Categoria sinaliza grande crescimento para a temporada 2018/2019. Equipes tendem a se tornar construtoras. Audi deve ser a próxima.

 

Na temporada 2018/1019 vários fabricantes deverão participar oficialmente da categoria (F-E)

O grupo francês PSA vai se tornar um novo fabricante  da categoria F-E, que usa monopostos movidos a energia elétrica. A informação foi dada por Xavier Mestelan Pinon, diretor da DS Performance, divisão do grupo francês que engloba a Citroën, a Peugeot e a DS, marca premium dessa corporação. A DS Performance disputa a categoria de carros elétricos em associação com a equipe Virgin e já efetuou testes de avaliação parcial do sistema. Um teste mais completo está previsto para o início do mês de abril, logo após a etapa do México dia 1º de abril, na Cidade do México.

Atualmente o trem de força (foto), chassi e pneus são padronizados para toda a categoria (F-E)

A DS Performance espera obter em breve a licença de fabricante que deve ser expedida pela FIA. Além dela a Renault (ligada à e-Dams) e a Jaguar (Williams) também já iniciaram o desenvolvimento de peças para a temporada 2018/2019, quando o regime de equipamento padronizado será bastante reduzido e vários itens  poderão ser fabricados por diferentes empresas. Essa possibilidade vai consolidar a tendência de cada equipe firmar laços mais importantes com grandes fábricas. A Audi, por exemplo, deverá ser a próxima a anunciar planos mais ambiciosos.

Atualmente o modelo usado para fabricar o carro da categoria envolve a Spark Racing Technoloy (que fabrica o chassi projetado pela Dallara), McLaren (motor elétrico) Williams Advanced Engineering (sistema de baterias) e a Hewland (transmissão). Outra grande novidade para a temporada 2018-2019 será a utilização de apenas um carro durante toda a corrida; atualmente a pouca autonomia das baterias impõe a troca de monopostos durante as provas.

WG

(625 visualizações, 1 hoje)