Em 24 de novembro último recebi uma mensagem via Facebook que abriu uma nova oportunidade de conhecer um homem surpreendente e sua coleção. Um jovem colecionador e empresário, Bojidar Shebov, de Sofia, a capital da Bulgária.

Tive de pesquisar em mapas do Google para encontrar Sofia e recordar a posição de Bulgária na Europa, e o mapa abaixo atualizou as dúvidas que eu tinha:

ag-69-foto-01

Mapa do Google mostrando a posição da Bulgária em relação aos países com os quais ela tem fronteiras

Esta foi a mensagem que ele enviou para mim:

“Oi, Sr. Gromow,
Meu nome é Bojidar.

É uma grande honra escrever para um grande homem, como você!
Eu li muito sobre você, e suas atividades relacionadas com o VW Beetle!
Eu estou interessado em VW Beetle desde os meus dez anos, com 19 anos eu comprei o meu primeiro VW Beetle, modelo 1300/1966, agora eu tenho 39 anos. Desde então lido ativamente com besouros!
Conheço todos os modelos muito bem, mas os brasileiros se tornaram muito interessantes, e eu decidi que eu deveria ter um modelo destes!
Eu conheço e sou amigo de muitos colecionadores e comerciantes famosos de VW Beetles, e um deles é o internacionalmente conhecido Bob van Heyst da B.B.T. grande loja de peças especializada em Volkswagens antigos da cidade de Sint-Job-in-‘t-Goor, na Bélgica, que me ajudou a comprar o meu Fusca Itamar Série Ouro e um segundo, um modelo 1986, que eu encontrei nos EUA.

A minha coleção inclui:

VW Split Standard 1950
VW 1200 – Export 1959
VW 1300 – Export 1965-66
VW 1300 – Weltmeister – 1972
VW 1200 – Jeans – 1975
VW 1303 – La Grande Bug – 1975
VW 1200 – 1976
VW 1303 – Conversível – 1979 (especificação USA)
VW 1200 – Silver Bug – 1981 (México)
VW 1200 – Jeans – 1982 (México)
VW 1200 – Berinjela – 1983 (México) 3 unidades
VW 1200 – Vermelho veludo – 1984 (México)
VW 1600 – Fusca – 1986
VW 1600 i -1996 (México)
VW 1600 – Série Ouro – 1996 (chassi 0985)
VW 1600 i – 1997 (México)

Esta é a minha história!

Saudações
Bojidar”

Tenho que admitir que fiquei feliz por saber que alguém na Bulgária sabe quem sou e, por outro lado, fiquei surpreso e curioso sobre uma coleção tão grande e que tinha Fuscas brasileiros também; isto porque eu não tive o contato com o cenário de fãs Volkswagen búlgaros até aquele momento. No topo disso, uma das fotos que ele me enviou foi realmente surpreendente, é a foto de abertura deste artigo. Você pode imaginar esse enorme espaço lotado com Fuscas e outros modelos Volkswagen? Neste galpão são guardados os carros não restaurados. E isso é apenas uma parte da coleção! Parece ser uma loucura. Então, perguntei ao Bojidar se ele poderia me ajudar a relatar aos meus leitores algo sobre esse “achado”, e aqui está o resultado dessa cooperação.

Vamos começar dando uma olhada na história. Fiquei curioso para saber quando o primeiro Volkswagen chegou à Bulgária e como os Volkswagens veteranos chegaram a àquele país. Bem, a Bulgária em um determinado momento da Segunda Guerra Mundial cooperou com a Alemanha, então os primeiros Volkswagens que chegaram foram versões militares; outras marcas alemãs também vieram para a Bulgária naqueles tempos. Um exemplo da presença de Fuscas veteranos por lá foram os KdF-Wagen 1942 e 1943 que o colecionador alemão Hermann Walter resgatou na Bulgária em 1991, logo após a queda do comunismo lá. Foi um grande achado!

Pesquisando um pouco na enciclopédia, foi possível descobrir que a história militar da Bulgária, durante a Segunda Guerra Mundial, abrange um período inicial de neutralidade até 1 de março de 1941, um período de aliança com as Potências do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) até 9 de setembro de 1944 (em 8 de setembro, o Exército Vermelho entrou na Bulgária) e um período de alinhamento com os Aliados no último ano da guerra. A Bulgária funcionou como uma monarquia constitucional durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial. O czar Boris III (reinou de 1918 a 1943) governou com um primeiro-ministro e um parlamento.

Como consequência da Segunda Guerra Mundial, a União Soviética invadiu a Bulgária e um regime comunista foi instalado com Georgi Dimitrov ao leme. A monarquia foi abolida e o czar enviado ao exílio.

