A Cadillac vai voltar às competições de longa duração com o DPi-V.R. Começará no campeonato americano WeatherTech SportsCar Championship, que se insere na categoria Daytona Prototype International (DPi),  seguindo o regulamento das provas internacionais do calendário da FIA. A categoria era chamada anteriormente de ALMS — American Le Mans Series.

A marca competiu pela última vez em 2002, e agora correrá contra os fabricantes Mazda e Nissan, além dos carros da classe LMP2 prototype,  que inclui  chassis da Riley/Multimatic, Ligier, Oreca e Dallara, todos com motor Gibson V-8 de 4,2 litros.

O desenvolvimento foi feito em segredo, e pegou de surpresa o mundo das corridas, principalmente porque já em 28 de janeiro o carro correrá em Daytona, nas famosa prova de 24 horas. Serão três carros competindo, um pela equipe Wayne Taylor Racing e dois pela  Action Express Racing, que venceu os três últimos títulos da categoria nos EUA correndo com Corvettes.

O time da Cadillac trabalhou com o fabricante de chassis Dallara, a empresa de motores ECR Engines e as equipes mencionadas, trabalho iniciado no começo de 2015.

O carro tem motor V-8 de 6,2 litros, aspiração natural, produzindo ao redor de 630 cv devido aos restritores de admissão de ar. A rotação máxima é limitada em 8.000 rpm, o cárter é seco e a potência passa por uma transmissão X-TRAC montada em posição transversal, comandada por aletas no volante. O diferencial é de deslizamento limitado, e passa a força para as rodas traseiras.

Surpreendente é o peso total, 930 kg a seco.

Para atender às necessidades de uma organização como a General Motors, o departamento de estilo responsável pela Cadillac desenhou o carro, adaptando a forma às necessidades aerodinâmicas, e como disse o diretor- executivo de Design da marca, Andrew Smith, ” O DPi-V.R é uma nova e excitante tela para o time de estilo da Cadillac. O estúdio abraçou a oportunidade de interpretar a forma e linguagem da marca, suas linhas de caráter e assinatura gráficas para essa aplicação nas corridas. Cada detalhe do desenho final foi escolhido para apoiar o desempenho em pista e a inconfundível presença dos Cadillacs”. O resultado geral de formas não é muito diferente dos Audis e Porsches vitoriosos em Le Mans, por exemplo.

O carro tem as luzes verticais na dianteira e traseira, a linha lateral característica e as rodas similares aos  V, o topo de linha da marca, de características esportivas. A entrada de ar tem até a forma trapezoidal das grades dos carros de rua, e a forma da cobertura do cockpit é inspirada também pela parte de vidros laterais dos carros “civis”. Há uma câmera que substitui os retrovisores, item que já existe no Cadillac CT6 de rua.

A estreia ocorreu antes da prova de Daytona, nos testes da IMSA em 13 e 14 de dezembro.

JJ

(125 visualizações, 1 hoje)


Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas