Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas Autoentusiastas FLAGRANTE DE INDÚSTRIA DA MULTA – Autoentusiastas

Agente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo “produzindo” para a prefeitura haddadiana. Local, área de desembarque/embarque do aeroporto de Congonhas, ontem, 18h45.

Em vez de ajudar, orientar no semicaos ocasionado pelo grande movimento de passageiros chegando e saindo, seja por transporte particular ou táxi/Uber, o “agente arrecadador” fica na calçada, de longe, à espreita, só multando.

Ao contrário de um colega, que, de fato, ajudava, pedindo aos motoristas para tirarem seus carros daquele ponto caso parados além do tempo necessário.

Pior, o tal agente arrecadador, quando via alguém desembarcar de carro na faixa de rolamento aproveitando os vários momentos de tráfego parado — nada mais lógico e até benéfico naquela confusão toda — “atirava” com sua ponta no aplicativo hoje utilizado para autuar, no melhor estilo dos franco-atiradores em tempo de guerra.

E ainda há quem refute a “indústria da multa”.

BS



Sobre o Autor

Bob Sharp
Editor-Chefe

Um dos ícones do jornalismo especializado em veículos. Seu conhecimento sobre o mundo do automóvel é ímpar. História, técnica, fabricação, mercado, esporte; seja qual for o aspecto, sempre é proveitoso ler o que o Bob tem a dizer. Faz avaliações precisas e esclarecedoras de lançamentos, conta interessantes histórias vividas por ele, muitas delas nas pistas, já que foi um bem sucedido piloto profissional por 25 anos, e aborda questões quotidianas sobre o cidadão motorizado. É o editor-chefe e revisor das postagens de todos os editores.

  • Eduardo Sad, a corporação, ou “companhia’, está sujeita a ordens do prefeito. Portanto, não duvide de nada mesmo.

  • Diney

    Acredito que o bom senso, seja a atitude principal de todos os envolvidos no trânsito para sua melhora e segurança, mas não é isso que vemos diariamente, principalmente por parte das autoridades envolvidas. Canalhas.

  • Heloi De Souza Freitas

    No Rio, no aeroporto do Galeão, isso é muito comum, Sharp. É uma das maiores safadezas que pode ter. A indústria da multa já é algo institucionalizada nos governos municipais, estaduais e federais. Não usam critério técnico e vão tudo no “achismo” e que lhes forem convenientes. Tá osso…

    • Heloi, esse “assalto” é nacional mesmo.

      • Heloi De Souza Freitas

        Fui cobrador de ônibus da empresa 1001, fazendo a linha Niterói-Galeão durante um bom tempo e o que mais se via era essa atitude, canetar sem senso algum, por pura roubalheira, para bater á “meta” do dia. Que eu saiba, antes você tem que ter a advertência verbal, dependendo da gravidade da infração, e não sair anotando a torto e direito.

  • Luciano, ironia totalmente sem propósito de sua parte, estou decepcionado. Você sabe que o agente de trânsito, na circunstância descrita, está totalmente errado. Eu mesmo disse que havia outro agindo corretamente.

  • Marcelo Takara

    Sim, infelizmente isso existe. Mês passado, a Rdio Bandeirantes fez uma matéria com relatos anônimos de agentes da CET denunciando a pressão dos superiores sobre os funcionários a respeito do cumprimento de “metas” de multas. Quem não cumprisse, corria o risco de sofrer mudanças de horários arbitrárias ou transferência para locais distantes.

  • jr

    Existe um problema básico de compreensão das coisas da vida democrática e civilizada. Os servidores públicos são funcionários do Estado a serviço da população, os tais dos contribuintes-cidadãos. Mas, eles se acham e são entendidos pela administração pública como funcionários do governo a serviço do governo. Por isso se acham “investidos de autoridade” no trato com o CONTRIBUINTE (fora as questões morais e éticas).
    Qual a função destes senhores: garantir um processo fluído de acesso ao terminal. Só isso. É para isso que existe a regulamentação. E aposto que quase todas as placas são de PROIBIDO ESTACIONAR, algumas de PROIBIDO PARAR E ESTACIONAR. Eles acham é multar a quem julgam não cumprir exatamente uma regra que não é exata… no caso, a diferença entre parar e estacionar…
    Num terminal, com pessoas chegando e saindo, no geral não há sentido em proibir o parar. Como é que as pessoas vão entrar e sair dos veículos… pulando dos veículos enquanto circulam???
    Brasil, país e pessoas desfuncionais.

