou no desenho. Mas na linha 2018 há dois novos e importantes itens: engates Isofix com ponto de fixação superior e terceiro cinto de três pontos no banco traseiro.

A versão XLS passa a ser disponível apenas com câmbio automático — daí o título sem menção de tipo de câmbio, foi intencional — e custa R$ 61.590. Pode-se estranhar tal montante num hatchback compacto, mas ao considerar a dotação de equipamentos (não há opcionais) o conteúdo do veículo na lista de equipamentos ao final essa impressão muda.

Agradável

Talvez seja o melhor adjetivo que defina o Etios testado. Há nítido bem-estar a bordo, arejado, nada claustrofóbico, um rodar firme e controlado sem nenhum traço de desconforto, um motor suave e bem disposto em bom casamento com o câmbio automático epicíclico de quatro marchas. E frugal em combustível, o consumo Inmetro é 11,9/8,1 km/l na cidade e 13,2/9,2 km/l na estrada.

Estava com gasolina no tanque e numa viagem a Guarujá (para atender ao lançamento do Ka Trail) o computador de bordo registrou quase 14 km/l, ida e volta com ar-condicionado ligado e cumprindo os limites de velocidade com a tolerância legal de medição.

O quadro de instrumentos central à luz e imagem do Prius é mesmo um destaque do Etios. Além de bonito, decorativo, sua legibilidade é perfeita. Consultar a velocidade mostrada digitalmente é mover apenas os olhos lateralmente por um tempo que estimo em meio segundo, se tanto. Não faltam informações, pode-se ter conta-giros analógico virtual ou em barra horizontal quando o computador de bordo é exibido. A mudança do antigo e polêmico quadro  de instrumentos, que o Arnaldo batizou de “balança Filizola”, para o atual é o exemplo perfeito de fazer do limão uma limonada.

O câmbio, impecável. Troca rápido e suave e parece estar sempre atento ao que se quer fazer. Para freio-motor numa descida de serra suave (6%) como a utilizada, basta deslocar a alavanca para a esquerda e a quarta marcha é eliminada. A descida é vencida com o controlador de velocidade ligado, em terceira, mantendo a velocidade programada. O estol do conversor de torque é a 2.300 rpm, adequado às características do motor.

O que a Toyota pode providenciar é dar mais curso ao limpador de para-brisa. Como está falta uma parte importante ser varrida quando se precisa ver bem à esquerda.

A Toyota, assim como a Honda  — coisa de japonês? — não diz nada sobre desempenho, que estimo em 10~10,5 segundos para o 0-100 km/h e 170 km/h de velocidade máxima. O fato é que não se sente falta de aptidão para andar rápido, seja na estrada ou nas arrancadas de semáforo ou de cabine de pedágio.

Para ficar ainda mais agradável deveria haver faixa degradê no para-brisa e para ficar mais útil o encosto do banco traseiro tinha que ser dividido, pelo menos 50-50%. E faz falta o ajuste de altura da ancoragem do cinto na coluna central.

É isso o que tenho a dizer deste Etios e deixo por último algo que considero fundamental em qualquer carro: manobrabilidade. O diâmetro mínimo de curva dele é de apenas 9,6 metros. Como isso ajuda no dia a dia!

BS

(Atualizado em 15/04/17 às 19h20, inclusão de três fotos na galeria e informação de que falta um ajuste de ancoragem do cinto na coluna central)

Mais fotos, depois vem ficha técnica e a seguir a lista de equipamentos.

FICHA TÉCNICA ETIOS HATCHBACK 1,5 XLS 2018
MOTOR
Tipo 4 cilindros em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote, corrente, 16 válvulas,atuação indireta por alavancas roletadas com compensação hidráulica de folga, variador de fase admissão e escapamento, bloco e cabeçote de alumínio; flex, transversal
Cilindrada (cm³) 1.496
Diâmetro e curso (mm) 72,5 x 90,6
Taxa de compressão (:1) 13
Potência (cv/rpm, G/A) 102/107/ 5.600
Torque (m·kgf/rpm, G/A) 14,3/14,7/4.000
Formação de mistura Injeção no duto
TRANSMISSÃO
Câmbio Transeixo de 4 marchas, automático epicíclico, tração dianteira
Relações das marchas (:1) 1ª 2,75; 2ª 1,568; 3ª 1,000; 4ª 0,696; ré 2,300
Relação do diferencial (:1) 3,821
SUSPENSÃO
DIANTEIRA Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal e amortecedor pressurizado, barra estabilizadora
TRASEIRA Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado, barra estabilizadora incorporada ao eixo
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida indexada à velocidade
Relação de direção (:1) 18,6
Nº de voltas entre batentes 3,8
Diâmetro mínimo de giro (m) 9,8
FREIOS
Dianteiros A disco ventilado
Traseiros A tambor
RODAS E PNEUS
Rodas (pol.) Alumínio, 5,5J x 15  (estepe de aço)
Pneus 185/60R15H  (estepe temporário 175/65R14T
DIMENSÕES (mm)
Comprimento 3.777
Largura 1.695
Altura 1.510
Distância entre eixos 2.460
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha (kg) 965
Porta-malas (L) 270
Tanque de combustível (L) 45
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL INMETRO/PBVE
Cidade (km/l, G/A) 11,9/8,1
Estrada (km/l, G/A) 13,2/9,2
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 4ª (rpm) 41,5
Rotação a 120 km/h em 4ª (rpm) 2.900
Rotação à vel. máx. em 3ª (rpm) 5.900 (aprox.)

 

EQUIPAMENTOS ETIOS HB 1,5 XLS 2018
APARÊNCIA
Acabamento cromado da tampa do porta-malas
Acabamento interno das portas de tecido
Acabamento preto na coluna central
Defletor traseiro
Difusores de ar com acabamento cromado
Grade dianteira na cor da carroceria
Maçanetas externas e carcaça dos espelhos na cor da carroceria
Maçanetas internas com acabamento preto fosco
Manopla do câmbio com acabamento especial
Para-choques na cor da carroceria
Rodas de alumínio 15″
Volante com acabamento prata fosco
CONFORTO E COMODIDADE
Abertura elétrica do porta-malas
Abertura interna da portinhola do tanque de combustível
Acelerador de comando eletrônico
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros e traseiros (um-toque descida para o do motorista)
Ajuste de altura do volante de direção
Aquecedor
Ar-condicionado com filtro de pólen
Banco traseiro com encosto rebatível
Bancos em padrão couro Comfort Drive
Chave com comando de abertura e fechamento de portas
Computador de bordo com função ECO Wallet
Console central com dois porta-copos dianteiros e um traseiro
Conta-giros
Controlador automático de velocidade de cruzeiro
Descansa-braço no banco do motorista
Direção eletroassistida indexada à velocidade
Para-sóis com espelho
Porta-malas com iluminação
Travas elétricas
Volante de direção revestido de couro
SEGURANÇA
Alarme de cinto não atado
Alarme de faróis ligados
Alarme de portas malfechadas
Alarme periférico antifurto
Apoio de cabeça para passageiros do banco traseiro (3)
Bolsas infláveis frontais
Cintos dianteiros com pré-tensionador e limitador de força
Cintos traseiros retráteis de três pontos (3)
Desembaçador do vidro traseiro
Engates Isofix com pontos de fixação superior para dois bancos infantis
Faróis de neblina
Freios ABS com distribuição eletrônica das forças de frenagem
Imobilizador de motor
Jogo de tapetes (4 unidades)
Limpador e lavador do vidro traseiro
Repetidoras de setas nos espelhos
Terceira luz de freio (conjunto de LEDs)
ÁUDIO
Antena de teto dianteira
Dois alto-falantes e dois tweeters
Rádio/toca-CD com MP3, Bluetooth e entrada USB, com tela tátil com espelhamento de smartphones

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • ene

    Em tempo:
    Texto simples, sem firulas e objetivo.
    É assim que eu gosto.

  • ene, gosto muito de limpadores de braço único pantográfico. O primeiro Renault Twingo era assim e o VW SP2 tinha dois limpadores com o do motorista pantográfico. Quando bem desenhado o movimento de translação da palheta varre uma área maior do o de movimento em arco, com o do primeiro Uno.

  • Luis Carlos K., no “eu atrás de mim” há pequena vantagem para o sedã.

  • Lorenzo, esse painel, nesse carro, é melhor do que a localização ortodoxa, garanto-lhe.

  • David, muito estranho.

    • Guylherme Rodrigues Alves

      Não, é normal. Tenho um sedã X 2017 manual que também possui os itens.

  • Marcio Felix

    https://uploads.disquscdn.com/images/16c2fa49dc3d72af4cc05678ab56310fc9996e6f10a08909d195825f5f0b617a.jpg Tenho um da série especial Ready 1,5 automático 2018 (baseado no XS) há dois meses, e o carro só tem me surpreendido positivamente. Ótima estabilidade, direção muito leve na cidade, espaço interno bom, câmbio e motor excelentes e a economia de combustível impressionante. Fiz uma medição na rodovia dos Bandeirantes (SP-Campinas), sem ar condicionado e com duas pessoas no carro a 100 km/h, e a média final de consumo com gasolina foi de impressionantes 23,4 km/l!
    Tirei a foto abaixo após 100 km do início da medição, já na rodovia D Pedro I. Na cidade faz 13,5 km/l com ar ligado o tempo todo

  • David Diniz

    A Toyota em minha opinião acertou em cheio em ter colocado o câmbio do Corolla antigo no Etios. Muito melhor que qualquer automatizado. E 4-marchas? Sim é, mas está muito bem casado ao motor e não “esgoela” o desempenho

  • David, nas listas de equipamentos da linha 2017 não constavam, foi isso. De qualquer maneira, bom que tenha.

  • Luís Carlos K., acredito, o problema é que não constavam da lista de equipamentos do ano-modelo 2017. De qualquer forma, são dois pontos muito bons.

  • David, o descansa-braço no banco do motorista e o controle de cruzeiro constam da lista de equipamentos da versão testada. O XLS agora só é oferecido com câmbio automático.

    • David Diniz

      Bob, meu XS automático tem o descansa-braço e o controle de cruzeiro, tudo de fábrica, só a versão manual que não tem esses itens.

  • Silvio, de fato, passado um ano certos detalhes podem ser esquecidos. Contribuiu a lista de equipamentos de 2017, da qual foi compilada a de 2018, não ter esses itens.

  • Invalid, tem que ser muito, mas muito burro para ter o carro colhido por um trem. Que imbecil!

  • Marúcia, vou repetir: consumo do nosso carro é aquele que nós queremos. Não adianta dizer que se faz tantos quilômetros com 1 litro, o que vale é consumo obtido dentro do mesmo padrão quando se trata de comparar. Compare os consumos Inmetro do Sandero R.S. — 8,3/5,9 km/l cidade e 10,8/7,6 km/l com os dados publicados na matéria e veja a diferença. É claro que o Renault 2-litros anda muito mais que o Etios 1,5, ainda mais automático.

  • Invalid, é a figura do “isperto”- burro.

  • Rafael Ribeiro

    Carroceria hatchback tem quase que obrigação de ter banco traseiro rebatível de forma dividida, torna o carro muito mais versátil, principalmente quando o porta-malas é pequeno como este. Vivo utilizando esse recurso em minha perua (save the wagons!). No mais, um carro muito interessante, principalmente na cor azul escuro metálico, que o valoriza muito (todo carro costuma “casar melhor com certas cores).

  • David Diniz

    Eu já consegui fazer 12 km/l na estrada com o meu usando álcool e ar- condicionado ligado.

    • David, “O consumo do nosso carro é aquele que nós queremos” — eu.

  • David Diniz

    Normalmente sim.

  • Francisco, baseado no que você diz, há alguma coisa errada com o comando eletrônico do câmbio. Peça um diagnóstico e análise em outra concessionária.

    • Francisco Ornero

      Obrigado.

  • Luis Carlos K.

    Na realidade não há problemas quanto a isso pois as saídas são facilmente reguláveis, no meu Etios por exemplo, uma fica voltada mais para o alto e para o centro, em direção ao ocupantes da segunda fila, e a outra fica voltada para o motorista. Portanto há apenas a saída na extremidade direita do painel em direção ao banco do carona. Do ponto de vista visual, fica mesmo um pouco desequilibrado, mas isso é questão puramente estética.

