Da Automotive News

A divisão espanhola da Volkswagen, Seat, já vendeu seus modelos no Brasil em anos passados. Sempre quase iguais aos modelos da VW em tudo exceto estilo externo e interno, nunca foram bem aceitos, talvez pelo fato de ser uma marca desconhecida aqui. Mas agora os espanhóis querem  aumentar seus mercados, e colocaram a América Latina e a África nos planos.

O presidente da marca, Luca de Meo, revelou que a marca Seat irá assumir o papel de liderança na nova fábrica do Grupo Volkswagen na Argélia, onde será fabricado o Seat Ibiza, o Škoda Octavia e os Volkswagen Golf e Octavia. A Škoda é a marca da Volkswagen para o leste europeu, e é originária da República Checa. Como no caso da Seat, são Volkswagens com estilo diverso e preços mais baixos, encontrando bons mercados também fora de suas áreas principais de atuação. Há, por exemplo, muitos Škodas na Alemanha.

Mesmo com essa ampliação de área de atuação, de Meo enfatizou que a Itália e a França continuam sendo trabalhadas para que os modelos Seat tenham maior participação por lá, mesmo com o objetivo de ter ao redor de 30% das vendas fora da Europa.

No caso da América Latina, a prioridade será o México, o que pode significar a chegada de modelos como o suve Ateca, recém-lançado na Europa, aqui no Brasil. O Ateca (foto) tem muitos componentes que provêm do Tiguan, mas tem estilo muito mais temperado, menos alemão e mais latino, obviamente. Em avaliações pela mídia britânica, está sendo muito bem aceito, com notas altas em praticamente todos os quesitos.

A produção começa já no segundo semestre desse ano com o novo Ibiza, que terá kits enviados desde Martorell, na Espanha, se constituindo numa produção do tipo CKD, ou seja, kits completamente desmontados são enviados pelo fabricante para outra planta, e lá o carro é montado.

A Seat — Sociedad Española de Automóviles de Turismo — foi fundada em 1950 e produzia veículos sob licença Fiat. Em 1990 passou para o Grupo Volkswagen.

JJ

 

(1.036 visualizações, 1 hoje)