Muitas pesquisas e opiniões apontam para o desinteresse do jovem por automóveis. As explicações são diversas e passam por alguns fatores como: a menor necessidade de deslocamento devido a melhores tecnologias de comunicação, cidades cada vez mais populosas com trânsito cada vez mais pesado impondo limitações e restrições de uso, e a possibilidade do uso compartilhado eliminando a necessidade da posse de um bem de preço e custo de propriedade altos.

Ainda que a passos lentos esses e outros fatores estão provocando muitos questionamentos e transformações no conceito do automóvel. A mais notável é que os fabricantes estão revendo a sua razão de existir de empresas de manufatura de bens duráveis para empresas de soluções de mobilidade. E quem tiver coragem de olhar para o futuro com um pouco de pragmatismo pode enxergar o automóvel como algo bem diferente e com bem menos apelo emocional. E nem precisamos avançar muito, basta ver os carrinhos do Google.

carro-google  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Carro GoogleMas essas mudanças acontecerão de forma gradativa e levarão muito tempo para afetar todos os usuários de automóveis. Portanto, o carro do jeito que conhecemos ainda vai perdurar.

Olhando um pouco para o passado, a cada década ou época, sempre existiram carros que se destacavam mais no desejo dos entusiastas e de pessoas comuns. Entre os desejados em um passado não muito distante estão modelos como o Dodge Charger, Opala, Maverick, Gol GT, Escort XR3, Kadett GSi e outros, incluindo importados. Essa lista é grande. Muitos deles são objetos de desejo até hoje, seja na forma original ou em novas gerações. E não há dúvida da importância para uma marca em ter um carro entre os mais desejados. Esse desejo, mesmo que não possa ser alcançado por todos os consumidores, serve de referência para escolha de outros modelos da mesma marca.

mclaren-f1  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? McLaren F1

McLaren F1, um dos mais desejados na sua época

Mas o mercado cresceu no mundo inteiro, as marcas se multiplicaram, a oferta de modelos explodiu. Há muitos ícones de desejo ainda vivos, como a tríade de muscle cars americanos, Camaro, Mustang e Challenger, ou a tríade de modelos esportivos das marcas alemãs, BMW M, Audi RS e Mercedes-Benz AMG. Esses e outros ícones estão sendo perpetuados por gerações, mas qual será o desejo de jovens que estão entrando no mercado consumidor para comprar seu primeiro carro?

Os jovens de 16 a 20 anos de idade são os novos consumidores que as marcas terão que atender agora e nas próximas décadas. Depois de comprar seu primeiro carro farão várias trocas nos próximos 30 anos ou mais. Por isso a opinião deles é a mais valiosa para o direcionamento de um futuro mais próximo. E se forem fisgados corretamente, com produtos e serviços a altura de suas expectativas e com um preço apropriado, poderão ser consumidores da marca por vários anos.

No entanto, não há uma clareza sobre qual modelo tenha maior destaque no imaginário dos jovens brasileiros. Não há um modelo específico que possa ser facilmente identificado. Nós mesmos aqui no AE temos divergências e uma pesquisa interna entre os editores não nos levou a uma conclusão objetiva sobre qual é o carro mais desejado entre os jovens.

Assim nasceu a ideia de fazermos uma pesquisa simples e direta para responder a seguinte pergunta feita a jovens de 16 a 20 anos: qual é a marca e o modelo do carro que você deseja ter?

O questionário foi disponibilizado para jovens de ambos os sexos. Após o filtro da idade havia uma pergunta para confirmar o desejo ou intenção de comprar um carro. Caso a resposta fosse negativa o questionário se encerrava. Tivemos 1.144 respondentes com apenas 10 deles sem intenção de compra. Assim o total de respondentes foi de 1.134, sendo que três deles não identificaram qual o carro desejado. Então o total de respostas válidas foi de 1.131, sendo apenas três respondentes do sexo feminino. A pesquisa teve abrangência nacional com respondentes de todos os estados do país.

O tipo de carroceria mais desejada é a sedã (37%) seguida da hatch (31%) e cupê (19%). Interessante notar a falta de interesse pelos SUVs e menos ainda pelas peruas. Nessa fase da vida os jovens não necessitam de espaço e versatilidade.

tipo-de-carroceria  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Tipo de carroceria

Os esportivos, ou versões esportivas correspondem a 31% dos modelos desejados.

esportivos  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Esportivos

A importância dos esportivos na formação do desejo por marcas de menor consideração é notória. No caso da Renault 94% dos modelos desejados são Sandero R.S.. Isso equivale a dizer que a Renault praticamente não teria sido lembrada se o seu esportivo não existisse.

O mesmo vale para a Nissan, onde 54% dos modelos correspondem apenas ao GT-R com mais 35% de 350/370Z, Skyline e Silvia. No caso da Subaru, 57% dos modelos desejados são WRX/WRX STI e no caso da Mitsubishi também 57% correspondem ao Lancer EVO. Nas marcas premium 0s modelos RS e S da Audi correspondem a 55%, enquanto os M correspondem a 47% dos BMW e o s AMG a 36% dos Mercedes-Benz.

representatividade-dos-esportivos  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Representatividade dos esportivos

As marcas premium e de luxo são desejadas por 13% do total. A BMW segue na liderança com 42% do desejo entre essas marcas, seguida da Audi com 29,4%, de da Mercedes-Benz bem atrás com 9,8%.

premium-vs-volume  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Premium vs volume

marcas-premium  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Marcas premium

O ranking das marcas mais desejadas, incluindo as premium e de luxo tem a Volkswagen no topo com 23,8% e boa vantagem sobre a segunda colocada, a Chevrolet, com 16,5%, seguida de perto pela Ford com 13,8%. Na quarta posição, mais abaixo e com 7,3% vem a Honda, e na quinta posição a BMW, com 5,3%.

marcas-mais-desejadas  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Marcas mais desejadas

E agora o carro mais desejado pelos jovens brasileiros: o Volkswagen Golf, com 9,9% do total de menções. Ele é o símbolo do desejo e a versão GTI, se fosse considerada com um modelo separado, ocuparia a quinta posição, provando a sua importância na geração do desejo pelo Golf e pela marca Volkswagen.

Em segundo lugar curiosamente apareceu o veterano e fora de linha Opala com 7,6% e que no seu tempo já ocupou o lugar de modelo mais desejado. E em terceiro o Honda Civic com 7% seguido do VW Gol com 4,2% e do Subaru Impreza com 3,8%.

grafico-modelos-mais-desejados  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Gr  fico modelos mais desejados

No gráfico acima mostramos apenas os modelos que conseguiram resultados superiores a 1%. A Ford foi a marca com maior quantidade de modelos no ranking, com cinco: Mustang, Focus, Fusion, Maverick e Fiesta. A Chevrolet teve quatro modelos no ranking: Opala, Camaro, Vectra e Cruze. E a VW também emplacou quatro modelos: Golf, Gol, Jetta e Saveiro. Vale notar a presença de Renault no ranking com o Sandero R.S..

volkswagen-golf-gti  QUAL O CARRO MAIS DESEJADO PELOS JOVENS? Volkswagen Golf GTi

O carro mais desejado do jovem brasileiro; parabéns, VW

Ao que tudo indica, se os fabricantes observarem o desejo dos jovens nós ainda vamos ter carros muito interessantes por um bom tempo.

 

PK

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • Leônidas Salazar

    Na faixa etária contemplada pela pesquisa, a maioria absoluta dos que fazem parte dela não tem independência econômica suficiente para comprar e manter um automóvel, por isso o mercado é tão diferente. Porque o poder de compra está nas mãos de pessoas mais experientes, que geralmente possuem cônjuge e filhos, e por isso tem prioridades e necessidades muito diferentes da época em que eram jovens solteiros(as).

    • Follmec

      Pois é, sem contar que é uma escolha que depende de inúmeros fatores(muitos deles totalmente subjetivos), o que torna quase impossível chegar à alguma conclusão condizente com a realidade.

    • CignusRJ

      Faltou dizer tb que isso é pro jovem europeu. E nem sei se é de toda Europa ou só a ocidental.
      Faça-se a mesma pesquisa aqui, no Japão, nos EUA e o resultado será diferente.
      .

      • Otavio Marcondes

        Mas a pesquisa não foi feita aqui?
        Pelo que li e entendi tinha sido realizada pela equipe autoentusiastas

    • Leônidas, desejo não necessariamente tem que ter relação com a realidade. Nós estávamos interessados no desejo, e não na possibilidade. Assim é importante ter um GTi na concessionária, ao lado de um Gol, por exemplo. O cara vai lá movido pelo desejo de ter um GTi e sai de lá com um Gol. E se o Gol for bom e o atendimento for bom, ele pode voltar quando puder ter o GTi.

      • André K

        Nessa linha de raciocínio e considerando-se que a imensa maioria dos consumidores não entende absolutamente nada dos veículos, faz IMENSO SENTIDO oferecer os tais esportivos adesivados! São baratos de se produzir e o efeito é praticamente o mesmo.

  • Vinicius Vasques

    Apesar de não ser um jovem brasileiro, acho interessante a pesquisa, sendo que alguns resultados pude comprovar “in loco”. Um grande amigo já na casa dos 35 anos resolveu investir na faculdade de direito e hoje é o “tiozão” numa turma de estudantes na faixa dos 21 anos. Dono de um Golf GTI, nem preciso dizer que o cara é um sucesso – entre os garotos!

    É muito bacana enxergar o que a molecada de hoje em dia tem e o que tive, na minha época os carros mais desejados eram o Escort XR3 e o Gol GTi. Hoje em dia confesso que se não me importaria de ter na garagem um Golf 1,4 TSI ou 2008 THP 😉

  • Mr. Car

    Keller, para responder, tenho que voltar ao passado, he, he! Pouco antes de fazer 18 anos, sempre que me imaginava já com a CNH nas mãos, imaginava também ter meu primeiro carro. E o imaginado naquela ocasião, era um Maverick (usadinho mesmo), que nunca tive. Na prática, acabou sendo uma Caravan do meu avô. Em tempo: é impressionante como o Opala ainda exerce fascínio. Tem alguns dos clubes de antigos mais ativos, e é campeoníssimo da categoria “Carro Fora de Linha” do concurso anual “Melhores Carros” do BCWS, jamais tendo sido derrotado em todas as dezoito edições do prêmio.
    Abraço.

    • Tajes Robledo Fernandes

      O Opala é praticamente o muscle car brasileiro….

    • Mr. Car, um dia eu estava caminhando na rua, com a ideia de testar um Gol GT 1986, que era o meu carro desejado quando tinha 16 anos. Mas eu achei que testar apenas o Gol seria pouco e então pensei em compará-lo com o up!. Mas na hora não imaginei o up! como um carro desejado, ou que fosse desejado por um jovem de 16 anos. No entanto discutindo internamente com os editores, não chegamos a conclusão de qual seria esse carro nos dias de hoje.Assim nasceu a pesquisa. O Opala também me surpreendeu.

    • Diego Mayer

      O Omega também sempre foi o vencedor na categoria dos anos 90. Será complô dos Omegueiros? haha

  • eNe

    Só para constar:
    Atualmente meus três carros preferidos, são de três marcas diferentes.

  • Luís Galileu Tonelli

    Na verdade a pesquisa tem a ver com sonhos na minha opinião. Muitos dos carros mencionados estão fora do alcance financeiro da maioria destes jovens. Talvez delimitar a pergunta do ponto de vista financeiro poderia alterar drasticamente a resposta.

    • Isso mesmo Luis, a pergunta foi o mais aberta possível para não haver limitações. Quando falaos em desejo não é necessário considerar a realidade, embora muitas pessoas não consigam fazer essa abstração.

  • Com a fórmula de fabicação de carros, ao menos como eles são hoje, já dominada, técnicamente eles são muito parecidos. Aí o que vale para muitas pessoas, depois do desenho, é a percepção de marca. E se a percepção positiva for constatada na prática a chance desse consumidor continuar na marca é grande. Pergunte a quem tem um iPhone se quer mudar de marca.

  • A pergunta foi aberta e a palavra desejo, e não intenção, foi usada propositalmente. Pois desejo não tem necessariamente relação com possibilidade de compra. E o desejo pode expressar uma ideia mais livre e autêntica. A ideia da pesquisa era bem simples e não envolvia um nível mais profundo de análise. O questionário foi enviado apenas para jovens de 16 a 20 anos, independente de sexo e nível social. Possivelmente os mais interessados por carros responderam a pergunta e os desinteressados ignoraram o convite para responder.

