A GM passou às mãos do exército americano (US Army), sob responsabilidade do centro de engenharia, pesquisa e desenvolvimento de tanques e veículos automotores (TARDEC), uma picape Colorado ZH2 movida a pilha a combustível (fuel cell em inglês). O carro será levado a vários locais nos EUA para avaliações do sistema de propulsão, considerando o uso futuro para veículos militares.

“O que estamos fazendo através deste esforço é entender o potencial completo dessa tecnologia para o futuro”, disse o Dr. Paul Rogers, diretor da TARDEC. “O que vocês podem ver aqui, nesse formato, é fenomenal. Agora o que queremos fazer é olhar a utilidade militar disso”.

A Colorado ZH2 a pilha a combustível foi mostrada estaticamente em outubro passado, e foi feita a partir de uma ZR2 com entre-eixos maior e reforços estruturais, além de todas as alterações para o sistema de fuel cell, que passa energia para motores elétricos. A pilha pode exportar energia, ou seja, alimentar equipamentos elétricos, sem o uso de geradores ruidosos externos, importante em questões militares em territórios problemáticos.

A pilha a combustível gera água como resíduo, item vital em campos de batalha. Mesmo não sendo potável, é indispensável.

O sistema de pilha a combustível que a GM desenvolve para uso civil deverá ter metade do tamanho desse da Colorado em testes, mas com a mesma potência, disse o diretor da General Motors para atividades de pilha a combustível, Charlie Freese.

A TARDEC continuará trabalhando com o Departamento de Energia dos EUA e acadêmicos na área desse tipo de pesquisa para acelerar a introdução em serviço do sistema. Como afirmou o Dr. Rogers “A tecnologia por si só é emocionante”, e adicionou que a TARDEC e os militares de uma forma geral não querem ser surpreendidos por problemas potenciais da tecnologia, enfatizando que “nesse ano estaremos focando em tudo”.

Após a ZH2 ser submetida às necessárias avaliações, Rogers espera que por volta do final do verão no hemisfério norte (setembro), o time possa se reunir e entender o que será possível no futuro.

Trata-se de uma estratégia de extrema inteligência da General Motors, já que as especificações militares são, em regra, muito mais severas que as do mundo civil, e o que for aprovado dessa forma, será virtualmente indestrutível no mercado comum.

JJ

 

(486 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas