Em 2013, a Volkswagen do Brasil promoveu no domingo 10 de novembro uma megavisita para seus colaboradores e familiares em sua fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), em comemoração aos 60 anos da empresa no País. Mais de 25 mil pessoas, basicamente funcionários e seus dependentes puderam conferir a alta tecnologia e qualidade do processo produtivo da unidade, além de atrações preparadas para o evento. Certamente bem poucos dos leitores aqui da coluna “Falando de Fusca & Afins” tiveram a oportunidade de participar deste evento histórico e relatar como ele foi certamente será uma oportunidade de conferir este grandioso acontecimento.

Graças a um convite recebido do pessoal do Fusca Clube do ABC, a quem eu parabenizo pela participação proativa no evento com a organização de uma interessante exposição de veículos VW antigos, eu e minha família pudemos participar deste incrível evento. Mesmo para mim, que já tinha tido a oportunidade de visitar a fábrica algumas vezes nestes mais de 30 anos dedicados à marca VW de maneira voluntária, o evento foi contagiante e muito diferente. Divididos em horários e entrando por diversas das portarias da fábrica, milhares de funcionários e suas famílias (e alguns convidados especiais) foram conduzidos por uma sinalização muito bem-feita a um percurso que constava de um mapa distribuído a todos:

ag-66-33  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 33

Este é o mapa que foi distribuído a todos os convidados e que informava: “São 5 km de percurso e 3 horas de passeio”

As capas deste mapa também fazem parte desta história e mostram o cuidado com o qual o evento foi preparado:


De todos os estacionamentos os caminhos levaram à primeira ala a ser visitada, que foi a Estamparia, número 1 – verde-folha no mapa, onde a linha de estamparia direita tinha cartazes e bandeiras do Brasil e da Alemanha animados pelos robôs numa simpática saudação aos funcionários da fabricante.

ag-66-01  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 01

Os robôs da linha de estamparia esquerda simulavam os movimentos realizados durante o trabalho de rotina e os da direita “empunhavam” cartazes e bandeiras

Seguindo pelos corredores passamos pelo “estoque dia” que garante a continuidade nas linhas de armação da fábrica.

 

ag-66-18  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 18

As peças deste estoque são produzidas pela VW ou por subfornecedores; colocadas em estrados formam um desenho futurista e assim ficam prontas para entrar na linha de produção

Em cada passo se via o cuidado de tornar a empresa simpática a todos e que ela, a empresa, estava orgulhosamente em festa pelos seus 60 anos de Brasil. Em todo o percurso esta situação se repetiu, por exemplo, com as trupes de artistas circenses, com suas atividades, roupas coloridas e animação talvez contrastando com a seriedade daquelas máquinas, peças e paredes que sustentam o progresso da empresa.

ag-66-02  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 02

Na passagem entre a Estamparia e a Armação, um grupo de artistas de circo faz suas evoluções para a alegria dos visitantes

A próxima ala visitada foi a Armação, número 2 — área roxa do mapa,  onde as peças da carroceria e do chassi dos veículos são soldadas por robôs compondo as partes que formarão a estrutura dos veículos. Nesta área vários robôs foram reprogramados para fazer um show para os visitantes, como alguns que de um modo sincronizado “dançavam” ao som da música ‘Thriller” de Michael Jackson. Aliás, música é que não faltou em todas as alas.

Em corredores de ligação e distribuídos por todo o percurso, painéis com dados históricos apresentavam informações sobre as décadas passadas.

ag-66-19  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 19

Este painel mostra fotografias de automóveis VW da década de 70

Um dos aspectos que encantou a todos que participaram da Megavisita foi o comportamento do pessoal de apoio que estava nos corredores demarcados para a passagem dos visitantes. Vestidos com uma camiseta com a palavra ‘Staff’ (Organização) nas costas, eles acabaram vestindo, na verdade, a camisa do evento, acenando para o público e desejando uma boa visita a todos — era um espírito de festa geral. Outro grupo de suporte aos visitantes foram as diversas equipes de bombeiros e de pessoal de saúde, médicos e enfermeiros, com suas roupas de trabalho, que, ao lado de suas Kombis interagiam com todos com muita simpatia e alegria; todos atendiam de maneira muito simpática às solicitações de posarem para uma fotografia.

Passamos por um Showroom Volkswagen, número 3 -cor laranja no mapa, pela área Think Blue, número 4 – cor roxa no mapa, e por uma mostra das motos Ducati, número 5 – cor amarela no mapa, empresa que faz parte do Grupo Volkswagen mundial.

ag-66-22  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 22

Este foi o Showroom Volkswagen, onde foi apresentada a gama de veículos disponíveis nos concessionários então, iniciando pela Kombi Last Edition, no canto esquerdo da foto; note-se para a grande quantidade de visitantes que não diminuiu durante todo o dia, tirando a pausa para o almoço do pessoal de apoio

Seguiu-se uma interessante área que foi a Exposição 60 Anos, número 6 –  cor marrom no mapa, onde foram enfileirados carros de todas as décadas com cartazes dispostos na parede oposta ao local (no outro lado da rua) no qual os carros estavam, destacando acontecimentos da década correspondente. Para cada década casais vestidos com a roupa de época completavam o quadro.

 

ag-66-23  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 23

Esta é uma vista parcial da área dedicada à Exposição 60 Anos; à direita, os carros e na parede da esquerda cartazes das décadas

 

ag-66-03  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 03

Para dar um exemplo de uma das décadas ilustradas nesta parte da visita, este é o cartaz dos anos 50 destacando a inauguração da fábrica, ocorrida no dia 18 de novembro de 1959, se bem que ela já funcionava deste 1957 com a montagem de CKDs

ag-66-24  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 24

Este é o casal que personificou a década de 50 aproveitou para fazer um autorretrato a bordo de uma “Velha Senhora”

A próxima área visitada foi a Pintura, número 7 – área vermelha no mapa do passeio, que foi demonstrada por vídeos, apresentação dos subfornecedores de tintas e vernizes, que davam esclarecimentos sobre materiais e processos usados para pintar os carros.

ag-66-04  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 04

Com esta lateral de carro são mostrados os diferentes estágios da pintura até o acabamento final

A área de pintura é onde o amigo Edi – Edivaldo Fernandes, presidente do Fusca Club ABC, trabalha e sua especialidade é a instalação e manutenção dos robôs que desempenham as mais diferentes funções necessárias à vedação e pintura dos carros. A questão de pintura é muito crítica e demanda cuidados especiais, tanto que os carros são pintados com suas portas, para evitar diferenças de tonalidade, depois as portas seguem um caminho paralelo ao da carroceria para se juntarem na montagem final.

ag-66-05  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 05

Aqui um robô demonstrando as suas habilidades; o bom nestas máquinas é que são precisas, trabalham sem parar e não fazem greve…

Saindo da exposição na ala da Pintura veio uma das partes do evento que mais chamou a atenção do público que foi a Exposição de Fuscas e Bombeiros, número 8 – verde escuro no mapa, organizada pelo Edi e que apresentou lindos exemplares de Fuscas, Kombis e derivados.

ag-66-25  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 25

O Edi não perdeu a oportunidade de colocar o seu clube – que completou 15 anos de existência naquele ano de 2013 – em evidência, com todo o merecimento, pois além da importante trajetória de seu clube, a seleção dos carros expostos foi bastante criteriosa

ag-66-26  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 26

Uma amostra dos carros expostos; outras raridades compuseram uma interessante fotografia do que foram os carros que hoje são chamados de “vintage”

Deixando esta exposição o caminho seguiu, passando por duas rampas longas, com destino à área de Montagem, número 9 – em verde no mapa, local onde o milagre se concretiza e todas as partes cuidadosamente preparadas nas áreas anteriores surgem como um automóvel pronto. Alguns detalhes das linhas de montagem de carros na área de Montagem Final:

ag-66-06  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 06

Uma foto muito importante para mim por registrar minha participação na Megavisita e que será uma recordação para sempre

Praticamente todos os carros do acervo de veículos históricos da Volkswagen no Brasil (todos torcem por um museu da marca aqui, um projeto de muitos anos que espero logo se torne realidade) saíram de seus “esconderijos” e foram expostos em várias áreas do percurso. Também nas áreas de montagem foram dispostos alguns carros deste interessante acervo.

Saindo da Montagem chegamos a uma área que emocionou a todos. Marcada em azul claro no mapa estava a área de homenagem aos 56 anos de fabricação da Kombi no Brasil, chamada de Estação Kombi 56, número 10 — em azul claro no mapa. O termo ‘estação’ referia-se a dois trenzinhos carinhosamente feitos com componentes de Kombi que levavam o público a dar uma volta num percurso marcado no chão e que tinha como pano de fundo uma fileira de 17 Kombis de várias cores, e no centro, abaixo de uma tenda estava uma Last Edition, no que foi a “estação de embarque” nos trenzinhos.

 

ag-66-11  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 11

Detalhe da homenagem à Kombi, que era a última atração da Megavisita; no embarque uma Kombi Last Edition sob uma tenda e detalhe para os banners com o grafismo usado na capa do mapa da Megavisita

ag-66-31  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 31

Eram dois trenzinhos-Kombi, este azul e outro vermelho

As homenagens à Kombi podiam ser vistas durante todo o percurso onde Kombis eram dispostas, mas faltou a emblemática visita à linha de montagem da Kombi, que estava montando os últimos exemplares. Todos os amantes de carros antigos teriam gostado muito de poder se despedir da Kombi na sua linha de montagem. As visitas à linha da Kombi estavam sendo franqueadas somente para a imprensa, infelizmente. Já na capa do mapa desta Megavisita havia um desenho que não deixou de marcar a presença da Kombi, aliás este grafismo foi usado em banners gigantescos que decoraram a área onde os Trenzinhos-Kombi estavam andando.

 

ag-66-13  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 13

Este é o andar abaixo da Montagem, não muito longe dali as últimas Kombis estavam sendo montadas; as Last Edition foram customizadas por uma firma terceirizada, que pintou a saia azul, da pintura estilo saia e blusa e customizou todos os outros detalhes

As duas últimas paradas deste evento foram a distribuição dos Kit-lanche e do brinde, número 11 – cor vermelho claro no mapa. Em vários pontos do percurso havia farta distribuição de água mineral em copos. Uma grande quantidade de banheiros químicos foi estrategicamente disposta ao longo do caminho; e para os pequenos havia fraldários. Sim tudo preparado para uma festa em família.

Fechando as atividades o estande A Chance to Pay, o direito (de uma criança) brincar, número 12 – em cor ocre no mapa, onde o Comitê de Trabalhadores da Volkswagen, um grupo de funcionários voluntários, colabora com uma organização internacional, Terre des Hommes. Esta organização auxilia comunidades carentes dando às suas crianças uma chance para brincar, e oferecia aos participantes do evento a possibilidade de colaborar através da aquisição de brindes.

ag-66-15  MEGAVISITA À VOLKSWAGEN AG 66 15

Não deixei de colaborar através da aquisição desta simpática caneca

Saímos do evento cansados depois dos cinco quilômetros de caminhada, mas muito felizes de ter podido participar deste incrível e inesquecível evento. Registro aqui os meus parabéns à Volkswagen do Brasil pela realização deste gigantesco “dia das portas abertas” com um alto grau de organização e cuidado logístico e muita emoção. Estes parabéns se estendem também a todos que participaram do lado da empresa na organização e realização do evento.

Fiz um vídeo com algumas passagens desta Megavisita:

http://vimeo.com/79621996

Certamente o evento mereceu uma boa quantidade de fotos, que foram tiradas com dois equipamentos e aí vão os respectivos links:

37 fotos com uma câmera SONY W300

37 fotos com um Samsung Galaxy SII .

 

AG

 

Nota do Autor: este material foi originalmente publicado na minha coluna “Volkswagen World”, do Portal Maxicar (www.maxicar.com.br), e esta publicação ocorre de comum acordo com o meu amigo Fernando Barenco, gestor do MAXICAR, companheiro de muitos anos de trabalho em prol da preservação dos veículos VW históricos e de sua interessante história.
Todas as fotografias desta matéria por Alexander Gromow. Mapa do evento pela Volkswagen do Brasil.

 

A coluna “Falando de Fusca & Afins” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.

 

 

Sobre o Autor

Alexander Gromow
Coluna: Falando de Fusca & Afins

Alemão, engenheiro eletricista. Ex-presidente do Fusca Clube do Brasil. Autor dos livros "Eu amo Fusca" e "Eu amo Fusca II". É autor de artigos sobre o assunto publicados em boletins de clubes e na imprensa nacional e internacional. Além da coluna Falando de Fusca & Afins no AE também tem a coluna “Volkswagen World” no Portal Maxicar. Mantém o site Arte & Fusca. É ativista na preservação de veículos históricos, em particular do VW Fusca, de sua história e das histórias em torno destes carros. Foi eleito “Antigomobilista do Ano de 2012” no concurso realizado pelo VI ABC Old Cars.

Publicações Relacionadas

  • Lorenzo Frigerio

    Gamei nesse Santana Executivo (com interior marrom, já dá para imaginar o Mr. Car dentro dele). Só estranhei essa grade “chinesa”. O carro saía com ela?
    O Passat GTS Pointer vermelho-royal também arrasa, parece um carro moderno. Esses carros pertencem à VW? Existe um museuzinho dentro da fábrica?

  • Rinno Di Jenno

    OFF Meio On, ON Meio Off – Não há criatura neste mundo que me convença de que o Tiguan já sente o peso da idade. Santo Senhor do céu, onde este carro pode estar defasado?

    http://quatrorodas.abril.com.br/testes/teste-tiguan-1-4-tsi-e-rapido-e-suave-mas-ja-sente-a-idade/

    • Rinno, opinião de algum plataformeiro…

    • Cristian_Dorneles

      Redação da 4 Rodas= Arautos da pseudo-modernidade.

  • Lucas Vieira

    Não só para governo como fabricantes também, a Fiat sempre ofereceu a Ducato Minibus Rontam, com acabamento superior à versão implementada na fábrica, fez tanto sucesso que a própria Fiat vende essa versão em seu site hoje, porém continua sendo implementada pela Rontam, assim como as Ambulâncias.

  • Fat Jack, essas suspensões ultarrebaixadas e esse pneus ” fita isolante”, quanto pobreza de espírito! Lamentável.

    • Fat Jack

      Bob, era um evento eclético como você pode notar pela série de veículos restaurados (que chegaram numa carreta, para ver o prestígio do evento). Há também a ala mais radical, óbvio, mas era somente uma delas, a diversidade foi grande: originais, hot rod, street rod, rat rod, rebaixados…
      Na verdade a minha praia não são os ultra rebaixados, estou mais inclinado em direção aos “sleepers” que são os que apresentam a identidade externa o mais próximo dos originais mas, com um “tempero”

      • Fat Jack, só mesmo indo de carreta…Insanidade total.

        • Olha só Bob,
          Na volta do Velo Cittá eu vi vários grupos de carros, muitos, mas muitos mesmo, extremamente rebaixados no acostamento das estradas que vinham da Águas de Lindoia, parece que estava reunindo os respectivos grupos.
          No meu tempo carros assim não podiam circular em estradas principais, a polícia os apreendia. Não sei se este povo todo conseguiu uma permissão especial para circular até Águas de Lindoia.
          Chacun a son goût…

          • Alexander, vi uma Saveiro no chão! Como eu disse para o leitor Fat Jack, pobreza de espírito total.

    • Cristian_Dorneles

      Bob:

      Isso tem ”nome”: Manolagem.

  • Não é só olho clínico, caro Fat Jack,
    O amigo Thyago Skoze é um grande especialista em VW Santana, ele é o presidente do Santana Fahrer Club, além de ser um antigomoilista de carteirinha…

  • Fat Jack

    Hahaha!
    Sensacional!

  • Fat Jack

    Tive o prazer de guiar um Logus GLS 2,0 l numa viagem de final de semana, 3 dias de ótima companhia: confortável, veloz, acolhedor (daqueles carros que vestem o motorista), estável, de consumo razoável e lindo… melhor mesmo só se fosse o Wolfsburg Edition.
    Defeitos, 2:
    – peso; mesmo o motor maior não consegue arrancadas vigorosas,
    – assoalho baixo; qualquer lombada transposta sem todo cuidado do universo traz uma forte pancada na parte de baixo.

  • Cristiano, é para o carro ficar “lindão”.

  • Fat Jack, independente do meio elástico da suspensão, a pobreza de espírito é a mesma.

  • Luiz AG

    Off Topic para o Bob, sobre o teste do alce ,
    Estava vendo o programa Fifth Gear e estavam fazendo o teste do alce. A apresentadora Vicki Butler-Henderson, piloto profissional, estava conduzindo os veículos e tentando dar um golpe na direção, e o passageiro, apresentador Tiff Needell reclamando que ela estava sendo muito suave no comando. Ela não conseguia dar um golpe rápido na direção, devido ao reflexo de quem sabe pilotar. Lembrei de imediato dos comentários do Bob com relação a isso.

    • Luiz AG, é por isso que tenho dúvidas desse teste do alce. Teria que ser medida a velocidade angular do volante de direção e compará-la com um padrão adotado.

  • Caro amigo Fat Jack,
    Sem esta de “perdoe-me”, estamos um papo amigo e o importante, mas o importante mesmo para mim é que você leu, comentou, enviou fotos, investiu o seu tempo para enriquecer este trabalho com a sua prestigiosa participação.
    Cabe a mim comentar e responder aos comentários, sempre numa boa…
    Portanto, muito obrigado por sua importante e simpática participação!

  • Com certeza. Mas creio que na indústria automobilística, assim como na siderúrgica (minha área de atuação), existam áreas da TI, como Infraestrutura e sistemas como o MES – responsável pela automação e controle da fábrica, que não são terceirizados ou quando o são, são para as tarefas mais básicas, como suporte e administração. Nesses casos em específico, são áreas que faz você trabalhar mais no chão de fábrica, próximo à produção (eu que o diga, tem horas que só de EPI, carrego quase 30 kg, entre capacete, máscara, cinto de segurança, roupa antichama e outros bagulhos)…

  • Cláudio P

    Caro Alexandrer Gromow, que maravilha de evento, parabéns belo registro! Trouxe-me belas lembranças de quando participei de um similar em 1983 através de meu pai, que trabalhava na VW.

  • Davi, antes fosse pouco curso de suspensão: é praticamente zero.

  • Alexandre Zamariolli

    Então se prepare, porque esta é pra morrer de rir… ou chorar:

  • Grato por seu comentário, caro Ervin,
    Foi um evento memorável que não podia ter ficado sem ser registrado para as gerações futuras.

  • Obrigado caro EDI – Edivaldo Hidalgo Fernandez – Presidente do Fusca Club ABC (clube que já completou a maioridade). Sua gentileza permitiu que esta matéria pudesse ser registrada. A sua participação, bem como a participação dos membros de seu clube na organização da Megavisita foi importante e está registrada não só na matéria como nos álbuns de fotos do Flickr.
    Um muito obrigado especial para você, acompanhado pelos merecidos parabéns!

  • Edi, Ia falar com você sobre este caso, que bom que você se antecipou.
    Saudações

  • Quem merece o agradecimento é o EDI que faz a mágica acontecer…

  • Thyago Szoke

    Fat Jack, eu lembro de você! Isso foi realmente nos primórdios do clube, na época que utilizávamos ainda o servidor da VolksPage!

    • Fat Jack

      Quem sabe não adquiro outro representante da familia Santana… Vontade não falta!

  • Fat Jack

    Entendo, realmente é uma situação delicada e compreensível.

  • Rogério Oliveira

    Tudo bem, Gromow? Lindo passeio! Linda festa! Poucos tem o privilégio de visitar a fábrica, mas com sua matéria, conseguimos sentir a emoção deste evento!
    Parabéns pela iniciativa de compartilhar com seu público, esta Megavisita! Estendo meu agradecimento ao Edi, que ajudou indiretamente, nesta matéria!