A vitória de Nico Rosberg no Grande Prêmio do Japão, disputado domingo, em Suzuka, deixou o piloto alemão mais perto do seu primeiro título mundial enquanto seu compatriota Sebastian Vettel viveu um fim de semana pouco auspicioso. O tetracampeão mundial não conseguiu subir ao pódio e ainda ouviu Maurizio Arrivabene declarar que a renovação de seu contrato, que acaba em 2017, depende dos resultados que ele apresentar até lá. Terminado o tour da F-1 no Extremo Oriente, viu-se Rosberg firme, Vettel nem tanto…Falando nesse assunto, a Renault e Nico Hulkenberg estariam em fase final de negociação. Se confirmado o acordo vai gerar boa movimentação no mercado: deixará em aberto uma vaga na quarta melhor equipe da temporada, a Force India.

Largada em Suzuka deu o tom da corrida: Hamilton caiu para oitavo (Foto Mercedes)

Largada em Suzuka deu o tom da corrida: Hamilton caiu para oitavo (Foto Red Bull)

Alheia a tudo isso, a Mercedes comemorou seu terceiro título consecutivo entre os construtores com quatro provas de antecipação. Neste vídeo postado nas redes sociais, a marca alemã mostra como compartilhou a conquista com os funcionários na Inglaterra, certamente um case sobre como manter todos motivados e focados na conquista de mais um título em 2017. Vale a pena ver.

Disputa de freada entre Verstappen e Hamilton: o holandês levou a melhor (Foto Red Bull)

Disputa de freada entre Verstappen e Hamilton: o holandês levou a melhor (Foto Red Bull)

Se Rosberg saiu de Suzuka com uma confortável margem de 33 pontos na liderança do campeonato, boa parte desse resultado se deve à catastrófica largada de Lewis Hamilton, que caiu de segundo para oitavo e terminou em terceiro, após grande disputa com o holandês Max Verstappen. Com esse resultado, o inglês agora agora tem 280 pontos, contra 313 do líder. Para quem gosta de números frios e calculistas essa diferença permite ao alemão chegar ao tão esperado primeiro título terminando em segundo lugar todas as as quatro corridas restantes deste ano: Estados Unidos, México, Brasil e Abu Dhabi. Verdade que o campeonato deste ano já teve suas reviravoltas, mas o favoritismo agora é francamente de Rosberg.

Hulkenberg pode ser liberado pela Force India e assinar com a Renault para 2017 (Foto Sahara Force India)

Hulkenberg pode ser liberado pela Force India e assinar com a Renault para 2017 (Foto Sahara Force India)

Outro alemão, também chamado Nico, igualmente é apontado como favorito. No caso do Nico Hulkenberg suas chances de vitória seria fechar contrato com a Renault na condição de primeiro piloto. A imprensa alemã noticiou que até mesmo a minuta do contrato teria sido aprovada pelas partes envolvidas.Verdade que ele está confirmado na equipe Force India, ao lado de Sérgio Pérez, mas dois fatores ajudam a dar força a essa possibilidade bastante comentada no paddock de Suzuka: 1) Vijay Mallya, dono da equipe, já declarou que jamais impediria Hulk de aproveitar um bom convite; 2) Todos sabem que a vaga aberta pode ser convertida em um bom dinheiro, seja através de um piloto que traga patrocinadores ou através do piloto que a Mercedes escolher para preencher esse lugar. E dinheiro é sempre bem-vindo em qualquer equipe da F-1… Neste caso os primeiros da lista são Pascal Wehrlein e Esteban Ocon.

Já na Ferrari a situação não é nova, não é boa e nem deve melhorar em breve. A falta de resultados que eram esperados para este ano — Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen lutando por vitórias com os pilotos da Mercedes —, e a perda do segundo lugar entre os construtores para a Red Bull não ajuda em nada a solucionar os problemas que a imprensa italiana colabora para ficarem maiores. O contrato atual de Vettel termina no final de 2017 e há um acordo para renovar por mais dois anos.

"Vettel precisa mostrar seu valor" foi o que se leu nas entrelinhas da declaração de Maurizio Arrivabene (Foto Ferrari)

“Vettel precisa mostrar seu valor” foi o que se leu nas entrelinhas da declaração de Maurizio Arrivabene (Foto Ferrari)

Questionado sobre essa extensão em entrevista ao jornalista Carlo Vanzini, da Sky Italia, Arrivabene destacou que tanto Vettel, quanto a equipe como qualquer pessoa tem objetivos na vida e lembrou que o piloto tende a extrapolar as atribuições do seu cargo, ou como está na moda, do seu “job description”, para ser confirmado:

“Vez ou outra precisamos lembrar Vettel para se concentrar na sua tarefa, que é pilotar. Sobre sua renovação, ele precisa mostrar resultados como todos…”

A declaração de Arrivabene está longe de ser a descoberta da pólvora ou a reinvenção da roda: todo piloto campeão se enfronha em todas as áreas da equipe para saber o que está acontecendo, motivar seus colaboradores diretos e ter o equipamento que vai permitir obter melhores resultados. Ocorre que em estruturas menos rígidas, como é o caso da Ferrari, isso gera desequilíbrios exacerbados quando os resultados não vêm. E a Ferrari não vence desde desde… o GP de Cingapura de 2015, uma eternidade para os tifosi e para os executivos da FCA, a holding que, no final das contas, tem ingerência maior sobre o orçamento e as nomeações da equipe.

Fãs japoneses: os mais criativos e coloridos da F-1 (Foto Red Bull)

Fãs japoneses: os mais criativos e coloridos da F-1 (Foto Red Bull)

O resultado final e todas as informações do GP do Japão você encontra aqui e os melhores momentos da corrida neste vídeo.

 

Renault na F-E

Buemi, atual campeão, venceu na F-E em Hong Kong (Foto FIA FOrmeula E)

Buemi, atual campeão, venceu na F-E em Hong Kong (Foto FIA Formula E)

O suíço Sebastién Buemi foi o grande sobrevivente da corrida repleta de acidentes e incidentes que serviu como abertura da temporada 2016/2017 da F-E, sábado, em Hong-Kong, como você pode conferir neste vídeo. O brasileiro Nelsinho Piquet largou na pole-position mas foi traído por um trecho da pista onde vários pilotos acabaram batendo nas barreiras de proteção. O americano Sam Bird assumiu a liderança mas ao trocar de carro o sistema de transmissão não funcionou e ele acabou se atrasando em quase uma volta. Lucas di Grassi parou para trocar o bico do seu carro e acabou fazendo uma boa recuperação, para terminar em segundo lugar.

Nelsinho Piquet largou na pole position (Foto FIA Formula E)

Nelsinho Piquet largou na pole position (Foto FIA Formula E)

Resultado de Hong-Kong:

1) Sebastien Buemi, Renault e.dams, 53’13”298; 2) Lucas di Grassi, ABT Schaeffler-Audi Sport, a 2”477; 3) Nick Heidfeld, Mahindra Racing, a 5”522; 4) Nico Prost, Renault e.dams, a 7”360; 5) Antonio Felix da Costa, Andretti Formula E, a 17”987; 6) Robin Frijns, Andretti Formula E, a 21”161.

Posições no campeonato

Pilotos – 1) Buemi, 25; Di Grassi, 18; 3) Heidfeld, 15; 4) Prost, 12; 5) Felix da Costa, 10; 6) Frijns, 8.

Equipes – 1) Renault e.dams, 37; 2) ABT Schaeffler Audi Sport, 18; 3) Andretti Formula E, 18; 4) Mahindra Racing, 16; 5) NEXTEV NIO, 7; 6) Faraday Future Dragon Racing, 6.

A temporada prossegue dia 12 de novembro em Marrakesh, Marrocos.

WG

A coluna “Conversa de pista” é de total responsabilidade do seu autor e não reflete necessariamente a opinião do AUTOentusiastas.


  • WG, a corrida até que foi boa, Rosberg comandou o final de semana todo. Hamilton esta sentindo o peso da disputa e a meu ver vai jogar a toalha; também não me tira da cabeça que a Mercedes prefere um título do Rosberg a mais um do Hamilton. Verstapen se segurou bem a frente da Mercedes, realmente o guri é bom de braço.

    Ano que vem com algumas liberações para os motores e aerodinâmica devemos ter uma disputa mais parelha.

  • Cristian_Dorneles

    Vettel precisa sair das fraldas e largar a mamadeira, do jeito que está, nem parece multicampeão, mas um guri mimadinho…

  • Mineirim

    Verstappen está certo: ele não era retardatário para deixar o Hamilton passar! kkk

    • Wagner Gonzalez

      Pois é, Mineirim… O Max não deu a mínima para o Lewis…

  • Fat Jack

    Tem fundamento, a quebra quando liderava abalou o inglês, e eu mesmo também pensava desta forma.