  • WSR, a questão era bem aberta o que mostra que mesmo quando se fala de desejo também pode considerar-se outros elementos. E não havia nenhum estímulo, seja uma lista de marcas e carros ou fotos. Isso também propositalmente para evitar que um estímulo afetasse a primeira resposta, a mais sincera. Acredito que se colocarmos uma foto de um Porsche, um Ferrari, um Lamborghini ou outros desse nível, o resultado poderia ter sido diferente.

  • Realmente eu não entendo porque a Ford não trás o Mustang. Enquanto isso já são mais de 5.000 Camaros rodando no Brasil.

    • Antonio Olympio Filho

      Será que teremos que fazer um bom Email para a Ford Motor Company falando que achamos um absurdo a GM conseguir vender 5 mil Camaros no Brasil, e eles nada fazem quanto a isso, que vai deixar assim barato mesmo e tão fácil a vida da GM em nossas terras ???

    • Pablo Lopes

      PK, quando li: “Enquanto isso já são mais de 5.000 Camaros rodando no Brasil.”, lembrei logo do Bumblebee dos Transformers atual, que provavelmente teve incentivo ( $$$ ) da GM. Até porquê, na 1º versão da série ( 1900 e lá vai criança ), o personagem era o popular e mundialmente já conhecido Fusca, talvez pra ajudar na divulgação da série, pegando carona no sucesso da franquia “Se meu fusca falasse”… enfim, já seria outra história, e muito boa para o A.G. nos contar, os motivos que levaram a escolher os carros para os filmes…Fica a dica…

  • José, o único filtro do questionário era a idade. Ele foi apresentado a jovens não relacionados diretamente com o site. No entanto, como a resposta ao questionário era voluntária, sem nenhum prêmio ou vantagem para que os respondentes, possivelmente a maioria das respostas veio de jovens que se interessam por carros. O que para nós não apresenta nenhum problema, pois aqui todos tem esse mesmo interesse.

  • Romulo Rostand

    Excelente iniciativa. Gostei do resultado.
    Interessante a forte identificação da juventude com modelos fora de linha como Opala e Maverick. Aliás o Opala em 2°, com mais de 7%, foi mesmo uma surpresa para mim. Logo que identifiquei o Opala em 2° imaginei que o Passat estaria na lista, errei!
    Sem problemas, acho que conferir nossas expectativas é uma boa forma de atualização, mesmo – ou principalmente – quando erramos.

    Por fim, gostei de ver que apesar das minhas cinco décadas e meia vividas, estou em sintonia com a juventude. Todos os carros eleitos me deixam com uma pontinha de desejo.
    Parabéns pela pesquisa!

  • Fernando Berté

    Hoje, o carro que me atrai é o Sandero RS.
    Uma pena a economia estar ruim e eu sem coragem de trocar o pé de bode que me acompanha a tempos.

  • braulio

    Interessante notar que os carros que desejamos quando jovens (não só eles, mas roupas, objetos de decoração, etc.) orientarão as compras durante a fase de em que se tem dinheiro suficiente para adquirir algum bem. Não por acaso, vários objetos contemporâneos possuem uma referência aos jogos, desenhos e seriados dos anos 90, assim como nos anos 90 era moda ter inspiração dos anos 70.
    Fico apenas com pena dos jovens fans de Opala. Não há um similar disponível hoje para ser comprado e não há a possibilidade de que venha a existir num futuro próximo ou remoto algo com o mesmo nível de conforto, bom espaço interno, ótimo porta-malas, opções de carrocerias, opções de câmbio (manual-3, manual-4, automático-4, manual-5 e ainda teve um manual com overdrive!) opções de motor, mas sempre com mecânica simples e confiável, tração traseira, tudo encapado com um desenho que sempre oscilou entre elegante e lindo.

  • Daniel S. de Araujo

    Interessante é essa posição de destaque (e desejo) que o Volkswagen Golf desperta: Já nos idos de 1996, com meus 18 anos, ter um Golf era o sonho da molecada (e das meninas também)!. Todos queriam um Mk3, podia ser GL, GLX embora a preferência fosse o GTi (mesmo sendo o GTi da época idêntico ao GLX, exceto pelas duas portas). Tinha alguns raros VR6 que somente jovens e pessoas muito abonadas possuiam e era o sonho de todos!
    http://www.autosnout.com/editionimages/588.jpg

    • Daniel

      Quase todos… Eu, nessa mesmíssima época, nunca considerei um Golf. Preferi estacionar em casa um Marea Turbo. Que não despertava o desejo que o Golf despertava aos olhos alheios… Mas despertava a ira de todo dono de Golf, com absoluta certeza, kkkkkk.

      • Daniel S. de Araujo

        Eu tive um GLX 1997. Mas minha vontade mesmo era o velho “Trovão azul”: um Gol S, 1985 arrefecido a água, câmbio curto de 4 marchas e motor 1,8 L…

  • C. A. Oliveira

    Uma pesquisa dotada de certo ineditismo, para mim pelo menos. Uma excelente iniciativa.
    Particularmente, o meu sonho de adolescência foi a dupla Passat GTS Pointer e Monza S/R. Para mim, os melhores esportivos nacionais dos anos 80, com seus motores fortes e estética bem resolvida. Externamente, preferia o Passat, por causa dos quatro faróis e das rodas de muito bom gosto. Mas no interior, a vitória era do Monza. Acabamento impecável e muita modernidade.

    Aqui na região onde moro, nos dias de hoje, os veículos mais desejados seriam certamente a Saveiro ou o Gol da primeira geração, rebaixados e com rodas de aro gigantesco, ao melhor estilo dub.

  • Bom, interessante recado para os fabricantes: todos os modelos mais desejados são bem resolvidos esteticamente. Não se viu Etios, Palio nem Prius, por exemplo. Fabricantes: façam pesquisa de desenho com os consumidores. 2: coluna C larga agrada bastante (Golf e Opala).

    • Victor H, você fala em desenho de carro: nos seus você manda instalar uma câmera voltada para trás, para a extremidade frontal, para você ver o quão bonito (ou feio) o carro é enquanto o dirige?

      • Bob, esta característica foi detectada pela pesquisa. Sobre as câmeras: não instalo. Não instalaria nem se eu tivesse um Dodge Challenger, porque deixaria o carro feio com câmeras dependuradas pelos lados. Agora, você conhece alguém que vai na feira e na mesma banca, com o mesmo preço, escolhe as frutas e verduras mais feias que encontrar?

  • Pablo Lopes

    Ótima pedida!!! Vide AUDI RS-6

  • Alexandre Zamariolli

    Ao comentar sobre o Jeep Compass na matéria do Carqueijo, afirmei que “nem a própria Jeep se deu conta do tremendo golaço que marcou”.
    O Bob sempre diz que não existe mais carro ruim, mas existe um mérito muito particular quando um projeto acaba saindo melhor do que a encomenda. Outros exemplos:
    – o Ford EcoSport, tábua de salvação da marca no Brasil;
    – o Fiat Uno Mille, um novo Fusca de onde menos se esperava;
    – o Hyundai HB20, um VW Gol passado a limpo;
    – o VW up! TSI, um diamante finamente lapidado dentro de uma caixinha de plástico.
    O Opala, muito provavelmente, inaugurou esse grupo.

    • Jão Simonetti

      Sem contar o Monza, que foi o carro que agradou da classe média aos ricos em meados dos anos 80.

  • Rogério Ferreira

    Minha filha adolescente sonha com um Audi A3 Sedan. Boa escolha, pena que o papai aqui ainda não tem “bala na agulha”, quem sabe como seminovo. ela se entusiasma com qualquer carro do trio alemão Audi/BMW/Mercedes. De qualquer forma, é um contrassenso, ver uma pessoa tão jovem, que gosta muito de carros. A propósito, já comecei a ensiná-la, os primeiros passos ao volante, e tem se saído muito bem. Já a minha pequena de 1 ano e nove meses, tem o brinquedo preferido dela, o “buu” do papai, aponta seu dedinho para o carro na garagem, pois tenho que levá-la para brincar dentro dele, primeiro mexe em tudo que é botão e liga o som, pega a chave e tenta inserí-la no contato, já pula para o banco do motorista, roda a chave no primeiro estágio, e acende o painel, aplaude o feito, logo tenho que colocá-la no colo, e ela já mexe na chave tentando fazer o motor funcionar. Ajudo ela, o carro liga, e ela feliz, começa a virar o volante de um lado para o outro. Aí, já brincamos de dirigir, jogo vou para frente e para trás, bem devagar, e ela satisfeita, vira o volante para onde quer.(temos um bom espaço em casa para isso). Difícil é tirá-la do carro, ou segurá-la na cadeirinha, quando estamos viajando. Tenho certeza que as minhas duas meninas, não seguirá a tendência de sua geração, e serão sim, autoentusiastas. A grande questão, é que se os jovens não se interessam por automóveis, grande parte da culpa é dos pais, que não os fizeram se interessar. Sempre repassa aos pequenos a mensagem que dirigir é cansativo, que trânsito estressa, e viagens são entediantes. Na nossa época de meninos, era diferente, automóvel tinha um quê de prêmio, de conquista, e isso mudava tudo. Agora, esse negócio de não precisar de carro? Sim, pode ser que nos deslocamentos rotineiros casa trabalho, ele seja até dispensável, Agora como é que ficam os passeios no final de semana, às idas às praias e aos campos, a saída desta prisão urbana, que nos enlouquece cada vez mais? Sem carro, sem liberdade! O automóvel próprio é insubstituível, ainda que alguns “idealistas” não entendam isso.

    • Rafael_B

      Rogério, tinha um “que” principalmente de liberdade.
      Eu sonhava com intermináveis bate-e-volta ao litoral em dias a esmo quando tinha 15, 16 anos. Ainda bem que consegui muitos, mas nem metade do que previ.
      Hoje esse conceito de liberdade é mais atrelado à custos racionais, do tipo quanto vai me custar ter CNH e manter um carro x transporte público bem mais fácil e também tempo perdido no transito x moto simples ou bicicleta.
      Eu, no dia que fiz 18, estava na porta da autoescola às 8h00. Ao mesmo tempo, conheço algumas pessoas que tiraram a permissão só depois dos 20. Uma só aos 24.
      Não entra na minha cabeça velha!

    • Luke

      “Sem carro, sem liberdade! O automóvel próprio é insubstituível, ainda que alguns “idealistas” não entendam isso.”
      Eu também pensava assim até morar em Londres por 4 meses alguns anos atrás. Durante esse tempo só senti mesmo falta do automóvel em duas ocasiões e em uma delas peguei um taxi. Não é coincidência que esse movimento dos “jovens sem carro” tenha começado justamente nas metrópoles de primeiro mundo onde, via de regra, há segurança e bom transporte público. Por aqui penso que é diferente pois depender exclusivamente do transporte público é um martírio…

  • Diego, não sei se a migração do Gol para o HB20 foi só questão de estilo. Às vezes me pergunto se não teria sido um movimento de “libertação” do jugo do Gol após 27 anos.

  • Paulo Ferreira

    Interessantíssimo! Estranhei a posição dos SUV, surpresa positiva.

  • Jão Simonetti

    Que o Golf é líder não se duvida. Muitos comentaristas de internet jactam o DSG e lamenta a ausência dele (quando saiu pelo alto índices de problemas da caixa Dry). Os mesmos, são aqueles que criticam o Powershift (na média, a cada 10 câmbios usados pelos Fords/Volvos no Brasil, há 01 DSG).

    Os fãs de VW e Golf são os mais numerosos e chatos da internet…

  • WSR, pode ter influenciado, mas a migração foi abrupta. Pode ter sido também vontade de mostrar ascensão social, tipo Gol era “carro de pobre”.

  • Marco Botelho

    Não tinha dúvidas da vitória do GTI. Esta sigla povoa os sonhos dos jovens brasileiros entusiastas há décadas. Hoje no auge dos meus 40 anos sou um feliz proprietário de um Gol GTS e um Golf GTI, sonhos realizados recentemente. Cada detalhe de ambos, desde o acender dos faróis de longo alcance do GTS, seu ronco, seu freio de modulação perfeita até as acelerações explosivas do GTI acompanhadas de estampidos nas trocas, com uma capacidade de contornar curvas que nos instigam a buscar os nossos próprios limites, fazem desses modelos verdadeiras máquinas de arrancar sorrisos de quem os ama.
    A Volkswagen teve a capacidade de entender, apesar de nos deixar órfãos durante um breve tempo, que o prazer desses GT’s não deixaram de existir nos entusiastas brasileiros.

  • Brenno

    Eu ganhei um abraço… hahahahahahahahhahaha

  • WSR, 0-100 km/h em 5,2 s, 0-160 km/h em 11,5 s. Encara muito bem uma Autobahn: máxima de 285 km/h. Câmbio (de Corvette) de seis marchas, v/1000 em 6ª 80 km/h — 160 km/h a 2.000 rpm!

  • André K

    Acho que o Steve Jobs disse algo parecido quando lançou o iPhone.

  • Gabriel FT

    Só 2% demonstraram preferência por caminonetas!?
    Então posso parar de torcer por uma Etios Wagon com aquele porta-malas gigante que o sedã tem só que muito mais prático e provavelmente muito mais bonito também.

  • ZéhGabilão

    Também acho, Lira.
    Um exemplo que vi uma vez, um amigo mais abastado quando fez 18 anos ganharia um carro dos pais (não lembro exatamente os modelos, mas citarei alguns apenas como exemplo), e por algum motivo ele poderia escolher entre 207, Agile e C3, mas o que ele mais gostou desde sempre foi o Fox… Que ele não ganhou.

    • Washington Souza

      Estranho, porque o Fox fica numa faixa de preço mais acessível. E 207 e C3 são franceses. Só para sanar minha curiosidade, ele comprou o Agile, não é?

  • ZéhGabilão

    Acredito que seja por conta de ter 2 tipos de sonhos em questão hahaha
    Um sonho que um dia será possível e um sonho que dificilmente se realizará, por exemplo:
    Meu sonho absoluto é um Lamborghini Diablo SE 30 roxa, massss além de serem caríssimas não tem nenhuma no Br… Agora um sonho (sonho porque ainda não tenho condições) mas que é possível se realizar em algum tempo seria um Subaru Impreza WRX, que temos no Br e o preço não é nenhum absurdo.

  • Roberto Neves

    Meu filho mais novo vive em Curitiba e pretende casar e abrir comércio. Estou pensando em dar de presente de casamento meu Grand Siena Essence 1.6, pela boa mala etc. Temi que ele não gostasse do modelo, que é considerado “carro de tiozão”, mas, pela pesquisa, acho que é uma boa ideia.

    Penso em ficar sem carro, pois no Rio de Janeiro me desloco 90% do tempo de metrô. Posso pegar táxi eventualmente e alugar carro para viajar, que é praticamente o único uso que faço atualmente do meu carro.

  • Roberto Alvarenga

    Justíssima escolha. Quando eu era adolescente, minha preferência ficava entre Escort XR3, Gol GTI e Kadett GSI. Quando surgiu no Brasil o Golf, imediatamente passou a ser meu favorito. Pena que não tinha idade nem dinheiro pra ter um…

  • Cristiano Bolivar

    Os carros atuais perderam carisma, são basicamente meio de transporte sem apelo emocional. Isso por conta do público, que apenas preza a economia de combustível. Sempre me perguntam quantos km/L meu Monza 2,0 faz, e me olham com desconfiança quando respondo um número equivalente ao carro moderno que possuem. E acredito que a nova geração esta saturada da monocromia do prata, e carros horrorosos em termos de design, por isso acabam buscando os antigos como o Opala representado no gráfico… Uma quebra de paradigma, por ser um veiculo antigo, pesado, gastador, o oposto do que se espera nas ruas hoje.(Opala é um dos meus carros preferidos, só para ficar claro).
    Espero que algum dia as fabricantes olhem para o público de forma diferente, e por mim que essas aberrações fiquem encalhadas nos pátios das fabricas como lição, pois não basta fazer um produto eficiente. Ele precisa ser bonito ao ponto de você estacionar o carro e ao se distanciar olhar para trás e pensar ( meu carro é lindo…).
    Um abraço aos saudosistas da Opel.

    • Cristiano, repetindo que tenho dito aqui: o consumo dos nossos carros é o que nós queremos que seja. Não adianta dizer que o meu carro X faz tanto e os mais novos idem ou mesmo fração de X.

  • Washington Souza

    Eu fico junto com a galera realista, mas nada me impede de pôr um V-8 350 no Opala, ou pôr uns freios a disco nas quatro rodas.
    O fato é que aos poucos estamos entendendo que andar num carro real é melhor que querer carros dos sonhos.

  • Washington Souza
  • WSR

    Que os Opalas são bons de reta, não nego, mas sob a questão da estética, de 80 em diante ficou controverso. Não digo que ficou feio, só acho que as maquiagens não combinavam com o resto do carro. O meu preferido é o 81, já com o painel mais moderno.