Foram duas farras de redução de velocidade. Uma há um ano e meio, de autoria de um prefeito petista (só poderia); outra, de uma reles associação de ciclistas urbanos que teve o desplante de entrar com ação contra a modificação nos limites das marginais marcadas para implementação amanhã (25), vias que sequer utilizam.

Amanhã paulistanos e todos os brasileiros têm um excelente motivo para comemorar o 463º aniversário de São Paulo — a 90 km/h, à “estonteante” velocidade de 90 km/h nas  pistas expressas das marginais do Tietê e do Pinheiros.

No final o Bem sempre acaba vencendo o Mal (Foto: ogritodobicho.com)

Parabéns por mais esta vitória, prefeito de São Paulo João Dória Jr., eleito em primeiro turno, a maneira democrática e inequívoca de defenestrar quem tanto maltratou os 1,7 habitante que ocupam cada automóvel nesta capital. Aquele que disse “o paulistano vai pensar duas vezes antes de tirar o carro da garagem”. Coisa de inimigo público nº 1 do automóvel, que tem parte da responsabilidade pela crise no setor.

Hoje (24) o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), pela desembargadora Flora Maria Nesi Tossi Silva, acolheu recurso da prefeitura e suspendeu a liminar que suspendia o aumento de velocidade — na verdade o restabelecimento dos limites de antes — nas duas vias marginais de rios da cidade de São Paulo, estúpida e brutalmente reduzidos na gestão Fernando Haddad.

E vocês, membros dessa tal de Ciclocidade – Associação de Ciclistas Urbanos de São Paulo, se manquem. Por que não vão pedalar à exaustão, em vez de procurar atrapalhar a vida de quem se desloca usando um meio de transporte que não é individual?

Agora é esperar pelas novas correções de velocidade regulamentada, como na importante via Radial Leste e seu infame limite de 50 km/h, que certamente virão.

AE/BS

(368 visualizações, 1 hoje)