A notícia é de sexta-feira 23, antevéspera de Natal: o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) pretende entrar com uma ação contra o aumento de velocidade nas vias marginais dos rios Tietê e Pinheiros, medida anunciada pelo prefeito-eleito de São Paulo João Dória Jr., cumprindo um item da sua promessa de campanha. A notícia foi veiculada na mídia e o que foi publicado no portal do jornal Folha de S. Paulo pode ser visto aqui. Eu não havia visto a reportagem; quem gentilmente me alertou foi o leitor “RoadV8Runner”.

Um tal de Rafael Calabria, supostamente “pesquisador em mobilidade urbana”, segundo a reportagem, diz que o instituto aguarda apenas a posse de Dória (em 1º de janeiro) para entrar com a ação. “A gente esperava que o projeto Marginal Segura [de Dória] tivesse alguns pontos que pudessem ser elogiados. Mas não, ele se pautou só por sinalização e comunicação, que são o básico. Com velocidade alta, o motorista está em constante risco.” (nosso grifo)

Essa de “constante risco”, leitor ou leitora, é típica do “Acredite se quiser”, programa televisivo do passado encenado por Jack Palance. Quatro anos atrás a TV Bandeirantes exibiu um especial de quatro horas de duração que pode ser assistido por quem tiver curiosidade de ver ou rever o programa.

O pior é que ideia deste “pesquisador”, fora o fato de carecer completamente de qualquer sentido ao considerar 90 km/h velocidade alta numa via expressa, tem o poder de se espalhar célere com um câncer pelo país. Portanto, leitor ou leitora de outras cidades e regiões brasileiras, olho atento a esta mais recente manifestação de esfarelamento mental que vem assolando o Brasil.

O “constante risco” que ele cita mostra conhecimento zero do que seja automóvel e trânsito. Não sei se ele dirige; provavelmente não, ou não diria uma besteira desse quilate.

Tenho visto esse esfarelamento com frequência, especialmente da imprensa, que reverbera opiniões do perigo que é trafegar a 90 km/h em vias expressas como as citadas, como ouvi falar na rádio CBN um tal de Gilberto Dimenstein, tipo um sabe-tudo, que de trânsito entende tanto quanto eu de física quântica.

“Perigo” que milhões de cariocas estão sujeitos há 50 anos nas pistas do Aterro da Glória ou no estreito túnel Zuzu Angel — duas faixas de rolamento e sem acostamento —  que há 40 anos liga a Gávea a São Conrado; ambos são de 90 km/h de velocidade regulamentada.

zuzu90  AÇÃO CONTRA AUMENTO DE VELOCIDADE: O QUÊ? zuzu90

Túnel Zuzu Angel, no Rio de Janeiro: estreito, sem acostamento… e 90 km/h (foto: Extra Online)

Por ocasião da redução da velocidade em junho do ano passado, a Rádio Jovem Pan me convidou para um debate radiofônico ao vivo sobre a medida, que teve outros participantes. Diante do tema acidentes que a velocidade “excessiva” provocava, desafiei prefeito, secretaria municipal de Transportes e CET a apresentarem dados que indicassem acidentes graves com veículos trafegando a 90 km/h. Obviamente não houve resposta. Nem poderia.

Chega a ser deboche do prefeito que está deixando o cargo em seis dias — alívio! — falar em atropelamentos nas marginais, uma via expressa. Deboche ou burrice, difícil saber qual. Vias expressas não têm previsão de travessia de pedestres, ou haveria faixas de segurança, semaforizadas ou não.

Precisa mais

Critico o novo prefeito por só cuidar da velocidade nas marginais, embora queira crer que ele tenha escolhido passo curto nessa questão para não assustar. O fato é que as velocidades de todas as vias precisam ser revistas, não só as das marginais.

É inconcebível avenidas-chave da cidade como a dos Bandeirantes e a Sumaré terem limite de 50 km/h. A primeira precisa passar para sua velocidade original, 70 km/h, aliás o limite de uma avenida importante com a Atlântica, no Rio de Janeiro que, como todos sabem é a via da praia de Copacabana. A segunda, 60 km/h é mais do que apropriado. Aliás, 60 km/h é o limite da expressiva parte das ruas e avenidas de Curitiba, notei recentemente.

av-atlantica  AÇÃO CONTRA AUMENTO DE VELOCIDADE: O QUÊ? av atlantica

Av. Atlântica, praia de Copacabana: 70 km/h há décadas (foto: booking.com)

O que não pode é continuar imperando a insanidade. Por exemplo, vêm-se pela avenida Goiás, em São Caetano do Sul, a 60 km/h, e ao entrar em São Paulo e pegar-se a av. Almirante Delamare e em seguida a Presidente Tancredo Neves, idênticas em geometria, a velocidade máxima cai para 50 km/h. Isso não existe.

João Dória Jr. precisa também mandar reestudar as faixas exclusivas de ônibus no sentido de corrigir a sinalização horizontal, pois esta foi feita ardilosa e criminosamente de maneira a constituírem armadilhas para gerar arrecadação com multas. Especificamente os pontos de entrar na faixa para dobrar à direita, completamente errados: é preciso cruzar a faixa de ônibus a 90º, além de reter o tráfego à retaguarda enquanto se espera a oportunidade para a manobra.

Outro exemplo: na av. 23 de Maio sentido norte (Centro) vêm-se por uma faixa permitida para todos os veículos e de repente se vê estar num faixa exclusiva de ônibus. Sem nenhum aviso. Esse ponto é logo após a saída para a avenida Radial Leste. Mesma coisa na passagem subterrânea sob o Vale do Anhangabaú. Enfim, é preciso engenharia de tráfego de verdade na acepção da palavra para essa importante questão, não a de mentirinha da CET.

Como esperança é de graça, é torcer para que cidade de São Paulo agora seja administrada com inteligência e sem populismo barato.

Vade retro, Fernando Haddad e sua turma.

BS

Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

Publicações Relacionadas

  • Lemming®

    Impressionante como ficou fácil entubar qualquer agenda progressista (viés de esquerda) no Patropi.
    Basta gritar que é pela “segurança” que todo idiota útil abraça a causa.
    Esperava mais do IDEC mas já tinha notado esse viés…

  • Eduardo Cabral

    A CET é tipo um asilo para judeus controlado por nazistas.

  • Leister Carneiro

    Bob adorei esta frase em especial
    “como ouvi falar na rádio CBN um tal de Gilberto Dimenstein, tipo um sabe-tudo, que de trânsito entende tanto quanto eu de física quântica”
    Hoje em dia tá assim os caras entendem de tudo e tiram do suvaco soluções mirabolantes, é sempre exageradas nas situações cotidianas

  • Bruno Ribeiro Senaha

    teste

  • Alex Tadeu

    João Dória foi eleito fazendo demagogia e populismo (existe isso entre os conservadores também, pra quem não sabe). Pode esquecer as esperanças, talvez em 2020 apareça algum candidato racional e bem assessorado na cidade.

    E talvez o fato do Rio de Janeiro ter o pior trânsito do Brasil, segundo levantamento recente, tenha alguma relação com o que foi dito na matéria.

  • Bruno Ribeiro Senaha

    O cara do IDEC que entrou com essa ação se chama Rafael Gândara Calabria, vão lá dar uma olhada no facebook da figura.
    Eu compartilho dessa experiência da matéria. Saio da Presidente Wilson (50km/h), quando chego em São Caetano a avenida é 60km, bem asfaltada e pintada.

  • Juvenal Jorge

    A ignorância se alastra a uma velocidade assustadora, como diria José Saramago, e essa velocidade não é 50 km/h apenas.
    Triste ver a Imprensa geral dando uma de entendida a todo momento com o assunto trânsito.

  • Roberto Alvarenga

    Essa é uma estatística boa: em quantos dos acidentes fatais ou com vítimas graves ocorridos nos últimos 5 anos nas Marginais os veículos envolvidos estavam em velocidades inferiores aos antigos limites?

  • Rod1970

    Queria ter escutado esse debate na Jovem Pan, afinal hoje em dia com a internet podemos ouvir rádio de qualquer cidade em qualquer lugar, eu ia adorar perceber a “resposta” da CET sobre o desafio do Bob 🙂

    Rod1970
    Brasília-DF

    • José Rodrigues

      Opa, mais um querendo o debate da Pan! Ó Bob, tem o áudio da entrevista em algum lugar da internet? Posta aí para nós!

      Um abraço.

  • Robertom

    Isso é coisa de esquerdista de carteirinha, ou que tem participação na máfia das multas, ou idiota sem qualquer noção sobre automóveis e mobilidade urbana…
    Talvez até as 3 coisas simultaneamente…

  • Renato Texeira

    Infelizmente a falácia de que a velocidade é culpada por quase todos os acidentes se perpetua por parte da imprensa que só sabe repetir discursos prontos dos nossos políticos e autoridades de trânsito pouco imparciais. Aí ocorre aquilo de que uma mentira contada várias vezes acaba se tornando uma verdade; pelo menos para o povo de uma forma geral.

    Com relação as faixas exclusivas de trânsito, também considero perigosas para a maioria dos motoristas. Além de serem pintadas de azul, o que torna de difícil vizualizacao em dias de chuva e a noite, as que ficam à direita sao perigosas a conversão. Para não correr o risco de levar uma colisão de um ônibus na porta do meu carro, invado elas por mais ou menos uma quadrada, me submetendo ao risco de levar uma multa pesada.

  • Gerson Borini

    Bob, usando o exemplo da avenida dos estados em sao caetano, perto do portao 9 da GM, do lado de SCS a velocidade é 60 e do outro lado (SP) é 50 e com os radares educativos, logico.
    Boa sorte para nós com este novo prefeito e com os favores que ele terá que fazer pra administrar e consertar as cacas do anterior (melhor não falarmos mais o nome dele).

  • Danilo K

    O pior é que os acidentes causados por motoboy´s alucinados, que sabem aonde estão os radares por trafegar por lá diariamente, são computados como atropelamento. Sobre a questão das faixas exclusivas de ônibus, deveria ter linha tracejada em todo acesso, seja comercial ou residencial, e os radares deveriam ser posicionados a uma distância coerente para possibilitar o acesso de veículos. Podem notar na radial leste existe um radar posicionado antes da entrada da concessionária Ford. Ao lado dessa Ford existe uma Kalunga e em seguida uma Cobasi e pouco depois existe outro radar. Ou seja, para entrar e sair de um desses estabelecimentos, o motorista deve fazer uma manobra arriscada e absurda pois linha contínua não devemos transpassar, sob pena de tomar uma multa. Eu mesmo tomei uma multa por trafegar na faixa de ônibus ao acessar o estacionamento da Cobasi. Nunca mais volto nessa Cobasi, prefiro não arriscar novamente.

  • Mauro Luz

    O IDEC cavou a própria cova com essa estupidez esquerdista.

  • Mr. Car

    Bob, eu vou dobrar são minhas apostas na Mega Sena, e pelo menos aumentar (pouquíssimo, é verdade) minhas chances de um dia ir embora daqui, he, he! A coisa está feia. Quando a gente acha que vai melhorar um pouquinho, vem logo um balde de água gelada. Fala sério!
    Abraço.
    Off-topic: fiquei sabendo agora: mais um artista que contribuiu para a construção da absolutamente magnífica trilha sonora que embalou meus amados, adorados, idolatrados anos 80, se foi. Esta já é um clássico. Minha homenagem. RIP.

    • Luiz AG

      Bom, não ia comentar para manter minha sanidade até a hora de ir embora. Mas esse é meu destino, final do ano que vem embarco para só voltar como turista.
      Vou virar correspondente europeu de vocês… 🙂

      • Parabéns, Luiz AG! Isso aqui está ficando inviável.

  • David Diniz

    O Dória precisa REVER TODAS AS VELOCIDADES das avenidas daqui de São Paulo! É um ABSURDO e inaceitável ficar a 50 km/h na avenida dos Bandeirantes, sendo que até uns anos atrás era 70 km/h! Absurdo trafegar( se arrastar) a lentos 60 km/h na Avenida 23 de Maio que até uns anos atrás era 80 km/h e o trânsito fluía sem problemas!. Sobre essa estupidez do Idec, o que esse instituto entende de trânsito?

  • Eduardo Sérgio, essa nossa imprensa está cada vez mais lixo. Idiotas completos.

  • Marco, eu também suspeitava.

  • Mendes

    Ele deveria era deixar tudo em 10 km/h e alegar que é em nome da “segurança” e para “preservar vidas”, só para fazer esse pessoal provar do próprio veneno! Aposto que iam implorar para aumentar a velocidade de volta!

    E olha só aquilo que eu sempre digo aqui. Quem foi que veiculou essa notícia? Sim, ela mesma, a Folha! Escrevam o que estou dizendo: essa “viúva do Haddad” vai infernizar o Dória por todo o mandato dele! Haja saco para aguentar todo o “mimimi” que está por vir!

  • Alexandre, melhorou, e como! Obrigado. Sua explanação foi perfeita e sobretudo clara.

  • Renato, acho que já são maioria!

  • Que legal que você achou o programa, Matheus! Foi minha segunda participação, foi na anterior que eu lancei o desafio que comentei.

  • Nora Gonzalez

    Bob, loucura ideológica total. É apenas para incomodar e aparecer. Nem base jurídica existe para tal.

  • vstrabello

    Também não sei o porquê desse envolvimento. Vai que com a redução de velocidade pode-se ter vendedores ambulantes cadastrados, e que se caso houver algum incidente, pode-se acionar o Idec hahaha. É cada uma, viu.

  • Daniel, essa é outra para o “Acredite se quiser”. Põe idiotização nisso.

  • João Carlos, um asno completo.

  • Lucas Hernandes

    Essa turma de desocupados é da mesma laia do pessoal da PROTESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, que lutaram pelo padrão brasileiro de tomadas, pela proibição do comerciante fazer preço diferenciado entre dinheiro e cartão, está contra a lei que deverá liberar o diesel no Brasil. Ou seja, consideram que o cidadão médio é um incapaz a ser tutelado pelas autoridades e associações como eles.

    Assinei a revista desses cretinos algum tempo. Uma revista de poucas páginas e conteúdo. São tão cretinos que na associação, você ganha brindes e desconto. Na renovação, sem brindes e sem desconto. Na área automotiva, nem me lembro das aberrações todas que escrevem, mas pelo teor, o engenheiro que entrevistaram devia ter diploma comprado na Bolívia. Alguns anos atrás, nem tinham idéia do que era ISOFIX, achando que cadeirinhas deviam ser atadas aos cintos. mas pediam airbag e ABS. Se quiser, posso fazer o favor de achar essas revistas velhas em casa e digitalizar algum disparate deles

    Abaixo um exemplo de texto tirado do sítio deles, https://www.proteste.org.br/carros-e-mobilidade/mecanica-e-pecas-de-automoveis/noticia/analise-os-detalhes-do-carro-antes-de-comprar

    “Verifique se há folgas na direção: gire o volante até o máximo, com a roda toda para fora. Peça que uma pessoa segure a roda, enquanto você gira o volante, para tentar trazer a roda para o lugar. Se você conseguir mover o volante com a roda travada, é sinal de que há folga na direção.”

    Eu achei esse teste ridículo. Estou enganado? Deixo para que opine com sua longa experiência, Bob!

    • Lucas Hernandes, esse teste de folga de direção é completamente desprovido de sentido técnico, uma imbecilidade inominável. Mas me permita opinar sobre a questão o preço diferenciado entre dinheiro e cartão: não pode haver, o preço tem de ser único. Nenhum comerciante ou o prestador de serviço é obrigado a vender por cartão de crédito. Se o faz é por próprio interesse, uma vez que atrai consumidores assim o fazendo, o que acaba compensando a taxa que paga à administradora pelo maior movimento resultante. Quem não tem cartão pode ser ligeiramente prejudicado, mas praticamente toda a população economicamente ativa tem cartão de crédito. Querer acabar com a proibição de dois preços é um grande retrocesso.

    • Pablo Lopes

      Uma breve observação quantos aos preços diferentes com dinheiro e cartão: na internet, eles mostram o preço do produto e destacado como desconto no caso de pagamento à vista e em espécie! Ou seja, já driblaram esse exigência disfarçando-a, mostrando que a regra não é séria!

      • Pablo Lopes, não é drible, mas desobediência civil pura e simples. O Brasil cada vez mais é terra sem lei e sem ordem. Qual site pratica isso, que nunca vi? Quero denunciá-lo.

  • Marco de Yparraguirre

    Caro Bob, acho o que vale para São Paulo valerá em termos para todo o Brasil. O túnel Zuzu é um crime, pois devido à redução de custos não foi construído com acostamentos, isso sem contar com as placas com letras diminutas e pessimamente posicionadas, pelo menos por aqui. Existem outras armadilhas como a do quilômetro 30 da Rio-Friburgo onde existe um pardal escondido, e a placa de velocidade máxima de 80 km/h a poucos metros do pardal. Quem não sabe é multa na certa.

    • Marco, concordo, deveria haver acostamento no Zuzu Angel. Só chamei a atenção para o fato de mesmo nas suas condições o limite de velocidade ser 90 km/h desde que foi inaugurado, se não me engano em 1973, e nem por isso haver problema de segurança de tráfego nele. Aliás, repare como as ligações entre as duas galerias, previstas para o caso de acidente que interrompa o trânsito em uma delas, são a 225º, o que torna impraticável seu uso como desvio de trânsito. O correto seria a 45º, permitindo fácil desvio. A razão do “erro” é óbvia: projeto foi para países de mão esquerda. Acredite se quiser.

  • Bruno Rezende

    Isto só prova que estupidez não tem limite. Quando aparece um prefeito de bom senso na área, querendo colocar a casa em ordem, a diarréia mental de alguns faz questão de se manifestar.
    O problema do trânsito no Brasil é a falta de educação. Eu acho que educação no trânsito deveria compor o currículo escolar, junto com matemática e geografia. Afinal, o número de mortes anualmente justifica essa medida.

  • RMC, triste e revoltante. Os imbecis são em número cada vez maior.

  • Mr. Porschemann, também advogo a necessidade de avaliar de tempos em tempos, algo como cinco anos, a capacidade de dirigir. De maneira semelhante ao que se faz anualmente na aviação comercial, provar que mantém essa capacidade.

  • Fernando

    Consumidores de multas rs

  • Rogerio

    Hoje transitei pela 23 de Maio e elevado sentido zona leste, velocidade de 50 km/h na radial leste é de se desesperar, torço que volte a 70 km/h como era antes, veio Kassab diminuiu para 60km/h, depois esse Haddad diminuindo para 50 km/h.

    Quem anda a velocidades “altas”(acima de 100 km/h )na radial leste ou outra via conhece todos os radares e geralmente fazem isso à noite ou madrugada, Haddad fez isso claramente por arrecadação através de multas as custas dos trabalhadores.

    Parabéns ao Bob e o AE por essa iniciativa, sou a favor do aumento de velocidade aos padrões anteriores (Marginal 90 km/h , Radial 70 km/h , 23 de Maio 70 km/h(no mínimo), fora outras citadas no texto.

  • João Guilherme, esses especialistas de trânsito são uns idiotas completos, irresponsáveis até, incluindo aí os prefeitos de Nova York, Londres e Paris. Eles têm um plano definido e orquestrado: acabar com o interesse no automóvel (estão conseguindo) e, por conseguinte, com a indústria automobilística. Autênticos Neros, objetivam o caos! Algum interesse escuso há, não tenho a menor dúvida. E essa do Idec pretender entrar com ação contra a prefeitura paulistana é a maior prova de sua total incompetência: em absolutamente nada trânsito tem relação com consumidor. Coisa de palhaço!

  • Claudio, bem lembrado.

  • Leo-RJ

    Em que pese todos os demais absurdos dessa ação, que são muitos, pergunto-me qual a PERTINÊNCIA TEMÁTICA do Idec na questão? Ora, trata-se de um instituto que visa proteger os consumidores, que, friamente observando, nada tem a ver com a matéria.

    Consultando o site do Idec, vemos que o Instituto existe para informar, orientar e representar consumidores, bem como testar produtos. Notas-e, claramente, que o tal instituto não tem “expertise” na matéria em questão. Simples assim!

  • Leo-RJ, perfeito, o que Nelson Rodrigues disse! Aliás, um que eu não considerava idiota, o presidente da República, acabou de liberar, por medida provisória, preços diferenciados nas compras com cartão de crédito e a dinheiro. Andamos para trás. É, Leo, Brasil, só reformatando o HD.

  • David Diniz

    @disqus_9PC1duAarc:disqus que tal fazer uma matéria com “votos” de ano novo? Por exemplo: o que os leitores do Auto entusiastas desejam para 2017 no meio automobilistico? Eu mesmo desejaria que aumentassem o limite das vias aqui em SP e vetassem essa asneira de ligar o farol na estrada durante o dia.

  • Lorenzo Frigerio

    “Eles são muitos, mas não podem voar” (Ednardo).

  • Fat Jack

    Desculpe-me mas visão de que a redução da velocidade é o elixir para a solução da gravidade dos acidentes é que pertence só ao século XX. Ainda mais quando a referência principal é a de atropelamentos numa via onde o acesso dos pedestres em questão é PROIBIDO pelo Código de Trânsito Brasileiro.
    Ao invés de corrigir o que está errado, erra-se no que está correto como remédio?

  • Fat Jack, essas eu ainda não havia visto. Que gente idiota, meu Deus!!!

  • Daniel

    @disqus_9PC1duAarc:disqus Apenas uma correção, o nome de uma das vias do Rio de Janeiro mencionadas não é Aterro da Glória e sim Aterro do Flamengo. Abs!

    • Gustavo73

      Na verdade o nome da via é avenida Infante Dom Henrique.

  • CorsarioViajante

    No fim o Rodoanel acabou ficando sem sentido: cobra pedágio, está sempre parado pelos acessos e saídas mal planejados, e quando não está parado a velocidade máxima baixa torna dar toda a volta mais demorado que atravessar SP com trânsito.

    • Fat Jack

      De fato há saídas como a da Castelo Branco e Raposo Tavares que não têm o comprimento que deveriam, e acessos curtos são geradores de fila há décadas. Lamentável tê-los numa obra tão moderna.

  • Delfim

    Como se cidades pujantes em economia pudessem abdicar dos automóveis, de seu efeito multiplicador na economia. Concessionárias. postos de combustíveis, lojas de autopeças e serviços…

    E onde tempo é dinheiro, reprimir velocidade é coisa de girico.

  • Daniel S. de Araujo

    Especialistas de trânsito do mundo? Título dado por quem? Por jornalistas que chamam Letícia Sabatella de intelectual???? Que dá ouvidos ao Bresser Pereira e se esquece da verdadeira lambança que seu choque econômico causou em três meses????

  • Perfeito, Bruno!
    Feliz 2017.

  • Boris, obrigado.

  • Xara do Edson, felizmente isso muda a partir de 25 de janeiro por decisão do novo prefeito, embora a correção dos atos desse vândalo petralha que era o prefeito anterior, pelo menos por enquanto, só envolva as vias marginais dos rios Pinheiros e Tietê. Há várias avenidas de 50 e 40 km/h, velocidades igualmente martirizantes.