Quando o Juvenal Jorge esteve no lançamento do novo Civic no dia 22/8, falou bastante do novo Honda e acrescentou que não havia na ocsião a versão Sport para ser experimentada, só tido oportunidade  de dirigir o Touring de motor 1,5 litro turbo e o EXL 2-litros de aspiração natural, ambos com câmbio CVT, sobre os quais escreveu e foi publicado nesta matéria. Ficou a vontade de saber como seria o Sport com câmbio manual de seis marchas, é claro — e eu também. Posteriormente (19/10) o Arnaldo fez o teste “no uso” do Touring, apreciando bastante os dotes de desempenho do novo motor turbo combinado com baixo consumo de combustível, passando pelo comportamento dinâmico exemplar.

Finalmente nesta terça-feira (18) chegou o aguardado momento de dirigir o novo Civic versão Sport com câmbio manual de seis marchas (há o CVT também), apesar de não haver novidade em questão de motorização: é mesmo 2,0 i-VTEC FlexOne de 150/155 cv a 6.300 rpm e 19,3/19,5 m·kgf a 4.800 rpm, números bem inferiores aos do Touring (175 cv a 5.500 rpm e 22,4 m·kgf de 1.700 a 5.500 rpm). Todavia, o menor peso do Sport (1.275 conta 1.326 kg) haveria de compensar um pouco a desvantagem em potência e torque, em que a relação peso-potência piora mas nem tanto: de 7,57 cai para 8,50/8,22 kg/cv (G/A).

20161018_143601

Todo Civic Sport tem rodas pretas

Como o Arnaldo havia informado,  a aceleração 0-96,5 km/h registrada pela mídia especializada séria dos EUA é feita em 6,9 s. Uma rápida conta calcada em aceleração (m/s²) leva a 7,15 s para o 0-a-100 km/h. Vamos arredondar para 7,2 segundos, o que é um ótimo tempo para um sedã desse peso e potência. Portanto, não é errar muito dizer que no Sport manual a aceleração 0-100 km/h fica na casa dos 7,5~7,6 s.

Com o bom Cx de pelo menos 0,28 como o do modelo anterior (provavelmente é um pouco melhor, ainda que marginalmente), sua velocidade máxima deve estar na casa de 210 km/h — como se sabe, a Honda não informa desempenho, a política da empresa que merece toda a crítica.

Mais importante que tudo isso, porém, é uma coisa chamada verdadeiro prazer de dirigir. Só o fato de se poder explorar o motor da maneira que se quiser, sem que o câmbio tome suas decisões, é o nirvana automobilístico. Este é complementado pelo comando de câmbio no mesmo nível dos de Wolfsburg e pela carga do pedal de embreagem inacreditavelmente baixa para um trânsito anda-e-para sem sofrimento.

Mas como nada é perfeito, seria ótimo se a alavanca estivesse 5 cm à frente para bastar a força da gravidade para a mão “cair” na manopla. Como está é preciso fechar o ângulo entre o braço e o antebraço quando o normal seria aumentá-lo. Acaba-se acostumando, mas não é o ideal. A compensação desse pequeno deslize é a posição relativa dos pedais de freio e acelerador permitir o punta-tacco “telepático”.

Mas glória mesmo é aproveitar tanto a elasticidade quanto a extrema suavidade do motor, o que chamo de “cheiro doce”. O 4-cilindros de aspiração natural é absolutamente liso por contar, principalmente, com árvore contrarrotativa de balanceamento (o 1,5 turbo não a tem). Isso mesmo a relação r/l ultrapassando bem a “barreira 0,30” , com 0,317 (a mesma do 1,5 turbo). Uma coisa é certa, a indústria automobilística vem tomando medidas para reduzir massa das peças móveis e isso tem influência, fora o próprio método construtivo, maior precisão de usinagem, melhor balanceamento etc. E o óleo do motor é viscosidade SAE 0W20  e classificação de serviço API SM.

O incrivelmente liso motor 2-litros

A v/1000 da 6ª é 43,3 km/h, 2.800 rpm a 120 km/h, bem conveniente. A 5ª, de 35,8 km/h, certamente é a marcha da velocidade máxima; nos 210 km/h estimados o motor está a 5.900 rpm. O câmbio é bem escalonado, como mostra o gráfico dente-de-serra abaixo.

dente-de-serra-civic-sport-2017

motor-honda-desenho

Desenho ilustrativo do acionamento de válvulas (Honda)

 

O motor tem potência específica elevada (75,1/77,6 cv/l) e sua arquitetura é monocomando de acionamento por corrente, quatro válvulas por cilindro de atuação indireta por balancim roletado. Curiosamente e fugindo da tendência atual, não existe compensação hidráulica da folga de válvulas, sendo o seu ajuste feito da mesma forma que num motor como o boxer arrefecido a ar de Fusca, ou seja, contraporca de fixação e parafuso de regulagem na extremidade do balancim que aciona a válvulas. A Honda recomenda verificação e ajuste da folga a cada 40.000 km!

E para quem não medo de rotação, o corte (limpo) ocorre a 6.800 rpm, 500 rpm acima da rotação de potência máxima. Mas a isso se contrapõe uma ótima elasticidade do motor, os adeptos da “Fórmula 2000 rpm” não terão o que reclamar, pois esse motor é acima de tudo um VTEC, a conhecida solução da Honda de “dois comandos de válvulas num só”, e que ainda conta com coletor de admissão de dois roteiros.

20161018_140744

Pressão de pneus única com carro vazio e cheio, mas é indicado aumento para velocidades acima de 160 km/h

E a teco-teco, maria-fumaça e calhambeque, palavras que não fazem parte do meu vocabulário, junta-se outra: tanquinho. Este motor não o tem, conta com lanças aquecedoras para o álcool para partidas em temperatura ambiente baixa quando abastecido com álcool.

O consumo oficial Inmetro/PBEV é cidade 10,2/7,1 km/l e estrada, 13,4/9,3 km/l.

Por isso, quem pensa num sedã e gosta de dirigir carro de câmbio manual, que tenha bom desempenho e excelente comportamento dinâmico, este novo Civic versão Sport caiu do céu. Para tê-lo, R$ 87.900.

A Honda prevê que 48% da vendas serão da dupla EX/EXL, depois o Touring com 28%, ficando o Sport com 24% — dos quais a versão manual representará apenas 3%. Tenho dúvidas quanto a esta última estimativa, chuto algo entre 6% e 8%, ou a cegueira terá realmente se espalhado irreversivelmente pelo mercado.

BS

(Atualizado em 24/10/16 às 13h10, correção de informação do intervalo de regulagem de válvulas)

FICHA TÉCNICA HONDA CIVIC SPORT MANUAL 2017
MOTOR
Designação 2.0L i-VTEC SOHC
Tipo Quatro cilindros em linha, bloco e cabeçote de alumínio, transversal, 16 válvulas, comando no cabeçote acionado por corrente, acionamento de válvulas indireto por balancim roletado sem compensação hidráulica de folga, flex
Cilindrada 1.997 cm³
Diâmetro e curso 81 x 96,9 mm
Taxa de compressão 11:1
Potência máxima 150 cv (G), 155 cv (A), a 6.300 rpm
Torque máximo 19,3 m·kgf a 4.700 rpm (G). 19,5 m·kgf (A) a 4.800 rpm
Comprimento da biela/relação r/l 152,7 mm / 0,317
Formação de mistura Injeção no duto
TRANSMISSÃO
Câmbio Transeixo dianteiro de 6 marchas manuais à frente e uma à ré
Relações das marchas 1ª 3.642:1; 2ª 2,080:1; 3ª 1,361:1; 4ª 1,023:1; 5ª 0,829:1; 6ª 0,686:1; ré 3,673:1
Relação de diferencial 4,105:1
SUSPENSÃO
Dianteira Independente, McPherson, braço inferior triangular com buchas hidráulicas, mola helicoidal, amortecedores pressurizados e barra estabilizadora Ø 25 mm
Traseira Independente, multibraço com buchas hidráulicas, mola helicoidal, amortecedor hidráulico e barra estabilizadora Ø 16,5 mm
DIREÇÃO
Tipo Pinhão e cremalheira, eletroassistida com pinhão duplo, relação de direção variável, mais baixa 10,93:1, indexada à velocidade
Voltas entre batentes 2,2
Diâmetro do aro do volante 360 mm
Diâmetro mínimo  de giro 11,2 m
FREIOS
Dianteiros A disco ventilado de Ø 282 mm
Traseiros A disco de Ø 260 mm
Controle ABS, EBD e assistência à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas Alumínio, 7Jx17
Pneus 215/50R17V (Bridgestone Turanza ER33)
Estepe temporário T135/80JC16M
CARROCERIA Monobloco em aço, sedã 3-volumes, subchassi dianteiro, quatro portas, cinco lugares
CAPACIDADES
Porta-malas 525 litros
Tanque de combustível 56 litros
PESOS
Em ordem de marcha 1.275 kg
Capacidade de carga 420 kg
DIMENSÕES
Comprimento 4.637 mm
Largura com espelhos 2.076 mm
Altura 1.433 mm
Distância entre eixos 2.700 mm
Bitola dianteira/traseira 1.543/1.557 mm
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h 7,6 s (estimada)
Velocidade máxima 210 km/h (estimada)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL INMETRO/PBVE
Cidade 10,2 km/l (G) e 7,1 km/l (A)
Estrada 13,4 km/l (G) e 9,3 km/l (A)
CÁLCULOS DE CÂMBIO
v/1000 em 6ª 43,3 km/h
Rotação a 120 km/h em 6ª 2.800 rpm
Rotação à vel.máxima em 5ª 5.900 rpm
MANUTENÇÃO
Troca de óleo do motor 10.000 km ou 1 ano
Revisões 10.000 km ou 1 ano
Ajuste da folga de válvulas 40.000 km
Filtro de combustível 80.000 km
Fluido de freio 3 anos
Líquido de arrefecimento do motor 6 anos ou 200.000 km; depois 5 anos ou 100.00 km
Velas 100.000 km
GARANTIA
Termo Três anos sem limite de quilometragem

