Capital paranaense, famosa por sua estrutura de transporte urbano, pelas obras turísticas e mais recentemente por estar no noticiário diuturno pela intensa atividade para apurar e punir os mal feitos contra empresas públicas e Petrobrás, tem outro item de diferenciação: mais um museu de automóveis.

Agora, além do Museu do Automóvel administrado pelo Clube de Automóveis e Antiguidades Mecânicas, dentro do Parque Barigui, o colecionador Antônio Kowalski erigiu novo templo de admiração à cultura do automóvel. É o Curitiba Antique Car.

Foge e inova na disposição dos itens colecionáveis, veículos, automobilia. Kowalski, do ramo, reuniu veículos de sua predileção e propriedade, e criou cenários para abrigá-los, ilustrando-os com bonecos de cera. Ali estão, testemunhas silenciosas, cópias do presidente John Kennedy, do ator Arnold Schwarzenegger, cantor Michael Jackson, do referencial Abraham Lincoln (na foto de abertura) e por si só se constituem em atrações paralelas.

Fugindo à exposição estática, equipamentos de realidade virtual permitem a sensação de conduzir veículos antigos nos mais famosos autódromos.

Ingressos a R$ 35,00. Estudantes, professores e pessoas com mais de 60 anos pagam meia-entrada. Fica à Av. Manoel Ribas, 5.026, no conhecido bairro de Santa Felicidade.

 

Como será o mercado em 2017

Projeções de como será o mercado para o corrente ano partem de um ponto considerado boa notícia: o contínuo declínio de vendas foi detido. Ou seja, a herança de Lula e Dilma foi interrompida, estancando as demissões no setor. Recuperação é assunto no qual se tateia, variando o enfoque de êxito. Fenabrave, a federação reunindo revendedores autorizados prevê expansão de 5% sobre as vendas do exercício passado, na prática 2.085.680 unidades. Anfavea, associação dos fabricantes, calcula contidos 6%, e no setor Carlos Zarlenga, presidente da GM, tem a aposta mais forte na atividade: crê em ora entusiasmados 10% de produção e vendas ante o exercício passado.

Como

Se os números podem variar positivamente, qual será a forma de vender os veículos da série 2017?

Presidente da GM no Brasil disse no Salão de Detroit ao bom sítio argentino Autoblog manter a política de sua empresa, há 16 meses na liderança de vendas. O caminho adotado em seu pequeno período de comando na GM Argentina foi adotar o figurino americano: descontos e promoções.

Fez isto no vizinho país, repetiu no Brasil e logo abriu a trilha seguida por outros fabricantes.

Pela declaração deve-se esperar exercícios de criatividade aritmética, by-passes, transferindo entrada ou prestações, ou juros contidos, ou descontos líquidos, ou valorização dos usados; faturamento direto fabricantes–compradores creditando pequena comissão aos distribuidores. Na relação, Séries Brancas, nome para edições de vida fugaz com atrativos de composição e preço.

Se tal disputa ocorrer, será ótima para o consumidor preparado, pesquisador e com interesse em discutir descontos e facilidades. Aliás, 2017 será outro ano da caça.

Zarlenga, liderança e promoções

 

Sem alarde, o Audi A3 sedan 2017

Sinal de intensa competição no mercado, Audi antecipou mudança e já enviou à rede revendedora o modelo A3, 1,4 sedã. Sucesso no mundo e no Brasil. A ele agregaram-se tecnologias disponíveis em outras versões mais caras, com alteração frontal sinalizada por novos faróis em LED, lanternas, grade e para choques.

Internamente o incremento na incorporação de difusores de ar, console central, tela rebatível, volante, pomo da alavanca de marchas e painel virtual do A4.

Mecânica mantém o motor 1,4 turbo, com injeção direta, produzindo 150 cv de potência e 25,5 m·kgf de torque a simplórias 1.500 rpm, versões gasálcool e álcool, câmbio com acionamento Tiptronic e seis marchas. A dotação mecânica gratifica sensações de aceleração de 0 a 100 km/h em 8,8 s e velocidade máxima de 215 km/h.

Mantidas as boas características de construção, com equilíbrio entre eixos, uso de alumínio na carroceria e suspensão para conter o peso em 1.215 kg.

Duas versões, Attraction e Ambiente, esta em dois níveis: Design, com bancos em couro sintético e teto solar; e Plus com retrovisor antiofuscante, computador com mostrador colorido e Audi Sound System.

Preços competitivos: Attraction R$ 115 mil e Ambiente, R$ 124 mil.

Audi A3 sedã 2017

 

Dakar, suas certezas e surpresas

Encerrado o Rallye Dakar, este ano disputado em Argentina, Bolívia e Paraguai, resultados variados: quase certeza, com vitórias variadas: de uma das três equipes melhor preparadas e de maior investimento na prova; surpresa com o brasileiro Danilo Torres vencendo na categoria UTV; e graça geral, a chegada de equipe argentina com veículo misto, cruza de picape velho como motor de Chevrolet Camaro novo.

Dentre as dúvidas, se em 2018 o Dakar virá novamente para a América do Sul. Neste ano, por conta das chuvas e alagamentos a prova teve interrupção e suspensão de duas etapas em nome da segurança. Crê-se, em torno de 1.500 km tenham sido suprimidos.

O Dakar, antes chamado Paris-Dakar, distância onde era disputado ao seu início, fugiu da África evitando crises políticas, encontrando na orografia da América do Sul seu melhor habitat, além de patrocinadores de países e estados por onde passa. Oferece enorme poder de divulgação, motivando grandes investimentos para buscar bons resultados permitindo associar a marca à capacidade de vencer em terrenos sáfaros. Investimento grande, nesta edição não contou com a presença oficial da Mitsubishi, sempre uma das principais concorrentes. Os custos e o novo controle acionário pela Renault determinaram a saída.

Peugeot venceu nos três primeiros lugares, com 3008 DKR; Toyota fez 4º e 5º, MINI 6º e as três marcas se embolaram até o 10º posto.

MINI, marca BMW, levou time grande: oito veículos. Chegou com sete e marcou sexta posição com modelo John Cooper Works Rally — Cooper foi piloto inglês preparador de Minis para corridas, nome de relevo na Europa, aproveitado pela Mini para identificar o carrinho às vitórias esportivas.

Surpresa

Numa competição onde o dinheiro, as enormes verbas aplicadas pelas grandes marcas tem alijado o espírito esportivo, foi generosa surpresa um carro de construção artesanal, juntando um velho picape Rastrojero, pioneiro na indústria automobilística na Argentina, sobre suspensão frontal modificada e motor Chevrolet Corvette. Foi o carro de maior empatia junto ao público, ficando em 36o entre os 51 classificados.

Um argentino Rastrojero com motor Camaro

 

Roda-a-Roda

Caça – Após a descoberta das emissões poluentes acima das normas pelos motores 2,0 Volkswagen, governos variados resolveram auditar o setor. EUA torceu o parafuso sobre a FCA, dizendo 104 mil picapes RAM diesel 3,0 estão na mesma situação.

Não – FCA protestou duramente por seu grande chefe Sergio Marchionne: Não somos criminosos. E politicamente disse tratar o assunto sob o governo Trump, esperando naturais mudanças nos organismos oficiais.

Pauta – Normalmente os assuntos automobilísticos do início do ano são sobre as novidades do Salão de Detroit. Neste 2017 outros temas se incluíram na agenda: acordos, multas, prisão de executivos da VW e da japonesa Takata.

Questões – O primeiro pelo Dieselgate, a fraude dos motores diesel. Outro, os inquantificáveis danos, ferimentos e mortes causadas por airbags defeituosos.

Mais – Indústria americana, japonesa, europeia, todas submetidas a questionamentos parametrizados às emissões, a grosso modo está enfrentando os Sergio Moro e as Lava Jato de lá.

Extra – No pacote para o futuro Ford anunciou no Salão de Detroit investimentos em veículos híbridos e montagem do centro City Solutions  para soluções para mobilidade — na América do Sul analisam Buenos Aires e São Paulo —, ampliação do projeto Chariot, de compartilhamento baseado num aplicativo.

