O Honda Civic atual, que temos no Brasil desde meados de 2016, não tem nada de discreto. Depois de décadas com um desenho sedado, o carro em produção chama atenção em qualquer ambiente, atendendo a anseios de clientes que antes nunca o viram como um carro desejável.

Mas ainda não temos no Brasil o que japoneses, europeus e até mesmo americanos já sabem que poderão comprar em muito breve, a versão Type R.

Apresentado no começo do mês de março  em Genebra, o Civic Type R tem motor i-VTEC turbo de 2 litros com 310 cv e 40,8 m·kgf, tração  dianteira, enviada por um câmbio manual de seis marchas. Não há opção de robotizado nem automático para esse modelo. Para diminuir a velocidade, freios Brembo com  pinças de quatro pistões e discos de 350 mm de diâmetro na frente e 305 mm atrás. Os pneus são 245/30R 20.

Acelera de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos e atinge 270 km/h.

O carro é inteiramente melhorado para trabalhar com mais potência. A carroceria tem reforços que a fazem 38% mais rígida à torção, condição sempre desejável para o trabalho mais preciso das suspensões, que trazem braços inferiores e mangas de eixo dianteiras em alumínio, amortecedores adaptativos, molas e buchas menos filtrantes e mais esportivas, diferencial de deslizamento limitado.

No estilo, não vai ter como passar perto de um policial sem ele desconfiar que se estava andando mais rápido do que as placas permitem. O carro é todo radical, com caixas de roda alargadas, entradas e saídas de ar para motor e freio, defletores e asas, além de geradores de vórtices no teto para aumentar a eficiência do aerofólio. Um ponto interessante é a saída do escapamento tripla e centralizada, que lembra o do Ferrari F-40.

Nos Estados Unidos o preço deverá ao redor de US$ 30 mil, na mesma faixa de Focus RS e Golf R.

Sem dúvida um carro que não podemos ficar apenas na vontade aqui no Brasil.

JJ

(913 visualizações, 1 hoje)