  • RoadV8Runner

    Bob,
    Uma dúvida: as fábricas explicam o porquê de recomendarem abastecimento com gasolina em intervalos regulares, nos atuais motores flex? Acho isso estranho, pois os antigos motores que usavam somente álcool no tanque funcionavam muito bem, sem problemas pelo uso exclusivo do combustível “completão”. Isso me parece mais uma jogada do tipo “já que…”, ou seja, já que aceita gasolina, vamos recomendar o uso de vez em quando…
    Abraço!

    • RoadV8Runner, nenhuma dá uma resposta convincente, tanto que é “recomendamos abastecer” e não “abasteça”. Em geral é para “limpar”…

  • Douglas, 149,21 mm, r/l = 0,303. A biela é igual no 1,3-l e 1,5-l.

  • Vinicius, melhor rir mesmo.

  • Lucas dos Santos, não é irresponsabilidade, é burrice, e extrema. Motorista de carro colhido por trem deveria ter a CNH cassada, nunca mais poder dirigir.

  • Eduardo Sérgio, “fui fechado por outro motorista” — é suficiente dar um toque de freio, não precisa dar “golpe de direção”.

  • Tuhu, não tem nada de feio, exagero seu (e de muitos). Analise bem. Nunca vi “falhas de acabamento” nele. E diga, que falta faz não se poder fazer trocas manuais? Não poder brincar de piloto? E não tem nada de pé-de-boi na linha, admira-me você dizer uma bobagem dessas.

    • Uber

      Pois eu acho uma pena que as versões básicas ainda não tenham câmbio automático, porque eu acho muito chato estarmos subindo uma ladeira numa boa e ter que se segurar por se aproximar de um fulano que está se rastejando por ele não saber trocar marcha.

      • CorsarioViajante

        Acho que todas podem receber automático.

  • invalid_pilot

    Uma pena que a Justiça daqui é capaz de tratar esse irresponsável como coitado e não dar punição que merece.

  • Uber

    Oi, você pode colar o link do YouTube que o Disqus cuida do resto:

    https://youtu.be/3YUPzVgQy40

    • ochateador

      Mas eu quis postar a matéria para facilitar o entendimento das pessoas….

  • Corsário, não mesmo.

  • Marúcia, onde é BSB?

  • ViniciusVS

    Eu vivo em um mundo que 4 mil não é considerado renda alta nem de longe, com uma renda assim da para pagar o aluguel, financiamento do carro e pagar as contas.

    O dia que o Etios virar um carro de luxo podem fechar a porta e apagar a luz, seria a pior crise da história do Brasil, nem nos anos 60 fusca era considerado carro de luxo, hoje com várias facilidades não tem como considerar nem o Corolla Altis um carro de luxo muito menos um Etios.

  • ViniciusVS

    E vende Etios na Europa? é esse o ponto que ele não quer entender, Etios é um carro popular independente da situação econômica do País. Quem sofre mais com a crise é o pobre e não o rico, o rico vai continuar trocando de carro ou mantendo o seu usado de alto padrão fazendo as revisões. Quem está caindo um degrau está caindo o padrão de modo geral.

  • Marúcia, só se for de Brasília Goiânia, para descendo de 1.100 para 750 metros de altitude em 209 quilômetros.

  • CorsarioViajante

    Não necessariamente, para mim faz falta pela quinta porta, colocar volumes grandes na boca estreita dos sedãs é sempre ruim e por isso eu prefiro hatches, peruas, minivans, qualquer coisa que abra aquela tampa enorme e facilite a vida na hora de carregar.

  • Mike, faróis esticados e rabiscados? Ich!

  • Tuhu, não dá para usar o carro assim? Para mim dá perfeitamente. Mas quando se quer achar pelo em ovo, se acha.

  • Maurúcia, faz sentido ter-se o carro que se queira. Ter carro não é para agradar os outros.

  • Marúcia, como assim, Brasília? Nomes próprios não têm sigla. BSB é a sigla aeronáutica do aeroporto internacional de Brasília, como GIG é aeroporto internacional do Rio de Janeiro.

  • Mike, a ética não me permite comentar essa sua opinião.

  • Ricardo Blume, quando o Fusca surgiu por aqui em 1950 era pavoroso. Em 1976 fizeram piada do Fiat 147. Você e muitos leitores estão com ideia fixa a respeito do desenho do Etios, desculpe.

    • Maurilio Andrade

      Concordo plenamente Bob.
      Não consigo achar o Etios feio como as pessoas dizem.

      • Maurílio, por mais que eu tente entender onde está o feio que tantos falam, simplesmente não vejo onde.

        • Renato Texeira

          Bob, quando eu fui ver, junto com a minha esposa, o Etios 2018 em uma concessionária, tivemos a mesma impressão que você comentou em um dos seus vídeos. Ou seja, o Etios não é um carro lindo, mas está longe de ser um carro feio.

  • Yuki Ohashi

    Bob, o Etios hatch 2018 aumentou o comprimento para 3,884 m em função dos novos parachoques.
    Obrigado pela matéria, estava aguardando a opinião de vocês.
    Abraço.

  • Z_H

    Não perca seu tempo. Eu não me importo com o que você pensa.

  • Z_H

    Não precisa se sentir inferiorizado. Continue andando com o seu carro (não me interessa qual é) e se achando melhor que todo mundo.
    E para mim chega.

  • Renato Texeira

    O fato de ser considerado feio é de certa forma uma vantagem, já que o carro normalmente fica menos perceptível para a bandidagem…

  • Alexandre Bianchini, você não leu porque isso não é ponto de análise, já que em todo carro de câmbio automático é possível frear com o pé esquerdo. Seria o mesmo que dizer que o carro tem alavanca dos indicadores de direção.

  • Fat Jack, é a rotação em que o conversor deixa de multiplicar torque.

  • ViniciusVS, ambos são bem-vindos, mas falta de ajuste de altura do cinto não incomoda a maioria dos biotipos, ao contrário da falta da faixa.

    • Bob, do “alto” do meu 1,66 m, eu preferia 10 vezes a regulagem do cinto à faixa degradê.
      Andar com a tira raspando o pescoço não é legal, rsrs.

      • Mike, já dirigiu o Etios e viu se raspa?

        • Bob, levei um Etios de Maringá a Joaçaba SC. Adorei o carro.
          Raspar, não raspou, mas ficou bem pertinho, encostando às vezes.
          É duro ter esse tamanhão todo, rsrs.

  • Mike, sei disso. É que o linguajar estava fora do padrão, só isso.

  • Bijuja

    Sinceramente, eu não gostei da parte elevada que fica na parte de baixo da dianteira do carro, mas não é impedimento para achá-lo bonito.

  • João Carlos, não deve por segurança, estando folgado o cinto perde sua função. Estude com ela a melhor posição longitudinal do banco combinado com a inclinação do encosto. Deve ser possível chegar a uma posição em que cinto a incomode o menos possível. Lembre-se que mesmo nos carros que têm ajuste de altura de ancoragem do cinto o campo de variação não é tão grande.

    • João Carlos

      Vou ver isso com ela, obrigado.

  • Rolim, ainda não.

  • Thales, a direção não é lenta com relação 18,6:1.Ocorre que as rodas esterçam mais que a média dos carros, daí a sensação de ter que dar voltas demais no volante.

    • Thales Sobral

      Não é sensação não, eu ando os mesmos percursos com os dois carros, e preciso dar muito menos giro no volante para fazer as mesmas curvas no Fiesta do que no Etios.

      • Thales, não vejo diferença para outro carros, sinto muito. De qualquer maneira não vejo chance de a Toyota alterar a relação de direção para atender um cliente. Eu próprio, se perguntado, não recomendaria.

  • Thales, conheço o New Fiesta.

  • João Carlos, absolutamente certo, parabéns!

  • Esse limpador é bom, varre bem. Mas como disse o Bob, fica um pedaço meio grande à esquerda.
    Veja esse video do Arnaldo Keller, de 2013.

  • Eu fiz 16,5 com o 206 1,4 indo a SP. Na volta, trazendo a sogra, fez menos de 14…
    Carro “lastreado” é dose!

  • Gustavo Foltran, só com matéria específica a respeito. Vou cuidar disso.

  • Roberto Neves

    Que agressividade gratuita! Isso é típico de quem não mostra o rosto e se esconde na internet. Este site é marcado por posições fortes, mas sempre educadas. É lamentável esse tipo de resposta.

  • Fat Jack, vou escrever a respeito de conversor de torque, aguarde; os outros leitores também.