Fico – BMW manteve os investimentos para fazer Serie 3 no México, como anunciou em 2014. Ameaça de Donald Trump em sobretaxar veículos importados em 35% não abalou os alemães. Marca também opera fábrica nos EUA.

Questão – Ciclo de vida das empresas grandes supera o dos governos, e nem tudo prometido em campanha se materializa.

Ajuste – Recaro, fornecedora de bancos para carros esportivos e de nicho, novos conceitos na linha Adient direcionada a picapes e utilitários esportivos. Unem atitude esportiva e conforto ao dirigir.

Mais – Diversificando produtos além da lubrificação automobilística, Total fechou acordo com a Seppic. Farão ingredientes para linha diversa: produtos para pele, maquiagem, bloqueador solar…

Da moda – Cinza Galante, dita luxuosa, marca-se por partículas perolizadas azul, verde e prata, produzindo efeito brilhante em tons escuros, sugerindo sofisticação. É a Cor Automotiva do Ano 2017 pela Axalta, líder setorial.

Caminho – Seu Relatório Global de Popularidade de Cores Automotivas 2016 indicou tendências por posição geográfica dos clientes. Prata lidera na Europa e EUA, 6% e 5%; Coréia, 7%. Cinza à frente: 17% Europa e 16% EUA. Na América do Sul 41% prefere o branco. Mais? Cinza Galante em  axalta.com/color.

Picape – Depois da surpresa da apresentação do Creta e do conceito STC — Sport Truck Concept —, Hyundai acelera lançamento pretendendo tê-lo no mercado em 2018. Utilizará a mesma plataforma do Creta, criada sobre as antigas de Tucson e Elantra.

Hyundai prepara picape sobre o conceito STC

Aula – Ideia de picape surgiu no Salão de Detroit 2015, ao expor ousado conceito sobre plataforma Tucson. Entretanto lançamento e sucesso de vendas de Renault Oroch e Fiat Toro fizeram a coreana mudar o rumo, e o fez com surpreendente e inusitada rapidez.

Mais – Depois do Cruze GM estuda produto para incluir na linha de produção em sua fábrica argentina de Rosário: será um SUV, possivelmente baseado nesta plataforma.

Apuro – DS, marca de luxo do conglomerado PSA (Peugeot Citroën), operando através da rede Citroën, em seu plano de iniciar-se como marca isolada a partir de 2018, iniciou selecionar revendedores para próxima expansão. Aos outros distribuiu circular informando suspender faturamento.

Combinação – Liberdade aos operadores de postos para estabelecer os preços de combustível gerou abuso aferido em sete cidades. Apurando conluio e cartel através dos sindicatos da categoria, o Cade, Conselho Administrativo da Defesa Econômica, do Ministério da Justiça, abriu processos em sete cidades.

Onde – Brasília, Belo Horizonte, Natal, São Luiz, João Pessoa, Goiânia e Joinville. Investiga outras seis.

Alfa – Abertas as inscrições para o Alfa Romeo Brasil 2017, encontro bienal dos aficionados da marca em Caxambu, MG. Feriado de Corpus Christi, 15 a 18 de junho, Encontro de camaradagem, leve, bom conteúdo de palestras, custos palatáveis. Gosta? Veja em www.alfaromeobrasil.com.br

Fórmula 1Felipe Massa voltou ao seu lugar na equipe Williams de Fórmula 1, na revolução causada pela inesperada aposentadoria de Nico Rosberg. OOOO Felipe Nasr não obteve patrocínio suficiente. OOOO Axalta, de tintas e acabamentos, novo co patrocinador da equipe AMG Mercedes Petronas. OOOO

GenteNorberto Klein, ex-Head da Mopar, marca de acessórios da FCA, transferido. OOOO Diretor Comercial América Latina e novos negócios da Magneti Marelli. OOOO Para lugar na Mopar, Francesco Abruzzesi, ex-diretor geral da Citroën e diretor da GM. OOOO

RN

A coluna “De carro por aí” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(212 visualizações, 1 hoje)