  • jr

    Não devem ser punidos. Apenas a população é que deve deixar de ser punida. Para eles, demissão a bem do serviço público, e também para os chefes, chefes dos chefes, subindo até o prefeito.

  • Luciano, sim, errado, não era carro estacionado em local proibido com motorista ausente e, no outro caso, multar porque um passageiro desembarcou sem o carro estar encostado no meio fio — com trânsito completamente parado! O agente fotografado era o verdadeiro franco-atirador, enquanto outro ajudava, presente. Seu argumento é falho, é meramente teoria, foi safadeza total. Até parece que você desconhece a regra de que as ordens emanadas dos agentes de trânsito prevalecem sobre qualquer outra. Não precisa multar, basta mandar sair do local. À desobediência, sim, multa. Essa agente desonrou a farda que veste.

    • Luciano

      Ah, está bom, Bob! É tudo muito lindo na teoria e na fala de quem não lida diariamente na área de fiscalização de trânsito. Você não tem a noção da quantidade de gente folgada que tem por aí. Esses só “aprendem” e/ou obedecem na base da “caneta”…

      • Luciano, quer dizer então que a atuação do outro agente em nada ajudou a minorar o caos que estava lá, não é? Brilhante, parabéns.

      • Carlos Mauricio Farjoun

        Ninguém defende os folgados. Folgado tem que ser multado e ponto. O problema é o objetivo do agente de trânsito, que deveria ser primeiro garantir a fluidez deste, sendo a multa um instrumento de coerção àqueles que se recusassem a colaborar, só que este objetivo hoje é desvirtuado para fazer da multa um instrumento de arrecadação, deixando a fluidez do trânsito em segundo plano.

  • paulluis, perder o emprego só é pouco, devia ser preso por estelionato.

  • Isso mesmo, Marcus, imposto. É de dar nojo.

  • Tuhu, perfeito!

  • H_Oliveira, e que distração!!!

  • Eduardo, é mesmo um bando de safados.

  • Newton, placa criada para faturar, está na cara. Está cheio delas por aí.

  • Estevan, realmente.

  • ErCoelho, já ouviu a frase “De ilusão também se vive”? Pois ela se aplica à perfeição à você. Há outra frase conhecida, do jornalista e teatrólogo Nélson Rodrigues, que “É preciso ter sorte para tudo na vida, até para comer um picolé.” Pronto, duas frases que se encaixam no seu jeito de ver as coisas. E não se esqueça, assim como só há dois tipos de pilotos de avião, os que nunca pousaram com o trem de pouso em cima e os que já, só há dois tipos de motoristas, os que nunca foram multados e os que já. Quando você menos esperar será tungado pelo poder público. Depois não venha aqui dizer que não avisei.

  • Wagner Michelon Scaglione

    ochateador, aqui perto de casa transformaram uma rua de mão dupla em rua de mão única, colocaram placas enormes, pintaram a via, colocaram faixas gigantescas e mesmo assim durante mais ou menos 1 mês, era carro passando na contramão direto.
    Eu não vi nenhum agente da CET durante este tempo, ou seja, nenhum infrator foi penalizado.

  • Wagner Michelon Scaglione

    Aqui perto de casa foi o inverso, mudaram a mão de direção, pintaram a rua, colocaram um monte de placas, faixas e a CET sumiu.
    Era carro trafegando na contramão direto, foi mais de um mês assim.

  • ErCoelho, estive em Paris em julho, dirigi, e nada dos limites baixos que você diz haver. Guiei normalmente sem a preocupação de ser tungado como a que temos aqui. Sem mais.

  • JCQ, no Brasil?

  • Christian, é claro, mas um agente de trânsito se postar na área e ver alguém parado aguardando, é só mandar sair. Naquela noite um dos agentes da CET fazia exatamente isso.

  • ErCoelho, de nada, disponha sempre do seu AE.

  • Danniel , já demos essa notícia aqui, faz algum tempo.