A Mercedes-Benz apresentou nessa segunda-feira (17) o novo Classe E sedã 2017, que já começa a ser vendido na próxima semana.

Todas as versões oferecidas vêm com o mesmo motor, o 2-litros (1.991 cm³) com turbocompressor que gera 211 cv a 5.500 rpm e 35,7 m·kgf de 1.200 a 4.000 rpm, acoplado ao novo câmbio automático 9G-TRONIC de nove marchas. O motor conta, claro, com injeção direta (200 bar de pressão) e interresfriador ar-água. O conjunto motriz garante comportamento ágil, associado à direção suave e sem leveza exagerada, e à tração traseira.

O E 250 acelera da imobilidade a 100 km/h em 6,9 segundos e atinge 250 km/h de velocidade máxima (limitada). Não se sente o motor fazendo mais força do que deveria para levar o carro que pesa 1.615 kg em ordem de marcha,  algo de realmente chamar a atenção. Mesmo acelerando 100% nenhuma troca de marcha é sentida de forma incômoda. O funcionamento é tão suave que muita gente pode ser levada a achar que acelera menos do que deveria, mas não é a realidade.

Pode parecer pouco 2 litros para um carro desse tamanho, mas tenha certeza que não. Numa das provas que fizemos, aceleração a pleno, entrada em “S” demarcado por cones para desviar freando de obstáculo, a velocidade crescia muito rápido, e não dava nem tempo para olhar o velocímetro ao se apontar o carro entre os cones e desviar, freando com tudo. Pela informação dos engenheiros da Mercedes que nos orientaram nas provas, essa velocidade era sempre acima de 70 km/h, atingida em espaço bem curto.

Uma exposição técnica e mercadológica do evento de lançamento deixou claro que o carro tem foco na inteligência eletrônica, com a frase-título “Rumo à direção autônoma“, tal a quantidade de recursos de assistência ao motorista e também passageiros. Mais sobre isso adiante.

Quer se aprecie ou não esse tipo de equipamentos em carros, é óbvio que não se consegue competir nesse mercado sem um grande conjunto eletrônico. Ou se tem, ou não vende, fato claro como água limpa. E nas demonstrações feitas pelos engenheiros alemães que vieram ao Brasil especialmente para a apresentação, esses equipamentos ajudam de verdade, como pudemos ver.

img_6667 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6667 1

img_6664 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6664

O E 250 sedã, o modelo da Mercedes mais vendido no mundo, é disponível em três versões: Avantgarde, Exclusive e a edição limitada Exclusive Launch, com 60 unidades apenas. Avantgarde é a de entrada da linha, e tem o emblema da estrela inscrita na grade, uma caráter mais esportivo, enquanto a Exclusive é dotada da grade tradicional de barras horizontais com a estrela fincada no capô.

O novo Classe E chega ao mercado com preços de R$ 309.900 (Avantgarde), R$ 319.900 (Exclusive) e  R$ 325.900 (Exclusive Launch Edition).

Assunto sempre recorrente na atual realidade de carros grandes com motores pequenos, a conclusão é simples: cilindrada não é mais pré-requisito para colocar um carro em determinada categoria. O seu desempenho e comportamento sim, e nisso o E 250 se enquadra perfeitamente entre os sedãs médio-grandes (ou grandes) em tudo. Mas é de se esperar, sem que tenha sido dito oficialmente, que modelos AMG com motores mais potentes  chegarão em breve, como já é habitual na marca.

Para mostrar a importância e um pouco da história do modelo, havia no local da apresentação, o Kartódromo da Aldeia da Serra, a cerca de 35 quilômetros de São Paulo, uma exposição com as nove gerações anteriores, mesmo antes dele ser batizado de Classe E, ocorrido em 1993. Se formos considerar a nomenclatura designando tamanho e carroceria, esta é a 5ª geração, W213 na fábrica, já que antes disso o E veio após o número de modelo quando da introdução da injeção de combustível, sendo o E relativo palavra Einspritzmotor, motor com injeção de combustível. Algumas informações sobre cada uma das gerações está no texto distribuído pela Mercedes-Benz, que foi anexado ao final da matéria.

Comparada ao de seu antecessor, a distância ente eixos aumentou 65 milímetros, para  2.874 mm, melhorando ainda mais o espaço interno,  e o comprimento total, 43 milímetros, para 4.923 mm.