Bem, então a dúvida seguinte foi: havia Volkswagens sendo importados para a Bulgária durante o governo soviético? Eu pensei que a resposta seria não, porque o Volkswagen era um carro bastante caro para a Bulgária naquela época. Bojidar disse-me: “Durante a influência soviética havia carros da Volkswagen à venda na Bulgária. Os primeiros começaram a aparecer no início dos anos 60. A empresa que foi o parceiro da Alemanha aqui se chamava ‘Raznoiznos’, um representante geral da Volkswagen para a Bulgária. Mas essa empresa só atendia a um pequeno grupo de pessoas “protegidas” ou diretamente ao governo do país. ”

O primeiro Fusca do Bojidar

Ele lembrou que o primeiro carro que ele comprou foi um Volkswagen cujo primeiro proprietário o havia comprado em 28 de maio de 1966 da empresa STHU “Raznoiznos”,  de Sofia. O certificado de garantia ainda estava escrito em alemão e o carimbo do agente de vendas dizia que era o “Generalimporteur von ‘Volkswagen’ für Bulgarien” (importador geral da Volkswagen para a Bulgária), como pode ser visto na figura abaixo:

ag-69-foto-02

Certificado de garantia do primeiro Fusca que o Bodijar comprou; a pequena quantidade de veículos comercializados não deve ter justificado a tradução dos documentos de fábrica, como este que permaneceu em alemão para carros vendidos na Bulgária

Trata-se de um VW Tipo 1/255 que traduzindo é um VW 1300 tipo exportação, no caso ano 1966 e de cor vermelha que faz parte da coleção particular do Bojidar. Algumas fotos deste carro que tem um valor especial dentro desta interessante coleção:

 

Assim, o mistério foi resolvido, e novamente ficou claro que os “privilegiados” tiveram a oportunidade de dirigir Volkswagen em um país comunista; e isto permitiu que os Volkswagens continuassem presentes na Bulgária durante a fase comunista.

Mas eu tinha uma dúvida adicional e perguntei ao Bojidar: se posso imaginar que o Fusca não era uma presença comum na Bulgária, já que sua produção na Europa foi interrompida em 1978 e a Cortina de Ferro caiu no começo dos anos 1990, então como você acabou sendo um fã deste carro? Ele respondeu: “Esta não era a realidade na Bulgária. Havia muitos carros Volkswagen na Bulgária durante a minha infância e a primeira coisa que me cativou foi a forma do Fusca. Eu tinha cerca de dez anos e me apaixonei completamente por eles para a eternidade.”

Além disso, ele explicou que: “Assim como na Europa, também na Bulgária, nos anos 80 não era difícil encontrar Vochos mexicanos, e durante o socialismo também se encontravam alguns Fuscas brasileiros, e nos anos 70 havia inclusive SP2 por lá”.

ag-69-foto-03

Da direita para a esquerda: Angel Petrov, Bojidar Shebov e a repórter do jornal

Neste ponto Bojidar explicou ter um parceiro, Angel Petrov, que também é a principal razão para esta coleção ter sido iniciada. Na foto ao lado, ambos estão sendo entrevistados por um jornal em Wolfsburg, na Alemanha. Eles têm mais de 280 carros Volkswagen no total, e levou muitos anos para encontrar todos esses carros. Eles são mantidos em locais diferentes, eles têm dois galpões, um deles é mostrado na foto de abertura. Os carros restaurados são mantidos em outros locais. Além disto, eles têm um grande estacionamento e algumas pequenas instalações.

Considerando sua coleção particular, Bojidar diz que ele não pode apontar um favorito, porque ele gosta de todos eles. Além de ter sua coleção particular, ele tem uma oficina de restauração especializada, juntamente com Angel, com uma excelente expertise em carros antigos, bem como em modelos mais recentes. E este é o sonho de muitos colecionadores: ter uma equipe de especialistas para restaurar seus carros, que no caso dele muitas vezes são adquiridos em condições lastimáveis. Para cobrir as despesas, paralelamente à coleção, eles restauram carros para venda.

 

As fotos da oficina de restauração são realmente impressionantes, veja alguns exemplos de conversíveis sendo restaurados:

 

Outro exemplo de restauração, agora de um carro da coleção particular do Bojidar, um Fusca da série especial Weltmeister feito especialmente para a Áustria (daí  Bodijar o chamar de “especificação austríaca”). Esta série especial foi feita para comemorar a quebra do recorde mundial de produção, que pertenceu por muitos anos ao Ford Modelo T, pelo Fusca. Você pode ler mais sobre esta edição especial na Parte 2 de meu artigo sobre o Super Beetle.

 

A imagem abaixo mostra um dos locais que abrigam carros já restaurados e carros em restauração. A qualidade da restauração é notável:

ag-69-foto-17

Vista parcial da área auxiliar para guardar carros prontos e semiprontos

Entre as restaurações feitas, Bojidar nomeou dois exemplos em especial como sendo seus preferidos:

O primeiro é um Split Window, um carro muito raro. É um padrão belga 1952, com freios a cabo, interior standard e itens cromados. Esta combinação foi feita apenas para o mercado da Bélgica onde este exemplar foi comprado.

Este carro foi comprado na empresa do Bob van Heyst, a B.B.T.. A duas fotos abaixo são de quando o carro já estava na carreta para ser levado para a Bulgária, ainda no estacionamento da B.B.T. (Fotos Bob van Heyst):

 

 

Agora as fotos do carro depois de sua primorosa restauração:


Considerando a complexidade, o conhecimento histórico necessário e habilidades requeridas, cada restauração é uma obra-prima. Sendo assim, Bojidar decidiu emitir um livro para cada uma das restaurações mais significativas. E este foi o caso deste Fusca padrão belga. Abaixo você pode ver algumas fotos de seu livro testemunho de restauração:

 

O segundo exemplo especial citado pelo Bojidar é um Super Beetle 1302 ano 1970, dos primeiros modelos desta série dedicada ao mercado americano, com motor 1600. Foi comprado na Áustria de seu primeiro proprietário, nunca tinha sido repintado e estava em perfeitas condições para a restauração! Veja como ele chegou para a restauração:

 

No caso deste carro, que foi vendido originalmente na Áustria, o fato de ele ter tido somente um proprietário está documentado através do seu “Einzelgenehmigungsbescheid” (registro de liberação individual), que mostra apenas o registro do primeiro proprietário, conforme se pode ver abaixo:

 

Após a restauração, este carro estava em uma forma excelente, talvez melhor que novo:

 

Os dois carros acima foram vendidos após a restauração. Apenas para dar outro exemplo, neste caso de carros vendidos para a Alemanha, aqui estão dois conversíveis restaurados na Bulgária e vendidos para uma loja de automóveis de Wolfsburg, a Autohaus Wolfsburg-Hotz, a Heitmann GmbH, Co.KG, uma concessionária Volkswagen de Wolfsburg, localizada perto da fábrica. O fato de uma concessionária ter comprado carros restaurados pela oficina de Bojidar para revenda é uma boa prova da qualidade e da excelente competência de sua equipe.

ag-69-foto-43

Página do Autohaus Wolfsburg na internet: esta é uma das maiores concessionárias de Wolfsburg e fica situada na rua Heinrich-Nordhoff, 119 a 123

Veja ambos os conversíveis, ainda na Bulgária, quando eles estavam sendo preparados para o transporte para a Alemanha:

ag-69-foto-44

Nesta foto se pode conferir as diferenças evolutivas entre o laranja, ano 1970, e o azul, ano 1979, como0 forma do vidro traseiro, lanternas traseiras, escapamento etc.

O laranja é um VW Beetle 1500 ano 1970 e o azul é um VW 1303 1600 Super Beetle ano 1979 (apenas para lembrar que a fabricação do modelo conversível durou por um ano mais após a parada de fabricação do Fusca convencional, que na Alemanha ocorreu em 1978). Esses carros foram vendidos pela Autohaus Wolfsburg-Hotz e um catálogo de vendas mostra ambos os conversíveis sendo oferecidos por esta concessionária (fotos feitas no salão de vendas principal da concessionária):

 

 Aqui termina a Parte 1 deste artigo e tenho certeza de que o leitor está tão surpreso quanto eu com o ora apresentado. Agora este misto de coleção e sofisticada oficina de restauro passa a ser conhecida no Brasil, mas há mais desta surpreendente história para ser contada na Parte 2, onde mostro alguns dos Fuscas brasileiros e outros Vochos especiais do México.

Permita-me o leitor considerar este artigo como um presente de Natal especial, especialmente para quem é amante do besouro Volkswagen que talvez sonhe em ter uma coleção com oficina de restauro acoplada. Sou um destes sonhadores e é bom que sonhar ainda não paga imposto.

AG

Esta matéria foi elaborada em colaboração com Bojidar Shebov, que enviou as fotos aqui apresentadas. Os créditos das demais fotos estão indicado nas mesmas.

REGISTRO: após da mudança de provedor ocorreu a perda parcial de material fotográfico que foi recolocado nesta matéria no dia 04/02/2017. Este procedimento, feito pelo autor, complementou o trabalho feito pelo Staff do AUTOentusiastas na condução da transferência de muitas centenas de matérias para “seu novo lar”. Com isto esta matéria foi reconduzida à sua condição original, respeitando as condições de arquivo existentes, pequenas diferenças podem ter ocorrido.

A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.
(848 visualizações, 1 hoje)