 

EQUIPAMENTOS HONDA CIVIC SPORT 2017
 
SEGURANÇA
Alarme com imobilizador de motor
Alerta de cinto desatado para motorista e passageiro dianteiro
Assistente de dirigibilidade ágil
Assistente de frenagem de emergência
Assistente de partida em aclives
Bolsas infláveis laterais e de cortina
Câmera de manobra com multivisão, três modos selecionáveis
Cinto de segurança 3-pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador e ajuste de altura
Controle de estabilidade e tração desligável
Engates Isofix para dois bancos infantis
Luz de frenagem de emergência
Luzes de rodagem diurna (DRL) em LED
Trava para crianças nas portas traseiras
EQUIPAMENTOS EXTERNOS
Antena integrada ao vidro traseiro
Carcaça dos espelhos e maçanetas externas na cor da carroceria
Chave-canivete com controle remoto das fechaduras das portas e porta-malas e fechamento de vidros
Faróis principais e de neblina halógenos
Grande frontal escura
Lanternas traseiras e luz da placa em LED
Limpador de para-brisa com função intermitente
Rodas de alumínio 17-pol com acabamento escurecido
Tampa da portinhola do bocal de abastecimento com abertura por pressão
CONFORTO E COMODIDADE
Acabamento em plástico macio na parte superior das portas e painel
Acionamento elétrico de todos os vidros com função um-toque descida e subida
Ajusta de altura e distância do volante de direção
Ajuste manual do banco do motorista
Alerta de farol ligado e desligamento automático após 15 segundos
Ar-condicionado automático e digital
Aro do volante e manopla do câmbio em couro
Banco traseiro dividido 2/3-1/3
Bancos, portas e console central em tecido premium com costuras
Console central com descansa-braço deslizante, porta-objetos e porta-copos
Controlador automático de velocidade de cruzeiro, comando no volante
Descansa-braço central traseiro com porta-copos
Desembaçador do vidro traseiro
Espelho nos para-sóis
Fechadura elétrica do porta-malas com comando interno
Freio de estacionamento elétrico com função de aplicação automática
Iluminação no porta-malas
Moldura da porta dianteira prata
Moldura da porta traseira prata
Pisca-3
Porta-objetos nas quatro portas
Porta-revistas no encosto do banco dianteiro (2)
Protetores nas dobradiças tipo convencionais
Revestimento do teto em tecido preto
Revestimento na tampa do porta-malas
Tapetes em carpete com presilhas de segurança
Tomada de 12 V
Travamento automático das portas a 15 km/h
ÁUDIO E CONECTIVIDADE
Alto-falantes de 160 W (4)
Bluetooth e streaming de áudio
Controle de áudio no volante
Interface de USB áudio com ponto de recarga na frente
MP3/WMA
Tela LCD de 5″
(1.806 visualizações, 3 hoje)