O design geral externo é similar ao Classe C, com eixo dianteiro bem à frente, curva de teto com queda suave que pode ser dito inspirado em cupê e formato de faróis e lanternas também parecidos com o C. A grade inferior no para-choque é aberta de lado a lado, recurso que faz o carro parecer mais baixo na frente. Infelizmente a placa de licença e seu suporte escondem um pouco esse interessante desenho.

Inteligência eletrônica

O que chama a atenção é o pacote eletrônico, chamado de conceito Intelligent Drive. Ele inclui o Drive Pilot, que em autoestradas e estradas menores o Controle de Distância Ativo Distronic mantém o veículo à distância correta daqueles à frente e também pode segui-los a uma velocidade de até 210 km/h. Isto pode facilitar a vida do motorista, que não precisa mais operar os pedais do freio ou do acelerador durante a condução normal e também recebe uma ampla assistência ao volante do sistema Controle de Direção Ativo mesmo em curvas de raio médio.

Para que a segurança seja mantida, deverá haver um toque no volante a no máximo cada 30 segundos, caso contrário é entendido pelos computadores que o motorista não está alerta, e o carro passa a diminuir gradativamente de velocidade mesmo que não haja obstáculos no caminho, enquanto emite um sinal sonoro de volume elevado e agudo. Se o motorista insistir (ou ter perdido a consciência, por exemplo), a velocidade diminui até o carro parar.

Outro item único, o Assistente Ativo de Manutenção de Faixa, reconhece quando o veículo está involuntariamente saindo da faixa (a seta não foi acionada) em velocidades entre 60 e 200 km/h e alerta o condutor por meio de vibrações no volante. Se o condutor não reagir ao aviso, o sistema pode acionar os freios de um lado para ajudar a trazer o veículo de volta à faixa. Isso foi testado no mundo real, em rodovia, e a frenagem quando se aponta as rodas para fora, tentando fazer o carro sair do asfalto, é sensível. Claro, para o assistente funcionar é essencial que a sinalização de solo esteja perfeita.

Foi enfatizado que o motorista deve manter sua autoridade sobre o carro, e que esses sistemas existem apenas para evitar acidentes em caso de distração ou algum outro motivo.

O Pre-Safe tem função de preparar o carro quando o acidente é inevitável. No caso de uma colisão traseira, ao ser detectado pelos radares que outro veículo está muito próximo e muito rápido, os cintos são tensionados, os bancos são movidos para posição vertical (nem sempre dá tempo, claro, mas minimiza), os pisca-alertas são acesos, o motor é desligado e as portas são destravadas, entre mais alguns detalhes. Se o veículo for capotar, os vidros são fechados rapidamente também.

Mas o que realmente nos faz felizes é a segurança ativa, e para isso a lista de novos equipamentos do Classe E inclui os faróis Multibeam (multifacho) a LED, de alta resolução, cada um com 84 LEDs de alto desempenho controlados individual e automaticamente que iluminam o caminho com uma distribuição de luz que não ofusca outros usuários da via. Isso porque essa configuração permite que a distribuição da luminosidade seja controlada separadamente em cada um dos faróis e adaptada dinâmica e rapidamente às situações do tráfego, com base na informação primeira das câmeras localizadas junto do retrovisor interno. O sistema é de fabricação de nossa conhecida Hella, e mal podemos esperar a hora de ter um carro para avaliação “no uso” para ver como ele funciona na prática noturna.

O vídeo abaixo mostra didaticamente o funcionamento dessa obra-prima da luminotécnica:

img_6653 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6653

Estado-da-arte em veículo de produção, o Multibeam refletindo o Classe E

 

img_6670 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6670

Bem no centro da imagem o logotipo da Hella, fabricante do farol

img_6219 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6219

Outros sistemas presentes de série no modelo são o Crosswind Assist (assistente de ventos laterais), que pode ajudar o motorista reduzindo substancialmente os efeitos de ventos cruzados fortes, como já presente também no furgão Sprinter, evitando que o veículo de desvie muito da pista.

Na estrutura de carroceria, uma proporção ainda mais alta de componentes de alumínio e aço de ultra-alta resistência do que na versão anterior. Os para-lamas dianteiros, capô e grande parte das seções dianteira e traseira são feitos de chapa de alumínio ou alumínio fundido. São 65 kg a menos em relação à geração anterior.

O formato geral dela, mais as portas e tampas, colaboram para um coeficiente de arrasto (Cx) 0,23, e a aerodinâmica poderia ser ainda melhor, com menos área frontal, caso não utilizasse pneus larguíssimos 245/40R19 na frente e 275/35R19 atrás nessa edição Exclusive Launch. Mesmo assim, o carro desliza tão bem em velocidades de estrada que ajuda muito o motor a trabalhar folgado, além de silêncio geral ótimo, sem nenhum mínimo ruído de vento, algo que prezo muito.

Mesmo sendo pneus run flat, que rodam vazios devido à sua construção reforçada, o carro não é desconfortável nem ruidoso de rodar em nenhuma condição de asfalto pela qual passei, e as suspensões controlam a carroceria de modo impressionante. Na versão Avantgarde a altura de rodagem é 15 mm mais baixa do que a Exclusive.

Mesmo sem essa altura menor, a Exclusive efetua o percurso ao redor de cones (slalom) com tranquilidade e aumentado a velocidade gradativamente. Fiz essa prova pelo menos dez vezes, com facilidade, o carro me ensinando. Bom saber que mesmo com toda ajuda eletrônica se consegue pequenas derrapagens, onde se ouve os pneus cantarem. Havendo espaço, dá para divertir com o “Ezão”.

jj-e250 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES JJ E250

O comportamento dinâmico é um ponto alto do E 250

Todas as informações do carro e do sistema de mídia são exibidas em uma tela de  alta resolução de 12,3 polegadas e uma resolução de 1920 x 720 pixels. Um simples fio elétrico de espessura média é visto perfeitamente pela câmera de ré, por exemplo.

Além disso, teclas de controle tátil capacitivo no volante aparecem pela primeira vez em um automóvel. Como uma interface de telefone celular, eles respondem com precisão a movimentos de varredura horizontais e verticais, permitindo ao motorista controlar todo o sistema de informação e entretenimento sem ter que tirar as mãos do volante.

Outros controles para o sistema de informação e entretenimento são disponibilizados na forma de um touchpad com controlador no console central que pode até mesmo reconhecer grafia manuscrita, idêntico a outros modelos, como o Classe C. Também há teclas de acesso direto para funções de controle como o sistema de ar-condicionado ou — em mais uma estreia — para prática ativação ou desativação direta por teclas de alguns sistemas de assistência ao motorista, algo sempre bem-vindo e que facilita o acesso rápido.

Nesse série Exclusive Launch Edition, a iluminação do interior tem 64 cores, e oferece uma vasta gama de possibilidades de personalização. Ela adiciona cores aos frisos do painel, mostrador central, compartimento porta-objetos no console central, recessos das maçanetas, bolsos nas portas, áreas dos pés dianteiras e traseiras e console de teto.

img_6138 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6138

As linhas iluminadas podem ter 64 cores

Os bancos dianteiros tem todos os ajustes elétricos, inclusive de altura do encosto de cabeça, através das teclas no painel de porta, no formato de banco, facílimas de operar.

O porta-malas é grande, 540 litros, e pode ser ampliado pelo rebatimento das duas metades do encosto e mais o passa-esquis.

O tanque de combustível de 57 litros poderia ser maior, mas cujo consumo, sem nenhum cuidado e conhecendo os recursos do carro, foi de 11 km/l em cidade congestionada, depois avenidas um pouco mais livres, para depois rodovia de trânsito leve mas com 5 km de congestionamento devido a um  acidente no Rodoanel, para depois andar livre e acelerando mais forte em rodovia de 120 km/h.

Histórico

Breve histórico das gerações Classe E, com os anos de fabricação, modelo básico e topo da linha e pontos principais conforme salientados pela Mercedes-Benz.

1ª – 1947 – 1955: 170 V – 170 D

img_6633 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6633

Versão de 1947 apresentou motor a diesel de 4 cilindros com alta durabilidade. Modelo S possuía estrutura de painel e janelas em madeira e bancos mais largos e confortáveis.  Carroceria 8 cm maior para caber tanto o motor de 4 quanto o 6-cilindros

 

2ª – 1953 – 1962: 180 D – 190 “Ponton”
img_6632 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6632

Lançado em 1953, foram os primeiros veículos Mercedes-Benz conhecidos popularmente como “Ponton”, fase em que os desenhos de carrocerias começaram a incluir os para-lamas e o cofre do motor em um único volume; modelo iniciou as carrocerias monobloco de segurança e tinha também o objetivo de reduzir a resistência ao vento e consumo de combustível. O modelo foi exportado para 136 países

 

3ª – 1961 – 1968: 190 D – 230 “Rabo de peixe”

img_6634 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6634

Geração reconhecida pelo design das aletas traseiras que lembravam barbatanas ficou conhecida como “rabo de peixe”;  modelo considerado a combinação ideal entre espaço interno, conforto, performance e eficiência;  habitáculo desenvolvido para ser mais resistente a deformações estabeleceu novos parâmetros de segurança; em 1962, o modelo passou a ser equipado com câmbio automático pela primeira vez.

 

4ª – 1968 – 1976: 200 D – 280 E, conhecido como “Barra 8”

img_6635 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6635

Primeiro automóvel da marca a superar um milhão de unidades vendidas. Ao todo, foram mais de 1,8 milhão; estreia da versão cupê do modelo;  lançamento do primeiro motor Diesel de 5 cilindros, 80 cv (240D 3 litros)

 

5ª – 1976 – 1985: 200 D – 280 E

img_6638 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6638

Foram introduzidos os primeiros freios dianteiros a disco ventilado, suspensão traseira independente em alumínio, novos itens de conforto e segurança, como controle de cruzeiro em 1977 e ABS em 1980;  foram vendidas mais de 2,7 milhões de unidades desta família que também apresentou a primeira versão station wagon da marca (as Touring, atualmente Estate), que se tornou referência de carroceria em termos de veículos para família

 

6ª – 1984 – 1996: E 200 – E 500

img_6640 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6640

Modelos recebem a nomenclatura “Classe E”, seguida de três dígitos que representam sua motorização, seguindo a referência do Classe S e Classe C;  veículos passaram a contar com estrutura mais leve e catalisador;  estreia do sistema de suspensão traseira independente multibraço, além de tração integral 4MATIC para versões Sedã e Estate;  pela primeira vez um motor V-8 equipou uma das versões da família, a E 500, de 1990

 

7ª –1995 – 2002: E 200 – E 55 AMG

img_6641 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6641

Pela primeira vez, o Classe E disponibilizava três linhas de acabamento: Classic, Elegance e Avantgarde;  destaques técnicos como o limitador de força dos cintos tornaram-se padrão, além de inovações opcionais como sensor de chuva e faróis de xenônio

A quantidade surpreendente de espaço oferecido pelo modelo Touring, a maior capacidade de carga da sua categoria, tornou-o referência no segmento.  Primeiro modelo a trazer bolsas infláveis laterais e a partir de 1999 o Programa Eletrônico de Estabilidade

 

8ª – 2002 – 2009: E 200 – E 63 AMG

img_6642 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6642

Implantação de bolsas infláveis frontais adaptativas;  versão E 320 CDI bate o recorde de velocidade em longa distância percorrendo 160.934 quilômetros a uma velocidade média de 224,823 km/h no circuito de Laredo, no Texas; modelos passam a contar com nova tecnologia de iluminação Intelligent Light System.  Em 2008, Classe E recebe o prêmio “J.D. Power Award” por oferecer os melhores padrões de qualidade de seu segmento

 

9ª –  2009 – 2016: E 200 – E 63 S AMG

img_6643 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6643

Muitas inovações surgiram nessa geração como os sistemas de assistência à direção e consumo de combustível até 23% menor;  as versões Sedã e Estate originaram o Coupé e um Cabriolet;   em seu lançamento, a versão Coupé foi o automóvel mais aerodinâmico do mundo feito em série;  uma releitura dos modelos Classe E surgiu em 2013, com novo design, nova motorização e o sistema Intelligent Drive, um pacote de onze sistemas de assistência novos ou otimizados para oferecer o máximo de segurança e conforto;  pela primeira vez, o Classe E estava disponível com duas frentes diferentes: o modelo Elegance com a estrela Mercedes-Benz no capô e a linha Avantgarde, mais esportiva, com a estrela posicionada no centro da grade.

 

10ª – 2016 : E 220 d – E 43 4MATIC

Modelo agora apresentado.

img_6691 MERCEDES-BENZ E250 2017 MERCEDES-BENZ E 250 2017 TRAZ NOVIDADES INTERESSANTES IMG 6691

JJ

FICHA TÉCNICA MERCEDES-BENZ E250 EXCLUSIVE LAUNCH EDITION
MOTOR
TipoIgnição por centelha, gasolina
InstalaçãoDianteiro, longitudinal
Material do bloco/cabeçotealumínio/alumínio
N° de cilindros/configuração4/em linha
Diâmetro x curso83 X 92  mm
Cilindrada1.991 cm³
AspiraçãoForçada por turbocompressor com interesfriador ar-água
Taxa de compressão9,8:1
Potência máxima211 cv a 5.500 rpm
Torque máximo35,7 m·kgf de 1.200 a 4.000 rpm
N° de válvulas por cilindro4
N° de comando de válvulas/localização2 /cabeçote
Formação de misturaInjeção eletrônica sequencial direta
TRANSMISSÃO
Rodas motrizesTraseiras
CâmbioAutomático epicíclico de nove marchas
Relações das marchas1ª 5,502:1; 2ª 3,300:1; 3ª 2,315:1; 4ª 1,661:1; 5ª 1,210:1; 6ª 1:1; 7ª 0,865:1; 8ª 0,717:1; 9ª 0,602:1
Ré 4,932:1
Relação de diferencial2,47:1
FREIOS
De serviçoABS, distribuição eletrônica das forças de frenagem, assistência a frenagem
DianteiroA disco ventilado
TraseiroA disco ventilado
SUSPENSÃO
DianteiraDuplo braço triangular, mola helicoidal e amortecedores pressurizados,  barra estabilizadora
TraseiraMultibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira com assistência elétrica variável
Diâmetro mínimo de curva11,6 m
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio 9×19
Pneus245/40R19 frente – 275/35R19 atrás
PESOS
Em ordem de marcha1.615 kg
CARROCERIA
TipoMonobloco em aço e alumínio, 5 portas, 5 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento4.923 mm
Largura sem/com espelhos1.852/2.065 mm
Altura1.474 mm
Distância entre eixos2.874 mm
Bitola dianteira/traseira1.600/ 1.619 mm
Altura do solon.d.
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)0,230
Área frontal calculada2,183 m²
Área frontal corrigida0,502 m²
CAPACIDADES
Porta-malas540 litros
Tanque de combustível57 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima250 km/h
Aceleração 0-100 km/h6,9 s
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (Conpet)
Cidaden.d.
Estradan.d.
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 na última marcha82,1 km/h
Rotação do motor a 120 km/h em 9ª1.460 rpm
PREÇOR$ 325.900

 

Sobre o Autor

Juvenal Jorge
Editor Associado

Juvenal Jorge, ou JJ, como é chamado, é integrante do AE desde sua criação em 2008 e em 2016 passou a ser Editor Associado. É engenheiro automobilístico formado pela FEI, com mestrado em engenharia automobilística pela USP e pós-graduação em administração de negócios pela ESAN. Atuou como engenheiro e coordenador de projetos em várias empresas multinacionais. No AE é muito conhecido pelas matérias sobre aviões, que também são sua paixão, além de testes de veículos e edição de notícias diárias.

Publicações Relacionadas

  • Cleidson

    Vai vir a versão Estate?

  • Mr. Car

    Quando um fabricante me vem com um slogan tipo “Rumo à direção autônoma” me bate uma gastura… Chego até a sentir antipatia pela marca. Sério mesmo.
    Abraço.

  • guest, o original

    Caberia a inclusão da codificação das gerações que, salvo engano, são:
    W136 – W191: 1946/1955
    W120 – W121: 1953/1962
    W110: 1961/1968
    W114 – W115: 1967/1976
    W123: 1976/1985
    W124: 1985/1996
    W210: 1995/2002
    W211: 2002/2009
    W212: 2009/2016
    W213: 2016-

  • Junior Priori

    Fiquei impressionado com o sistema do farol, sensacional, um conjunto ótimo.