Em 3/9 do ano passado testei o Gol Highline 1,6 que, como se sabe, é propulsionado pelo motor de 1.598 cm³ EA111 e não o mais moderno EA211 de exatamente mesma cilindrada, porém com arquitetura de duplo comando de válvulas e quatro válvulas por cilindro. Era a versão de câmbio manual e àquela altura fiquei surpreso com a desenvoltura do “velho” motor, que mostrou sinais evidentes de revitalização sem que tivesse sido anunciada pela VW qualquer mudança que o justificasse.

Assim, ao solicitar a mesma versão de Gol, mas com o câmbio robotizado I-Motion, o foco foi justamente este controverso câmbio, já que não havia o que analisar no motor em particular e no modelo como um todo, o que pode ser visto no teste assinalado com link acima.

Para adquirir a versão “sem pedal de embreagem” será preciso pagar R$ 56.960 mais R$ 3.462, ou R$ 60.392 no total, sem opcionais. Estes, bem com a relação dos equipamentos de série, podem ser vistos no final após a ficha técnica. Assim, tudo somado, este Gol Highline sai por R$ 65.394. Mas caso o comprador queira a cor vermelho Flash são mais R$ 438, ou se escolher uma das quatro cores metálicas, serão R$ 1.433 adicionais. Portanto, o teto de preço do Gol Highline 1,6 I-Motion é R$ 67.365.

Andando com I-Motion

Agradável e fácil são as duas palavras que definem o Gol com esse câmbio. É dar partida no motor, puxar a pequena alavanca seletora para trás e trazê-la lateralmente para a esquerda onde estão as letras D/M, e acelerar. Caso se queira dar ré, em vez de movê-la lateralmente, trazê-la toda para trás onde está marcado R.

Alavanca seletora e de troca de marchas manuais fácil de usar

 

No caso dos VW com I-Motion não há o avanço lento (creeping). No plano, carro fica parado sem estar freado. Eu preferiria que tivesse, facilita as manobras, mas a VW explica que no caso de aclives muito suaves o motorista poderia deixar o carro imobilizado apenas pelo trabalho do motor em marcha-lenta, ocasionando desgaste desnecessário da embreagem. Teria que haver muita autodisciplina do motorista ao ver que o carro estava parado nessa situação e aplicar freio, com o quê a embreagem desacopla.

O “velho” motor EA111 de 101/104 cv continua a prestar bom serviço e sua elasticidade está maior que nunca

Em compensação, a calibração do acelerador é de tal ordem que basta uma pressão mínima no pedal para carro andar, quase um “semi-creeping”. Não causa nenhum problema ao manobrar, como aproximar-se de um parede e estacionar bem junto dela.

A desenvoltura para a velocidade ir crescendo é bem natural, as interrupções de potência durante as trocas de marcha são desprezíveis, deixando as famosas “cabeçadas” no passado. Ao desacelerar gradualmente, freando pouco, as marchas vão baixando em sucessão, e sempre suavemente. Ao arrancar o câmbio já está em primeira.

A  função de redução ao acelerar forte e rapidamente, o kickdown, também mostra boa calibração, podendo-se retomar velocidade na mesma marcha se assim se quiser.  Mas ao se precisar de maior aceleração a função está à disposição. É muito fácil.

Tudo isso de modo automático e que pode ser realçado premendo o botão S no pedestal, retardando as trocas ascendentes e tornando-as mais rápidas.

Para as trocas manuais dá-se um toque na alavanca para a esquerda alternando de automático para manual e com movimentos longitudinais da alavanca fazem-se as trocas: para frente sobre marcha, para trás, reduz. Na redução sempre ocorre a aceleração interina automática, em que o computador do sistema supera a habilidade humana na sincronização de rotação do motor com a velocidade do carro na marcha a ser engatada. Dá imenso prazer.

Mas não é só no uso manual que ocorre esta aceleração. Mesmo em automático (D), ao frear no plano ou descida antes de uma curva ocorre redução automática com aceleração interina. Essa característica existe no I-Motion há algum tempo.

As relações das marchas do I-Motion são ligeiramente diferentes do câmbio manual, em que 2ª, 3ª e 4ª foram encurtadas —  2ª de 1,954 para 2,250, 3ª de 1,281 para 1,515, e 4ª de 0,927 para 1,026. Primeira 3,455 e 5ª 0,740 são comuns aos dois câmbios, bem como o diferencial 4,188. O gráfico dente de serra mostra bem as diferenças:

Segundo a VW, o encurtamento objetiva intervalo numérico menor entre as marchas mais baixas, visível no gráfico: nas trocas 1ª-2ª e 2ª-3ª a queda de rotação é menor. É mais conveniente em câmbios do tipo I-Motion, de acordo com a fábrica.

O desempenho com I-Motion é marginalmente menor. A aceleração 0-100 km/h com o manual é 10,1/9,8 s; I-Motion, 10,8/10,6 s. No primeiro a velocidade máxima é 186/188 km/h; no segundo, 185/187 km/h. No caso do número mais alto o motor está a 5.300 rpm, o que denota cálculo exato do resultado final da quinta marcha — apenas 50 rpm acima da rotação de potência máxima. A 120 km/h verdadeiros em 5ª o motor segue a 3.380 rpm, rotação conveniente.

Assim como ocorre com apreciadores de Fiat Uno/Grand Siena e Renault Logan/Sandero, que gostam de carros com dois pedais, quem é fã da marca VW, especialmente do Gol, tem a opção do câmbio I-Motion. E não se arrependerá.

