A Seat, marca espanhola do grupo Volkswagen, mostrou o Leon Cupra com mais potência, 300 cv do motor TSI  2-litros e com torque máximo de 38,7 m·kgf, ganhando 10 cv em relação à versão anterior.

Trata-se da mesma potência do Golf R, carro do qual o Leon é irmão muito próximo em projeto estrutural e dinâmico, mas que no estilo externo e interno é muito distante, como de praxe na divisão latina da marca alemã, onde as emoções visuais são mais valorizadas.

o Leon Cupra é o Seat de maior potência, e tem carrocerias de duas e quatro portas, além da perua, para nosso deleite (#SAVETHEWAGONS). O modelo básico vem com tração dianteira com diferencial autobloqueante Haldex, marca tradicional que fornece esse componente para vários fabricantes de carros de tração dianteira com muita potência, mas na versão ST há sistema de tração nas quatro rodas, também com componentes Haldex. Seja com tração em duas ou quatro rodas, o câmbio manual de seis marchas é de série.

Na parte eletrônica, tem os mesmos equipamentos que já começam a ficar comuns em carros médios, como controle de distância do veículo à frente, detecção de pedestres e frenagem automática nesse caso, e seguir carro à frente em trânsito lento, sem precisar acelerar ou frear da parte do motorista. Óbvio que são equipamentos para vender carros para o mercado não entusiasta, o que coloca o modelo como uma mescla de características desejáveis e outras totalmente dispensáveis.

Também sob o domínio da eletrônica estão a habitual caixa robotizada de dupla embreagem DSG do Grupo VW e os amortecedores que variam a carga com controle eletrônico, ambos itens opcionais a custo extra.

Há várias opções de desenhos de rodas,  combinadas com cores que são adotadas também nos retrovisores e grade dianteira, fazendo feliz o cliente mais discreto e os extrovertidos também.

Seria uma ótima opção para o Brasil.

JJ

(93 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas