BMW, Audi e Mercedes, cuidado!

Mais forte, mais rígido, mais leve e menor, o Camaro SS 2017 chega aos 50 anos como o melhor Camaro de todos os tempos. Na sexta geração ele atinge o ápice da maturidade, refletida em uma combinação única de desempenho, refinamento e preço que pode desafiar marcas premium.

A crise de 2008 foi excelente para a GM e seus consumidores. Foi dolorida, enxugamento, encerramento de marcas como a Pontiac, queda nas vendas e muitos desafios. Mas um bom plano com foco na qualidade em em fazer produtos desejáveis a GM deu a volta por cima e agora está em boa forma novamente. No Brasil, a crise também fez bem para a empresa. Enxugou os custos, investiu em produtos e abandonou a base do mercado que vende apenas preço. Outros fabricantes não fizeram a lição de casa apostando nos frutos do passado e isso também contribuiu para a GM conquistar a liderança de mercado.

Essa nova GM também ficou mais ágil e capaz de renovar o Camaro, elevando seu patamar. Sua sexta geração herda apenas a gravata dourada e o emblema SS da geração anterior. Seus engenheiros resolveram juntar a plataforma Alpha (a mais recente plataforma da Cadillac) com o motor small block de 6,2 litros na mesma configuração LT1 do Corvette Stingray e a nova caixa Hydra-Matic de 8 marchas, também do Corvette. O designação LT1 já havia sido usada antes no Camaros Z28 de 1970-72 e 1993-97, e no SS de 1996-97.

lancamento-camaro-geracao-6-21 camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Lan  amento Camaro Gera    o 6 21

Em números isso significa um carro com dimensões um pouco menores (-31 mm na altura, -40 mm no entre-eixos, -52 mm no comprimento e -26 mm na largura, comparando com a quinta geração), 43% da carroceria feita de materiais/aços de alta resistência (contra 19% do modelo anterior), 28% mais rígido, 83 kg mais leve, 14% a mais de potência e 11% a mais de torque. Ou seja, o carro melhorou em todas características.

A GM agora chama trem de força de sistema de propulsão (para englobar diferentes sistemas incluindo elétricos e híbridos), mas no Camaro não há nada disso. Raw power, ou potência bruta, do jeito que a gente gosta: V-8 aspirado e apesar de refinamentos, sem frescuras. Agora são 461 cv a 6.000 rpm e 62,9 m·kgf de torque a partir de 4.400 rpm. Bloco e cabeçotes de alumínio, injeção direta, comando no bloco (com variador de fase), duas válvulas por cilindro acionadas por varetas, jatos de óleo nos pistões, bomba de óleo variável e taxa de 11,5:1. Mais americano impossível.

O V-8 de 6,2 litros de 461 cv. Downsizing, o que é isso mesmo? camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Lan  amento Camaro Gera    o 6 09

O V-8 de 6,2 litros de 461 cv. Downsizing, o que é isso mesmo?

 

A caixa automática (não há planos para versões manuais para o Brasil), agora com 8 marchas, é fabricada pela própria GM com designação 8L90 com última marcha mais longa apresenta redução de consumo de 5% em relação a anterior de 6 marchas. A primeira é mais curta e com mais marchas aproveita-se melhor toda a faixa de potência do motor. As trocas por borboletas são precisas e rápidas.

Com as dimensões ajustadas, menores, o Camaro agora tem mais desenvoltura. E apesar de mais baixo, aquela sensação desconfortável no interior do modelo anterior, devido aos vidros serem muito estreitos, se foi. A visibilidade melhorou muito. Isso é um reflexo do refinamento. Lembrando que o Camaro anterior foi aprovado depois que o seu conceito apresentado em 2006 foi aclamado em todo o mundo. A GM decidiu não mexer muito nas linhas gerais do conceito, o que acabou comprometendo visibilidade e conforto.

Linhas mais elaboradas e arredondadas e com dimensões reduzidas, muito mais equilibrado camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Lan  amento Camaro Gera    o 6 20

Linhas mais elaboradas e arredondadas e com dimensões reduzidas, muito mais equilibrado

Com relação ao design, linhas mais retas e diretas agora ganham curvaturas e refinamentos. É um desenho evolutivo, mas com muito mais cuidado e esmero. As novas dimensões trouxeram mais equilíbrio nas linhas e o deixaram menos lúdico. Sinal de maturidade. Se me permitem uma opinião pessoal, agora o Camaro ficou a altura do Mustang, e talvez até mais bonito.

O interior é muitíssimo caprichado. O volante tem diâmetro menor, o painel de instrumentos tem uma miríade de informações e opções, porém muito bem distribuídas e visíveis. A qualidade dos materiais está em linha com os alemães, e a ergonomia também. A GM foi muito feliz em levar dois modelos da geração anterior para facilitar a nossa comparação na apresentação quarta-feira passada. Sei que a maioria aqui já gostava do interior do Camaro, mas quando saímos do novo para o antigo percebe-se a grande diferença e a evolução fica gritante.

A GM também foi muito feliz em apresentar o Camaro fora do seu Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba (SP), escolhendo o autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP). Apesar das excelentes pistas de testes do CPCA, o ambiente do Velo Città é mais convidativo e inspira a esportividade. Na pista pudemos dar três voltas com um cupê e com um conversível, e depois mais três com um cupê antigo.

Aqui mais uma vez o ajuste nas dimensões e a redução de peso em 83 kg também proporcionaram refino. Com mais potência e torque o geração-seis ficou mais ágil e confiante para as tomadas de curvas. Há quatro modos de condução (Passeio, Esportivo, Neve, Pista), que variam sensibilidade do pedal do acelerador e do volante e mapeamento da transmissão. Porém não alteram o ESP. Com o ESP/controle de tração atuando, mesmo com toda potência despejada nas rodas nas saídas de curva, ele mantém a compostura e não há aquela sensação decepcionante de acelerador morto por corte da injeção comandado pelo controle de tração. Assim, as saídas de de curva continuam rápidas. Não consegui testar o quinto modo, “Surf”, com tudo desligado e com saídas de curvas com derrapagens.

Não fui eu! camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Camaro Gen 6 02

Não sou eu!

O conversível, mesmo mais pesado, recebeu inúmeros reforços estruturais para manter a rigidez num nível alto, também se comporta muito bem na pista.

Eu tive a chance de dar uma volta rápida como passageiro de um piloto profissional, que explorou o carro no limite, atacando zebras e freando com vontade, e fiquei impressionado com a capacidade de frenagem com estabilidade, e a retomada. Na medição de 0-100-0 km/h o Camaro fez em 313 metros. E de acordo com a GM isso representa 100 metros a menos que o “rival”.  Se for isso mesmo é um feito muito notável.

O escapamento emite um som metálico e encorpado, embora para um motor com aspiração atmosférica eu esperasse algo mais grosso. Como a cabine tem um isolamento brilhante, a GM teve que recorrer a ressonadores para intensificar o som do escapamento no interior. Mas nada de som falso pelo sistema de áudio. Lá nos EUA ainda há um sistema de escapamento opcional que intensifica ainda mais o som, com uso de válvulas by-pass. Seria certamente minha opção.

O cinquentão em excelente forma, a sua melhor forma! camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Camaro Fifty 04 1

O cinquentão em excelente forma, a sua melhor forma!

Agora em outubro a GM iniciou as vendas da série especial Fifty, para comemorar os 50 anos do modelo lançado em 1966 no dia 27 de setembro, já como ano-modelo 1967. O MAO já nos brindou com em excelente texto falando sobre as origens do Camaro e os 10 mais de todos os tempos. Duvido que alguém aqui ainda não tenha lido!

Das 7.500 unidades fabricadas do Fifty são apenas 100 para o Brasil, o que ajuda a aumentar o desejo. O Fifity é um SS com algumas mudanças estéticas e custa R$ 297.000. Quem acha que está caro pode pesquisar o preço de outros carros com mais de 450 cv. Até agora 43 unidades já foram vendidas. Tem um Brasil que não sente muito a crise… Um dado interessante é que o Camaro de quinta geração vendeu mais de 5.000 unidades no Brasil.

As diferenças do Fity são: pintura cinza Graphite, faixas decorativas no capô e na tampa traseira, grade versão “50th” com detalhes cromados, defletor dianteiro na cor do veículo, emblemas decorativos “Fifty” nas laterais do veículo, roda de alumínio aro 20″ com design especial e calota personalizada “50th”, pinças de freio laranja, acabamento em dois tons: preto e cinza escuro, bancos e detalhes com costura laranja e emblema “Fifty”, painel dianteiro com acabamento customizado e soleiras iluminadas com emblema comemorativo “50th”.

O SS e o SS conversível chegam no ano que vem e os preços não foram divulgados.

Você pode escolher qualquer um, desde que seja V-8 e automático. Melhor não reclamar muito... camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Escolha

Você pode escolher qualquer um, desde que seja V-8 e automático. Melhor não reclamar muito…

Perguntei sobre versões mais acessíveis para o Brasil, com motores V-6 ou L-4 turbo, e com caixa manual, com menos equipamentos, mas a resposta foi de que a ideia é posicionar o Camaro como carro premium, para mostrar o que a GM tem de melhor, e que versões básicas não contribuiriam para isso. Eu expliquei que existem muitos entusiastas que gostam de versões básicas, não só pelo preço, mas também pela essência do carro, inclusive com rodas de aço. Mas infelizmente esse discurso não é refletido em ação, ou seja compra e modelos completos e com caixa automática acabam sendo a preferência.

Em tempo, o nome de projeto do Camaro antes dele ser lançado em 1966 era Panther. Diz a lenda que esse nome foi escolhido por ser um animal que ataca cavalos. E a palavra camaro [ca·ma·] no dicionário Francês-Inglês é uma gíria que significa amigo ou parceiro, como um carro deve ser para seu dono. Em francês a palavra correta que expressa o significado desejado é camarade, que em português é camarada. Dessa forma o nome Camaro se juntou a outros iniciados com C naquela época, como Corvette, Corvair e Chevelle.

Com o lançamento do Camaro de sexta geração entendo que o mundo (dos autoentusiastas) não está perdido! Valeu GM. E espero que nunca cometam o erro de fazer um Camaro híbrido/elétrico e com sistema autônomo. Por favor aguente firme!

Elétrico? Não obrigado! Autônomo? Não estou morto! camaro fifty V8 SS lançamento chevrolet CAMARO, 50 Camaro Gen 6 01

Elétrico? Não obrigado! Autônomo? Não estou morto!

PK

Após a ficha técnica há galerias de fotos de todas as gerações. Divirta-se com elas.

FICHA TÉCNICA CHEVROLET CAMARO SS 2017
MOTOR
TipoIgnição por centelha, 4 tempos, gasolina
InstalaçãoDianteiro, longitudinal
Material do bloco/cabeçoteAlumínio/alumínio
N° de cilindros/configuração8 / em V a 90º
Diâmetro x curso103,2 x 92 mm
Cilindrada6.162 cm³
AspiraçãoAtmosférica
Taxa de compressão11,5:1
Potência máxima461 cv a 6.000 rpm
Torque máximo62,9 m·kgf a 4.400 rpm
N° de válvulas por cilindro2
N° de comando de válvulas /localização1 / bloco, corrente
Formação de misturaInjeção direta
ALIMENTAÇÃO
CombustívelGasolina
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão12 V
Bateria80 A·h
Alternador170 A
TRANSMISSÃO
Rodas motrizesTraseiras
CâmbioAutomático epicíclico
N° de marchas8 à frente e uma à ré
Relações das marchas1ª 4,55:1; 2ª   2,97:1; 3ª 2,08:1; 4ª 1,69:1; 5ª 1,27:1; 6ª 1:1; 7ª 0,85:1; 8ª 0,65:1; Ré 3,82:1
Relação de diferencial2,77:1
FREIOS
De serviçoHidráulico, duplo-circuito dianteiro/traseiro, servoassistido, ABS com EBD e BAS (Brembo)
DianteiroA disco ventilado Ø 345 mm
TraseiroA disco ventilado Ø 338 mm
SUSPENSÃO
DianteiraIndependente, braços triangulares superpostos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TraseiraIndependente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
TipoPinhão e cremalheira com eletroassistência variável
Relação de direção15,8:1
Voltas entre batentes2,3
Diâmetro mínimo de curva11,7 m
RODAS E PNEUS
RodasAlumínio 8,5Jx20 (D), 9,5Jx20 (T)
Pneus245/40ZR20 (D), 275/35ZR20 (T)
(run flat)
PESOS
Em ordem de marcha1.709 kg
Carga máxima333 kg
CARROCERIA
TipoMonobloco em aço, cupê, 2 portas e 4 lugares; subchassi dianteiro e traseiro
DIMENSÕES EXTERNAS
Comprimento4.784 mm
Largura sem espelhos1.894 mm
Altura1.340 mm
Distância entre eixos2.812 mm
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)0,39
Área frontal (A)2,30 m² (calculada)
Área frontal corrigida (Cx x A)0,805 m²
CAPACIDADES
Porta-malas208 litros
Tanque de combustível72 litros
DESEMPENHO
Velocidade máxima250 km/h (limitada)
Aceleração 0-100 km/h4,8 s
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
Cidaden.d.
Estradan.d.
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 8ª73,3 km/h
Rotação do motor a 120 km/h em 8ª1.640 rpm
Rotação do motor à vel. máxima (6ª)6.080 rpm

 

Camaro Geração 6

Camaro Geração 5

Camaro Geração 4

Camaro Geração 3

Camaro Geração 2

Camaro Geração 1

Sobre o Autor

AUTOentusiastas

Guiado por valores como paixão, qualidade, credibilidade, seriedade, diversidade e respeito aos leitores, o AUTOentusiastas desde 2008 tem a missão de evoluir e se consolidar como um dos melhores sites sobre carros do Brasil. Seja bem-vindo!

Publicações Relacionadas

  • ochateador

    Que pena não ter algum amigo abastado para poder andar neste carro :'(

  • Mingo

    Engraçado que a Chevrolet tenta não lembrar que o nome Camaro foi simplesmente riscado de seu portfólio por longos 8 anos. Esses novos Challenger e Camaro não passam de relançamentos baseados nos antigos pony cars que lhes deram origem, ao contrário do Mustang, esse sim, mantido em produção ininterrupta desde 1964 e constantemente aperfeiçoado pela Ford.

    • Mingo, é, o Mustang vem sendo tão aperfeiçoado que só recentemente abandonou o eixo traseiro rígido…

    • Mingo, e no que isso diminui o Camaro atual?

  • Alexandre Zamariolli

    Como diriam meus ancestrais, mi fa l’acqua in bocca… Infelizmente, mesmo menor, continua com dois sérios problemas de tamanho: não cabe na minha garagem e muito menos no meu orçamento!

  • Em algum lugar, o que você quer saber está nesta matéria: http://www.autoentusiastas.com.br/2016/04/mobi-novidade-fiat/

  • Wendel Cerutti

    Monstro

  • Eduardo Edu

    PK, muito bom seu texto e pelo visto pareceu até que escreveste durante a avaliação para não perder o calor da emoção. Posso estar errado mas, no texto consta que o comando de válvulas é acionado por varetas (como todo bom motor americano), então por que nas especificações técnicas é mencionadas corrente?

  • Mr. Car, eraclaustrofóbico mesmo, mas não era nada apertado. Era mais a sensação. E muita gente adotou isso como um ponto muito negativo, mesmo antes de experimentar o carro. Eu tive a chance de alugar um Camaro e essa sensação vai passando. Obviamente, melhor sem ela. Valeu!

  • Km.Vini

    Para os saudosistas, deve dar um gostinho de ”Agarra-me se puderes”… mais do que isso, só um Camaro transformado em Trans-Am com motor big block LS-X 454 – mais ou menos a cilindrada do Viper -equipado com supercharger. De aparência, modificam a frente, a traseira, e instalam o Tee-top, inclusive com direito à pintura do ”Firebird” no capô e às rodas raiadas estilizadas à moda Trans-Am ’78, seguindo o tema do filme e assinados pelo Burt Reynolds.

    De Atlanta a Texarkana e de volta em 28 horas com uma carga de cerveja, se fosse no Brasil o que seria?

  • Lorenzo Frigerio

    Que Cx horroroso, barbaridade… A geração 4 deve humilhar a geração 6 nesse quesito.

    • Thiago Teixeira2

      Como sobra motor para ir para frente, ao menos ajuda a parar, além da manutenção da estabilidade. Deve ser isso.

  • Ricardo Blume

    Nuca gostei da G5 agora a G6 mudou minha opinião, principalmente começando pelo painel.

  • BlueGopher

    ZK, desde o início de sua produção, em 1953, o Corvette nunca ficou fora de linha.

  • BlueGopher

    Realmente é espantoso o número de pessoas que estão sempre torcendo contra as grandes empresas.
    Adorariam ter visto a GM fechar as portas em 2008 e hoje batem palmas ao acompanhar os problemas temporários da VW brasileira.
    Ressentimentos imaginários por falta de poder aquisitivo? Inveja do sucesso comercial destas empresas?
    Inteligência limitada, falta de visão a longo prazo e desconhecimento da macroeconomia do país levam a esta maneira distorcida de ver o mundo.
    Pior de tudo é que este pessoal vota…

    • BlueGopher, comentário perfeito. Percebo muito isso nos comentários. Para essas pessoas as fábricas são inimigas.

  • Eduardo Edu, agora escuta essa: sei de um motor com comando no bloco acionado por correia dentada. Acredite se quiser, era o Polonez, da polonesa FSO.

  • Curió, no caso da GM e da Chrysler, esta também 20 anos antes, o governo nada perdeu. Tudo o que emprestou voltou para o tesouro do país.

    • Curió

      Bob, o senhor está certo. Eu apenas penso diversamente do que me parece corrente, acho relevantes os argumentos dos que entendem que, do ponto de vista social, saídas como essas mesmo assim não são as melhores.

  • Antônio do Sul

    No caso do socorro à GM, com certeza não se premiou a incompetência: a empresa antiga faliu, o governo americano ficou com os ativos e com as marcas que lhe pertenciam e constituiu uma nova empresa, vendendo as suas ações posteriormente. Em relação à Chrysler, a ajuda foi condicionada à aquisição por outro grupo que apresentasse um plano de recuperação. Agora, no que diz respeito aos bancos, é certo socorrê-los, mas não aos seus acionistas (que devem responder pelos seus erros, claro, até com o fim de se inibir más gestões), pois nenhuma economia se desenvolve e se sustenta sem um sistema bancário sólido: sem bancos, não há depósitos e investimentos; sem depósitos e investimentos, não há crédito; sem crédito, não há produção; sem produção, não há emprego e nem renda.

    • Lemming®

      Bancos fizeram e fazem jogatina com o dinheiro de seus correntistas.
      Se o governo é mole para regulamentar o setor e a instituição quebra eu não tenho nada com isso.
      Que sejam presos os diretores e toda a diretoria que permitiu a bandalheira.
      Setor bancário forte é setor regulamentado mas quem tem culhões para isso?

      • Antônio do Sul

        Sem bancos, não há economias fortes. Se todo mundo resolver guardar o dinheiro embaixo do colchão (pois os bancos não são confiáveis, podendo quebrar a qualquer hora), adeus financiamentos, consumo, produção, emprego e renda, cada um sendo derrubado em efeito dominó. Voltaremos, então, à era do escambo. Quanto à prisão dos diretores que praticaram gestões fraudulentas, estou de acordo.

        • Lemming®

          Não falei que não devem existir bancos.
          Foram criados nas cruzadas como forma de facilitar a movimentação de valores e servem para isso e até a criação do papel moeda e vulgo “dinheiro de banco imobiliário” a coisa não tinha descambado.

  • Luke

    O interior do novo ficou mais refinado e exclusivo. Reparem que o antigo trazia o emblema da Chevrolet no centro do volante, o qual, aliás, parecia ter vindo de um reles Cruze. O volante do novo traz apenas “Camaro” no centro – como se fosse um marca autônoma – e tem um design próprio. São detalhes, claro, mas dão uma pista do que a GM pretende com o novo Camaro.

  • Luiz Otávio Rujner Guimarães

    Um belo carro. A GM conseguiu honrar a tradição e manter sua identidade. Antológico. Objeto do desejo e de coleção. Um deleite para os Autoentusiastas mais abastados.

  • Rodolfo Andrade

    Vi uns 4 desses sendo entregues na fábrica de São Caetano do Sul, hoje (31/10/2016), num caminhão-cegonha.

  • Renato

    Estamos ficando velhos…
    Graças a Deus!

  • Ricardo Blume

    O volante era realmente de doer.