Vídeo

BS

 

FICHA TÉCNICA VW GOL 1,6 HIGHLINE I-MOTION 2017
MOTOR
Instalação Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote Ferro fundido/alumínio
Configuração / n° de cilindros Em linha / 4
Diâmetro x curso (mm) 76,5 x 86,9
Cilindrada (cm³) 1.598
Taxa de compressão (:1) 12,1
Potência máxima (cv/rpm, A//G) 101/5.250 //104/5.250
Torque máximo (m·kgf/rpm, A//G) 15,4/2.500 // 15,6/2.500 rpm
N° de válvulas por cilindro Duas, atuação indireta por alavanca-dedo roletada, fulcum com compensador hidráulico
N° de comandos de válvulas / localiz. Um, correia dentada / cabeçote
Comprimento da biela (mm) 138
relação r/l 0,314
Formação de mistura Injeção eletrônica no duto
Combustível Gasolina comum e/ou álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes / câmbio Dianteiras / robotizado
Número de marchas 5 à frente + ré
Relações de transmissão (:1) 1ª 3,455; 2ª 2,250; 3ª 1,517; 4ª 1,026; 5ª 0,740; ré 3,182
Relação do diferencial (:1) 4,188
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora de Ø 20 mm
Traseira Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica
Diâmetro mín. de curva (m) 10,8
Relação de direção (:1) 14,9
N° de voltas entre batentes 3
FREIOS
De serviço Hidráulico, duplo-circuito em diagonal, servoassistido, EBD
Dianteiros (Ø mm) Disco ventilado, 256
Traseiros (Ø mm) Tambor, 200
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio 6Jx16
Pneus 195/50R16V – estepe 195/55R15H temporário
PESOS (kg)
Em ordem de marcha 1.045
Peso bruto total 1.450
Carga máxima 405
Rebocável 400 com/sem freio
CONSTRUÇÃO
Tipo Monobloco em aço, hatchback 4-portas, 5 lugares, subchassi dianteiro
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx) 0,345
Área frontal (m²) 2,01
Área frontal corrigida (m²) 0,693
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento 3.897
Largura sem/com espelhos/com repet. 1.656 / 1.893 / 1.898
Altura 1.469
Distância entre eixos 2.466
Bitola dianteira/traseira 1.429/1.416
CAPACIDADES
Porta-malas (L) 285
Tanque de combustível (L) 55
Reservatório de gasolina part. a frio (L) 0,8
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s, G/A) 10,8/10,6
Aceleração 0-1.000 m (s, G/A) 32,7/32,4
Retomada 80-120 km/h, 5ª (s, G/A) 13,6/13,4
Velocidade máxima (km/h. G/A) 185/187 km/h
CONSUMO INMETRO/PBEV
Cidade (km/l, G/A)) 11,1/7,6
Estrada (km/l, G/A) 13,1/9,2 km/l
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 5ª (km/h) 35,5 km/h
Rotação em 5ª a 120 km/h (rpm) 3.380 rpm
Rotação em vel. máx., 5ª (rpm) 5.300 rpm
MANTENÇÃO
Revisões (km/meses) 10.000/doze
Troca de óleo do motor (km/meses) 10.000/doze
GARANTIA
Termo 3 anos veículo completo, 5 anos perfur. chapa

 

EQUIPAMENTOS GOL 1,6 HIGHLINE 2017
DE SÉRIE
Acionamento elétrico dos vidros
Ajuste de altura do banco do motorista
Ajuste de altura dos cintos dianteiros
Ajuste de altura e distância do volante de direção
Ajuste elétrico dos espelhos externos com orientação para baixo no direito ao engatar ré
Alarme com controle remoto
Alças de teto
Alerta de frenagem de emergência
Alerta sonoro e visual de cinto do motorista desatado
Alto-falantes (6) e tweeters (2)
Antena de teto traseira
Apoio de cabeça no banco traseiro (3)
Ar-condicionado com filtro de poeira e pólen
Banco traseiro com encosto rebatível
Chave tipo canivete com controle remoto
Cintos dianteiros com pré-tensionador e limitador de carga
Cintos traseiros laterais 3-pontos e central subabdominal
Console central com porta-copos
Desembaçador do vidro traseiro
Espelho externos e maçanetas na cor do veículo
Faróis de neblina
Iluminação no porta-malas
I-System com Eco-Comfort – computador de bordo
Lavador e limpador do vidro traseiro
Par luzes de leitura dianteiras e traseiras
Parassóis com espelho e iluminação
Pneus 195/55R15
Porta de carga com abertura elétrica
Porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros
Repetidoras de setas nos espelhos
Retrorrefletores no para-choque traseiro
Revestimento dos bancos em tecido
Rodas de alumínio 15″ “Marga”
Sapatas de pedais de desenho esportivo
Sensor de obstáculos traseiro
Sistema de infotenimento Composition Media com MirrorLink
Tampão do compartimento de carga removível
Tapetes em carpete
Tomada 12 V no console central
Travamento de portas elétrico
Volante multifuncional revestido de couro comandos de áudio e do I-System
OPCIONAIS
Conjunto Highline completo consistindo de controle automático de velocidade de cruzeiro, encosto do banco traseiro bipartido, espelho interno fotocrômico, faróis com função de aproximação e afastamento do veículo, pneus 195/50R16, revestimento dos bancos em couro sintético “Native”, rodas de alumínio 16″ “Varvito”, sensores de chuva e crepuscular – R$ 3.555,00
Suporte para celular – R$ 342,00
Conjunto Modulo Navegação consistindo de sistema de infotenimento “Discover Media” com tela tátil, Bluetooth, comando de voz, navegação e App-Connect, suporte para celular – R$ 1.987,00
Cor vermelho Flash sólida – R$ 438,00
Cores metálicas azul Lagoon, cinza Platinum, prata Sirius e prata Tungstênio – R$ 1.433,00
(6.578 visualizações, 1 hoje)